Category Archives: Saúde

Vacinação começou mais cedo e vai até 21 de junho em Codó

Prefeito abre campanha de vacinação

Prefeito abre campanha de vacinação

O Prefeito de Codó, Zito Rolim, participou no sábado (8), do Dia D para a vacinação contra a Pólio, que marca o início da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite de 2013.

O prefeito chegou bem sedo ao CAM e acompanhou a chegada das primeiras famílias, que levaram os filhos para tomarem a dose vacina e também atualizarem as carteiras de vacinação de seus filhos.

 O Secretário Municipal de Saúde, Dr. Cláudio Paz, informou que a campanha é nacional e a meta do Ministério da Saúde é vacinar 95% das 12,9 milhões de crianças de 6 meses a menores de cinco anos que existem no país.

“A campanha se estende até o dia 21 de junho e será realizada em parceria com as secretarias estaduais e municipais de Saúde em todo o Brasil. Pedimos a todos os pais codoenses que compareçam aos postos de saúde mais próximos de suas residências para a aplicação da dose da vacina em seus filhos”.

De acordo com a Coordenadora de Vigilância da saúde do Município de Codó, Karem Cruz, todos os postos de vacinação estarão em funcionamento neste sábado, além do CAM.  “Estarão envolvidas na campanha centenas de profissionais da saúde. E estamos em plena campanha avisando em toda mídia aos pais que compareçam as unidades de saúde, para trazerem seus filhos de 6 meses a 5 anos para tomarem as doses da vacina oral”, orientou.

Dr. Cláudio Paz  aplica dose da vacina

Dr. Cláudio Paz aplica dose da vacina

Para o prefeito Zito Rolim, a campanha é a mais importante do calendário da saúde e o comparecimento da família codoense tem que ser total.

“Estamos aqui pedindo a compreensão dos pais para que não deixem de trazer seus filhos de seis meses a cinco anos para tomarem a dose da vacina oral (VOP), as chamadas gotinhas e também atualizarem a caderneta de vacinal de seus filhos, tomando outras vacinas”, explicou.

O prefeito ainda fez questão de lembrar a população que o período de vacinação vai do dia 8 ao dia 21 de junho e que a partir de segunda-feira, dia 10, começa a vacinação em toda a zona rural. “É importante reforçar que os pais não se esqueçam de levar a caderneta de vacinação dos filhos para que o profissional de saúde possa avaliar a situação vacinal das crianças, que irão tomar as outras vacinas que ainda não foram aplicadas. Aqui, na sede em Codó, e também aos pais que reside em toda a zona rural de nosso município”, finalizou o prefeito.

Raphael Fernandes

Assessoria de Comunicação – Prefeitura Municipal de Codó

PROVAB – Médicos fogem de trabalho no Nordeste e Maranhão é o Estado em pior situação

Apesar de ser a maior iniciativa de interiorização de médicos já executada no Brasil, o Programa de Valorização da Atenção Básica (Provab) não conseguiu atrair nenhum médico para 41% dos municípios do Nordeste que solicitaram profissionais este ano. Das 1.091 cidades nordestinas que solicitaram médicos pelo programa, 457 não receberam sequer um profissional. Com isso, apenas 36% da demanda por médicos na região foi atendida. Dos 6.129 médicos solicitados, 2.184 médicos foram para 634 cidades. Eles estão alocados em Unidades Básicas de Saúde (UBS) das periferias, do interior e de áreas remotas. O balanço completo do programa foi apresentado pelo diretor de programas da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Felipe Proenço, nesta segunda-feira (3), em Salvador.

O Nordeste foi a única região do país onde a maioria dos municípios que solicitaram médicos recebeu pelo menos um profissional. Nas demais regiões, a maior parte dos municípios não conseguiu atrair sequer um profissional. No Norte, 66% dos municípios que pediram médicos pelo Provab não atraíram sequer um. Dos 245 municípios que solicitaram médicos, 168 não conseguiram nenhum. No Centro-Oeste, 64% dos municípios não atraíram sequer um médico pelo Provab. Dos 256 que pediram, 163 não receberam nenhum. No Sudeste, 54% dos municípios não conseguiram atrair sequer um médico: dos 747 municípios que pediram, 399 não recebeu nenhum. No Sul, 74% dos municípios não conseguiram atrair sequer um médico. Dos 567 que pediram, 418 não recebeu nenhum.

