Category Archives: Saúde

Veja os municípios que já ganharam MAIS MÉDICOS no Maranhão

O Maranhão teve 17 municípios contemplados na primeira etapa do Programa Mais Médicos, ação do Governo Federal que visa a ampliar a oferta de atendimento de saúde no país, principalmente em regiões distantes dos centros urbanos. Um total de 30 profissionais se inscreveu no programa para atuar no estado. Um dado curioso é que três dos quatro municípios da Ilha de São Luís receberão profissionais (um total de 10), além de Imperatriz (4), o que reforça a tendência dos médicos procurarem trabalho em áreas mais desenvolvidas.mais-medicos-cidades2

Dos 17 municípios maranhenses contempladas, oito estão entre os 20 maiores do estado. Essas cidades concentrarão 19 dos 30 médicos inscritos no Maranhão, mais de 60% do total. Os outros 11 se dividirão por municípios considerados de pequeno porte, como Bom Jesus das Selvas, Bom Lugar, Cândido Mendes, Centro Novo do Maranhão e Parnarama, além do Distrito Sanitário Especial do Maranhão, para onde serão enviados três profissionais.

Perfil

A maioria (58,42%) dos 938 médicos participantes do programa em todo o país é homem e 41,5% são mulheres. Do total, 47,2% são jovens profissionais, entre 23 e 30 anos, e 25,48% estão na faixa etária que vai de 31 a 40 anos. Acima de 41 anos, somam 27,24%, sendo que dessa parcela cerca de 9% tem mais de 61 anos. A região Nordeste foi a que mais recebeu

A previsão é que os médicos selecionados pelo Mais Médicos comecem a trabalhar no início de setembro.

FONTE: Blog do Daniel Matos

 

DEBATE AO VIVO – O Hospital Geral Municipal segundo Lisboa

Lisboa no HGM

Lisboa no HGM

O diretor do HGM, Raimundo Lisboa, travou intenso debate hoje com o radialista Alberto Barros, ao vivo, no Cidade Notícias, sobre as condições do, agora,  único hospital da cidade.

Deu número de atendimento mensal e diário e se direcionou à participações por telefone como que a denunciou uma espera de 3 anos por uma cirurgia.

“Quanto a essa pessoa que disse que passou 3 anos pra fazer uma cirurgia, ela não explicou que cirurgia é. Cirurgia de Tireóide, aqui em Codó, na região só faz em Codó, só tem um médico na região pra fazer esse tipo de cirurgia que é Dr. Aristóteles. Todo mês são feitas cirurgias de tireoide que é complicadíssima que nem todo interior faz e Codó está fazendo”, criticou Lisboa

“Nosso hospital precisa ter muito cuidado. Eu acredito que o povo precisa de mais, o prefeito tá buscando, o secretário tá buscando, agora Alberto é preciso que o cidadão tenha consciência do que nós estamos fazendo, a cidade grande demais”, seguiu dizendo

CODÓ MELHOR QUE SÃO LUÍS

Em determinado trecho do debate pediu paciência aos cidadãos e  afirmou que a medicina do HGM, segundo alguns pacientes, é melhor que a oferecida na capital São Luís.

“O prefeito tá fazendo reforma do hospital, vai pra 136 leitos, então população tenha paciência…RESPEITO, MAS JÁ ESTAMOS INDO PRO 5º ANO DO GOVERNO O POVO JÁ TEVE PACIÊNCIA DEMAIS, RAPAZ…Não Alberto, mas você sabe que o problema de saúde não é só em Codó, o problema de saúde é em todo o Brasil e Codó eu te digo bem aqui  quem vai transferido para São Luís quando volta pra cá diz assim – Lisboa manda me buscar porque aqui  (Codó) é melhor do que no Socorrão (…) eu tenho prova o hospital de Codó é melhor do que o de São Luís”

O PAPEL DA UPA

Alberto Barros questionou sobre a superlotação da UPA, segundo ele, em decorrência da falta de opção já que o hospital geral enfrenta muitos problemas.

