Category Archives: Saúde

PÂNICO – Pedro Belo diz que saúde de Codó é ‘REFERÊNCIA DE MORTE” e denuncia novos descasos

Pedro Belo

Pedro Belo

O vereador, Pedro Belo (PCdoB) foi quem fez o mais duro discurso contra a situação da saúde no município de Codó ontem (9) na sessão da Câmara Municipal de Vereadores partindo do caso da lavradora, Valdenir Guimarães, que perdeu a filha Ana Vitória ao nascer e depois morreu sangrando no HGM esperando por atendimento médico durante, segundo o marido, por 2 horas e 10 minutos, na madrugada do dia 3 de junho de 2014.

Belo revelou que 2 dias antes do caso da lavradora, uma outra mulher também havia perdido o bebê em condições parecidas dentro do mesmo hospital.

“Dois dias antes de acontecer aquilo com a mulher do César aconteceu também com uma mulher da rua Manoel Januário que me pediu para não divulgar o nome. Entrou no HGM também, não deram conta de fazer seu parto, levaram com urgência pra Coroatá, infelizmente a criança veio a óbito, também daquela mãe, então tá todo mundo assustado”, disse

O SOFRIMENTO DE DIVINA

Pedro também se reportou ao caso de uma jovem identificada apenas pelo nome de Divina que sofreu grave acidente de trânsito na última quinta-feira (05/06). Disse ter acompanhado-a no HGM onde a moça ficou muito tempo sem atendimento e sangrando por dentro.

Para transferi-la de Codó para Timbiras, onde descobriu-se uma grave e quase mortal hemorragia interna, segundo o vereador, foram necessários até telefonemas para o secretário Ricardo Torres e para o prefeito da cidade, Zito Rolim.

O resultado da demora no atendimento por falta de condições do HGM foi a perda de um rim da garota que está em coma no HGT.

‘Cheguei na hora quando a divina entrou no hospital e de lá ficou aquele empurra-empurra, vai não vai, dizendo – aqui não tem nada, tem, não tem –  e a menina lá na sala opera, não opera, com medo de dizer que não tinha material, que não tinha estrutura pra fazer uma cirurgia no município de Codó. E só fizeram, sabe o quê, depois de muitas horas tentaram transferir ela pra outro hospital”

“Felizmente, e graças à Deus, com muita luta lá dentro fazendo confusão, ligando para o prefeito, ligando para o secrertário conseguiram uma ambulância pra levar ela pra Timbiras. Chegando lá, na hora que chegou, que foram examinar a menina tava com hemorragia interna, com um rim estourado do impacto, já tinha perdido quase seu sangue por completo, tá em coma até hoje”, disse

CODÓ – REFERÊNCIA DA MORTE

Para o vereador, Codó hoje é uma referência da morte.

“Codó já foi referência aqui nessa região. Quantas pessoas não vinha de Presidente Dutra, Barra do Corda e outras cidades vizinhas se consultar, procurar a saúde do município de Codó (…) e hoje Codó tá sendo referência em morte no hospital, a que ponto nós chegamos vereador Carrim?”

CRÍTICAS À RICARDO TORRES

Pedro Belo não poupou nem mesmo o secretário de Saúde, Ricardo Torres, de severas críticas. Lembrou que o novo comandante da pasta da saúde foi à Câmara fazer promessas de mudar o trânsito, não as cumpriu e ainda ganhou de presente de seu tio (Zito) uma das mais importantes secretarias para gerir.

“Muda-se o secretário e continua as mesmas mazelas ou pior do que o anterior, mas já era de se esperar (…) Se comprometeu em mudar o trânsito de Codó, isso já vai completar quase 2 anos, vereador, e não foi feito, e ganhou de presente, por não fazer, organizar o trânsito de Codó a Secretaria de Saúde, uma importante secretaria do nosso município.

Pra quê? pra deixar o povo de Codó morrer no hospital? ou pra ser referência em transporte e tá perdendo porque é tão lento pra se transferir que acaba deixando morrer aqui no hospital mesmo. Tudo enquanto se leva pra outra cidade”, concluiu

LEGADO DE BOAS AÇÕES: Dr. Mário Braga atende codoenses gratuitamente

O médico Codoense, Mário Braga, iniciou na semana passada um trabalho de atendimento gratuito à população codoense que objetiva oportunizar aos mais carentes acesso rápido e eficaz à prevenção de certas doenças e até à cura.

