Araújo Neto participa de degustação de produtos que serão comprados para a merenda escolar

Ano passado, de acordo com o secretário de Agricultura, Araújo Neto, em entrevista ao jornalista Jair Ribeiro, o município fez circular entre os codoenses selecionados para fornecer alimentos para a merenda escolar mais de R$ 1 milhão e meio.

Há uma expectativa de que o volume de dinheiro possa ser igual ou maior este ano e o processo de seleção já está em pleno andamento. Hoje, 21, uma nova etapa se concluiu que foi a da degustação.

“Hoje nós estamos na última etapa da nossa chamada pública que é a degustação para que possamos definir quais foram as associações, quais foram as pessoas que vão ser credenciadas pra fornecer a merenda escolar do PNAE 30 às crianças de Codó, ou seja, da sede e da zona rural, e a gente sente o avanço dessas comunidades, dessas associações, dessas quebradeiras de Coco, a exigência é grande porque nós vamos fornecer alimentação pras crianças”, explicou Araújo

Ele disse que o prefeito Francisco Nagib deseja que mais e mais pessoas possam participar deste fornecimento. Até o início de abril  o município já quer estar recebendo os produtos para distribuir nas escolas. OUÇA A ENTREVISTA COMPLETA

Centro POP de Codó disponibiliza serviços de acolhimento para pessoas em situação de rua

Em pleno funcionamento desde 2014, o Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua, o Centro POP de Codó, tem ofertado atendimentos individuais e coletivos, oficinas, atividades de convívio social e socialização, bem como atividades que incentivam o protagonismo e a participação social. Na atual gestão, ‘Mais Avanço, Mais Conquistas’, a unidade funciona na Rua Benjamin Constant, Bairro São Sebastião, tendo como atendimento espontâneo vinte a quatro moradores de rua, que durante o dia encontram no espaço um ponto de apoio, para realizar higiene pessoal, alimentação, guardar seus pertences e participar de atividades que os tirem do ambiente das ruas.

Na unidade, as pessoas recebem atendimentos e participam de atividades socioeducativas de uma equipe multidisciplinar, especializada e bem capacitada para os atendimentos. “É uma política da Assistência Social para as pessoas em situação de rua e em estado de vulnerabilidade. Funcionamos na Benjamin Constant, nº 1264, Bairro São Sebastião, das 8hs às 17hs, ofertando alimentação adequada, atendendo com uma equipe bem dinâmica e especializada, que trabalha desde a abordagem nas ruas até as atividades educativas sociais e internas”, informou a Coordenadora do Centro POP, Laisa Lopes.

O Centro POP é um serviço da Proteção Especializada da Assistência Social, estando sobre a responsabilidade da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, que realiza um trabalho importante, ao garantir aos moradores de rua, de Codó ou não, um espaço de convívio social e de desenvolvimento de relações, como solidariedade, afetividade e respeito mútuo, rompendo com os preconceitos e, algumas vezes promovendo o retorno do indivíduo para as suas famílias.

Nossos atendimentos, oficinas, atividades e dinâmicas visam também estimular a autoestima dos moradores de rua que são referenciados pra nossa unidade. Isso deve ajudar a inseri-los de volta as suas famílias e na sociedade. Aqui são feitos atendimentos psicossociais, sociais e psicológicos . por meio das atividades e esse contato diário, conseguimos ir resgatando a autoestima, dignidade e a consciência de seus direitos nos atendidos”, explicou Nágela Cantanhede, Psicóloga do Centro POP

A Unidade de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua de Codó é mais do que um local onde os freqüentadores fazem suas refeições de café da manhã, almoço e lanche da tarde, é um espaço imprescindível para o resgate da dignidade humana. A rotina dos mais de vinte atendidos pelo centro é sempre preenchida de atividades, orientadas por Educadora Social, Psicóloga e Assistente Social.

É um direito deles e uma missão nossa, garantir que essas políticas públicas cheguem até essas pessoas, resgatá-las , cuidá-las com dignidade e respeito, e garantir seus direitos e atender suas demandas. Mais do que resgatar e cuidar, as atividades e atendimentos tem o objetivo de incentivá-los  para mudança de vida. Quero agradecer a todo apoio dado pela nossa Secretária de Desenvolvimento Social, Agnes Oliveira e ao prefeito Francisco Nagib, que nos dá todas as condições para a realização de um trabalho compromissado”, finalizou a coordenadora Laisa Lopes.

