Category Archives: Educação

Estudantes do IFMA de Barra do Corda fazem visita técnica de 3 dias em Codó

Um grupo de cerca de 25 alunos do Instituto Federal do Maranhão está desde ontem, 6 na cidade de Codó onde ficarão por 3 dias fazendo o que chamam de visita técnica de conhecimento.

Nós os encontramos na noite de ontem numa aula sobre logística ministrada na praça Ferreira Bayma, em frente ao Instituto Histórico e Geográfico do Codó e da Ferrovia, pelo professor  codoense do IFMA, Aciel Tavares.

Alunos do IFMA de Barra do Corda visitam Codó

Ele explicou que os alunos farão uma visita à diversos locais da cidade, incluindo empresas e e institutos.

“Vieram visitar o grupo FC OLIVEIRA, a APLEC, o Instituto Mestre Bita do Barão, a CDL o IFMA Campus Codó e também está no roteiro o Instituto Histórico e Geográfico que vai ser realizada amanhã (07). Hoje à noite eu estou aqui com eles falando sobre logística em frente à ferrovia pra ficar mais emblemático e eu como fui do Campus Barra do Corda faço questão de acompanhar qualquer turma que venha pra cá pra fazer visita porque é parceria”

A estudante de nível superior Josilane disse que trata-se de uma aula prática diferenciada.

‘Além de tudo colocar a teoria em prática e, futuramente, aproveitar par aplicar essa prática que a gente tá tendo também, então é uma complementação, é uma aula prática”, disse

Os estudantes voltarão para Barra do Corda amanhã, após o término das visitas técnicas.

PRECATÓRIOS vs COMPROMISSO – A ‘birra’ de Nagib e a desculpa questionável dos professores

Os professores de Codó terão uma semana decisiva. Na próxima quarta-feira, 6 de junho, estarão, pela segunda vez (a primeira foi em frente ao Viva), cara a cara com o prefeito Francisco Nagib.

O encontro será às 16h em local ainda não divulgado pela assessoria do gestor, provavelmente em seu gabinete uma vez que só 8 pessoas, de livre escolha da presidência do SINTSERM, entrarão para dialogarem com o chefe do Executivo Municipal.

A pauta principal gira em torno do repasse dos 60% dos R$ 26,5 milhões que já estão nos cofres da Prefeitura de Codó. Os professores querem a parte deles em forma de abono, o gestor já anunciou que seguirá orientação do Tribunal de Contas da União, do Ministério Público Federal e, mais recentemente, do ministro Luís  Roberto Barroso do Supremo Tribunal Federal.

O QUE ESPERAR?

Se a pergunta for – o que esperar deste encontro? Respondo que, praticamente, nada.

Os dois lados manterão suas ideias e a única novidade a se concretizar será a de que os educadores sairão de mãos vazias, mais uma vez.

Nagib no meio dos professores

O prefeito vai preferir o desgaste político que isso lhe tem causado à ceder ao intento dos educadores.

 Considero que 60% de R$ 26,5 milhões é um valor altíssimo para se distribuir em abono, mas sempre fui da opinião de que politicamente Francisco Nagib se sairia melhor distribuindo qualquer outro percentual (abaixo disso) para os professores.

Os conselheiros do  TCU, os procuradores do  MPF e agora o ministro Barroso, com quase 100% de minha certeza, não sabem quão duro é a profissão do magistério no cotidiano árido da educação codoense, nem da educação brasileira.

Sabem, talvez, por meio do noticiário, assistido no conforto especial de seus gabinetes refrigerados ou da poltrona macia de suas casas.

Fácil emitir opinião olhando só papéis, compulsando códigos e mais códigos cheios de leis criadas por outros reis da imaginação do venha, realmente, ser a realidade coletiva de muitas categorias de trabalhadores.

Por óbvio que a Educação, como um todo, necessita de reestruturação, mas onde neste país se faz educação sem professor?

A MELHOR SAÍDA

A melhor saída para Nagib será negociar um percentual abaixo dos 60% para transformar em abono. Nenhum prefeito do Brasil será punido por fazer isso, quem o fizer tem a seu favor a própria lei do FUNDEF.