Em todo o Brasil, 55% dos municípios que solicitaram médicos não conseguiram sequer um. Dos 2.867 municípios que pediram profissionais pelo Provab, 1.581 municípios não atraíram nenhum. Com isso, apenas 29% da demanda nacional por 13 mil médicos foi atendida: 3.800 participantes foram para 1.307 municípios brasileiros.

 “O Provab é mais uma iniciativa do Ministério da Saúde destinada a enfrentar um dos maiores desafios do SUS, ter mais médicos, bem formados e próximos da população que precisa”, afirma o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. “Paralelamente à atração de médicos, vamos investir na infraestrutura, pela primeira vez abrimos uma linha de financiamento da ordem de R$ 1,6 bilhão para reforma, ampliação e construção de UBS. Porém, a necessidade de melhorias na infraestrutura não pode ser motivo para impedir a atração de médicos”, acrescentou.

ESTADOS – O Nordeste é a região com maior carência de profissionais do Brasil e também a que contou com o maior número de médicos e de municípios participantes. Na Bahia, 49% dos municípios não atraíram sequer um médico pelo Provab: dos 305 que pediram médicos, 156 não receberam nenhum. O estado só teve 24% da demanda por médicos atendida. Dos 1.942 médicos solicitados pelos municípios, 468 foram para 149 cidades.  Foi o segundo estado do Nordeste que alcançou o maior número de médicos por meio do Provab, atrás apenas do Ceará. Em Alagoas, 49% dos municípios também não conseguiram atrair sequer um médico: dos 54 que solicitaram, 26 não receberam. Os municípios do estado tiveram 31% da demanda por médicos atendida: solicitaram 250 médicos e atraíram 78 para 28 municípios. Em Pernambuco, 27% dos municípios não atraíram sequer um médico: dos 127 que pediram, 37 não receberam. O estado teve 33% da demanda por médicos atendida: solicitou 916 médicos e recebeu 311 em 90 cidades. Já em Sergipe, 35% dos municípios não atraiu sequer um médico: dos 40 municípios que pediram, 15 não receberam. O estado teve 44% da demanda atendida: solicitou 136 médicos e recebeu 61 em 25 municípios.

O Ceará alcançou o maior número de médicos por meio do Provab no Nordeste. Com 64% da demanda por médicos foi atendida, dos 1.061 profissionais solicitados, 685 foram contratados para trabalhar em 140 municípios. Dos 1.061 profissionais solicitados E apenas 14% dos municípios cearenses que haviam solicitado médicos pelo Provab não conseguiram atrair nenhum. Dos 163 cidades solicitaram profissionais, apenas 23 não receberam sequer umO Maranhão é o estado nordestino na pior situação: apenas 18% da demanda por médicos foi atendida. Dos 796 profissionais solicitados pelos municípios maranhenses, 147 foram para 44 municípios.

E 61% dos municípios que haviam solicitado médicos pelo Provab não conseguiram atrair nenhum: das 113 cidades que solicitaram profissionais, 69 não receberam sequer um. No Rio Grande do Norte o cenário também é precário: 61% dos municípios cearenses que haviam solicitado médicos pelo Provab não conseguiram atrair nenhum. Das 81 cidades que solicitaram profissionais, 50 não receberam sequer um. E apenas 41% da demanda por médicos foi atendida: dos 329 profissionais solicitados, 135 foram para 46 municípios.

Na Paraíba, 50% da demanda por médicos foi atendida. Dos 370 profissionais solicitados, 184 foram para 63 municípios. E 42% dos municípios cearenses que haviam solicitado médicos pelo Provab não conseguiram atrair nenhum. Das 109 cidades que solicitaram profissionais, 46 não receberam sequer um. Também no Piauí apenas dos municípios que solicitaram médicos foi atendido. Das 99 cidades que pediram profissionais, 50 não receberam nenhum. E 34% da demanda por médicos foi atendida: dos 329 profissionais solicitados pelo estado, 115 foram para 49 municípios.

