Posto de Saúde do Barracão está há mais de 1 ano abandonado

O posto de saúde do povoado Barracão foi inaugurado em meados da década de 1990, quando do primeiro governo de Biné Figueiredo. É para onde se dirigiam  lavradores de mais de 10 povoados desta região quando algum problema de saúde acontecia. Apesar de funcionar precariamente, eles pouco tinham a reclamar.

Antes de fechar as portas o posto funcionava a semana toda. De acordo com os moradores, o médico ia ao local a partir de terça e só ia embora na sexta-feira. Dava para resolver muitas doenças e até algumas emergências, mas tudo isso acabou há mais de 1 ano.

Era dona Maria José Martins Araújo de Sousa quem cozinhava para a equipe médica toda semana. Atualmente, alimenta apenas a esperança de ver o posto tornar a funcionar.

 “Tenho vontade sim, porque as pessoas ficam atendido mais perto, não precisa mais correr mais pro 17, pro Codó e assim fica melhor…ACREDITO QUE VINHA MUITA GENTE PRA CÁ, EIRA, SÃO BENEDITO? Aqui, ao redor vinha todo mundo pra cá, aqui tinha muito movimento de gente”, disse a lavradora cozinheira que mora, praticamente, nos fundos do prédio em reforma.

SEM EMERGÊNCIA CARDÍACA

Ficou mais complicado para seu Almir Francisco Silva num caso de emergência. Ele tem doença cardíaca e não ver a hora da reforma do prédio, também iniciada quando o atendimento parou, terminar.

“Por exemplo, eu que sou cardíaco toda hora estou precisando, nem médico, nem posto, nem dada (…) vamos rezar pra ver se vem um médico praí o mais rápido possível, que abra o posto …TERMINE A OBRA? Tem uma obra que tá sem terminar que tá com mais de ano moço”, lamentou respondendo.

Neste longo tempo, todos, a exemplo de Cleonice  Moura Costa e seus 5 filhos, se veem numa situação bem difícil. Quando tem dinheiro não tem carro pra cidade, quando tem carro as vezes não tem como pagar a viagem.

“ As vezes tem transporte mas não tem, as vezes, o dinheiro pra pagar passagem, né, e assim fica difícil…E AQUI RESOLVIA? É, porque aqui tem muito morador, né, criança, adulto, a gente quer se consultar não tem um médico…QUANTO TEMPO FECHADO? Meu irmão, na minha base acho que tem uns dois anos”

Nenhuma previsão foi dada aos moradores de Barracão, mas eles, também,  nunca desistiram de esperar.

 “ah, mas com certeza, faz falta não só pra mim como pra todos, questão da saúde é o que tá fazendo falta pra nós hoje é a questão da saúde (…) é isso que nós precisamos aqui dentro, não só aqui como em todo lugar”, disse Tomé de Oliveira

A SECRETÁRIA FALOU

A nova secretária de Saúde, Aurilívia Barros, explicou que pretende num prazo de, no máximo, 20 dias, mandar equipe médica para atender em algum local improvisado de Barracão ou noutro povoado próximo.

Não será no posto mostrado na reportagem porque segundo a secretária a prefeitura está num embate jurídico com o dono do povoado que havia permitido a ampliação do prédio, doando mais terreno ao município, e, depois, voltou atrás negando o pedaço de terra. Até que a Justiça se pronuncie a respeito, a obra não poderá ser concluída.

Prefeitura de Codó emite nova nota sobre a polêmica do ABONO

Retificação

RESPEITO AOS EDUCADORES – Governo Zito Rolim paga 3,6 milhões acima do mínimo de 60% do FUNDEB

No último ano do Governo Zito Rolim, a prefeitura municipal de Codó aplicou 63,65% da receita do FUNDEB  – Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização e de Profissionais da Educação. Esse percentual corresponde a quase 64 milhões de reais aplicados em folhas de pagamento e encargos sociais para seus educadores em todo o ano de 2016.

