Por Jacinto Junior – Acélio, o “Sherlock Holmes” da comunicação

Professor Jacinto Junior – um pensador contemporâneo

Já está passando da hora de prestar uma singela homenagem a quem considero o mais dinâmico e o melhor profissional da comunicação do interior do Estado: Acélio Trindade.

Não irei levantar sua biografia, pois, todos nós já a conhecemos, entretanto, esboçarei algumas justas considerações a um homem que realiza com paixão sacerdotal sua primeira função: o jornalismo.

Além dessa função ele exerce outra com o mesmo esmero e habilidade: a ciência jurídica. Diga-se de passagem, que, neste setor sua fama é de uma constelação menor, aparentemente! Sempre altaneiro, porém, criterioso, sem exasperação.

Possui uma extraordinária capacidade de ouvir, e ouve atentamente cada fala, cada detalhe, como se fosse o próprio investigador laureado por sua inquestionável competência para elucubrar os crimes que, a princípio são insuperáveis – vide, por exemplo, Sherlock Holmes e seu inseparável amigo Watson – isto, conta para quem é, ao mesmo tempo, coletador de informação para oferecer um ‘furo’ sensacional sem a preeminência do sensacionalismo e, no campo jurídico construir uma defesa com as mesmas características. E, assim, tem sido sua conturbada e tríplice atividade: jornalística, jurídica e bloguista.

Conheço-o há mais de 20 anos e carrego um episódio histórico ocorrido na década de 1990, que, na época o comandante do executivo era o ex-prefeito Biné Figueiredo. Quando ainda era um militante político e ativista social. Naquele episódio quem estava fazendo a cobertura: Acélio Trindade. Era um 7 de setembro, organizamos uma mobilização intensa com diversos segmentos sociais, e, taticamente, esperamos o desfile seguir seu trajeto, para em seguida, executarmos nosso plano.

A polícia estava à posto, seguiam-nos sob ordens expressas do gestor para impedir a realização de nosso protesto. Quando chegamos defronte ao Clube Guarapary – que hoje já não existe -, o comandante da polícia deu a ordem: evacuar a rua e prender quem resistir! Naquele tumulto fora presa nossa companheira e primeira candidata mulher em Codó pelo PT em 1992.

O mais engraçado desse episódio foi a prisão do CAIXÃO que, representava a morte da Educação e a falência do governo. Acélio me entrevistou na ocasião, essa gravação deve estar arquivada nos Estúdios da TV Mirante. Foi um grande alvoroço aquele movimento e, particularmente, o CAIXÃO foi quem roubou a cena. Relato esse fato para dizer que a caminhada de Acélio Trindade é de longas datas.

Seu estilo é único! Sua tonalidade incisiva integra o panorama perfeito para chamar a atenção do público e completa seu desempenho a gravidade de sua voz.

Reconheçamos: de fato, o nosso ‘Sherlock Holmes’ é um notável repórter de telejornal, de mídia social e, ainda, um expert no campo jurídico. Sua capacidade técnica para formatar uma reportagem foge aos padrões tradicionais e, por conta disso, às vezes, mal interpretado, outras, criticado por pessoas que não conseguem subtrair a essência de suas informações picantes e sinuosamente criativas.

Acélio Trindade inspira, gera polêmica com apenas uma fração de frase, contudo, permanece o ídolo codoense, pois, cotidianamente, alimenta a comunidade com suas assíduas informações.

Por Jacinto Junior

4 Responses to Por Jacinto Junior – Acélio, o “Sherlock Holmes” da comunicação

  1. Enaiá disse:

    Parabéns, Acélio! Tu és sem dúvida o grande representante do jornalismo codoense, em voz e conteúdo!

  2. dr. cascagrossa disse:

    Marxista quer manter o espaço no blog…

  3. Jeffersson Alves disse:

    Professor e escritor Jacinto Junior, parabéns pela acertada escrita sobre o nosso amigo e acadêmico da ACLAC, Acélio Trindade. Esperamos, brevemente a publicação em livro dos seus artigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *