Category Archives: Saúde

RANKING DAS Doenças: AVC mata mais mulheres do que o câncer

Mapeamento das 453.151 mortes de mulheres registradas por ano no Brasil revela quais são as doenças e outras causas de morte que mais ameaçam a população feminina do País.

Segundo os mais recentes dados do Ministério da Saúde, coletados pelo Sistema de Informação de Mortalidade (SIM) em 2010 e tabulados só agora, o ranking com as 10 primeiras causas é liderado por infarto e acidente vascular cerebral (AVC). Além dos problemas do aparelho circulatório, outras condições evitáveis como pressão alta , gripe , pneumonia e diabetes estão na lista.

Para os especialistas, os hábitos nada saudáveis estão por trás das mortes. Obesidade, sedentarismo e tabagismo são os principais gatilhos dos problemas cardiovasculares e metabólicos, que lideram as taxas de mortalidade feminina.

“Temos registrado um aumento gradual de AVC entre os mais jovens, com menos de 45 anos, e sabemos que os fatores comportamentais são os que antecipam os AVCs”, afirmou a neurologista e presidente da Rede Brasil AVC, Scheila Ouriques.

Da mesma opinião partilha Sérgio Timerman, da Sociedade Brasileira de Cardiologia, ao apontar os motivos para a letalidade das doenças do coração. O Instituto Nacional do Câncer (Inca) também elenca estes mesmos vilões como desencadeadores do câncer de mama e pulmão , os que mais matam a população feminina.

Além da dieta saudável e dos exercícios físicos, os exames preventivos também auxiliariam a modificar o ranking. O papanicolaou repetido uma vez por ano, por exemplo, é capaz de detectar o câncer de colo de útero em estágio inicial, impedindo que estes tumores estivessem na lista dos principais inimigos das mulheres.

Fonte: IG

COLABORE: Prorrogado prazo para assinar projeto pedindo 10% do PIB para a saúde pública

Padre Bento, luta por melhor saúde aos brasileiros

Padre Bento esteve hoje (6) na rádio FCFM, conversando com o jornalista, Alberto Barros. O sacerdote foi agradecer à todos que colaboraram com o recolhimento de assinaturas que reforçarão o projeto de iniciativa popular, a ser encaminhado à Câmara dos Deputados, com o intuito de pedir que sejam aplicados na saúde pública brasileira 10% do PIB – Produto Interno Bruto.

Segundo o padre, 250 folhas foram preenchidas, cada uma com cerca de 10 assinaturas.

“Nem todas estavam completas, mas ficou em torno, uma média de 10 assinaturas por folhas, portanto aí uma média de 2.500 assinaturas em Codó colhidas até o último dia porque o prazo terminava o dia 30 do mês passado (outubro). Então, nós mandamos no dia 30 com a ajuda de algumas pessoas”, explicou padre Bento

Até o fim do prazo, as instituições, entre as quais a CNBB – Confederação Nacional dos Bispos do Brasil – não conseguiram o número de assinaturas exigidos para estes casos. Por conta disso, lembrou o padre, o prazo foi prorrogado até março do ano que vem.

“Graças à Deus o prazo foi ampliado porque segundo as pastorais não se conseguiu o que é necessário, quase um milhão e meio (de assinaturas), então o prazo foi ampliado até março de 2013”, afirmou

O trabalho, portanto, vai continuar em Codó.

Realizado estudo sobre Calazar em humanos no município de Codó

Francisco Santos Leonardo

O Assessor do Departamento de Endemias do Município de Codó, Francisco Leonardo, juntamente com outros profissionais ligados a área da saúde, realizou minucioso trabalho sobre a Leishmaniose Visceral. O relatório intitulado “Descrição Epidemiológica dos Casos de Leishmaniose Visceral Humana no Município de Codó –MA, foi apresentado em diversos  congressos e seminários em diferentes estados da federação.

A equipe de estudo, formada por Larissa Barros da Silva, do Departamento de Pós-Graduação Saúde Materno Infantil da UFMA, Antônia Suely Guimarães e Silva, do Centro de Controle de Zoonoses de Caxias, Francisco Santos  Leonardo, do Departamento de Endemias do Município de Codó e pela professora, Dra. Valéria Cristina Pinheiro, do Laboratório de Entomologia Médica do CESC-UEMA, realizou um detalhado estudo descritivo sobre 18 casos de Leishmaniose Visceral no município de Codó em 2011.