Foram pagos, exatamente, R$ 3.665.119,29 (três milhões, seiscentos e sessenta e cinco mil, cento e dezenove reais e vinte nove centavos), que corresponde a 3,65 % acima do mínimo legal de 60% do Fundo de Educação. Foram repassados aos profissionais do magistério o percentual total de 63,65%, de um total arrecadado do FUNDEB de R$ 100.414.227,29 (cem milhões, quatrocentos e quatorze mil, duzentos e vinte sete reais e vinte centavos).

Documento enviado pela prefeitura de Codó (Finanças)

As informações foram ATUALIZADAS hoje segunda-feira (16) ao Prefeito, Francisco Nagib, pelo setor de contabilidade e a Secretaria de Administração, após apuração de todas as receitas e despesas realizadas nos doze meses do ano passado.

Quando as despesas com pessoal do magistério ficam abaixo dos 60%, a lei determina o pagamento de abono aos educadores para alcançar esse percentual mínimo dos valores arrecadados no FUNDEB. Mas não foi este o caso em 2016. A receita total do FUNDEB, no período, foi de pouco mais de 100 milhões de reais, e o percentual aplicado em folha de pagamento e obrigações sociais foi acima de 60%..

Amparo Legal

A legislação que trata do tema é a Lei 11.738 de 2008 que institui o piso salarial nacional para os profissionais de magistério público da educação básica e soma-se a Lei municipal 1.548 de 2011 que autoriza e disciplina a concessão de abono excepcional aos professores e profissionais do suporte pedagógico da educação básica em efetivo exercício na rede municipal.

Piso nacional e plano de carreira respeitados

Codó cumpre o piso nacional do magistério, para os professores efetivos, desde 2009. Em todo o Brasil, apenas 45% dos Municípios pagam corretamente o piso salarial. Codó está entre as poucas Cidades em que o Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações está plenamente em vigor.

Nesta terça-feira (17) o governo municipal enviará à Promotoria de Justiça, a Câmara de Vereadores, ao sindicato SINDSSERM e ao Conselho do FUNDEB todo o demonstrativo financeiro, fazendo jus à lei de transparência e ao bom relacionamento com todas as instituições e seus servidores.

Ascom – PMC

Governo monitora áreas endêmicas de Febre Amarela no Maranhão

O Maranhão é um dos estados brasileiros que não possui casos confirmados de Febre Amarela há 22 anos, apesar de estar localizado em uma área endêmica da Febre Amarela. O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), tem reforçado as ações de vigilância através de trabalho conjunto, envolvendo as vigilâncias epidemiológica, sanitária e ambiental e o departamento de Imunização. As ações são coordenadas pelo Departamento de Controle de Zoonoses.

A principal forma de prevenção da doença é a imunização. Segundo o Ministério da Saúde (MS), a vacinação é recomendada para uma grande área do Brasil onde a transmissão é considerada possível, principalmente para indivíduos não vacinados e que se expõem em áreas de mata, onde o vírus ocorre naturalmente.

A vacina contra a febre amarela é incluída no Calendário Nacional de Vacinação e está disponível permanentemente, de forma gratuita, nos postos de saúde. No período chuvoso, quando aumentam as populações de mosquitos, que são os principais vetores do vírus da febre amarela, existe um alerta maior relacionado ao reforço da imunização.

“Em 2016, a cobertura vacinal de rotina no estado, em crianças de até um ano, foi de 59,98%. Quem recebeu apenas uma dose da vacina precisa tomar o reforço, mesmo que seja adulto. Com as duas doses administradas, a pessoa está imune e não corre risco de contrair a doença”, explicou a chefe do Departamento de Controle de Doenças Imunopreveníveis da SES, Helena Almeida.  Quem for fazer viagem internacional, ou para regiões de matas, florestas e rios, deve seguir a orientação do MS, de atualizar a caderneta de vacinação.