Mesmo com o crescimento do Provab — aumentamos em 10 vezes o número de médicos na comparação com 2012 –, a gente ainda precisa responder à necessidade apresentadas pelos municípios. O aporte de estrangeiros é uma delas. Temos várias experiências mundiais que apontam para esse sentido, não podemos fechar os olhos para profissionais com formação de qualidade, reconhecida no seu país, e que, a curto prazo, poderiam contribuir para o acesso na saúde no Brasil”, disse Proenço.

MAIS MÉDICOS – Além do Provab, o Ministério da Saúde realiza esforço junto ao Ministério da Educação para abrir vagas de medicina em regiões que carecem desses profissionais e com uma estrutura de saúde adequada à formação. O Ministério da Saúde também estuda a possibilidade de trazer médicos estrangeiros para atuar na atenção básica do país, o que foi feito em alguns países como Inglaterra e Canadá, que enfrentaram a dificuldade de levar médicos ao interior.

Paralelamente à atração de médicos, o ministério está investindo em infraestrutura. Pela primeira vez, abriu uma linha de financiamento da ordem de R$ 1,6 bilhão para reforma, ampliação e construção de Unidades Básicas de Saúde (UBS).

FORMAÇÃO – Os médicos participantes do Provab recebem uma bolsa mensal de R$ 8 mil, paga integralmente pelo Ministério da Saúde e devem cumprir 32 horas semanais de atividades práticas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e oito horas semanais de curso de pós-graduação em Saúde da Família com duração de 12 meses.

Para garantir a qualidade do serviço prestado, a atuação desses profissionais é supervisionada mensalmente por 55 instituições e Hospitais de Ensino. Os médicos que cumprirem as atividades estabelecidas pelo programa e receberem nota mínima de 7 na avaliação terão pontuação adicional de 10% nos exames de residência médica, conforme resolução da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM). A avaliação final é realizada de três formas – pelo supervisor, que vale 50% da nota, 30% pelo gestor e pela equipe na qual ele atuará, e 20% por autoavaliação.

SUPORTE – Os médicos participantes têm acesso às ferramentas do Telessaúde Brasil Redes, programa do Ministério da Saúde que promove a orientação dos profissionais da Atenção Básica, por meio de teleconsultorias com núcleos especializados localizados em instituições formadoras e órgãos de gestão.

Outra ferramenta disponível é o Portal Saúde Baseada em Evidências, plataforma que disponibiliza gratuitamente um banco de dados composto por documentos científicos, publicações sistematicamente revisadas e outras ferramentas (como calculadoras médicas e de análise estatística) que auxiliam a tomada de decisão no diagnóstico, tratamento e gestão.

Assessoria de Imprensa/Agência Saúde

Campanha contra Pólio começa dia 8 de junho em Codó

O Governo do Estado do Maranhão, Prefeitura Municipal de Codó, Secretaria Municipal de Saúde e a Coordenação de Vigilância em Saúde informam a população de Codó sobre as  orientações da Campanha Nacional Contra a Poliomielite do ano de 2013.

A campanha ocorrerá no período de 08 a 21 de junho, com o objetivo de manter o Brasil na condição de país certificado internacionalmente para a erradicação da Poliomielite, estabelecendo proteção coletiva por meio da disseminação do vírus vacinal no meio ambiente.

A meta é a vacinação de crianças  entre seis meses e menores de  cinco anos de idade (6 meses a 4 anos 11 meses e 29 dias.

Por Raphael Fernandes

 

Municípios carentes do Norte e Nordeste só têm 33% da demanda por médicos atendida

Dos 7.270 profissionais pedidos pelas prefeituras, 2.440 foram contratados por meio programa que paga bolsa de R$ 8 mil e concede bônus nas provas de residência

Apesar de ser a maior iniciativa de interiorização de médicos já executada no Brasil, o Programa de Valorização da Atenção Básica (Provab) atendeu apenas 33% da demanda dos municípios do Norte e Nordeste do país, regiões que concentram maior carência por profissionais. Dos 7.270 médicos requisitados pelas prefeituras, 2.440 foram contratados para trabalharem em 731 municípios. Eles estão alocados em Unidades Básicas de Saúde das periferias, do interior e de áreas remotas. O balanço completo do programa será apresentado pelo secretário de Gestão Estratégica e Participação do Ministério da Saúde, Odorico Monteiro, nesta terça-feira (28), em São Luís (MA), durante a 4ª Reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT) de 2013, que contará com a presença de secretários municipais de saúde do Norte e Nordeste.