Ate hoje todas decisões/orientações a respeito deste tema  são mais baseadas em convicções pessoais do que em leis.

A punição é para os idiotas que planejaram até reformar cemitério, fazer campo de futebol (durma com um barulho desses).

Ademais, professor é a parte mais importante da estrutura da educação. Eu consigo aprender debaixo de um pé de manga, sentado na raiz com um professor aguerrido à minha frente. (Pisando em bosta de cachorro e sentido cheiro de merda de boi no curral ao lado).

Mas não consigo aprender absolutamente nada numa sala linda, com ar-condicionado ‘truando no geladinho’, sem professor.

Que custa valorizar este miserável que carrega tantas profissões e décadas de desvalorização nas costas?

Que seus assessores, prefeito,  abram mão de seus conselhos movidos por interesses pessoais ou pelos simples fato de querer agrada-lo aderindo à um conceito já pré-estabelecido em sua cabeça.

Peitar a classe dos professores por algo que pode ser resolvido (até porque o dinheiro está disponível) é um atitude politicamente burra, inconsequente e cheia de consequências futuras para a jovem carreira política do nosso gestor.

Eu gosto da ideia dos 15 ônibus, do material didático, das mochilas azuis, das reformas anunciadas ou mesmo as construções escolares.

Mas que aula nossos alunos terão, mesmo chegando de escolar novo, mesmo chegando de material pedagógico novo, mesmo não faltando mais tonner para mandar copiar as provas, mesmo não faltando pincel para escrever no quadro, mesmo com  ar-condicionado funcionando?

Que tipo de aula nossos alunos terão, se o professor dentro da sala  continuará puto de raiva porque não teve seu pleito atendido?

Não precisa ser inteligente pra saber a resposta.

AOS PROFESSORES

Aos meus inestimáveis  educadores digo que se o homem (prefeito)  apontar para um acordo será hora de botar este radicalismo bobo debaixo da sacola e admitir que vocês nunca receberão 60% de R$ 26,5 milhões, talvez recebam no governo da Coréia do Norte negociando com aquele gordinho maluco que tem por lá.

Aqui, é tempo de abrir mão  e negociar o que for oferecido.

Melhor algo em mão, do que nada.

Depois de botarem este real, justo, no bolso, rumbora sacudir esta forma de ensinar porque não consigo entender como a escola PICA-PAU consegue um IDEB de 4,7 (o melhor de Codó)  e outra escola com maior estrutura não sai da casa dos 3 míseros pontos.

Tem algo errado aí e a culpa não é falta de giz, pincel , tonner, cadeira pra sentar, ventilador no teto ou sei lá mais o que já encontrei faltando nestas escolas.

Tem professor mais comprometido na escola PICA-PAU? Os alunos de lá são mais inteligentes?

Prefeito, entregue o dinheiro deste povo.

Professores, botem a grana logo no bolso (se o homi liberar) e  rumbora parar de achar desculpas para nossa maior desgraça na Educação.

Rádio Mirante AM vai estrear programa esportivo com cerca de 10 correspondentes de todo o MA

A rádio Mirante AM de Codó deverá iniciar neste mês de junho um projeto audacioso no campo do esporte. Será o BOLA NA REDE ESPECIAL DE DOMINGO.

Hélcio Costa no estúdio da Rádio Mirante de Codó

O âncora será o experiente jornalista esportivo Hélcio Costa e já foram convidados Fernando Santos e Coutinho Sousa, ambos narradores esportivo, e o repórter e apresentador Paulo Silva, todos com larga experiência.

A ideia veio do diretor-presidente da emissora, empresário Leonel Araújo, e visa reativar o esporte aos domingos, que é o que faz as grandes emissoras do país, entre as quais rádio Globo e Super Rádio Tupi, as duas do Rio de Janeiro.

O programa deve começar às 9 da manhã indo até às 11h, todo domingo e terá, como principal novidade, a movimentação de vários jornalistas esportivos de diversas cidades do Maranhão.