No Maranhão, entre os anos 1973 a 1995, ocorreram 101 casos confirmados de febre amarela, com 19 óbitos. Segundo a coordenadora do Programa de Combate a Febre Amarela (PCFA), do Departamento de Controle de Zoonoses, Cláudia Castro Carvalho, como parte das ações estratégicas estão a identificação das áreas de circulação viraI, das populações sob risco e das áreas prioritárias para a adoção das medidas de prevenção e controle.

“A maior dificuldade ainda é em relação à imunização, pois muitos não realizam nem a primeira dose. Fazemos busca ativa dos sinais e sintomas para monitorar os casos suspeitos e, em cada localidade, é feito rastreamento de como está a cobertura vacinal. Os casos de óbitos já registrados no estado foram na região Centro Sul. Apesar de depois disso não termos casos confirmados, é mantido o alerta pela preocupação com o vetor e por sermos uma área endêmica”, explicou a coordenadora do PCFA.

No Brasil, entre julho de 2014 e dezembro de 2016, foram notificados 783 casos de febre amarela silvestre com 14 confirmados. Essa forma da doença é transmitida por vírus hospedado em macacos. Por este motivo, quando ocorre morte de animal em áreas silvestres, o serviço de vigilância epidemiológica faz a busca ativa e investiga as causas do óbito.

Imunização

A imunização é necessária para proteger a população, pois o contágio no meio urbano se dá através do mosquito Aedes aegypti e pode ocorrer quando o mosquito não infectado pica um animal infectado e, depois, esse mosquito transmite a doença para o ser humano. A confirmação do diagnóstico pode ser feita por exame laboratorial ou, em caso de óbito, por histopatologia.

Geralmente, após a infecção, os sintomas são febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos se manifestam de três a seis dias. Na forma grave, alguns desses sintomas se apresentam já de forma grave ou com insuficiências hepáticas e renais, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso.

A doença

Segundo o Ministério da Saúde (MS), a febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por vetores artrópodes, que possui dois ciclos epidemiológicos distintos de transmissão: silvestre e urbano. Reveste-se da maior importância epidemiológica por sua gravidade clínica e elevado potencial de disseminação em áreas urbanas infestadas por Aedes aegypti.

Por Mariana Dias /SES

Assassinato ocorrido hoje em cima da ponte do Itapecuru foi vingança, diz delegado

Foi morto com 3  tiros hoje, por volta do meio dia, em cima da ponte sobre o rio Itapecuru, em Codó, (ponte que liga o Santo Antonio À Trizidela), Paulo Leandro dos Santos Sousa, mais conhecido como LÉO.

A vítima ficou alguns minutos agonizando caído ao chão com um capacete na cabeça, uma vez que pilotada uma motocicleta, até o SAMU chegar, foi socorrido mas, sangrando muito, não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

De acordo com o que informou o delegado regional, Zilmar SANTANA, Léo respondia à dois inquéritos onde era o principal suspeito de dois homicídios, um deles, exemplificou o delegado, foi o de Gilson Oliveira Félix, vulgo Pica-pau.

Além destes dois indiciamentos, Zilmar Santana confirmou que Paulo Leandro dos Santos Sousa era suspeito de mais 3 homicídios, por isso a polícia trabalha com a hipótese de vingança.

Já existem suspeitas de quem teria mandado matar Léo, mas a polícia preferiu não dá maiores detalhes para não atrapalhar as investigações.

Dois homens o perseguiram e o mataram em cima da ponte, tomando rumo ignorado.

DMTRANS comunica fechamento de duas avenidas dia 20 de janeiro

A Administração Municipal, por meio do Departamento Municipal de Trânsito, em observância ao disposto no artigo 95 do Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503, de 23/09/1997) comunica a população e usuários das vias públicas que serão interditadas que:

No dia 20 de janeiro de 2017, das 06hs as 13hs, as Avenidas Santos Dumont e Augusto Teixeira, no trecho compreendido entre o retorno do “Zuza” e o retorno situado entre a Avenida 1º de Maio e Av. Castelo Branco serão interditadas., em razão da realização de eventos esportivos em alusão ao Festejo de São Sebastião.

