Category Archives: Saúde

SAMU de Codó realizará atividade hoje à tarde no dia Mundial do AVC

Hoje é o DIA MUNDIAL DO AVC – Acidente Vascular Cerebral. A doença atinge cerca de 15 milhões de pessoas por ano, 6 milhões delas morrem em razão da gravidade em que são atingidas.

No mundo,  a cada 6 segundos morre uma pessoa vítima de derrame cerebral. A cada outro segundo, uma pessoa tem AVC, independente da idade e sexo.

Para ajudar a população a prevenir a doença, o SAMU de Codó fará hoje à tarde, por volta das 17h, uma parada de orientação no centro da cidade. Médicos e enfermeiros estarão no local falando a respeito do AVC, segundo informou ao blog a coordenadora, enfermeira Carla Dias.

Entre as orientações, estarão as formas de conhecer os sintomas, algo pouco divulgado em Codó. Os médicos também darão dicas sobre como prevenir-se:

  • É importante conhecer os próprios fatores de risco como pressão alta, diabetes e colesterol alto.
  • Para prevenir deve-se fazer exercício físicos, manter dieta saudável rica em frutas e vegetais
  • Comer pouco sal, evitar gordura.
  • Recomenda-se limitar o consumo de álcool, parar de fumar.

BOA NOTÍCIA: Dengue em Codó é considerada de baixo risco

Mosquito da dengue

O medo de ser vítima do mosquito da dengue faz da família de dona Maria das Dores  Vieira, uma aposentada do bairro São Francisco, uma das mais cuidadosas do bairro onde mora na periferia de Codó.

 “Se tem a vasilha com água, emborco tudo, guardo tudo ajeito tudo…LATINHA, CASCA DE OVO? Tudo, casca de ovo jogo logo no lixo (…)é perigoso juntar água, chega a dengue tem que se cuidar”, explicou

LIRAa

Isso mostra uma evolução na forma como os codoenses estão se prevenindo contra a doença, algo que pôde ser comprovado pelo mais recente Levantamento Rápido de Índice de Infestação Predial.

Em abril a média de prédios vistoriados pelos agentes de combate às endemias com focos do mosquito da dengue era de 0,9%. A de outubro ficou em apenas 0,3%.

A situação é considerada de baixo risco, comemorada pela Secretaria de Saúde do município que fez algumas ações que ajudaram no resultado.

 “Ações educativas, através do carro fumacê, larvicidas onde tem os criadouros, combatemos os criadouros com ações educativas junto à população e também nossa equipe de endemias e conseguimos baixar o nosso LIRA”, explicou o secretário municipal, Cláudio Paz

COLABORAÇÃO

Até dezembro, antes do período das chuvas, o quarto levantamento que mede a infestação do mosquito nas residência deverá ser realizado, enquanto ele não chega, o pedido de colaboração para a  população.

 “Nós queremos aqui pedir a população que possa dar um acesso livre aos nossos agentes de endemias porque eles estão lá trabalhando, eles estão levando a saúde para as residências através das ações preventivas”, disse

O levantamento Rápido de Indice de Infestação Predial foi realizado a pedido do Ministério da Saúde em cinco cidades do Maranhão. Em Codó, no período de  2 a 4 de outubro, foram vistoriadas 1.541 residências.

SAÚDE DA MULHER: Cresce 10% número de mamografias realizadas no Maranhão

O Estado do Maranhão apresentou aumento de 10% no número de mamografias realizadas no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), se comparado ao primeiro semestre de 2011. Este ano, 28.984 exames foram realizados, enquanto em 2011 realizou-se 26.306. “A assistência e prevenção do câncer são prioridades na rede do SUS. Os dados mostram que estamos firmes no objetivo de compor um conjunto de ações para melhorar a saúde da mulher, em especial a prevenção e o tratamento do câncer de mama”, destaca o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. “Queremos garantir serviços de qualidade no Sistema Único de Saúde”, complementa.