Entre os que já confirmaram participação estão:

  • Jota Orlando – Timbiras
  • Edy Lemos – Coroatá

Sandro Wagner – Pedreiras

Júnior Jatobá – Capinzal do Norte

  • Nonato Santos – de Caxias
  • Ducival Marques – Chapadinha

Nonato – Santo Antonio dos Lopes

Paulo Henrique – rádio Clube de Belém

  • Gil Porto – São Luís
  • Sérgio Rodrigues ou Carloto Junior – Imperatriz

    Hélcio entrevista o holandês Ronald de Bouer

O BOLA NA REDE ESPECIAL DE DOMINGO será transmitido ao vivo também pelas redes sociais. Uma página já está sendo criada com este intuito no facebook.

A estreia será dia 10 de junho, domingo.

Prefeito NAGIB explica por que encarou professores que reivindicam 60% dos precatórios do FUNDEF

Na última sexta-feira, 25, terceiro dia de paralisação dos professores de Codó (segundo dia da segunda paralisação), os educadores que desciam a rua Afonso Pena encontraram o prefeito Francisco Nagib participando da inauguração de um posto da receita Federal no Viva/Procon.

Prefeito encara manifestantes (foto de Nilton Messias)

Logo formou-se uma onda de discursos inflamados na porta do evento e o que ninguém esperava aconteceu, Nagib deixou o evento e foi falar com os manifestantes.

O blogdoacelio  não estava na cidade e em razão disso não pôde registrar o momento como ele, realmente, foi. Dado à esta dificuldade procurei ouvir o próprio prefeito que nos deu a sua visão sobre aquele acontecimento que a todos pegou de surpresa.

Nagib explicou que ouviu as reclamações diretas em tom de desabafo dos manifestantes, mas também as rebateu. Voltou a defender que não é ele quem NÃO quer dar o abono, o que o impede é a orientação do que chama de rede de controle (MPF, TCU e agora até o STF).

“Não sou eu, Acélio, quem está dizendo que não é pra pagar professor. A questão do FUNDEF quando, antes mesmo da gente receber este recurso, a rede de controle – Ministério Público, TCU, todos, STF agora – todos disseram que não é, é pra investir na educação, é pra investir em ônibus escolar, é em reforma de escola, em kit esportivo, em material didático pra nossas crianças, em melhoria na estrutura”

FOI EU?

Na entrevista ao blog, Nagib também questionou o fato de estar sendo cobrado como se estivesse no governo há vários anos.

“Eu sei que as escolas estão acabadas, conforme um professor lá disse, estão ruim, agora, será que foi eu que acabei isso em um ano e meio? Ou porque eles não reivindicaram tudo isso antes?”, questionou

‘VAMOS RESOLVER AGORA”

Sobre o exato momento de seu encontro com os educadores, disse que se dispôs a se encontrar naquele momento com todos os professores  e até começou a acompanhar a manifestação até o prédio da prefeitura, mas os manifestantes,  que chegaram a concordar, voltaram atrás e disseram que não queriam a reunião.

“Eu disse – eu quero diálogo com vocês agora. Todos, de primeiro momento aprovaram e quando eu disse que ia até acompanhando a caminhada até a prefeitura eles decidiram em não aceitar a reunião naquele momento, então eu provoquei e disse – eu quero a reunião agora, se é pra resolver esse problema nós vamos resolver agora e não foi aprovado por eles, o momento que eles tanto esperava  e eu disse – gente, nós esperamos isso aqui por tanto tempo por que que a gente não resolve logo isso? Então foi marcado para outra data”, disse ao blog

Por conta da recusa dos educadores, uma nova data para este encontro foi marcada. Prefeito Nagib e manifestantes se reunirão dia 6 de junho, às 16h, para resolverem a questão dos precatórios.

Nagib, também em tom de desabafo na entrevista, pediu que parem com as paralisações que estão prejudicando os alunos.

Frisou que os professores de Codó não possuem razões para causarem tantos  transtornos à educação.