Dr. Mário Braga atende gratuitamente

Dr. Mário Braga atende gratuitamente

Braga fará atendimento toda sexta-feira, pela manhã,  na casa de seu pai – professor Kelé, ao lado do Centro Operário Codoense. O trabalho partiu do fato de que muitos codoenses tem dificuldades de conseguirem consultas médicas nas unidades de saúde.

O médico também ressaltou que isso nada tem a ver com política partidária.

“A população de Codó precisa de um atendimento médico humanizado e coerente, alias esse  atendimento gratuito está acima de interesses políticos-partidários haja visto que todos são atendidos sem qualquer preconceito de crença ou grupo político que pertençam, independentemente de terem votado em mim ou não quando me candidatei a vereador em 2012”,, esclareceu

Dr. Mário Braga destacou que tem objetivos humanitários e de deixar um legado de boas ações.

“Na vida o legado que tenho que deixar são as boas ações que fiz para meus próximos”, finalizou

Dr. Cláudio Paz comemora liberação de recursos em projetos iniciados na sua gestão

Dr. Cláudio Paz comemora liberação

Dr. Cláudio Paz comemora liberação

Dentre os vários projetos aprovados na gestão de Cláudio Paz na saúde de Codo temos os da Rede de Saúde mental como:

  • CAPS Álcool e drogas 3 no valor de R$ 1.000.000,00;
  •  CAPS Infanto Juvenil no valor de  R$ 800.000,00;
  •  e Unidade de Acolhimento Transitório InfantoJuvenil (UAT IJ) no valor de R$ 500.000,00 reais.

Sendo liberados no dia 30-05-14 a primeira parcela de R$  200.000,00  para a construção do CAPS AD 3 e a primeira parcela de R$ 100.000,00   para a Unidade de Acolhimento.

Na Rede Cegonha foram aprovados vários projetos como:

  • Equipamentos para o centro de parto normal no valor de R$ 150.000,00;
  • Equipamentos para os leitos de UTI e UCI neonatal para cuidar de recém nascidos prematuros no valor de R$ 300.000,00;
  • Construção / ampliação do centro de parto normal no valor de R$ 250.000,00;
  • Ambiência da UTI neonatal no valor de 40.000,00 reais e reforma/ambiência da UCI neonatal no valor de 200.000,00.

Sendo liberados no dia 30-05-14 a primeira parcela de R$ 50.000,00  para construção/ampliação do centro de parto normal e primeira parcela de R$ 40.680,00 para a ambiência da UCI neonatal.

Todas essas ações tem o objetivo de melhorar a assistência nos transtornos mentais principalmente os relacionados com o  uso de álcool e drogas,  fortalecer e ampliar a complexidade do atendimento das mães e recém-nascidos em Codó.

ASSCOM Dr. CLáudio Paz

Rodrigo Figueiredo apresentará Projeto de Lei para incentivar doação de sangue

Ajudando a salvar vidas

Ajudando a salvar vidas

O vereador Rodrigo Figueiredo (PDT) esteve esta semana visitando as instalações do Hemonúcleo de Codó e constatou que o centro de coleta e distribuição de sangue está passando por um período de baixa no estoque de sangue por falta de doador. Em conversa com a coordenação do Hemomar, Rodrigo informou que tomaria medida, enquanto Parlamentar para atrair doadores voluntários até o centro, com o objetivo de abastecer o banco de sangue do município.

Eu pretendo, ainda nesse mês, apresentar aqui na Câmara Municipal um projeto que está sendo elaborado e será aperfeiçoado para encontrarmos soluções, no sentido de incentivar a doação de sangue no município de Codó. Eu estive conversando com esses profissionais e vamos elaborar esse projeto nesse sentido de incentivo à doação de sangue”, disse Rodrigo em seu pronunciamento na Sessão Ordinária da Câmara, na segunda-feira (19).

O vereador protocolou um Projeto de Lei esta semana na Câmara, para que, nas próximas semanas, seja apreciado na Comissão de Educação, Cultura, Saúde e Meio Ambiente. A matéria propõem medidas para incentivar a população a doar sangue e manter cheio o estoque do Hemocentro e consequentemente, os hospitais públicos da cidade e região. Os benefícios propostos na matéria ainda não foram divulgados pelo vereador.

O Hemocentro fica em Codó, mas atende outras cidades. Codó é a maior cidade com estrutura, é a cidade polo. As doações que são feitas em nossa cidade, também atendem a Peritoró, Timbiras, Alto Alegre, cidades vizinhas. Então, quanto mais pessoas fazendo doações de maneira regular, de forma contínua, será, sem dúvida, um grande benefício. Trago esse tema nesta noite porque entre muitas e muitas qualidades do povo de Codó, que são diversas, uma delas é a solidariedade”, concluiu o Parlamentar.