Lisboa – “Nós fazemos atendimento 24h nós chegamos à 260 (p/dia)…

Alberto – OS PRÓPRIOS PROFISSIONAIS DA UPA DISSERAM QUE A UPA FAZ PAPEL QUE NÃO É DELA, QUE ERA PRA SER DO HGM.

Lisboa – Mas deve ser algum papel que ela faz que aqui não procuraram, se procurarem nós aqui, nós atendemos…POR QUÊ QUE NÃO PROCURAM, A REFERÊNCIA É O HGM? Porque as vezes acontece algo lá mais  próximo e eles preferem ficar lá”

 Alberto – A UPA ESTÁ SUFOCADA, FAZENDO PROCEDIMENTOS QUE NÃO SÃO DELA.

Lisboa – Mas quais são os procedimentos? O papel da UPA é atender urgência e emergência e nós temos Pronto Socorro que faz atendimento aqui, o papel do HGM é emergência, urgência e  nós temos internação. A UPA não tem internação. Ela tá lá pra curar os pacientes graves, é o papel dela Alberto.

O HGM ESTÁ BEM

Alberto – ENTÃO NA SUA CONCEPÇÃO O HGM ESTÁ BEM?

Lisboa – Então, na medida do possível está bem. O prefeito, o secretário tá procurando melhorar a cada dia. Nós já vamos pra 136 leitos, o que foi que a governadora fez?

Alberto – VOCÊS PODEM CONSTRUIR 300 LEITOS, MAS SE NÃO TIVER CONDIÇÕES PRA SE TRABALHAR, SE NÃO TIVER MEDICAÇÃO NÃO ADIANTA…

Lisboa – Mas aqui tem medicação, Alberto.

Alberto – AS PESSOAS NÃO DIZEM ISSO, DIZEM QUE VÃO AÍ SÓ TEM DIPIRONA…O QUE DIABO É ISSO, O POVO TÁ MENTINDO TAMBÉM?

Lisboa – Você vai com febre pra um hospital, você vai tomar o quê, não é um antitérmico? Depende do caso, se você chega com febre você vai tomar Dipirona, se você chega com o pé quebrado vai tomar antibiótico.

POSTOS SEM MEDICAMENTOS

Alberto – COMO É QUE VOCÊ ANALISA A RETIRADA DOS REMÉDIOS DO POSTO DE SAÚDE?

Quanto a retirada dos remédios não estou autorizado a falar porque eu não sei qual foi o motivo, qual foi a lógica, certo? Isso é trato com  o secretário.

Alberto – VOCÊ É A FAVOR OU É CONTRA?

Lisboa – Eu não posso dá a minha opinião

UTI FINANCEIRA – Plantões médicos milionários e inchaço na folha aumentam a sangria na saúde pública de Codó

A choradeira por causa da possível queda nos repasses federais aos municípios já começa a estourar no Maranhão. Em Codó quem já fez menção ao problema foi o secretário de Governo, Ricardo Torres, afirmando que em agosto e setembro isso deve ocorrer trazendo, principalmente,  enorme dificuldade para o pagamento do funcionalismo municipal que este mês, diga-se de passagem, já se assombrou com um atraso de 6 dias (parece que os contratados continuam sem receber).

Sobre o peso da folha de pagamento no orçamento da prefeitura, Torres revelou ao blog que na área da saúde, por exemplo, a dificuldade maior nasce do que é consumido, mensalmente, pelos plantões médicos no HGM.

De acordo com dados superficiais do secretário de Governo, entre 47 à 50 médicos recebem entre MEIO MILHÃO à R$ 600.000,00 todo mês entre salário e plantão.

Dado a necessidade, esta é uma economia que o município não pode se dá ao luxo de fazer. Ao contrário, cada vez mais terá que enfrentar a oneração desses valores porque o Estado, ao instalar hospitais regionais, acabou incentivando uma concorrência de salários com a qual a maioria dos municípios, incluindo Codó, não tem condição de competir.