“Professor ganhava menos de R$  500 em Codó, hoje salário de professor é um dos maiores do Maranhão, infelizmente eu não posso dizer também  que o IDEB de Codó é um dos maiores do Maranhão (…) então o que eu peço pra eles é isso, é união, que a gente pare com esta questão de deixar de dá aula, poxa o salário tá em dia, no início do ano nós aumentamos o salário dos professores”, disse

Chiquinho do Saae participa de evento com mães no bairro Nova Jerusalém

O ex-presidente da Câmara de Vereadores, Chiquinho do Saae, já está em pleno movimento político. Já é do conhecimento de todos que Chiquinho pretende concorrer à uma vaga na Câmara Federal este ano.

Chiquinho do Saae no Nova Jerusalém

Neste fim de semana, o ex-vereador e sua equipe foram convidados especiais num grande café da manhã realizado em alusão ao MÊS DAS MÃES. Houve uma conversa e depois todos se deliciaram com o que fora preparado.

Equipe Chiquinho do SAAE

Alunos da escola MATTA ROMA viram artistas plásticos e criam 18 telas com temas diferenciados

O desafio de colocar os mais diversos sentimentos em telas, assim, foi dado à alunos do segundo ano do ensino médio da escola Mata Roma e o resultado foi surpreendente. O resultado desta atividade que pertence à disciplina de artes, ministrada pelo professor Braz Pereira, está agora no corredor do MATTA ROMA QUE virou uma espécie de grande galeria de artes com 18 telas.

desmatamento

O amor preenche tudo é o nome da tela criada pela equipe de Josemir da Silva. Diferentemente dos demais que usaram  pinturas,  eles utilizaram pregos e fios de lã formando corações coloridos.

“Cada cor representa uma forma de amar, tipo a paixão, a forma de amar com alegria, com esperança, então cada cor representa uma coisa (…)  é uma temática diferente porque a gente pode expressar o nosso sentimento, a nossa visão do mundo de hoje pra criarmos esses quadros”, explicou o estudante

A violência contra a mulher esteve em destaque,  a Poluição e também a preservação do Planeta.

Os alunos também falaram de Racismo – A Desigualdade Racial  foi o tema de Rodrigo da Silva Almeida. Ele e os colegas de classe desenharam um  mundo que já nasce preconceituoso dividido pelas cores branco e preto. Questionaram o grande número de leis feitas para pessoas que não se respeitam.

 “Se você não consegue respeitar uma pessoa então pra que inventar lei? (…) ou seja, o mundo já desabrocha com este preconceito, com esta falta de amor entre as pessoas”, frisou

QUESTÕES DE GÊNERO

Késia da Silva foi além  com um quadro questionador –  Será que o Preconceito é  Bicho de sete cabeças? Neste os alunos incluíram as questões de gênero, da homofobia.

 “Por isso que a gente desenhou cada bonequinho de uma cor diferente, porque ninguém é igual  à ninguém, a gente quis frisar exatamente isso que não é porque eu nasci que eu tenho que morrer homem, não é porque eu nasci mulher que eu tenho que morrer mulher. Tá na hora da gente começar a respeitar o espaço do outro”, conceituou de maneira bastante lúcida

A exposição continuará nos corredores da escola por tempo indeterminado, tem chamado a atenção dos visitantes e também vem provocando novos olhares sobre estes temas entre os demais estudantes, como explicou o gestor auxiliar, professor Marcelo Pereira.

“Algumas temas sobre preconceito, alguns temas sobre violência contra a mulher, sobre o amor, o respeito às diferenças, então, tudo isso o professor quis passar para os alunos que eles possam ver e colocar a sua criatividade”, disse

Projeto CINEMA LEGAL atenderá a 4 escolas nesta quinta-feira

Nesta quinta-feira, 17, tem mais uma etapa do projeto CINEMA LEGAL que leva crianças da rede municipal de ensino à sessões de cinema, como nos explicou a professora Regilane Barbosa Maceno.