Recomendamos aos residentes no trecho em referência, como medida de segurança, que procedam a retirada dos veículos de seus imóveis e estacionem nas vias transversais ao trecho interditado. Pedimos desculpas por eventuais transtornos causados e esperamos contar com a compreensão de todos.

Ascom – PMC

Operação da PM em Timbiras apreende mais de 40 motocicletas irregulares

Durante o final de semana, o Comando do 17º BPM determinou ações de ostensividade com a realização da Operação “Saturação” na cidade de Timbiras, em que foi designada uma equipe operacional de Codó para juntamente com a de Timbiras intensificar abordagens com revistas à pessoas e veículos, bem como retirar de circulação armas, drogas e veículos irregulares, que deverão passar por uma triagem para detectar veículos roubados ou furtados, em razão de inúmeras denúncias do livre trânsito de veículos provenientes de roubo e furto naquela cidade.

A Operação Saturação resultou na apreensão de 24 veículos irregulares no sábado e 22 apreendidos no domingo, além da prisão em flagrante delito de EDILSON BORGES SOUSA por porte ilegal de arma de fogo, pois durante abordagens à um bar, no bairro São Sebastião foi encontrado em seu poder um revólver calibre 38 de numeração raspada com 6 munições intactas.

POLÍCIA MILITAR, SERVIR E PROTEGER É A MISSÃO!

ASCOM 17º BPM

EM NOTA Prefeitura de Codó tenta justificar NÃO PAGAMENTO DE ABONO aos professores

Sobre a polêmica envolvendo o repasse complementar de R$ 4.825.963,06 que caiu na conta da Prefeitura de Codó, dia 29 de dezembro do ano passado, e o abono pedido pelos professores, o governo MAIS AVANÇO, MAIS CONQUISTAS emitiu um nota, na última sexta-feira, 13,  onde defende o governo Zito para tentar justificar que NÃO TEM A OBRIGAÇÃO DE PAGAR ABONO.

Em síntese,  diz que Rolim utilizou, ano passado, 64,60% do dinheiro do FUNDEB para pagar professores. Diz a nota:

“No último ano do Governo Zito Rolim, a prefeitura municipal de Codó aplicou 64,60% da receita do FUNDEB  – Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização e de Profissionais da Educação. Esse percentual corresponde a mais de 64 milhões de reais aplicados em folhas de pagamento e encargos sociais para seus educadores em todo o ano de 2016′, diz a nota

Se isto ocorreu, o gestor nada fez de errado. O art. 22, da Lei 11.494/2007 (Lei do Fundeb), estabelece que devem ser gastos com pagamento da remuneração do magistério da educação básica ‘PELO MENOS 60% DOS RECURSOS ANUAIS TOTAIS do FUNDO’.

Ou seja, é errado interpretar os 60% como sendo o  máximo a ser gasto. Na realidade os 60%, que aparecem na lei do Fundeb, SÃO O MÍNIMO A SER APLICADO, daí decorre a expressão ‘PELO MENOS 60%” que inicia o artigo citado acima.

COINCIDÊNCIA TIPO CORISCO 2 VEZES 

Segue a nota oficial dizendo que o governo Zito usou, exatamente, a quantia que chegou aos cofres da prefeitura em 29 de dezembro.

“Foram pagos, exatamente, R$ 4.825.963,06 (quatro milhões, oitocentos e vinte e cinco mil, novecentos e sessenta e três reais e seis centavos) acima do mínimo legal de 60% do Fundo de Educação”, descreve a nota oficial

Isso é uma coincidência espetacular, como é que se gastou EXATAMENTE a quantia que caiu?. Pode te ligar meu leitor (a), tá perto de cair dois corisco no mesmo lugar hoje ainda. Fica esperto.