Em todo o País, são 3.800 participantes, em 1.307 municípios, o equivalente a 29% da necessidade apontada para contratar 13 mil profissionais. O Nordeste é a região com maior carência de profissionais do Brasil: 6.159 médicos foram solicitados pelos municípios. E apenas 36% dos pedidos foram atendidos, 2.241 profissionais foram para 645 cidades. É a região do país que contou com o maior número de médicos e de municípios participantes.

“O Provab é mais uma iniciativa do Ministério da Saúde destinada a enfrentar um dos maiores desafios do SUS, ter mais médicos, bem formados e próximos da população que precisa”, afirma o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, que ressalta ainda o esforço, junto com o Ministério da Educação, em abrir vagas de medicina em regiões que carecem desses profissionais e com uma estrutura de saúde adequada à formação do profissional. Além de iniciativas como o Provab, o ministro também destaca a possibilidade de trazer médicos estrangeiros para atuar na atenção básica do país, o que foi feito em alguns países como Inglaterra e Canadá, que enfrentaram a dificuldade de levar médicos ao interior.

“Estamos avançando nas negociações, avaliando o que foi feito em outros países, e já sabemos que o ministério só vai atrás de médicos bem formados, que terá uma avaliação prévia, além de complementar a formação deste médico com supervisão permanente de universidades brasileiras”, disse o ministro. “Paralelamente à atração de médicos, vamos investir na infraestrutura, pela primeira vez abrimos uma linha de financiamento da ordem de R$ 1,6 bilhão para reforma, ampliação e construção de UBS. Porém, a necessidade de melhorias na infraestrutura não pode ser motivo para impedir a atração de médicos”, acrescentou.

REGIÕES — No Nordeste, o Ceará alcançou o maior número de profissionais por meio do Provab, 691 médicos foram contratados para trabalhar em 141 municípios. Em seguida vem a Bahia, com 484 profissionais em 152 municípios. Pernambuco conta com 321 médicos pelo Provab em 90 cidades. A Paraíba tem 191 em 65 municípios. O Maranhão tem 152 profissionais em 44 cidades. Já o Rio Grande do Norte tem 138 médicos em 48 municípios. Para o Piauí foram 117 profissionais em 50 cidades. Alagoas atraiu 86 médicos em 30 municípios. E Sergipe ganhou 61 médicos em 25 municípios.

Já no Norte, 18% da demanda foi atendida: dos 1.111 médicos pedidos, só 199 foram para 86 municípios. O do Pará liderou no quantitativo de novos médicos atuantes– são 95 médicos em 37 municípios. O Amazonas recebeu 36 médicos atuam em 12 municípios. Para Rondônia foram 25 médicos atuar em 16 municípios. Tocantins recebeu 15 médicos em 11 municípios. Roraima recebeu 11 médicos para 2 municípios. Para o Acre foram 10 médicos atuar em 5 municípios. E o Amapá recebeu 7 médicos em 3 municípios.

Depois do Nordeste, o Sudeste foi a região que atraiu mais médicos: foram 821 para 333 cidades; o Centro-Oeste recebeu 227 médicos em 91 cidades e o Sul recebeu 312 profissionais em 152 cidades. “A falta de profissionais de saúde está ocorrendo porque estamos gerando emprego e estendendo a cobertura da atenção primária, da média e da alta complexidade. Essa extensão absorveu a mão de obra especializada”, explica Odorico.

FORMAÇÃO – Os médicos participantes do Provab recebem uma bolsa mensal de R$ 8 mil, paga integralmente pelo Ministério da Saúde e devem cumprir 32 horas semanais de atividades práticas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e oito horas semanais de curso de pós-graduação em Saúde da Família com duração de 12 meses. “Ao longo dos últimos anos, nós expandimos o acesso aos serviços de saúde e agora estamos concentrando esforços para investir na formação”, afirma o secretário.