Asscom – Vereador Rodrigo Figueiredo

Campanha contra a gripe em Codó já está acima dos 90% da meta

A Prefeitura Municipal de Codó, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa sobre o recorde de cobertura na Campanha de Vacinação contra Gripe  no município. As ações de vacinação na campanha nacional contra gripe A estão acontecendo do dia 22 de abril até o dia 23 deste mês.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, desde o início da campanha, já foram vacinadas 27.373 mil pessoas, o que corresponde a 79,19% deste público-alvo. Mais de 1.846 trabalhadores de saúde também foram vacinados, atingindo uma cobertura vacinal de 90,67%.

Nos postos de saúde já foram imunizadas 1.754 gestantes, correspondendo a 94,61 % do público. Entre os idosos, 11.315 já receberam a dose da vacina contra a gripe, resultando em uma cobertura vacinal de 88,77%.

As Crianças já foram 6.614, o que corresponde a 60,37%. Puérperas já foram imunizadas 470 correspondendo a 154,1% no total. Esse total é devido algumas mulheres que estavam de passagem pela cidade de Codó e foram imunizadas.

Nota: Ascom/Prefeitura Municipal de Codó

SAÚDE ZERO: Codoense é humilhado em porta de hospital de Teresina

Cícero ficou de 10h às 15h deitado na porta do HUT

Cícero ficou de 10h às 15h deitado na porta do HUT

Na última sexta-feira (11) Codó apareceu numa matéria feita pelo TV Clube, afiliada da Globo no vizinho Estado do PIAUÍ, repercutida no site G1 da Globo, sobre saúde pública. O caso era de um homem, identificado como Cícero Ferreira de Sousa, de 25 anos, maranhense.

A matéria não identificou a cidade de origem do rapaz, mas quem é de Codó ao ver o vídeo da reportagem sabe que o homem que se deitou das 10h da manhã às 3h da tarde na calçada do HUT, esperando atendimento,  é um velho conhecido nosso e trabalha no centro codoense vigiando  carros e motocicletas.

HUMILHADO EM TERESINA

Cícero chegou ao Hospital de Urgência de Teresina – HUT – por volta das 10h, da sexta-feira e  segundo o repórter, Raimundo Lima,  (TV Clube),  foi barrado na entrada porque era do Maranhão.

“Nem na enfermaria  deixaram eu ir, tÔ aqui pedindo ajuda, quero entrar porque tÔ muito doente”, disse Cícero ao repórter

Sobre o que sentia o codoense falou de dores fortes na cabeça e na barriga, além de uma possível hepatite.

“Tô com problema sério, dor no abdômen, hepatite, dor no estômago muito”, relatou triste

SÓ SORO EM CODÓ

A TV Clube também relatou que antes de dirigir-se à capital do vizinho Estado, em busca de ajuda, Cícero Ferreira de Sousa procurou a saúde pública de Codó.

Não foi explicado  se o rapaz passou pela  UPA, por um de nossos 17  postos médicos ou pelo HGM, mas foi dito, claramente, que na terra natal do paciente a única coisa indicada foi um  soro.

“Antes de vir para Teresina o lavrador já tinha sido atendido no hospital de Codó na noite anterior, mas segundo ele, o médico que fez o atendimento tinha indicado apenas a aplicação de soro”, diz o texto do repórter da Clube.

ATÉ QUANDO

O caso precisa ser analisado com certa cautela, mas não podemos negar que é vergonhoso ver cidadãos de nossa cidade passarem por constrangimentos tão grandes longe daqui. Gente que sai em busca de algo que poderia ser oferecido com maior qualidade  sem muito esforço – saúde pública.

A apresentadora da afiliada da Globo naquele Estado finalizou dizendo que o codoense foi atendido no final da tarde e fez exames para descobrir a origem das dores, certamente, após a pressão da imprensa.

Até quando vai ser assim?

Zito culpa empresa por não funcionamento da clínica de hemodiálise de Codó

Zito Rolim fala de hemodiálise

Zito Rolim fala de hemodiálise

Não têm sido poucas as denúncias feitas nos meios de comunicação a respeito das péssimas condições de transporte dos pacientes de hemodiálise de Codó que são obrigados a fazer a limpeza do sangue, pelo menos três vezes por semana, na cidade de Caxias. Há quem saia nas primeiras horas da manhã e só chegue em casa, novamente, depois das sete da noite, isso quando o veículo não quebra na BR-316.