As variáveis estudadas foram sexo, raça, idade e zona geográfica. De acordo com o resultado das análises notificadas, dos 18 casos que apresentaram o diagnóstico de Leishmaniose Visceral, verificou-se que 12 (67%) eram do sexo masculino e 13 (72%) dos casos eram de raça parda; 9 (50%) tinham entre 0 a 10 anos de idade e 15 (83%) eram procedentes da zona urbana de Codó.

Os resultados foram relacionados às condições climáticas (temperatura e umidade elevadas) do município, sua cobertura vegetal, a presença de animais infectados e a derrubada de árvores para a construção civil nos bairros do município.

A Descrição Epidemiológica dos Casos de Leishmaniose Visceral Humana no Município de Codó-MA foi apresentada em congressos e seminários pelo Brasil, como na 64ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), realizada entre os dias 22 a 27 de Julho de 2012, em São Luís-MA e no XVIII Congresso Internacional para Medicina Tropical e Malária, realizada no Rio de Janeiro, entre os dias 23 e 27 de setembro.

PARA ENTENDER MAIS

A Leishmaniose Visceral Humana é considerada pela Organização Mundial de Saúde como uma das seis doenças endêmicas de maior relevância no mundo. A transmissão é causada por um mosquito infectado pelo protozoário Leishmania Chagasi.

Os sintomas são: febre, palidez, emagrecimento e aumento do baço e do fígado, dispnéia, tosse, diarréia, sudorese, dor abdominal, cefaléia e edema.

Raphael Fernandes

Assessoria de comunicação – Governo Municipal de Codó

SELO UNICEF: Começa II Semana do Bebê em Codó

Ribamar Costa, coord. Selo Unicef/Codó

Integrantes do Selo Unicef amanheceram fazendo panfletagem e adesivando carros no centro de Codó. A ideia é movimentar a cidade em torno da II Semana do Bebê, cujo tema é –  Primeira Infância, a hora de cuidar é agora.

 “Amanhã o seminário tem um grande seminário que é o seminário da primeira infância, onde vamos estar recebendo o palestrante da coordenação nacional de Brasília, amanhã o seminário vai ser no auditório do convento”, disse Ribamar Costa, coordenador do Selo Unicef no município.

Além do seminário, também fazem parte da programação atividades em 17 postos de saúde e, no dia 9, trabalhos relacionados ao tema em 50 escolas municipais. No Jardim de Infância Sagrado Coração de Jesus,  a diretora, Ana Lúcia Olvieira Soares da Silva,  explicou que já envolveu até os pais de alunos de zero a seis anos de idade.

 “Conversamos com os pais sobre a importância de cuidar do bebê, cuidar da criança com a questão do banho, higiene pessoal, da vacinação e muitas outras coisas que a gente sabe que são direitos da criança e não podemos deixar de fazer esta informação aos pais”, disse

BEBÊ-PREFEITO

O selo também homenageará o primeiro bebê nascido hoje, início da semana. Ele vai ter o quarto ornamentado e receberá as chaves da cidade.

 “É um elemento simbólico para mostrar à sociedade codoense, brasileira, a importância de cuidar das crianças”, completou o secretário de educação Jacinto Junior falando sobre a homenagem que será feita na tarde de hoje, na maternidade Mamãe Neyde ao chamado bebê-prefeito, o primeiro a nascer, às 7h30 de hoje.

PASSEATA DO BEBÊ

A coordenação explica que dia 10, no encerramento, crianças vão plantar árvores nos bairros da cidade pela manhã. A tarde a programação será outra.

 “E já a tarde no grande encerramento, a partir das 4h, da praça da bandeira até a praça do Viveiro vai ter a grande passeata de carrinhos, todos os bebês, todos aqueles que participaram da semana do bebê”, concluiu Ribamar Costa

SAMU de Codó realizará atividade hoje à tarde no dia Mundial do AVC

Hoje é o DIA MUNDIAL DO AVC – Acidente Vascular Cerebral. A doença atinge cerca de 15 milhões de pessoas por ano, 6 milhões delas morrem em razão da gravidade em que são atingidas.