Ou seja, o Estado paga mais e para ficar com o médico o município tem que cobrir a oferta ou, ao menos, se igualar.

INCHAÇO E GORDURINHA 

Longe da conversa que tive com o secretário de governo (que, por óbvias razões jamais falaria sobre tal assunto com um blogueiro), o blogdoacelio  apurou, nos bastidores,  que Zito e Cláudio Paz bem que poderiam fazer a folha de pagamento respirar aliviada cortando o excesso de gordura que a dita cuja possui por causa dos cargos e funções  meramente de indicação política.

Um exemplo que ouvi, de fonte pra lá de fiel, é que em setores que o município precisa dentre 40 a  47 funcionários chega a ter 87, boa parte inchando a folha para fazer quase nada ou nada mesmo. Para manter o hematoma sem atingir as veias coronárias da administração, nem deixar a peteca cair,  prefeito e secretário da pasta estão aplicando de extra mais do que a Constituição Federal manda QUE É 15% DO TOTAL DE IMPOSTOS E TRANSFERÊNCIAS (o que significa o sangramento inevitável de outras áreas).

Mas quem teria a coragem de meter novamente a navalha no funcionalismo municipal. Sobretudo por causa da aproximação de 2014, é melhor muita gente de salário atrasado do que muita gente desempregado por gente que precisa de votos ano que vem.

Você não acha?

Advogado dos agentes comunitários de Codó descarta possibilidade deles voltarem a ser meros contratados

Esta semana, e provavelmente também na outra,  os agentes comunitários de saúde de Codó estarão em todas as audiências da Justiça do Trabalho itinerante, sediada, provisoriamente, no prédio da Câmara Municipal.

De acordo com o advogado que defende o Sindicato, Dr. Pedro Edilson Bezerra de Castro, de Pedreiras, eles estão pleiteando direitos trabalhistas relacionados ao período em que passaram como contratados da prefeitura.

“Em 1997 foi criada pelo Congresso Nacional uma lei aonde os agentes comunitários de saúde passaram a ser efetivos, ou seja, funcionários do município e não mais de um prefeito. A partir daquele instante abriu-se a possibilidade deles reclamarem perante à Justiça ou até mesmo à entidade pública os direitos relativos ao contrato de trabalho tais como aviso prévio, férias, adicional, FGTS de todo o período trabalhado”,

“O superior Tribunal do Trabalho que só seria devido o FGTS assim como o adicional no percentual de grau médio 20% e é isso que, na verdade, o sindicado de Codó está pleiteando nesse momento’,  concluiu

TROCA DE REGIME

Em meio aos intervalos de uma audiência e outra, a pergunta do dia para o advogado era sobre a possibilidade de sair do regime estatutário (servidor efetivo do município), onde encontram-se agora, para retornar ao celetista (de contratos), já que a possibilidade havia sido ventilada nos meios de comunicação de Codó.

Pedro Edilson Bezerra de Castro acalmou à todos.

Garantiu que não há a menor possibilidade desse retrocesso vir a se concretizar porque se trata de direito adquirido – algo que, juridicamente, impede que aquele que incorporou ao seu patrimônio algum benefício o perca ainda que nova lei venha a entrar em vigor.

“A gente entende esses comentários e tudo mais, mas essa possibilidade ela praticamente não existe porque como se trata de uma lei federal, votada e aprovada pela Câmara dos Deputados, pelos senadores e promulgada pelo presidente da República na época, salvo engano Luís Inácio Lula da Silva, virou-se matéria constitucional em função do direito adquirido, da lei promulgada, a lei jamais retroage para prejudicar somente para beneficiar”

“Então são apenas boatos não tem como reverter uma situação que é a nível nacional’, concluiu

Emílio Matos faz duras críticas à saúde pública gerida pelo médico e ex-vereador Cláudio Paz

Indignado com manifestações contra a situação da saúde no município de Codó, expressadas ontem (6) no programa Cidade Notícias, apresentado pelo jornalista Alberto Barros na FCFM, o ex-vereador Emílio Matos (PT) fez uma participação por telefone.