Outra reclamação frequente é que desde a época do governo de Ricardo Archer a ajuda de custo (via programa Tratamento Fora de Domicílio – TFD) não passa de 120 reais por mês por paciente. Os renais crônicos se perguntam por quê esse dinheiro está congelado há vários governos, inclusive nos seis anos do atual, o famoso Cuidando de Nossa Gente.

VETADA PELA VIGILÂNCIA

Na semana passada, em meio a outros assuntos de seu discurso nos dois anos da UPA, o prefeito Zito Rolim falou da clínica de hemodiálise construída em Codó (na área do conjunto Novo Milênio), que até hoje ninguém sabe ao certo se é pública ou particular. Ela poderia ser o fim dos sofrimentos enfrentados por quem já está querendo até  paz celestial.

Segundo o gestor maior do município, a clínica de hemodiálise de Codó ainda não está funcionando porque a Vigilância Sanitária não liberou o alvará de funcionamento e o motivo estaria numa documentação errada que a empresa responsável, cujo nome não citou, emitiu.

“O povo quer, o povo merece e nós estamos conseguindo a exemplo da hemodiálise que ainda não está funcionando por conta de um erro da empresa que fez a documentação errada, se não já tava funcionando a hemodiálise, mas a vigilância (Estadual) não liberou o alvará, mas não vai demorar muito, o importante é que nós estamos conseguindo’, disse Rolim explicando a situação

O ‘NÃO VAI DEMORAR’ da frase do prefeito não teve data estipulada, o que indica tempo indeterminado, mais tempo para o desgaste de quem vive debaixo do castigo de uma prefeitura que já deveria ter criado vergonha na cara e colocado uma clínica  pública dentro de Codó.

O FECHA NÃO FECHA DO PARTICULAR

Se esta que foi vetada pela Vigilância Sanitária for particular, prevejo desgraça à frente para os pacientes renais. É que a exemplo do que já vimos aqui na área da saúde, a clínica particular só funcionará quando o dono tiver a amizade do prefeito do momento, caso não,  ficará fechada por questões meramente políticas.

Quem nunca viu este tipo de coisa aqui em Codó?

Saúde é Vida dobra a quantidade de leitos existentes no Maranhão

Saúde é prioridade

Saúde é prioridade

Um dos maiores avanços que o programa Saúde é Vida, desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Saúde (SES), proporcionou foi a expansão da rede de leitos para atender a população de São Luís e do interior do estado. Conforme levantamento feito pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) em 2009, quando o programa foi colocado em prática, havia 958 leitos hospitalares disponíveis na rede de saúde e, até dezembro de 2013, esse quantitativo passou para 2.118, o que representa um aumento de mais de 120%.

O programa também contribuiu para aumentar a quantidade de leitos de UTI no estado: em 2009, eram 98 que estavam ativos e, até dezembro de 2013, esse quantitativo subiu para 309. Já com relação aos leitos de UCI, o Maranhão não tinha leitos dessa natureza e, com o auxílio do programa, foram ativados 104 até dezembro do ano passado.

Ao fazer uma comparação entre os leitos hospitalares das redes municipal, estadual, federal e privada de saúde no Maranhão – de abril de 2009 a dezembro de 2013 – , os dados da SES mostram que a maior evolução foi registrada na rede estadual. Enquanto a quantidade de leitos hospitalares sob a responsabilidade do estado passou de 958 para 2.118, na rede municipal, o total de leitos passou de 7.312 para 7.347; na federal, houve uma diminuição, passando de 573 para 488; e na rede privada de saúde também houve uma diminuição, passando de 5.183 para 2.465 leitos.

Tecnologia – Uma das últimas ações do programa nesse sentido foi a ativação, na segunda-feira (17), de 50 leitos de retaguarda clínica no Hospital Estadual Nina Rodrigues. O anexo funcionará como uma extensão do Hospital Carlos Macieira para receber pacientes que necessitem de tratamento de longa permanência em clínica médica, encaminhados de outras unidades de saúde da rede estadual em São Luís.

São 42 de clínica médica e oito de cuidados intermediários. A unidade conta com laboratório 24 horas e médicos especializados para apoio e diagnóstico. Todo o corpo clínico é formado por profissionais que trabalham no Hospital de Alta Complexidade Carlos Macieira e a equipe administrativa será a mesma do Hospital Nina Rodrigues.