“Estamos desenvolvendo o Projeto Cinema Legal com os alunos das escolas municipais. Todas as quintas-feiras, os alunos ocupam o espaço do Centro de Artes e Esportes Unificados de Codó-CEU para vivenciarem a experiência da leitura de uma maneira diferentes, em que o lúdico e o pictórico são convidados especiais”, escreveu ao blog

Alunos de 4 escolas estarão no Centro de Artes e Esportes Unificados, no Vereda, bairro São Francisco, na seguinte ordem:

Manhã

1ª sessão (7h30): Escola São Luís/ Pica Pau

2ª sessão (9h30): E.M Talmir Quinzeiro/ Polo Bacabinha

Tarde

1ª sessão (13h30): Escola São Luís/Pica Pau

2ª sessão (15h30): CEMEI Santa Rita/ Polo Caeira

César Pires condena prejuízos causados pelo governo aos professores estaduais

O deputado César Pires criticou duramente o governador Flávio Dino e sua base na Assembleia Legislativa do Maranhão por impor prejuízos salariais aos professores estaduais na votação da Medida Provisória 272, que desrespeita o Estatuto do Magistério. Ele chegou a apresentar uma emenda à MP, para manter a data-base e reajuste salarial linear para a categoria, mas teve sua proposta rejeitada pelos parlamentares governistas.

A Emenda Modificativa apresentada por César Pires pretendia preservar direitos dos professores estaduais já assegurados no artigo 32 da Lei 9.860, o Estatuto do Magistério: “o poder Executivo procederá aos ajustes dos valores do vencimento do Subgrupo Magistério da Educação Básica no mês de janeiro, no percentual do piso salarial profissional nacional do magistério”. Mas pela MP 272, o governo Flávio Dino impôs reajustes diferenciados para a categoria, de forma parcelada e sem respeitar a data-base, não retroagindo a janeiro.

“O Estatuto do Magistério foi fruto da luta dos professores, e tive a honra de participar da sua construção já em 1994, quando ainda era pró-reitor de Graduação da Universidade Estadual do Maranhão. O que vejo agora com muita tristeza é essa involução que traz prejuízos irreparáveis à classe dos professores. Por isso apresentei essa Emenda Modificativa, para reparar essa injustiça cometida pelo Governo, que é a destruição do Estatuto do Magistério”, enfatizou César Pires.

Na opinião do deputado, o governo traiu a categoria e contradisse todos os seus discursos de valorização dos professores e de investimento na qualidade da educação pública. “O governo dá 10,47% para um número menor de professores, e 6,81% para a grande maioria, num total desrespeito ao artigo 32 do Estatuto do Magistério. Nenhum desses profissionais merece ser tratado de forma diferenciada e injusta e o que eles querem é somente o cumprimento da lei. Por isso apresentei a emenda na esperança de que o governo pudesse reconhecer esse grande equívoco”, justificou ele.

Diante do silêncio dos deputados governistas, que não usaram a tribuna para defender a MP do governo, mas cederam à pressão e votaram contra os professores ao rejeitar sua emenda, César Pires citou a frase de Humberto de Campos: “prefiro afrontar o mundo servindo à minha consciência a afrontar a minha consciência para ser agradável ao mundo”.

César Pires voltou a reafirmar seu orgulho de ser professor e de nunca ter se posicionado contra esses profissionais da educação, mesmo quando era líder do governo na Assembleia Legislativa. “Não há projeto pedagógico, não há revolução nem crescimento educacional sem investimento e reconhecimento da competência do professor. Sem eles, sem respeitar suas lutas históricas e seus direitos duramente conquistados, não há como se falar em educação de qualidade”, finalizou ele.

Mudanças na distribuição e produção da merenda escolar começarão em agosto

Foi assinado na segunda-feira, 14, um memorando entre a Prefeitura de Codó e a Universidade Federal do Maranhão na presença do prefeito Francisco Nagib e da reitora Nair Coutinho.

Dia da assinatura do memorando que inicia a parceria

Foi o início das formalidades exigidas para que a parceria funcione. O município vai utilizar a partir do mês de agosto de 2018 a cozinha industrial do restaurante universitário do Campus 7 que nunca funcionou.

O secretário Paulo Buzar, de Educação, esclareceu que na parceria os universitários, cerca de 490, também terão alimentação. Além disso, água e energia elétrica da cozinha também serão por conta do município.