O Maranhão possui 74 mamógrafos para atender a população. Além de duas Unidades de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacom), um Centro de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (CACOM), serviços de oncologia pediátrica e de radioterapia. O aumento na proporção de brasileiras que se submeteu ao exame de mamografia está condicionado à ampliação dos serviços de diagnóstico e tratamento do câncer de mama no país.

Em 2012, o Ministério da Saúde investiu R$ 1,4 milhão para a realização dessas mamografias, 22% a mais que em 2011, quando foram gastos R$ 1,1 milhão, no mesmo período no estado maranhense.

ESTATÍSTICAS – Este ano, estima-se o surgimento de mais de 53 mil novos casos da doença. Buscando ampliar o acesso a exames e tratamentos preventivos, o Ministério tem investido na ampliação da assistência e prevenção do câncer de mama que é uma prioridade do SUS. O câncer de mama é o primeiro tipo mais frequente no mundo, e o mais comum entre as mulheres, respondendo por 22% dos casos novos a cada ano. Se diagnosticado e tratado oportunamente, o prognóstico é relativamente bom.

AÇÕES– Para garantir a melhoria do atendimento e a qualidade de vida da população, o Ministério da Saúde incorporou o Trastuzumabe, um dos mais eficientes medicamentos de combate ao câncer de mama, no Sistema Único de Saúde (SUS). Essa iniciativa faz parte do Plano Nacional de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Colo do Útero e de Mama, estratégia para expandir a assistência oncológica no país, lançado pela presidenta Dilma Rousseff, no ano passado.

O Ministério investirá R$ 130 milhões/ano para disponibilizar o medicamento à população. “A expectativa é que o medicamento beneficie 20% das mulheres com câncer de mama em estágio inicial e avançado”, afirma o ministro Alexandre Padilha.

Também faz parte do Plano Nacional, a expansão dos serviços de radioterapia no país. Para isso, em julho deste ano, o Ministério da Saúde divulgou portaria que traz os nomes dos 80 hospitais, habilitados na Alta Complexidade em Oncologia, que terão serviços de oncologia criados (48 hospitais) e vão ter ampliados os serviços já ofertados (32), no início de 2013. A iniciativa beneficiará a população de 58 municípios, em 20 estados, nas cinco regiões do país. A medida aumentará em 32% a assistência aos pacientes com câncer, passando de 149 mil para 197 mil atendimentos por ano. Haverá investimento de R$ 505 milhões.

Os recursos serão ainda aplicados em infraestrutura e na compra de 80 aceleradores lineares, equipamentos de alta tecnologia usados em radioterapia, além de outros acessórios.

ESTRATÉGIA– O Plano Nacional de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Colo de Útero e de Mama prevê ações de fortalecimento da rede de prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer de mama e do câncer de colo de útero, que receberão investimentos de R$ 4,5 bilhões até 2014.No ano passado, o Sistema Único de Saúde (SUS) ampliou em 22% os recursos para assistência oncológica no país. O Ministério da Saúde fechou o ano com investimento de R$ 2,2 bilhões no setor – em 2010, o valor foi de R$ 1,8 bilhão. Esse aumento de investimento serviu para ampliar e qualificar a assistência aos pacientes em hospitais públicos e privados que compõem o SUS, especialmente para os tipos de câncer mais frequentes, como fígado, mama, linfoma e leucemia aguda.

Por Regina Xeyla e Neyfla Garcia, da Agência Saúde- Ascom/MS

CNBB e padre Bento trabalham para que 10% da receita brasileira sejam destinados à saúde pública

Pe. Bento, luta por melhorias na saúde

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB – está realizando o Movimento Nacional em Defesa da Saúde Pública que objetiva colher assinaturas em todo o país para dar força à um projeto de Iniciativa Popular, assim como foi o que resultou na lei da Ficha-Limpa.

Desta vez o projeto quer assegurar o repasse de 10% das receitas correntes brutas da União para a saúde pública brasileira. Atualmente o repasse não chega à 5%.