Para garantir a qualidade do serviço prestado, a atuação desses profissionais é supervisionada por 55 instituições e Hospitais de Ensino. A supervisão é feita mensalmente. Os médicos que cumprirem as atividades estabelecidas pelo programa e receberem nota mínima de sete na avaliação terão pontuação adicional de 10% nos exames de residência médica, conforme resolução da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM). A avaliação final é realizada de três formas – pelo supervisor, que vale 50% da nota, 30% pelo gestor e pela equipe na qual ele atuará, e 20% por autoavaliação.

SUPORTE – Os médicos participantes têm acesso às ferramentas do Telessaúde Brasil Redes, programa do Ministério da Saúde que promove a orientação dos profissionais da Atenção Básica, por meio de teleconsultorias com núcleos especializados localizados em instituições formadoras e órgãos de gestão.

Outra ferramenta disponível é o Portal Saúde Baseada em Evidências, plataforma que disponibiliza gratuitamente um banco de dados composto por documentos científicos, publicações sistematicamente revisadas e outras ferramentas (como calculadoras médicas e de análise estatística) que auxiliam a tomada de decisão no diagnóstico, tratamento e gestão.

Assessoria de Imprensa

PREVENÇÃO – Maranhão recebe cinco mil tratamentos de Tamiflu

A prescrição e o acesso rápido ao Fosfato de Oseltamivir, medicamento conhecido comercialmente como Tamiflu é uma das principais recomendações do Protocolo de Tratamento de Influenza 2013, manual que orienta e atualiza a conduta dos profissionais de saúde no manejo da doença.  Para atingir sua eficácia máxima, o antiviral deve ser tomado nas primeiras 48 horas após o início da doença. Mesmo ultrapassado esse período, o Ministério da Saúde indica a prescrição do antiviral.

O Ministério da Saúde possui estoque estratégico do Oseltamivir e mantém todos os estados abastecidos. Neste ano, foram enviados às secretarias estaduais 1.074.180 tratamentos do medicamento na fórmula adulto (75mg) e 162.900 caixas de uso pediátrico. Os estados, no entanto, já possuíam estoque do medicamento. Cada caixa contém 10 comprimidos, suficientes para um tratamento completo.

Ao estado do Maranhão foram enviados, neste ano, 5 mil caixas de Oseltamivir para adultos (75 mg). Além disso, o estado possui em estoque de 5.098 tratamentos para adultos, 490 de 30 mg e 390 45 mg (fórmula infantil). Técnicos do Departamento de Assistência Farmacêutica do Ministério da Saúde monitoram os almoxarifados estaduais e, caso haja necessidade ou novas solicitações, mais remessas serão enviadas.

O medicamento é oferecido gratuitamente na rede pública e reduz complicações e óbitos pela doença. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, recomenda aos estados e municípios que facilite o acesso ao medicamento. Para isso, sugeriu que o antiviral seja disponibilizado em todas as unidades de saúde, nas UPAs, nos prontos socorros, por exemplo. Para retirar o antiviral, basta apresentar a prescrição médica emitida tanto por médicos da rede pública como da rede privada.

O medicamento é recomendado a pessoas integrantes dos grupos que tenham condição ou fator de risco e que apresentem sintomas de Síndrome Gripal e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) – como crianças menores de dois anos, gestantes, puérperas, indígenas, idosos, obesos e doentes crônicos – devem tomar o medicamento mesmo que não ocorra o agravamento da doença “O tratamento deve ser iniciado de imediato. Não se deve esperar a confirmação laboratorial ou o agravamento do caso”, explicou o ministro.

Atendimento à imprensa – Ascom/MS

REFORÇO: Secretaria Municipal de Saúde aumenta frota de veículos para melhorar serviços

A Secretaria Municipal de Saúde de Codó recebeu quatro novos veículos no mês de maio. Com recursos PROESF, num total de R$175.550,00, a secretaria adquiriu três Kombis para utilizar no Programa Saúde da Família e um automóvel para dar apoio a Coordenação da Atenção Básica

Veículos expostos na praça

Veículos expostos na praça

Os novos veículos aumentam a frota da secretaria e serão utilizados na condução de pacientes para outros municípios e para atender necessidade de serviços, como por exemplo, a entrega de material, suprimentos e medicamentos para as unidades de saúde.