Tudo bem, consideremos que, realmente, Zito tenha gasto, então que seu Nagib (prefeito), dona Deusimar (Educação)e seu Ivaldo José da Silva (Finanças), que ficaram com este abacaxi com areia de praia, venham à público abrir a caixa preta do referido recurso para revelar, sem desdobros, sobre  no bolso de quem foi parar essa grana.

Até onde Codó inteira sabe, os professores contratados receberam somente metade do salário miserável que ganhavam, ou seja, algo em torno de R$ 400,00, em dezembro (pode perguntar pra qualquer um contratado, só receberam 15 dias trabalhados).

Ah! já sei, foi para o bolso dos efetivos. Mas não são eles que vão ocupar a prefeitura quarta-feira, 18, cobrando exatamente a quantia que a nota diz ter sido aplicado por mestre Zito?

Élate! tô perplexo.

Sigamos, então.

Sobre  a obrigação de pagar abono, a nota afirma o seguinte:

“Quando as despesas com pessoal do magistério ficam abaixo dos 60%, a lei determina o pagamento de abono aos educadores para alcançar esse percentual mínimo dos valores arrecadados no FUNDEB. Mas não foi este o caso em 2016. A receita total do FUNDEB, no período, foi de pouco mais de 100 milhões de reais”, diz a nota

É necessário que se esclareça que diabo de ‘lei’ é essa. Se você se debruçar sobre a lei do FUNDEB, noite e dia, dia e noite, além de ficar com problema na visão, só vai descobrir que ela, a 11.494/2007, tem esta lacuna horrível, que lacuna meurimão? essa, sobre o que fazer com a sobra do FUNDEB.

Ela só utiliza o art. 22 para dizer que deve ser usado, pelo menos 60% no pagamento do salário dos professores. A interpretação do uso do que fica além dos 60% utilizados (os famosos, no máximo,  40%) decorre do que descreve outra lei, bem anterior à do FUNDEB, a  9.394/96, que dita a ordem de utilização do dinheiro destinado a Educação, como segue abaixo, em seu art. 70:

I – remuneração e aperfeiçoamento do pessoal docente e demais profissionais da educação;

II – aquisição, manutenção, construção e conservação de instalações e equipamentos necessários ao ensino;

III – uso e manutenção de bens e serviços vinculados ao ensino;

IV – levantamentos estatísticos, estudos e pesquisas visando precipuamente ao aprimoramento da qualidade e à expansão do ensino;

V – realização de atividades-meio necessárias ao funcionamento dos sistemas de ensino;

VI – concessão de bolsas de estudo a alunos de escolas públicas e privadas;

VII – amortização e custeio de operações de crédito destinadas a atender ao disposto nos incisos deste artigo;

VIII – aquisição de material didático-escolar e manutenção de programas de transporte escolar.

Devo concordar que pela ausência de uma lei clara a respeito ficou, por mera precaução, consignado que o abono, motivo da briga, é uma medida de caráter provisório e excepcional, mais recomendada para quando o prefeito não consegue gastar o MÍNIMO de 60% que recebeu com o pagamento dos educadores, mas daí tomar como medida NÃO PAGAR ABONO, havendo SOBRA de recursos, porque se utilizou acima de 60% dos recursos como se depreende da nota oficial da prefeitura é, no mínimo, inovador. Uma interpretação precária, a meu ver, carente de uma fundamentação mais consistente.

Se nem utilizar acima de 60% com salário dos profissionais da educação é proibido, que dirá usar dinheiro que sobrou em prol deles mesmos por meio do dito abono, desde que haja lei municipal disciplinando o referido benefício.

Mas  se esta lei existir, por favor que seja mostrada com número, artigo, inciso, alínea, o que tiver. É de clareza que estamos precisando neste momento e posso não estar sendo o suficiente nesta postagem.