No mundo,  a cada 6 segundos morre uma pessoa vítima de derrame cerebral. A cada outro segundo, uma pessoa tem AVC, independente da idade e sexo.

Para ajudar a população a prevenir a doença, o SAMU de Codó fará hoje à tarde, por volta das 17h, uma parada de orientação no centro da cidade. Médicos e enfermeiros estarão no local falando a respeito do AVC, segundo informou ao blog a coordenadora, enfermeira Carla Dias.

Entre as orientações, estarão as formas de conhecer os sintomas, algo pouco divulgado em Codó. Os médicos também darão dicas sobre como prevenir-se:

  • É importante conhecer os próprios fatores de risco como pressão alta, diabetes e colesterol alto.
  • Para prevenir deve-se fazer exercício físicos, manter dieta saudável rica em frutas e vegetais
  • Comer pouco sal, evitar gordura.
  • Recomenda-se limitar o consumo de álcool, parar de fumar.

BOA NOTÍCIA: Dengue em Codó é considerada de baixo risco

Mosquito da dengue

O medo de ser vítima do mosquito da dengue faz da família de dona Maria das Dores  Vieira, uma aposentada do bairro São Francisco, uma das mais cuidadosas do bairro onde mora na periferia de Codó.

 “Se tem a vasilha com água, emborco tudo, guardo tudo ajeito tudo…LATINHA, CASCA DE OVO? Tudo, casca de ovo jogo logo no lixo (…)é perigoso juntar água, chega a dengue tem que se cuidar”, explicou

LIRAa

Isso mostra uma evolução na forma como os codoenses estão se prevenindo contra a doença, algo que pôde ser comprovado pelo mais recente Levantamento Rápido de Índice de Infestação Predial.

Em abril a média de prédios vistoriados pelos agentes de combate às endemias com focos do mosquito da dengue era de 0,9%. A de outubro ficou em apenas 0,3%.

A situação é considerada de baixo risco, comemorada pela Secretaria de Saúde do município que fez algumas ações que ajudaram no resultado.

 “Ações educativas, através do carro fumacê, larvicidas onde tem os criadouros, combatemos os criadouros com ações educativas junto à população e também nossa equipe de endemias e conseguimos baixar o nosso LIRA”, explicou o secretário municipal, Cláudio Paz

COLABORAÇÃO

Até dezembro, antes do período das chuvas, o quarto levantamento que mede a infestação do mosquito nas residência deverá ser realizado, enquanto ele não chega, o pedido de colaboração para a  população.

 “Nós queremos aqui pedir a população que possa dar um acesso livre aos nossos agentes de endemias porque eles estão lá trabalhando, eles estão levando a saúde para as residências através das ações preventivas”, disse

O levantamento Rápido de Indice de Infestação Predial foi realizado a pedido do Ministério da Saúde em cinco cidades do Maranhão. Em Codó, no período de  2 a 4 de outubro, foram vistoriadas 1.541 residências.

SAÚDE DA MULHER: Cresce 10% número de mamografias realizadas no Maranhão

O Estado do Maranhão apresentou aumento de 10% no número de mamografias realizadas no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), se comparado ao primeiro semestre de 2011. Este ano, 28.984 exames foram realizados, enquanto em 2011 realizou-se 26.306. “A assistência e prevenção do câncer são prioridades na rede do SUS. Os dados mostram que estamos firmes no objetivo de compor um conjunto de ações para melhorar a saúde da mulher, em especial a prevenção e o tratamento do câncer de mama”, destaca o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. “Queremos garantir serviços de qualidade no Sistema Único de Saúde”, complementa.

O Maranhão possui 74 mamógrafos para atender a população. Além de duas Unidades de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacom), um Centro de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (CACOM), serviços de oncologia pediátrica e de radioterapia. O aumento na proporção de brasileiras que se submeteu ao exame de mamografia está condicionado à ampliação dos serviços de diagnóstico e tratamento do câncer de mama no país.

Em 2012, o Ministério da Saúde investiu R$ 1,4 milhão para a realização dessas mamografias, 22% a mais que em 2011, quando foram gastos R$ 1,1 milhão, no mesmo período no estado maranhense.