Em Codó, é padre Bento, notório lutador pelas causas sociais, quem está visitando a imprensa, missas nas cinco paróquias da cidade, escolas, faculdades e universidades de posse de um formulário a ser preenchido por quem mostre interesse em ajudar.

“Atualmente a saúde pública recebe, exatamente, 4,07% do orçamento da União, mas como enxergamos o dizer da campanha da Fraternidade deste ano – Fraternidade e a Saúde Pública, a realidade está precária, então a CNBB e outras entidades estão promovendo este projeto de Iniciativa Popular como foi outrora o projeto Lei da Ficha-Limpa, para que o Congresso Nacional modifique a lei e a União possa repassar os 10% de todo o PIB – Produto Interno Bruto – do Brasil”, explicou Pe. Bento

O padre pediu a participação de todos, sobretudo, dos religiosos codoenses pois, na opinião dele, a situação da saúde pública é grave.

“Queremos que todo povo participe, dado a situação da saúde é importante que todas as igrejas, seja católica, seja crente (evangélico), sejam religiões afro-descendentes, colégios universidades possam participar deste projeto que é tão urgente e tão necessário para melhore, realmente, a saúde no nosso imenso Brasil”, concluiu

REGRAS

Uma vez aprovado o projeto de Iniciativa Popular ele vai alterar a Lei Complementar nº 141, de 13 de maio de 2012. Para que um projeto deste possa ser recebido pela Câmara Federal a Constituição Brasileira exige que ele tenha a assinatura de, no mínimo, 1% do eleitorado nacional, que tenham sido coletadas em pelo menos cinco estados da federação.

Veja a importância do teste da orelinha e como ele é feito em Codó

Na sala da fonoaudióloga Gleiane de Sousa a conversa com a mãe que chega com o bebê para o teste da orelinha é necessária.

“Pra saber se ela não ficou em incubadora, se teve anóxia que é a falta de oxigênio pós-parto, se teve icterícia se foi fisiológica, se tomou medicações que prejudicam a audição da criança, uma serie de fatores que a gente relaciona que são fundamentais para a realização do teste”, explicou

Só depois o aparelho é utilizado. Segundo a profissional, ele estimula pontos do cérebro que dão a noção ao profissional de saúde de como está a audição da criança.

“São oito pontos que são estimulados com intensidades diferentes e a criança responde, se tiver uma audição normal, ela responde e passa pelos oito estímulos”, afirmou

CUSTOS

Na cidade de Codó, o teste ainda é pouco realizado pelas mães porque o sistema de saúde pública ainda não o oferece. Em clínicas particulares custa entre R$ 40 e R$ 80,00.

A dona de casa Rita Cunha, mãe de um recém-nascido, considera o valor relevante para o nível econômico da cidade, mas prefere pensar no benefício do teste.

“Pra criança acho que é muito importante pra saúde dele, pra desenvolver alguma doença a gente vai poder descobrir logo com tempo de tratar”, frisou

IMPORTANTE LEMBRAR

As mães precisam ficar atentas à uma orientação considerada, pelos médicos, muito importante – é que depois de fazer o teste da orelhinha no primeiro mês de vida o bebê precisa voltar para passar por um novo exame.

“Ele ouve, ouve e ouve muito bem só que o sistema auditivo dele só começa a funcionar a partir do sexto mês de vida, então é importante que ele faça o teste no primeiro e no sexto mês de vida, quando, neurologicamente, esta audição já vai estar sendo estimulada”, explicou Gleiane Lima de Sousa

A jovem mãe Daniela Silva tinha acabado de saber que Sofia está ouvindo perfeitamente, mas, sabendo da orientação, já garantiu o retorno.