FINALIZANDO A NOTA

O restante da NOTA é sobre pagamento do piso salarial. Afirma que Codó cumpre o piso desde 2009.

“Codó cumpre o piso nacional do magistério desde 2009. Em todo o Brasil, apenas 45% dos Municípios pagam corretamente o piso salarial. Codó está entre as poucas Cidades em que o Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações está plenamente em vigor”

Já tentaram me explicar algumas vezes sobre isso, mas NUNCA CONSEGUI ENTENDER COMO UM MUNICÍPIO QUE PAGAVA, LÍQUIDO, R$ 855,00 PARA UM PROFESSOR CONTRATADO, que nunca recebeu sequer um 13º salário, muito menos abono, PAGA O PISO NACIONAL.

O piso nacional em 2016, último ano ao qual se refere a nota, era de R$ 2.135,64.

Posso afirmar, de olho fechado,  que um professor contratado em Codó ganhava R$ 1.280,64 a menos que o preconizado pelo Ministério da Educação.

Pior ainda, um professor em Codó, nestas circunstâncias, ganhava menos que o VIGIA da escola onde ele tentava cuidar do chamado ‘futuro do nosso país”. Uma catástrofe digna de um IDEB de 4.0.

É uma conta que, repito, já tentaram enfiar na minha cabeça (com nove engolindo nove, noveSforaNada e tal), mas toda vez saio dessas secretarias municipais mais gobila que antes, em vez de ascender intelectualmente.

O piso este ano é de R$ 2.298,80. O que será dos contratados, meu Jesus Cristo? será que terão MENOS AVANÇOS, MENOS CONQUISTAS ou contrário disso?

Seu Nagib e dona Deusimar são quem vão nos dizer.

LEIA ABAIXO A ÍNTEGRA DA NOTA EMITIDA PELA ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DA PREFEITURA:

NOTA OFICIAL  DA PREFEITURA

No último ano do Governo Zito Rolim, a prefeitura municipal de Codó aplicou 64,60% da receita do FUNDEB  – Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização e de Profissionais da Educação. Esse percentual corresponde a mais de 64 milhões de reais aplicados em folhas de pagamento e encargos sociais para seus educadores em todo o ano de 2016.

Foram pagos, exatamente, R$ 4.825.963,06 (quatro milhões, oitocentos e vinte e cinco mil, novecentos e sessenta e três reais e seis centavos) acima do mínimo legal de 60% do Fundo de Educação.

As informações foram repassadas na última quinta-feira (12) ao Prefeito, Francisco Nagib, pelas Secretarias de Finanças e Administração, após apuração de todas as receitas e despesas realizadas nos doze meses do ano passado.

Quando as despesas com pessoal do magistério ficam abaixo dos 60%, a lei determina o pagamento de abono aos educadores para alcançar esse percentual mínimo dos valores arrecadados no FUNDEB. Mas não foi este o caso em 2016. A receita total do FUNDEB, no período, foi de pouco mais de 100 milhões de reais.

Piso nacional e plano de carreira respeitados

Codó cumpre o piso nacional do magistério desde 2009. Em todo o Brasil, apenas 45% dos Municípios pagam corretamente o piso salarial. Codó está entre as poucas Cidades em que o Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações está plenamente em vigor.

Na  segunda-feira (16) o governo municipal enviará à Promotoria de Justiça e ao Conselho do FUNDEB todo o demonstrativo financeiro.

Ascom – PMC

Presidente reafirma que sindicato vai à Justiça para manter carga horária de 6h em Codó

O presidente do SINDSSERM, Antonio Celso Moreira, está defendendo,  veementemente, que a nova gestão municipal respeite a Constituição Federal e o Estatuto do Servidor recuando de seu ato de instituir jornada de trabalho de 8h e não mais 6h por dia.

Professor Antonio Celso Moreira

“A Constituição Federal, ela garante 6h para o servidor público, ininterruptas (…) todo servidor tem direito de trabalhar 6h ininterruptas, além da Constituição Federal nós temos o estatuto do servidor, que é a lei 1.072, nesta lei tem lá no art. 22, diz que o servidor público ele tem obrigatoriedade de trabalhar 30 horas semanais, então não existe essa história de querer obrigar o servidor público a trabalhar numa carga horária acima do que é permitido, o sindicato não vai aceitar isso”, disse em entrevista concedida ao radialista Francisco Lemos.

O sindicato já acionou o setor jurídico para dar entrada numa ação na Justiça com o intuito de tornar sem efeito o ato do prefeito que modifica a carga horária dos servidores, enquanto isso o presidente disse que está orientando à todos para não aceitarem a imposição até que o Poder Judiciário se manifeste.

Celso também alfinetou Francisco Nagib. Disse, usando outras palavras,  que o novo prefeito precisa começar a distinguir a administração pública da privada.

“O que nós estamos colocando para o servidor público é não aceitar essa imposição, venha de onde vier, mas não aceitar e uma das nossas manifestações vai ser justamente a defesa disso porque o gestor, atual, ele não pode tentar fazer com a prefeitura como se fosse a sua empresa particular, algo seu, a sua casa, não, isso aqui é um serviço público, tem regras, tem leis e ele precisa cumprir as leis, precisa respeitar o direito dos trabalhadores e trabalhadoras do serviço público de Codó”, afirma

Fechando reforça o intuito de continuar na briga pelas 6h diárias.

“A categoria não vai aceitar ser explorada porque a lei ampara a categoria e se a lei ampara nós vamos lutar para que esta lei seja respeitada”

Após reportagem da TV Mirante Detran abre provas para Codó

Depois de uma reportagem exibida no último sábado, 14,  pela TV Mirante, mostrando a reclamação de codoenses que estavam se sentindo prejudicados porque não havia calendário do DETRAN para provas práticas em janeiro (nem fevereiro), o órgão emitiu uma nota abrindo vagas para todo o interior do Estado, incluindo, claro, Codó.
Conforme a nota, as provas em Codó ocorrerão nos dias 30 e 31 de janeiro, uma vitória para os até então prejudicados por meio do jornalismo Mirante. LEIA ABAIXO a íntegra da nota do DETRAN após a reportagem.
………………………………………………………………………………………………….
NOTA DE ESCLARECIMENTO
Detran-MA informa que montou um calendário intensivo de provas, para atendimento prioritário dos processos iniciados em 2016, que já se encontra no sistema. Esta diligência é no sentido de possibilitar a finalização do processo de habilitação destes candidatos no prazo excepcional outorgado pelo Denatran para fazê-lo.
De 23  a 27 de Janeiro serão atendidas as Ciretrans de Bacabal, Santa Inês, Pedreiras, Timon, Balsas, Açailândia, Pinheiro, Grajaú, Barra do Corda,Sao João dos Patos e Chapadinha.
Nos  dias 30 e 31 de Janeiro Codó.
Os exames serão realizados em todos dias úteis em Imperatriz, São Luis e Caxias.
Att,
Secap
Após ver esta postagem, a Assessoria de Comunicação do DETRAN-MA enviou-nos outra nota que possui o teor abaixo publicado na íntegra:

O Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA) lançou no sistema, na sexta-feira, 13, o calendário extra de exames para todas as Ciretrans do Estado, incluindo Codó. O calendário havia sido entregue ao Sindicato das Autoescolas do Maranhão (Sindauma), desde a última quarta-feira, 11 de janeiro.

“Recebemos das mãos da coordenadora de habilitação do Detran-MA, Nazaré Nunes, o calendário extra, e publicamos no nosso site para conhecimento de todos. Além disso, enviamos e-mails com a informação para todas as autoescolas do Estado”, esclareceu Ramir Ribeiro, presidente do Sindauma.