VÍDEO – Pestalozzi de Codó realiza caminhada destacando a Síndrome de Down

Alunos da Escola Lalá Ramos, mantida pela Associação Pestalozzi de Codó, saíram hoje pelas ruas do centro da cidade. Estavam acompanhados de professores e até de mães satisfeitas como dona Joana Maria da Silva.

 “É muito importante porque os filhos da gente vem, se diverte, entendeu? Se educa, a minha filha é muito divertida, gosta de vir pra escola”, disse a aposentada

Dos mais de 200 alunos com alguma deficiência atendidos pela Pestalozzi, 15 possuem a Síndrome de Down.

 “Hoje lá eles têm assistência à saúde, á educação, aulas de informática além da parte cultural também. A Pestalozzi desenvolve um trabalho muito bonito de estimulação precoce com os bebês Down”, explicou a fonoaudióloga Márcia Cruz Silva Araújo

Nesta caminhada a ESCOLA veio chamar a atenção da sociedade para a forma como pessoas com a Síndrome são tratadas em Codó e cobrar direitos que acabam sendo negados.

 “A gente quer inserir eles no mercado de trabalho, na cultura, no lazer, na educação e eles têm direito, é chamar a atenção para o direito dessas pessoas que não estão sendo respeitados”, sustentou Diana Rabelo, diretora da Lalá Ramos

A manifestação teve o apoio do Conselho Tutelar.

 “Isso aqui que nós estamos fazendo é uma política pública de motivação à criança com Síndrome de Down, então o Conselho Tutelar ele não pode ficar fora, ele tem que tá apoiando porque isso faz parte do conselho tutelar’, justificou o conselheiro Odair José dos Reis Magalhães

César Pires propõe a convocação do presidente do IPREV para esclarecer rombo na Previdência estadual

O deputado César Pires (PV) propôs nesta quarta-feira a convocação do presidente do Instituto de Previdência dos Servidores do estado do Maranhão (IPREV), Joel Fernandes Benin, para que ele preste esclarecimentos à Assembleia Legislativa sobre o rombo no Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria (FEPA). Para o parlamentar, o gestor estadual precisa explicar como o Governo do Estado vai assegurar ao funcionalismo seus direitos previdenciários.

“Ano passado, na discussão da Lei Orçamentária Anual (LOA), já questionávamos o governo sobre o déficit no FEPA e quais medidas seriam tomadas para garantir recursos ao fundo previdenciário. O governo apresentou como solução a alienação de bens, mas até agora não informou que bens seriam esses, e agora vejo pela imprensa o Executivo admitindo que há um rombo no fundo, de onde tiraram mais de R$ 1 bilhão”, ressaltou César Pires.

O deputado informou que já solicitou, por ofício, os devidos esclarecimentos ao presidente do IPREV, e recebeu uma resposta evasiva, sem consistência. “Ele admitiu que o fundo previdenciário está quebrado ao referir-se ‘às estratégias a serem implantadas para alavancar os recursos do FEPA’. E comete uma grande falha quando diz que ‘o IPREV/Maranhão estuda as medidas que busquem conter eventual déficit previdenciário do Fundo”. Como é que um cidadão que faz gestão fala em eventual déficit¿ Ele não tem controle do órgão que gerencia”, questionou.

César Pires também enfatizou que o presidente do IPREV também disse por ofício que o governo do Maranhão espera por estratégias de outros institutos para decidir qual a solução que buscará aqui. “Hoje vi em um jornal que o conselho do FEPA se reuniu para discutir onde buscará recursos para cobrir o rombo do fundo previdenciário. Só agora resolveram avaliar o estrago que causaram no ano eleitoral, sabendo que em outubro acabam os recursos para pagar aposentados e pensionistas”, acrescentou.

Para o deputado, a Assembleia Legislativa não pode omitir-se dessa discussão. Por isso, deve convocar o presidente do IPREV, para que ele preste os esclarecimentos e informa quais as medidas serão tomadas para que os servidores estaduais e suas famílias não sejam penalizadas.      “Se a incompetência do IPREV é grande, a irresponsabilidade do Governo é ainda maior. E esta Casa não pode fugir das suas responsabilidades”, finalizou.