Como preâmbulo, contou dois fatos que acompanhou pessoalmente no HGM. O primeiro com seu sogro que teria caído de uma motocicleta, há cerca de dois meses. Por falta de condições, o cidadão foi parar em Presidente Dutra e a família teve que desembolsar muito dinheiro para não vê-lo padecer.

“Foi um sufoco tão grande e naquele momento, Alberto, se nós não dispuséssemos de um pouquinho do capital ficava por isso mesmo e eu não sei o que seria dele porque naquele dia não estava batendo em Coroatá, no município não tinha nenhuma forma de atender aquele sufoco, aquela emergência, tô contando um fato real, eu estava lá, acompanhei até Presidente Dutra, depois de uns dias retornamos. Só Deus sabe o quanto nós gastamos pra resolver um problema de uma queda de moto aqui em Codó’, contou

O segundo fato, lamentável, teria ocorrido no último sábado (3) envolvendo o ex-diretor do PAM, Chico Estrela, atropelado na porta de casa por um motociclista. A perna da vítima ficou com várias fraturas expostas e Emílio o teria acompanhado ao Hospital Geral Municipal.

HGM SEM ORTOPEDISTA

Não encontrou nenhum ortopedista, nem exame de sangue, segundo o ex-vereador, estavam fazendo na hora. Resultado, Chico Estrela foi salvo pela medicina de Peritoró.

“Quando nós chegamos lá pra nossa surpresa, desagradável, não tinha ortopedista, sequer exame de sangue tavam fazendo no HGM, mais uma vez aquela loucura, corre pra cá, corre pra lá, manda pra Coroatá, manda pra Peritoró, Timbiras, manda não sei pra onde, a gente correu pra Peritoró, ouça bem essa história, fomos, eu acompanhando a ambulância, quando chegou lá o Chico Estrela foi recebido, foi feita a cirurgia no sábado ainda à tarde”, afirmou

CLÁUDIO VEREADOR versus O SECRETÁRIO

Emílio Matos traçou um paralelo entre o que fora o vereador Cláudio Paz, grande crítico da saúde quando do governo de Biné Figueiredo, e o que é hoje o secretário Cláudio Paz. Na opinião do petista, um administrador que já deveria ter PEDIDO PRA SAIR.

“Onde a gente tinha um vereador que batia veementemente na saúde 24h, era a bandeira dele era a saúde. Foi dada oportunidade pra esse vereador como secretário de saúde,  se eu fosse ele eu pedia pra sair  (…)  e agora nós já estamos nessa situação eu não sei se existe um conluio entre o prefeito e secretário de saúde pra não atender a população de Codó e eles enricarem da noite pro dia porque isso não existe, nós estamos passando necessidade direto”, disse

CRÍTICAS AO CAM (antigo PAM)

Também criticou a atual situação do antigo PAM.

“No PAM, Alberto Barros, lá não faz mais exame de fezes, urina, sangue, hemograma, mais de 5 meses. Em outras gestões eram 200 exames, quando esse governo entrou passou pra 150, depois baixou pra zero, vá agora ao PAM pra ver se estão fazendo exame agora lá. Então eu não tô entendendo”, concluiu

EVOLUÇÃO – Agentes de endemias aplicam teste rápido para detectar Calazar em cães codoenses

Exame no Santo Antonio

Exame no Santo Antonio

O sangue é retirado e colocado em gotas num pequeno aparelho agora carregado pelos agentes de endemias que combatem o Calazar em Codó. Um cronômetro marca 15 minutos,  tempo necessário para se ter o primeiro diagnóstico, como nos explicou Jean dos Reis.