“calma tranquila em saber que ela ouve bem, graças à Deus, tá tudo bem com ela…AGORA TEM O RETESTE, TEM QUE VOLTAR…é tem que voltar…VOCÊ VAI VIR? Vou com certeza”, respondeu alegre

MENINGITE C – MS presta apoio ao Maranhão na investigação de casos e óbitos

Equipe técnica de vigilância do Ministério da Saúde está no Maranhão, onde realiza, em conjunto com as secretarias estadual e municipais de saúde, a investigação de casos de meningite tipo C, registrados em cinco municípios da região sul do estado. Até o momento, são 34 casos em investigação da doença, sendo nove confirmados e cinco óbitos.
O Ministério da Saúde orienta que seja providenciado o acesso ao tratamento preventivo por meio de antibiótico às pessoas que tiveram contato ou convivem no mesmo local de pacientes. Este tratamento é chamado de quimioprofilaxia, feito à base do medicamento rifampicina, cujo fornecimento é garantido pelo Sistema Único de Saúde. O Maranhão tem estoque suficiente para atender à população do estado. A indicação é que o uso seja feito logo nas primeiras 48 horas.
Como forma de controle da doença, o Ministério da Saúde providenciou o envio ao estado de 22 mil doses da vacina contra a meningite tipo A e C, que serão utilizadas nos cinco municípios onde se verifica o surto: Sambaíba, Loreto, São Raimundo das Mangabeiras, Balsas e Feira Nova do Maranhão. A aplicação das doses é feita pela decisão conjunta pelos gestores locais do SUS e referendada pelo Ministério da Saúde.
Nessas situações, a vacina pode complementar a utilização da quimioprofilaxia, ampliando a prevenção de novos casos. No surto ora investigado no Maranhão, os casos se distribuem em cinco municípios, com cadeias epidemiológicas de transmissão distintas, ficando caracterizado o benefício da utilização suplementar da vacinação em grupos mais acometidos.
Essas ações são a forma eficaz de evitar a propagação de novos casos entre pessoas que tiveram esse contato próximo ao paciente infectado impedido a expansão do surto.
DOENÇA – Casos de Doença Meningocócica tipo C ocorrem, ocasionalmente, em diferentes países, podendo gerar alguns casos secundários em pessoas que tiveram contato próximo com o paciente, como familiares ou pessoas que coabitam a mesma casa ou alojamento.
O Ministério da Saúde já utiliza no Calendário Básico de Vacinação da Criança todas as vacinas atualmente disponíveis para proteger contra formas específicas de meningites. São disponibilizadas a vacina BCG, que protege contra a meningite tuberculosa, a vacina Hib, que protege contra a meningite produzida pelo hemófilo influenza tipo B, e a vacina conjugada contra a doença meningocócica produzida pela Neisseria meningitidis grupo C.
Da Agência Saúde, por Jorge Alexandre

Mais de 86 mil pessoas já foram beneficiadas com medicamentos gratuitos no Maranhão