Para o Secretário Municipal de Saúde de Codó, Dr. Cláudio Paz, a chegada dos novos veículos representa mais uma conquista e reforça o compromisso de cuidar da saúde dos codoenses, mesmo nas regiões mais distantes da sede.

Foto: Nilton Messias

Foto: Nilton Messias

“Precisávamos renovar nossa frota, porque são veículos que circulam bastante. Solicitamos o nosso pedido de renovação e agora estamos mais preparados para prestar apoio aos nossos pacientes e para o transporte de provisões”, declarou.

Nota: Ascom/Prefeitura Municipal de Codó

Postos de saúde com orçamentos milionários continuam abandonados pela prefeitura

Nada mudou até agora em relação aos 9 postos de saúde em construção na cidade e zona rural do município de Codó. Continuam tomados pelo mato e, segundo moradores que visitamos, muitos não possuem sequer vigias há seis meses.

O governo justificou quando denunciamos o do bairro São Benedito, próximo ao matadouro, abandonado, que só 10% da verba teria sido liberada pelo Governo Federal, daí a paralisação.

O problema é que é geral. No residencial da Trizidela, ainda que estas casas sejam entregues este ano, os moradores da área dificilmente contarão com o atendimento do posto colado nas casas. Entramos e filmamos. Tem mato em todos os cômodos, capim alto, madeira estragando, carro de mão largado, a cena é desoladora para uma obra que custará aos cofres públicos R$ 260.000,00. ASSISTA AO VÍDEO

Enquanto isso, na Trizidela tem gente reclamando que o posto que oferecia 20 fichas/dia para consultas, agora só oferece 15 e não são em todos os dias da semana.

VEJA POR DENTRO

O posto do povoado Sabiazal, de R$ 200.000,00, considerado o de menor orçamento, está na mesma decadência. Quem viu as paredes sendo erguidas, agora assiste ao tempo deteriorá-las lentamente.

Creio que diante de tanto descaso a população já esteja  começando a achar que esta história de reeleição não foi um bom negócio.

HGM – Secretário de saúde presta orientação em dia de homenagem às mães

O secretário de saúde, Cláudio Paz, em entrevista à repórter Kelly Macêdo (TV Codó), exibida no Jornal dos Cocais, falou hoje (10) sobre a festa realizada pela Secretaria e direção do Hospital Geral Municipal para mães que haviam ganhado bebê na maternidade.

Cláudio Paz orienta mães no HGM

Cláudio Paz orienta mães no HGM

Afirmou que, além dos presentes, a organização aproveitou para prestar orientação de saúde para melhorar a qualidade de vida de mães e recém-nascidos.

“Estamos aqui juntamente com o nosso prefeito, trazendo nossa mensagem de fé, de esperança, orientação sobre aleitamento materno, como fazer, os cuidados com seu bebê, a gente acredita que isso seja um grande presente à todas as mães codoenses”, disse

MÃES AGRADECIDAS

De acordo com Cláudio Paz, que se fez acompanhar da esposa, vereadora Maria Paz (PV), as homenageadas demonstraram estarem felizes , sobretudo, pela forma acolhedora e carinhosa com que foram recepcionadas.

Vereadora Maria Paz

Vereadora Maria Paz

“Hoje aqui no HGM nós temos em média 250 partos por mês e essas mães estão aqui todas felizes com seus bebês no braço, agradecendo muito a forma como foram acolhidas, o carinho da equipe do HGM, então uma festa muito bonita”, frisou o secretário

Prefeito Zito Rolim participa de café da manhã em homenagem ao Dia das Mães no HGM

Zito presenteia/Foto Nilton Messias

Zito presenteia/Foto Nilton Messias

O prefeito de Codó, Zito Rolim, fez uma visita ao Hospital Geral Municipal para participar de um café da manhã e homenagens ao Dia das Mães. O prefeito estava acompanhado pelo Secretário de Saúde, Dr. Cláudio Paz, a vereadora Maria Paz, o ex-prefeito de Codó, Ricardo Archer e o Diretor do HGM, Raymundo Lisboa. Antes da confraternização foi dada uma palestra sobre aleitamento, o que foi importante para a maioria das mamães, pois tinham dado a luz pela primeira vez.

Mães homenageadas

Mães homenageadas

As mais de 30 mães puérperas do HGM assistiram com atenção à palestra e tomaram café com o prefeito Zito Rolim. As mamães foram presenteadas com brindes pelas autoridades presentes e receberam o carinho dos funcionários do hospital.

“Sempre nessa época nosso prefeito Zito Rolim vem trazer sua mensagem de carinho, de fé, alegria e esperança as mamães. Muitas delas, mães de primeira viagem. Por isso é importante essa palestra sobre aleitamento Materno. Hoje temos uma média de 240 partos por mês aqui no HGM. Essa comemoração, essa

Foto Nilton Messias

Foto Nilton Messias

singela homenagem é um gesto muito especial. Toda a organização está de parabéns por essa linda festa, porque elas merecem”, comentou o Secretário Municipal de Saúde, Dr. Cláudio Paz

Para o prefeito Zito Rolim, a melhor forma de começar as homenagens ao mês das mães é pela visita àquelas que acabaram de conceber.

“Nós sabemos que não existe ser mais importante em nossas vidas do que a mãe. Não poderíamos deixar de iniciar as comemorações ao mês das mães aqui pelo HGM, as mães que ainda estão hospitalizadas e tiveram seus filhos recentemente. O HGM faz essa homenagem todos os anos, e esse ano não poderia ser diferente. Hoje estamos compartilhado a alegria delas, como mães, muitas mamães de primeira vez e dando o devido valor ao seu papel na sociedade e na vida de cada um de nós. Parabéns a direção do HGM, a Secretaria de Saúde, os funcionários do hospital e a todas a mamães codoenses”, declarou o prefeito.

Raphael Fernandes

Assessoria de Comunicação – Governo Municipal de Codó

CAOS – Parlamentar revela que conselheiro da saúde mordido de cachorro foi mandado pra casa sem medicação do HGM

O vereador, Pedro Belo, do PCdoB, relatou em seu discurso na Câmara, ontem (6), algo espantoso. Disse que  um conselheiro municipal de saúde, por nome Baixote, fora vítima do descaso com a saúde pública oferecida no Hospital Geral Municipal.

Segundo o comunista, Baixote foi mordido por um cachorro, ao procurar atendimento no HGM ouviu do médico que o atendera – vá pra casa e compre seu remédio na farmácia.

No bom português, o conselheiro, um fiscalizador por natureza do cargo que ocupa,  sofreu na pele o que centenas de codoenses sofrem todos os dias, pois não é de hoje que reclamações de falta de medicação explodem na mídia local. Até Dr. Duailibe, ortopedista,  denunciou isso na delegacia da cidade.

“Tipo o conselheiro da saúde, Baixote, onde ele trouxe à esta casa também que foi mordido por um cachorro e ao procurar o hospital no final de semana não tinha medicação pra ser aplicada no Baixote, o médico chegou a dizer – vá pra casa e compre numa farmácia porque os postos de saúde fecham na sexta-feira e não abrem, isso é inaceitável na saúde de Codó”, relatou Belo

NEM PRA MORDIDA DE COBRA

No HGM não há nem remédio contra mordida de cobra. Pedro Belo disse que recentemente soube do caso de uma morte por falta de soro antiofídico no maior hospital de Codó.

“Tem casos assim absurdos, pessoas que estão morrendo no município de Codó simplesmente por falta de um soro antiofídico contra mordida de cobra uma coisa que é necessária e básica, qualquer hospital do município, qualquer posto de saúde tem que ter esse produto porque é um acidente que pode acontecer com qualquer cidadão, até mesmo na zona urbana”

“Chegou a mim relatos de pessoas que chegaram no HGM e não tinha soro antiofídico pra ser aplicado”, completou

MAS ELES NÃO VIRAM ISSO

O Pior nessa história toda é lembrar  que os nossos vereadores visitaram o HGM, num passado não muito distante,  e não viram nada disso.

Ê Codó réi lascado.