 “No caso para o cachorro ser positivo tem que aparecer os dois pontinhos, no caso o Teste (T) e o Controle ©, entendeu. Você observa que aqui apareceu só um ponto, só no controle, normalmente, ou seja, o teste do animal deu negativo”, disse o agente

agentes irmão Branco e Jean trabalhando

agentes irmão Branco e Jean trabalhando

No bairro Santo Antonio, o teste que nós acompanhamos deu negativo,  pertencia ao cão da dona de casa,  Luciana  da Cruz Silva, que elogiou o novo método.  ‘Isso aí, inventaram isso aí, tá bom, né, sabe da notícia na hora”.

E depois confessou que estava com medo de ter que entregar seu animal de estimação para o sacrifício.

“MEDO DE QUE? De dá alguma coisa errada e matar o bichinho (…) E COM ESSE RESULTADO, A SRA FICOU FELIZ?” Fiquei, graças à Deus”, respondeu

OUTRO BENEFÍCIO

O teste rápido também tem colaborado com uma certa mudança de comportamento por parte dos donos dos cães. Na atualidade ao ver o primeiro resultado positivo muitos já entregam o animal aos agentes, antes isso era muito difícil de ocorrer.

Há uma nova consciência se formando. O mototaxista, Estevam Alves da Costa,  revelou que já chegou a pensar diferente, mas hoje, vendo o teste rápido, não tem dúvida.

“Eu entrego, faço questão de entregar com todo gosto porque evita uma pessoa, um adulto, dentro de casa tem muita criança, pra acontecer um caso mais na frente, mais pior, melhor entregar, mas antes um cachorro de que uma pessoa, né não?, questionou

TESTE FINAL

Querendo o dono ou se negando a entregar o animal, num primeiro momento, os agentes explicam que o sangue daquele que apresentou diagnóstico positivo é enviado para um novo exame, mais detalhado, em Caxias.

 “Confirmando o teste, voltando a dá positivo a gente já retorna a casa do dono, sem perca de tempo, recolhemos o animal, tem que ser sacrificado”, explicou Jean dos Reis

ATENÇÃO À SAÚDE – Maranhão receberá R$ 2,4 milhões para cirurgias eletivas

O Ministério da Saúde vem investindo na ampliação do acesso à realização de cirurgias eletivas nos estados e municípios. A medida tem como objetivo reduzir o tempo de espera nestes procedimentos no Sistema Único de Saúde (SUS).

Maranhão receberá R$ 2,4 milhões para a realização destas cirurgias de imediato. Até 2014, o estado poderá receber recursos adicionais mediante análise da produção efetuada com o montante da primeira parcela. Os recursos serão aplicados nas especialidades de maior demanda e naquelas escolhidas pelos gestores locais, conforme a realidade de sua região.

Do total para o estado, R$ 1,2 milhão será destinado à realização de cirurgia de catarata e R$ 43,6 mil para tratamento de varizes, nas áreas de urologia, oftalmologia e otorrinolaringologia, incluindo retirada de amígdalas. Outros R$ 1,2 milhão atenderá as demandas apresentadas pelos gestores estaduais.

Em 2012, foram realizadas no Maranhão 46.479 cirurgias eletivas pelo SUS, com investimento de R$ 22,6 milhões. As cirurgias de catarata e ortopedia são as mais procuradas pelos usuários do SUS.  No ano passado, 9.005 cirurgias de catarata e 8.744 cirurgias ortopédicas foram realizadas no estado.

“Com este novo investimento, além dos recursos habitualmente previstos para o custeio de cirurgias, queremos ampliar o acesso às cirurgias eletivas, que podem ser agendadas com antecedência. Estamos dando um importante passo para reduzir o tempo de espera do paciente”, explicou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

CIRURGIAS PRIORITÁRIAS – Ao todo, o Ministério da Saúde destinará R$ 579,1 milhões aos estados e municípios. O recurso será dividido em duas parcelas. Do total de recursos a serem repassados de imediato (R$ 231 milhões), R$ 92,6 milhões são para realização de cirurgia de catarata e R$ 57,9 milhões para tratamento de varizes, cirurgias ortopédicas e nas áreas de urologia, oftalmologia e otorrinolaringologia, incluindo retirada de amígdalas. Outros R$ 81 milhões atenderão as demandas apresentadas pelos gestores estaduais.

O objetivo do Ministério da Saúde é reduzir a espera para esse tipo de procedimento. Em 2012, foram realizadas pelo SUS 2,1 milhões de cirurgias eletivas. Em cinco anos, o país aumentou 43% o número de procedimentos deste tipo em relação a 2008, quando foram realizados 1,4 milhão de cirurgias. A Portaria 1.557 que estabelece as diretrizes e recursos por estado foi publicada nesta quarta-feira (1°) no Diário Oficial da União.

Por Regina Xeyla, da Agência Saúde.

CAM – Coordenadora de marcação de consultas fala sobre denúncia de venda de fichas por vigias

Entrevistamos ontem (1º) a   coordenadora de Marcação de Consultas do CAM – Centro de Atendimento Médico, Itamara Gleyce Azevedo Muniz, após denúncia veiculada no Cidade Notícias dando conta de que vigias estariam vendendo fichas para consultas das especialidades  ginecologia e fisioterapia.

Ela explicou que a denúncia não procede porque os 4 vigias do Centro não pegam em fichas.

‘O vigia não fica com nenhuma ficha, todas as fichas são entregues pela central de marcação de consulta do CAM”, argumentou

Itamara afirmou que ela, pessoalmente, às 7h da manhã, é quem entrega a ficha ao paciente e este, por sua vez, é quem vai até ao que chamou de ‘arquivo’ registrar sua marcação. Não há intermediação de ninguém neste serviço, só dela.

“As pessoas vêm 7h da manhã marcar a fisioterapia e o ginecologista todas na central de marcação, vigia nem pega em ficha. Eu entrego a ficha do paciente e ele vai no arquivo marcar, o próprio paciente, eu mesmo entrego 7h da manhã, todo dia de marcação”, disse

NÚMERO DE CONSULTAS

A coordenadora acha que a denúncia partiu de alguém insatisfeito e repetiu sua justificativa.

Perguntamos sobre número de fichas no intuito de avaliar se não seria este o motivo de tal insatisfação. Ela revelou que são 80 fichas por mês para fisioterapia (pode chegar a 100 por causa dos acamados), entregues uma vez só no início de cada mês, e 20 para ginecologia uma vez por semana.

“Acho que pode ter sido alguma insatisfação de algum paciente. Acho que deve ter sido alguma maldade porque é uma determinação do nosso prefeito tratar todo mundo bem e que todo começo de mês seja marcado fisioterapia 80 fichas de Fisioterapia 7h da manhã, eu mesmo entrego, e 20 Dr. Bel, o ginecologista, fora outros especialistas que todo dia a gente tem marcação – clínico geral, tem  dentista, tem oftalmologista”, explicou

Veja os números do combate ao glaucoma feito no Maranhão pelo governo de Roseana Sarney

A Secretaria de Estado de Saúde (SES), em parceria com o Ministério da Saúde, está beneficiando milhares de pessoas com o mutirão oftalmológico para o diagnóstico e tratamento da catarata e do glaucoma. Já foram realizadas 8.428 consultas para diagnóstico, 1.854 cirurgias de cataratas e 123 de pterígios em 65 municípios maranhenses. A ação visa facilitar o acesso da população do interior do estado a assistência oftalmológica.

As pessoas que têm dificuldades de visão e mais de 40 anos de idade são avaliadas por equipes de oftalmologistas contratados pela SES. Constatados casos de catarata, os pacientes são submetidos a intervenção cirúrgica em hospitais localizados nos municípios em que é feito o atendimento. Nos casos de catarata e pterígio, o tratamento é cirúrgico, por meio de uma rápida intervenção. Os pacientes que apresentam glaucoma são tratados com o uso de colírio.