O Saúde Não Tem Preço – marca do Aqui Tem Farmácia Popular – beneficia cada vez mais brasileiros e amplia o acesso ao tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS). No Maranhão, a iniciativa garantiu medicamentos gratuitos para 86.481 pacientes. No estado, o número de pessoas assistidas com a oferta de medicamentos para diabetes e hipertensão aumentou em 2.861% desde o início da gratuidade. O total mensal de atendimentos passou de 1.022, em janeiro de 2011, para 30.266, em agosto de 2012. Em todo o País, 10,7 milhões pessoas já foram beneficiadas desde o início da gratuidade (diabetes e hipertensão).
Em junho deste ano, com intuito de aumentar o acesso e diminuir o número de internações por asma, o governo federal decidiu incluir no Saúde Não Tem Preço três medicamentos para asma, beneficiando 204 mil pessoas em três meses. Desses, 218 estão no Maranhão, aumento de 197%. Ao total, são 17 medicamentos gratuitos para diabetes, hipertensão e asma.
Em todo o País, são mais de 20 mil farmácias, entre públicas e particulares credenciadas, que distribuem os medicamentos. No Maranhão, são 144 estabelecimentos. Para obter os produtos disponíveis no Saúde não Tem Preço, o usuário precisa apresentar CPF, documento com foto e receita médica dentro do prazo de validade. Pessoas com mais de 60 anos ou com dificuldades de locomoção ficam dispensadas da presença física, podendo o medicamento ser retirado com procuração por familiares ou amigos.
FARMÁCIA POPULAR – Criado em 2004 para ampliar o acesso da população a medicamentos para as doenças mais comuns entre os cidadãos, o programa Farmácia Popular do Brasil oferta medicamentos gratuitos ou com até 90% de desconto. São medicamentos para o tratamento de doenças como colesterol, osteoporose, doença de Parkinson, além de contraceptivos e fraldas geriátricas.
No último ano, o programa registrou um crescimento de 300% no número de pessoas beneficiadas, saltando de 1,2 milhão em janeiro de 2011 para cinco milhões em agosto de 2012. Já no Maranhão, o aumento foi de 1.572%, passando de 2.073 atendidos em janeiro, para 34.656 em agosto.
O número de farmácias que ofertam esses medicamentos também aumentou. A participação das farmácias privadas credenciadas cresceu de 14 mil, no ano passado, para cerca de 20 mil em 2012. No mesmo período, o número de municípios cobertos com farmácias credenciadas passou de 2.467 para 3.353. Desses, 1.060 são municípios de extrema pobreza — eram 578, em 2011. A meta é contemplar mais 1.305 municípios de extrema pobreza até 2014.
Na rede pública de saúde, o ministério ampliou a quantidade de produtos da lista de medicamentos do SUS de 342, em 2008, para 550, em 2010. Este ano, a lista já soma 810 itens.
Por Rhaiana Rondon e Tatiana Alarcon, da Agência Saúde

TEMPO: Codoenses sofrem com doenças respiratórias, saiba como prevenir

Dr. Osnir Piorski orienta pacientes

Baixa umidade do ar, temperaturas sempre acima dos 30 Graus nas horas mais quentes do dia em Codó. Características muito conhecidas do chamado tempo seco, justamente ele – causador de muitos transtornos à saúde humana.

Ardência e ressecamento dos olhos, boca nariz, mas não é só isso. Esta é a época, sobretudo, de agravamento das doenças respiratórias onde boa parte dos atendimentos nos postos de saúde é direcionada à crianças e idosos, os mais vulneráveis.

Dona Priscila Bezerra Silva, com quem conversamos no bairro Codó Novo, tem sofrido bastante, a falta de ar ficou mais frequente.

“Tem aumentado…eu fico, não deito na cama, tem noite que eu passo assim todinha, falta de ar”, reclamou-se a aposentada

CRIANÇAS SOFREM

Nas crianças agravam-se asmas, renites alérgicas que se caracterizam pela obstrução do nariz, coceira e espirros repetidos e acabam desenvolvendo hábitos de cura, como os praticados na casa de Rafaela Santos, do Santa Teresinha, nada recomendados pelos médicos.

“A minha mãe dá xarope, dá chazinho de alho e limão, vários remédios que minha mãe é quem faz…E RESOLVE? Resolve, quando não resolve traz no médico”, revelou

PREVINA-SE

Para quem quer prevenir, vale algumas dicas médicas:

· Ingerir bastante líquido

· Evitar exercícios físicos entre ás 10h da manhã e as 5 da tarde.

· Manter ambientes arejados e livres da poeira

· Deixar um recipiente com água ou pano molhado no quarto antes de dormir

· Evitar lugares fechados com grande concentração de pessoas

Nos postos, médicos como Osnir Maranhão Piorski, estão fazendo mais recomendações.

“eu recomendo aqui que tenha um pouco mais de repouso, fique mais em casa, evite sair em aglomeração que tem muita poeira, para evitar complicações maiores”, frisou Dr. Osnir

Clima seco: os perigos da baixa umidade

Dicas simples podem prevenir agravamento de doenças respiratórias

Muito comum nesta época do ano, a baixa umidade do ar pode desencadear uma série de complicações respiratórias e agravar doenças já existentes. Portanto, se o tempo estiver seco, colocar em prática algumas dicas pode evitar maiores problemas.