“Desativaremos, paulatinamente, as cozinhas municipais e faremos neste estabelecimento que estamos aqui, no Restaurante Universitário, que há anos está construído mas sem fornecer nenhuma alimentação a seus alunos (…) então unimos as nossas forças e colocaremos pra funcionar o restaurante universitário, os alunos poderão ter nesse estabelecimento as suas refeições e nós ganharemos com isso o fato de que não teremos que construir uma nova estrutura pra fazer com que tivéssemos a nossa própria cozinha industrial”

O secretário de Agricultura, Araújo Neto, disse que a ideia é atender em torno de 15 mil alunos que estudam na cidade, mas, inicialmente, o município começará atendendo 4 mil estudantes.

“Toda a rede do Ensino Fundamental Maior será atendida por aqui, aqui nós iremos produzir. Hoje se nós tivéssemos atendendo toda a rede atenderíamos 15 mil alunos e a nossa contrapartida pra UFMA, qual vai ser? atender os alunos que estão matriculados aqui na universidade Federal que hoje são uma faixa de 490 alunos, tarde, noite, dia, então essa é nossa contrapartida”, explicou Araújo

PRESENÇA MARCADA ELETRONICAMENTE

A ideia propagada pelo governo é a de economia com controle total sobre o que chegará às escolas em caixas térmicas todo dia, sem desperdício.

Um programa de computador (software) foi desenvolvido para que a cozinha industrial saiba exatamente quantos alunos estão presentes em cada escola atendida.

Por meio de um celular ou tablet o professor marcará a presença do estudante, assim espera-se não haver erros no número de crianças que merendarão naquele dia.

“Em tempo real todas as crianças que frequentarão a escola municipal. Por exemplo, a criança dá entrada na escola, dá a sua presença às 7h, 7h30min da manhã, automaticamente a cozinha aqui recebe a demanda da escola. Diz a escola, exemplo, escola Senador Archer tem 200 alunos neste momento, a cozinha aqui vai produzir uma comida balanceada, adequada e pronta pra uma quantidade de 200 alunos que às 9h vai estar chegando na escola a comida ideal e suficiente para os 200 alunos que lá estão”

O mesmo programa também dará aos pais a chance de ver até as notas dos filhos pelo celular em casa baixando apenas o aplicativo desenvolvido. Os professores também serão, de certa forma, monitorados já que são eles os responsáveis pelo manuseio do aplicativo em sala de aula.

Prefeito vistoria cozinha industrial da UFMA que será equipada com recursos municipais

Francisco Nagib demonstrou confiança no projeto.

“Nós entendemos que com o acompanhamento de nossas nutricionistas, com o acompanhamento de toda a nossa equipe nós vamos conseguir dar uma merenda de qualidade à nossas crianças, mais ainda, conseguir com que ela se torne regular e padronizada a todas as escolas”, disse o prefeito

OUÇA todas as reclamações dos alunos do Campus 7 apresentadas à reitora da UFMA

Os alunos dos três únicos cursos da UFMA, Campus Codó, estiveram reunidos ontem, 14, com a Magnífica reitora, Nair Portela  da Silva Coutinho.

Alunos da UFMA Codó

Organizaram uma pauta de reivindicações de modo a mesclarem o que estava escrito com reclamações vindas diretas dos alunos por meio de espaço abertos pela aluna interlocutora que os representava sentada à mesa principal.

Ao concluir, a representante resumiu a pauta de reivindicações mais urgentes elencando 5 solicitações, sendo estas:

1 – Articulação das instituições públicas de ensino para que incentive o auxílio de bolsas de incentivo à docência que oportunize empregabilidade para o público de egressos da UFMA;

2 – Melhoria e manutenção do Campus 7 da UFMA com acompanhamento sistemático de sua reitora e suas pró-reitorias;

3 – Ampliação da oferta de cursos para demais áreas de conhecimento e de abertura de pós-graduações pois em 10 anos de UFMA em Codó só temos 3 cursos e precisamos ampliar a oferta para a sociedade codoenses e maranhense;

4  – Contratação imediata de mais professores para nossa instituição que preencha o quadro obrigatório da grade curricular dos cursos, a exemplo de LIBRAS;

5 – Restaurante Universitário em funcionamento.

O blogdoacelio esteve no evento e registrou em áudio as reclamações dos universitários que incluem outras pautas além das acima demonstradas. OUÇA TUDO