Os primeiros mutirões ocorreram em abril. A regional da SES de Pedreiras atendeu aos municípios de Bernardo do Mearim, Lima Campos, Lago dos Rodrigues e Lago do Junco. Foram realizados 714 atendimentos. Na regional de Presidente Dutra foram beneficiadas pessoas residentes nos municípios de Aldeias Altas, Graça Aranha, Tufilândia, Olho d’Água das Cunhãs e localidades próximas com a realização de 399 atendimentos.

Nas cidades de Vargem Grande, Itapecuru-Mirim, Nina Rodrigues e Presidente Vargas foram contabilizadas 622 consultas para diagnóstico de glaucoma.  No total foram realizados 1.735 atendimentos, com 292 cirurgias de cataratas e 34 de pterígios.

Julia Aguiar Mendonça, 75 anos, moradora do povoado Bela Vista, em Presidente Vargas, foi uma das pacientes diagnosticadas com catarata. Quebradeira de babaçu, ela teve que abandonar a atividade em conseqüência da perda parcial da visão. “Não tenho condição de pagar particular para fazer a consulta e a cirurgia em São Luis. Estou muita agradecida porque vou ter a oportunidade de ficar curada”, disse.

Em maio foram realizados, nos municípios de Anapurus, Mata Roma, Milagres do Maranhão e Santa Quitéria, quando 390 pessoas foram consultadas e 47 beneficiadas com cirurgias de catarata e 25 de pterígio. Nas cidades de São Domingos do Azeitão, Benedito Leite, São Raimundo das Mangabeiras e Sambaíba foram 220 atendimentos, com 40 cirurgias de catarata e 24 de pterígio.

Também foram beneficiadas as populações de Morros, Cachoeira Grande e Presidente Juscelino com 57 consultas para diagnóstico do glaucoma, nove cirurgias de catarata e três de pterígios. Ainda no mês de maio foram realizadas na Raposa 155 consultas, sendo 13 cirurgias de catarata e seis de pterígios. No total foram 822 consultas no mês de maio, 109 cirurgias de catarata 58 de pterígios.

Mais de 500 atendimentos  – Em junho, nos municípios de Sucupira do Norte,Fortuna, Mirador e Jatobá foram 311 consultas para diagnóstico de glaucoma, com 45 cirurgias de catarata (18 em Mirador; 10 em Jatobá; 4 em Sucupira e 13 em Fortuna) e 22 de pterígios.  Nos municípios de Pedreiras, São José dos Basílios e Jenipapo dos Vieiras foram 225 consultas para diagnóstico e tratamento do glaucoma e 23 cirurgias de cataratas, fechando o mês de junho com 536 consultas e 68 idosos beneficiados.

O aposentado Raimundo Alcântara, 73 anos, morador do povoado Couro Danta dos Mota, em São José dos Basílios, retrata a realidade vivida por muitas pessoas. Ele disse que não tem parentes em São Luis para marcar a consulta pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e não tem dinheiro para pagar a cirurgia particular em Presidente Dutra. “Sofro muito. Vivo me perdendo dentro de casa, não consigo enxergar direito e acabo ‘esbarrando’ nas pessoas e móveis. Quando soube que teria este mutirão aqui na cidade vim logo aproveitar para consultar e fazer a cirurgia de catarata”.

Mutirões 

Neste mês, os mutirões beneficiaram os municípios de Coroatá, Peritoró, Timbiras e Alto Alegre do Maranhão com 809 consultas para diagnóstico do glaucoma. Na regional de Chapadinha foram realizados mutirões em Brejo e Chapadinha – contabilizando 619 consultas para diagnóstico do glaucoma e 212 cirurgias de catarata.