Para a dra. Valeria Cristina Vigar, secretária-geral da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia, devemos ficar em estado de atenção quando a umidade relativa do ar estiver entre 20 e 30%, e em estado de alerta ao cair para 20% a 12%. Abaixo destes níveis é decretado estado de emergência.

“Quanto menor for a umidade do ar, mais cuidados devem ser tomados para evitar complicações alérgicas e respiratórias”.
Em consequência do tempo seco, o ressecamento das vias aéreas leva a doenças como rinite e rinossinusite, uma inflamação da mucosa que reveste a cavidade nasal; assim como a descompensação de asma e da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), que diminuem a capacidade respiratória.

Grupos de risco:
Embora haja registros de baixa umidade do ar em muitos Estados brasileiros, as regiões sudeste e centro-oeste enfrentam os maiores problemas, intensificados pela falta de chuva e aumento no nível de poluição no ar.
“Independentemente da região, os principais grupos de risco são os portadores de doenças respiratórias crônicas e os indivíduos mais expostos a ambientes de baixa umidade”.

A especialista pede atenção redobrada aos pacientes que já têm problemas respiratórios, aconselhando-os a seguir corretamente as orientações médicas e manter rigorosamente o tratamento indicado”.

Dicas:
Para não correr riscos e se manter saudável durante o inverno, a médica aponta algumas dicas importantes:
• Mantenha arejados ambientes fechados, umidificando-os com vaporizadores ou recipientes com água nos dias mais secos
• Para evitar desidratação, é aconselhável consumir bastante líquido e evitar a prática de atividade física entre 10h e 16h
• Em casa, carpetes e cortinas que acumulam poeira devem ser lavados e aspirados com frequência. Atenção para os cantos dos cômodos que podem juntar pó, assim como beiradas de móveis e estrados de cama
• As vestimentas usadas neste período também merecem um cuidado especial. Por ficarem dentro do armário, as roupas mais quentes, que só são usadas no inverno, devem ser lavadas e colocadas ao sol antes de usar, evitando o mofo e o odor desagradável

fonte MAXPRESS

Associação que cuida de pessoas com Aids consegue dinheiro para Casa de Apoio

O prédio conseguido pela Associação Nossa Senhora da Natividade para servir de Casa Abrigo de pessoas que vivem com o vírus da Aids em Codó, fica na rua 14 de abril, bairro São Benedito. Foi interditado em novembro do ano passado pela Vigilância Sanitária Municipal por falta de condições de funcionamento

Desde então, a Associação, que tem 170 inscritos e cuida de pelo menos 30 deles diretamente com acompanhamento diário e distribuição de cestas-básicas (quando consegue por doaçoes), passou a lutar pela reforma do prédio e pela manutenção financeira da casa de apoio. Agora está prestes a comemorar uma dessas vitórias.

VERBA GARANTIDA

A presidente, Zenilde Salazar, informou que já recebeu uma portaria do Ministério da Saúde autorizando o repasse trimestral de R$ 14.000,00 para a associação. Serão R$ 42.000,00 por ano que podem começar a chegar já agora em setembro.

“Esse dinheiro é somente para sustentabilidade da casa de apoio dentro do nosso município para tá dando mais uma qualidade de vida para os pacientes que vivem com HIV/AIDS no nosso município”, disse

Explicando sobre a necessidade desta verba, Zenilde disse que só na residência dela, por falta da casa de apoio, ela cuida de seis pessoas com Aids. Muitos outros necessitam dos mesmos cuidados porque, muitas vezes, são abandonados pela própria família que age com discriminação.

Por isso, a luta pela reforma deste prédio continua.

“A gente quer que essa reforma saia o mais rápido possível pra gente tá trabalhando dignamente e pra gente ter como mostrar nosso trabalho mais ainda no nosso município”, concluiu a presidente