O calendário extra foi elaborado com o objetivo de ampliar as condições de conclusão do processo de habilitação aos candidatos que abriram cadastro para tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em 2016. Segundo prazo dado pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), os candidatos que começaram o curso no ano passado tem até 31 de janeiro para terminarem o processo sem a necessidade de fazer aulas no simulador de trânsito.

“As vagas foram colocadas no sistema na sexta-feira e no mesmo dia, várias autoescolas já começaram a preenchê-las. Vale lembrar que o calendário abrange todas as 15 Ciretrans, e em São Luís, Imperatriz e Caxias, teremos bancas de examinadores fixas que realizam provas todos os dias”, explica Larissa Abdalla, Diretora Geral do Detran-MA.

Em anexo, estão cópias do calendário já lançado no sistema, desde a semana passada.

CONSELHO TUTELAR continua ‘jogado às traças’ em Timbiras

Ano passado quando visitamos o Conselho Tutelar de Timbiras o prédio alugado ficava na principal avenida da cidade (de entrada). Dia 13 de janeiro voltamos ao município e já encontramos os conselheiros no prédio próximo ao da PM, onde já esteve outras vezes.

Por falta de um prédio próprio os conselheiros  são jogados de um local para o outro. O retorno para o prédio no entorno da praça Benedito Alvim, no centro da cidade,  marca a 7ª mudança num período de  de pouco mais de 1 ano e dentro, novamente, as condições não são boas.

MAIS UM PRÉDIO LASCADO

Os  conselheiros nos mostraram infiltrações nas paredes, fiação elétrica exposta (um vigia levou choque, imagine crianças por perto), forro destruído pelas goteiras de um teto que ameaça desabar.

“Esse prédio oferece risco aos conselheiros tutelares porque tá cheio de infiltrações, tem instalações expostas e, assim, o trabalho deixa a desejar”, avisou o atual coordenador do conselho Marcos Alan Frazão da Silva, em entrevista à TV Mirante.

Além disso, a cada novo local de atendimento velhos problemas persistem. Eles começaram mais um ano sem carro de uso exclusivo do Conselho Tutelar e quando precisam vão a pé até a Secretaria de Ação Social que empresta um carro de outro programa – o Bolsa Família, como presenciamos.

“Tem muita goteira, aqui a gente tira de 3, quatro baldes de água (…) tem que trocar, o teto, tem que reformar o forro, não temos internet, não temos telefone, não temos uma moto, não temos carro (…) Se for no período da noite não tem como atender…E DURANTE O DIA VOCÊS PEGAM QUE CARRO? Durante o dia é o carro do Bolsa Família”, relatou o conselheiro Manoel Cristino Pereira Neto

ABANDONO TOTAL

Mesmo diante de tantos problemas o Conselho ainda  recebeu 220 denúncias ano passado, porém, dado às condições, muito menos disso obteve a atenção que merecia dos conselheiros.

“Nós  só temos um computador que tá quase dando prego e nós estamos sem estrutura, é lamentável a situação do Conselho Tutelar de Timbiras, é lamentável, abandono total”, lamentou Cristino Neto, indignado

PALAVRAS DA NOVA SECRETÁRIA

Aurelice Gomes – secretária de Ação Social de Timbiras

A nova secretária de Ação  Social, a também primeira-dama Aurelice Gomes,  que comanda a pasta  à qual está atrelado o Conselho, pediu paciência e prometeu resolver os problemas, inclusive mudando todo mundo de prédio, mais uma vez.

 “Nós garantimos uma nova casa, ela já está quase fechada o aluguel da casa e a questão de  equipamentos, de insumos, como material de expediente, tudo isso a gente tem que esperar a licitação porque hoje em dia tudo é licitado. Então eu pedi para eles terem um pouco de paciência porque até no final de janeiro as coisas já estão se encaminhando para serem resolvidas”, afirmou a secretária