TIMBIRAS – Ministério Público descobre esquema de empréstimos consignados que já deixou mais R$ 80 mil em prejuízos para idosos

Foi a promotora de Justiça de Timbiras, Natália Macêdo,  que, em janeiro deste ano, começou a receber idosos denunciando que haviam feito pequenos empréstimos consignados nas empresas POLPA BOM JESUS ou na  Promotora Bom Jesus e, após isso, estavam até sem receber 1 centavo sequer de suas aposentadorias. Mal sabiam eles que uma vez estando nas referidas empresas tinham seus documentos utilizados para diversas falcatruas.

“O empréstimo era triplicado, quadruplicado (…) eles apresentaram os extratos bancários que eles não reconheciam e muitas operações, o valor dos empréstimos era transferido diretamente pra conta da promotora e pra conta dos proprietários, como pra conta da funcionária, então isso foi o que nos chamou a atenção. Nós achávamos que eram casos isolados, posteriormente  pedimos à delegacia a quantidade de BOs que já tinha contra esta promotora, vimos que tinham 12 Boletins, mais quatro de pessoas que não tinham ido à delegacia, tinham vindo direto aqui pra gente e a partir deste momento nós começamos a investigar”, explicou inicialmente

pedido dela a Justiça autorizou busca e apreensão no escritório das duas empresas de empréstimo consignado e também na residência do casal que é proprietário destas empresas  já identificado como sendo  Francisco Alves Pereira e Francinete de Sousa Dantas, que moram em Coroatá. O Ministério Público também está investigando uma funcionária que se chama Samara da Silva dos Santos.

Com a ajuda do GRUPO DE ATUAÇÃO ESPECIAL DE COMBATE À ORGANIZAÇÕES CRIMINOSAS (GAECO) e da Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (SECCOR), os mandados foram cumpridos

 “E lá nós apreendemos computadores, celulares, muitos documentos, dentre eles documentos pessoais de idosos, além de contratos de empréstimos os quais serão analisados pra que possamos, diante disso, dar andamento na investigação”, explicou-nos Dra. Klycia Menezes, promotora de Justiça integrante do GAECO.

COMO AGIAM

O Ministério Público sustenta que o casal e a funcionária da Bom Jesus, que ainda não foram presos,  realizaram empréstimos não autorizados, entraram no limite de cheques especiais pedidos para os idosos e até contratavam títulos de capitalização.

Só uma das mais de 20 vítimas já identificadas pela investigação, o aposentado Teodoro Farias,   tem a pagar para um banco R$ 17.409,00. Um outro, chamado Tomás Fabrício dos Santos, ficou devendo R$ 14.924,00 sem nunca ter contraído tal dívida.

“Quando a petição foi distribuída junto ao Fórum daqui de Timbiras havia 16 idosos e o prejuízo girava em torno de R$ 65.679,43 mil, agora esse prejuízo já é bem maior e considerando este prejuízo foi requerido à Justiça o  bloqueio de valores dessas pessoas, dos investigados para que possa haver o ressarcimento desses danos”, afirmou Dra. Klycia.

MAIS VÍTIMAS

A promotora de justiça de Timbiras entende que mais vítimas devem aparecer nos próximos dias e pede que estas já apareçam na promotoria trazendo os extratos bancários da conta.

 “Por favor tragam os extratos bancários de todos os meses anteriores, por quê? Porque a partir deles, os extratos, é que nós começamos a bater as compras e a partir desses extratos nós vamos ter a real dimensão do dono”, disse Dra. Natália.

Com filhos sem aulas até agora mães da zona rural planejam protesto em frente à Prefeitura de Codó

Já estamos na segunda quinzena do mês de março e as aulas da  Escola Municipal DEMERVAL SALES, que fica no povoado Lagoa do Sales,  zona rural de Codó, nunca começaram.

Lagoa dos Sales

 “é um absurdo sim…O QUE VOCÊ QUER COMO MÃE? Ah! Eu quero que comece as aulas o maus rápido possível”, criticou a lavradora Luana Guedes Almeida que tem uma filha à espera.

Os moradores da região (Trizidela) nunca imaginaram que após uma grande reforma e ampliação fosse acontecer um problema desta natureza.

A reforma da escola custou mais de R$ 452 mil e pelo o que nós ouvimos dos moradores da localidade ela terminou a mais ou menos 5 meses, o que ninguém entende por lá é por que estes cincos meses ainda não foram suficientes para que a Secretaria de Educação trouxesse levasse, por exemplo, as carteiras.

Seu Antonio Carlos Costa, lavrador,  questionou o que  chamou de descaso.