Nos atendimentos de Vitória do Mearim, Arari e Codó foram feitos um total de 1.108 consultas, 296 cirurgias de catarata e nove pterígios. Maria do Socorro Costa da Silva, 55 anos, foi uma das pessoas beneficiadas em Arari. Ela contou que já havia consultado em São Luis e chegou até a fazer os exames pré-operatórios. “Quando soube que ia ter cirurgia aqui no município, tratei de vim logo cedo para garantir atendimento. Assim, o evito de voltar para fazer em São Luis”.

As populações dos municípios de Rosário, Bacabeira, Axixá, Santa Rita, Cachoeira Grande, Presidente Juscelino, Morros, Icatu, Igarapé do Meio, Monção, Humberto de Campos, Primeira Cruz, Santo Amaro e Barreirinhas também foram contempladas, com um total de 2.368 atendimentos e 505 cirurgias realizadas.

Foram feitas 1.240 consultas nas regionais de Pinheiro e Viana. Em Pinheiro foram beneficiados os moradores de Palmeirândia, Turilândia, São Bento, Peri-Mirim, Mirinzal, Bequimão, Presidente Sarney e Pinheiro com um total de 269 cirurgias. Na regional de Viana foram realizadas 103 cirurgias nos moradores de Viana, Matinha, Vitória do Mearim, Penalva, Pedro do Rosário e Santa Inês.

RECONHECIMENTO – Zito e Cláudio Paz foram bastante elogiados pela assistência que deram ao sonho da CASA DE APOIO

O prefeito Zito Rolim e o secretário de saúde Cláudio Paz foram muito elogiados ontem (24) na inauguração da Casa de Apoio Nossa Senhora da Natividade, localizada na Av. Santos Dumont.

Representantes estaduais de programas que combatem o avanço da AIDS e outras DSTs destacaram que o projeto aqui só foi possível porque o governo Cuidando de Nossa Gente abraçou, literalmente, a causa. Tanto é verdade que no Maranhão, segundo Wendel Alencar, por conta dessa ausência de iniciativa, só existem duas casas do tipo para acolhimento de pessoas com HIV – uma em São Luís e agora a de Codó.

“Se percebeu a necessidade da Casa e aí a sociedade, a prefeitura abraçando essa proposta que acaba não sendo mais só nossa, isso é um ganho e um avanço pro Sistema único de Saúde, para os direitos não só das pessoas que vivem com HIV, mas no campo dos direitos como um todo”, frisou o representante estadual DST/AIDS

LÁGRIMAS DE EMOÇÃO

A presidente da Associação Nossa Senhora da Natividade, Zenilde Salazar, foi às lágrimas na hora de seu discurso e elevou Zito e Cláudio às alturas dado à tudo que fizeram porque, em suas palavras, sempre mantiveram as portas abertas para os soropositivos. Ela também agradeceu aos empresários codoenses que colaboraram com a mobília da Casa de Apoio.

Manteve as portas abertas tanto ele, quanto os assessores dele então eu tenho que agradecer à todos e principalmente a questão logística nossos comerciantes que nos ajudaram”, disse emocionada

ZITO QUER CONSTRUIR

O prefeito demonstrou serenidade ao falar sobre seu trabalho e até elogiou a iniciativa privada, à quem chamou de parceira.

“Pra você ver a importância dessa Casa de Apoio é que ela só existe em dois municípios do Maranhão, em São Luís e em Codó. Esse programa para que ele fosse concretizado ele teve uma duração, mas enquanto isso era efetivado nós estávamos, paralelamente, ajudando e contribuindo e graças a parceria do Poder Público e Empresas Privadas, que também estão colaborando”, frisou

Rolim falou em entrevista ao blog que pretende construir uma Casa de Apoio. A inaugurada ontem é alugada (R$ 600,00 mês pagos pela Prefeitura, mais um vigia) e na opinião dele já está pequena.

“Nós já estamos em pensando em construir outra Casa porque aqui pelo atendimento que está acontecendo ela se tornou pequeno e nós vamos continuar apoiando de todas as formas tanto com o convênio oficializado que nós já temos, como de outra forma apoiando em todos os sentidos a Casa de Apoio”, concluiu