Por Leandro Santos / Jornal O Estado do MA

BANHO MARIA: Desde 1997 codoenses ouvem promessas de implantação de leitos de UTI no HGM

O Hospital Geral Municipal tem cerca de 130 leitos, mas nenhum deles é de UTI.  Desde 1997, quando Ricardo Archer iniciou seu primeiro mandato,  o codoense houve, de forma mais frequente,  promessas de instalação de uma Unidade de Terapia Intensiva, mas até hoje nada foi feito.

Desde o fim da década de 1990, quando um prefeito sai diz que deixou ‘quase tudo pronto’ pra outro, este, por sua vez, diz que nada encontrou. Foi assim de Ricardo para Biné e, mais recentemente, de Biné para Zito.

Na atualidade, o secretário de saúde do município, o ginecologista Cláudio Paz, há 6 anos à frente da pasta capitaneado por Zito Rolim, deu a seguinte explicação para o estágio em que estaria esta sonhada implantação:

“Essa rede já foi aprovada, já foi encaminhada para o Ministério. O ministério já liberou em portaria, nós estamos só aguardando o Ministério liberar o dinheiro para que a gente possa iniciar a construção dos leitos de UTI e também dos equipamentos”, argumentou

 NA UPA

O mais próximo de uma UTI que Codó possui fica na UPA, mas é só uma sala intermediária (apelidada de SALA VERMELHA) para pacientes graves que, segundo o diretor da Unidade, Ricardo Lima, serve apenas para estabilizar a saúde da pessoa antes de transferi-la para outra cidade.

 “A gente tem uma sala vermelha com quatro leitos semi-intensivos. A função desses leitos é semi-intensivo, é de estabilizar esse paciente até que a gente consiga transferi-lo para um hospital de alta complexidade e a UPA tem feito este papel”,afirmou

AS TRANSFERÊNCIAS

Os pacientes em estado grave de Codó são transferidos para a cidade vizinha de Coroatá. Quando não há vagas, a alternativa da central de regulação é procurá-las em Presidente Dutra ou na capital, São Luís. Sobre quantidade o diretor da Central de Leitos do Maranhão, Ivan Lima, disse.

“Nós contamos com 35 leitos de UTI adulto, mas 13 leitos de UTI neo-pediátricas”, enfatizou

São  números de uma rede de regulação no Leste Maranhense que, segundo Ivan,  recebe pacientes de 70 hospitais e  de mais 4 UPAs. Só a de Codó informou que envia uma média de 15 pessoas por mês.

Todos admitem que as vezes é complicado achar uma vaga, mas Ivan Lima garantiu que providências estão sendo tomadas para melhorar a oferta de leitos de UTI no Maranhão.

“Estamos construindo agora mais 4 hospitais macrorregionais em Caxias, Santa Inês, Pinheiro e Imperatriz. Esses hospitais vão dá mais vazão aos nossos pacientes, nosso programa Saúde é Vida composto por mais hospitais que vão abrir, mais hospitais gerais e mais hospitais de urgência que estão sendo preparados”, concluiu

“O Maranhão está no caminho certo”, diz Cláudio Paz sobre saúde

Participando do aniversário dos 2 anos de funcionamento da UPA Codó, o secretário de Saúde do município, Cláudio Paz, fez um discurso elogiando iniciativas inovadoras do secretário estadual, Ricardo Murad, e da governadora, Roseana Sarney. Destacou a ideia da regulação de leitos – que é o trabalho que descobre vaga e encaminha o paciente grave para  lugar garantido dentro do sistema da rede pública de saúde.

“Antes dos hospitais de emergência, antes da UPA as pessoas de todo o Maranhão pegavam aqui uma ambulância e íam pra São Luís, pra Teresina, pra Caxias pra arriscar, não existia uma serviço de regulação. Hoje existe uma certa demora, mas é porque o serviço está sendo organizado. A pessoa quando sai daqui da UPA, do HGM, vai pra Timbiras, ou vai pra Coroatá, na regional, já tem um leito esperando este paciente”, disse

De acordo com Cláudio Paz, o Maranhão está no caminho certo. Ele também frisou que aqueles que hoje criticam já tiveram a oportunidade de fazer melhor e não o fizeram.

“Então, o MARANHÃO ESTÁ NO CAMINHO CERTO. As pessoas que criticam a oportunidade de fazer e não fizeram. O secretário Ricardo Murad tem ampliado, principalmente, os serviços de alta complexidade, hoje tá tendo dificuldade de leito de UTI imagine sem esses leitos que foram criados no hospital macrorregional de Coroatá, criado no hospital Carlos Macieira em São Luís e vários outros leitos que estão sendo criados”