 “Num sei né porque um problema desse, né, já deu muito tempo de trazer essas carteiras, ninguém sabe porque que veio e não veio, até agora nunca chegou…O QUE SE SABE É QUE AS CRIANÇAS ESTÃO…As crianças tão sem estudar, tão se prejudicando”, disse

LAVRADORA ESPERA AULAS PARA 4 FILHAS

Maria dos Milagres Sousa Vieira está com quatro filhas em casa aguardando o início das aulas, sem nenhuma previsão.

“Nem previsão, disseram que ia começar no dia 11 não começou, disseram que ia começar no dia 18 e nada e agora eu ouvi falar que nem previsão não tem pra começar …TA PREOCUPADA? Eu to preocupada por causa das minhas filhas, quem tá prejudicadas é minhas filhas”

PROTESTO EM FRENTE À PREFEITURA

Mães de vários alunos de Lagoa dos Sales e povoados vizinhos estão definindo um dia para irem à cidade protestar em frente à prefeitura de Codó contra a falta de aulas, como  revelou a lavradora Maria das Dores Pachêco com 3 filhos prejudicados.

 “É isso que a gente tá, nós já falemos com as mães lá pra ir, porque desse jeito não tem condição nosso filhos ficar sem estudar…POR QUE IR À CIDADE? O que nós querer é pra eles trazer as coisas pra cá pra escola pra poder começar as aulas”

VEJA O VÍDEO – Vereador denuncia que ‘tem rua com buraco que dá no joelho’ em Timbiras

“Tem buraco lá que chega a dá no joelho da gente, meu presidente”, esta frase foi proferida em discurso na Câmara de Timbiras pelo vereador Miltinho Moraes, do PSB. Ele se referia à ‘todas as ruas do bairro 7 Casas’ confirmando que há pontos intrafegáveis.

No mesmo vídeo ele pede reparos na Iluminação Pública do bairro São Sebastião, pediu roço de mato no mesmo bairro.

“Que viesse aí a empresa da limpeza e que viesse fazer esse roço pra nós lá”, diz o parlamentar que também fez um apelo pela Travessa  Manoel Burgos.

“Lá tá terrível, essa semana mesmo eu fui deixar uma senhora, cirurgiada, fez uma cirurgia, um parto cesário e foi a maior dificuldade pro carro passar, então lá tá precisando o mais rápido possível dessa manutenção”, asseverou.

Fotos mostram casa alagada em PERITORÓ após obra de calçamento e drenagem

Estas fotos nos foram enviadas por um leitor do blogdoacelio em Peritoró. Segundo seu contato, via whatsApp ontem às 21h02min, trata-se da situação da rua CAMPO GERALDÃO. Uma casa aparece na fotografia abaixo alagada.

“Boa noite, amigo, faça uma matéria sobre o descaso da rua Campo Geraldão, em Peritoró”, nos escreveu.

O mesmo leitor também mandou a foto de uma placa (foto noturna) referente  a CALÇAMENTO EM BLOCO SENTADO E DRENANGEM SUPERFICIAL no valor de R$ 493.100,00.

“Acima citado, tá o valor do calçamento, quase meio milhão de reais”, escreveu o denunciante.

VÍDEO – Prefeito Francisco Nagib destaca aparelhamento do Conselho Tutelar em seu governo

O prefeito Francisco Nagib, PDT, concedeu entrevista ao blogdoacelio falando sobre a entrega realizada ontem, de 5 computadores, impressora, ar-condicionado e bebedouro novos ao Conselho Tutelar.

Na Entrevista ele agradeceu ao apoio do agora senador da República, Weverton Rocha, que teria encaminhado tais benefícios ao município. ASSISTA.

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER – Membros da OAB ministram palestra no IFMA Campus Codó

Uma comissão da subseção Codó da Ordem dos Advogados do Brasil esteve ontem, 20, no Instituto Federal do Maranhão, Campus Codó, realizando uma palestra sobre violência simbólica praticada contra a mulher.

“O assunto escolhido pelos alunos, e a gente coordenando, foi a violência simbólica que é aquela psicológica, através das palavras que muitas vezes passam despercebidas e hoje a gente tá falando, realmente, da legislação, das leis que nos embasam, o direito da mulher”, explicou professora Alexandra, também psicóloga do IFMA, em entrevista ao jornalista Sena Freitas, da FCTV.

A temática escolhida tem a ver com o cotidiano de muitas alunas, como lamentou a educadora na entrevista. A palestra contou com a presença da presidente da Comissão de Defesa da Mulher e também do presidente da Subseção, Dr. Thiago Maciel.