ESTATÍSTICAS – Este ano, estima-se o surgimento de mais de 53 mil novos casos da doença. Buscando ampliar o acesso a exames e tratamentos preventivos, o Ministério tem investido na ampliação da assistência e prevenção do câncer de mama que é uma prioridade do SUS. O câncer de mama é o primeiro tipo mais frequente no mundo, e o mais comum entre as mulheres, respondendo por 22% dos casos novos a cada ano. Se diagnosticado e tratado oportunamente, o prognóstico é relativamente bom.

AÇÕES– Para garantir a melhoria do atendimento e a qualidade de vida da população, o Ministério da Saúde incorporou o Trastuzumabe, um dos mais eficientes medicamentos de combate ao câncer de mama, no Sistema Único de Saúde (SUS). Essa iniciativa faz parte do Plano Nacional de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Colo do Útero e de Mama, estratégia para expandir a assistência oncológica no país, lançado pela presidenta Dilma Rousseff, no ano passado.

O Ministério investirá R$ 130 milhões/ano para disponibilizar o medicamento à população. “A expectativa é que o medicamento beneficie 20% das mulheres com câncer de mama em estágio inicial e avançado”, afirma o ministro Alexandre Padilha.

Também faz parte do Plano Nacional, a expansão dos serviços de radioterapia no país. Para isso, em julho deste ano, o Ministério da Saúde divulgou portaria que traz os nomes dos 80 hospitais, habilitados na Alta Complexidade em Oncologia, que terão serviços de oncologia criados (48 hospitais) e vão ter ampliados os serviços já ofertados (32), no início de 2013. A iniciativa beneficiará a população de 58 municípios, em 20 estados, nas cinco regiões do país. A medida aumentará em 32% a assistência aos pacientes com câncer, passando de 149 mil para 197 mil atendimentos por ano. Haverá investimento de R$ 505 milhões.

Os recursos serão ainda aplicados em infraestrutura e na compra de 80 aceleradores lineares, equipamentos de alta tecnologia usados em radioterapia, além de outros acessórios.

ESTRATÉGIA– O Plano Nacional de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Colo de Útero e de Mama prevê ações de fortalecimento da rede de prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer de mama e do câncer de colo de útero, que receberão investimentos de R$ 4,5 bilhões até 2014.No ano passado, o Sistema Único de Saúde (SUS) ampliou em 22% os recursos para assistência oncológica no país. O Ministério da Saúde fechou o ano com investimento de R$ 2,2 bilhões no setor – em 2010, o valor foi de R$ 1,8 bilhão. Esse aumento de investimento serviu para ampliar e qualificar a assistência aos pacientes em hospitais públicos e privados que compõem o SUS, especialmente para os tipos de câncer mais frequentes, como fígado, mama, linfoma e leucemia aguda.

Por Regina Xeyla e Neyfla Garcia, da Agência Saúde- Ascom/MS

CNBB e padre Bento trabalham para que 10% da receita brasileira sejam destinados à saúde pública

Pe. Bento, luta por melhorias na saúde

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB – está realizando o Movimento Nacional em Defesa da Saúde Pública que objetiva colher assinaturas em todo o país para dar força à um projeto de Iniciativa Popular, assim como foi o que resultou na lei da Ficha-Limpa.

Desta vez o projeto quer assegurar o repasse de 10% das receitas correntes brutas da União para a saúde pública brasileira. Atualmente o repasse não chega à 5%.

Em Codó, é padre Bento, notório lutador pelas causas sociais, quem está visitando a imprensa, missas nas cinco paróquias da cidade, escolas, faculdades e universidades de posse de um formulário a ser preenchido por quem mostre interesse em ajudar.

“Atualmente a saúde pública recebe, exatamente, 4,07% do orçamento da União, mas como enxergamos o dizer da campanha da Fraternidade deste ano – Fraternidade e a Saúde Pública, a realidade está precária, então a CNBB e outras entidades estão promovendo este projeto de Iniciativa Popular como foi outrora o projeto Lei da Ficha-Limpa, para que o Congresso Nacional modifique a lei e a União possa repassar os 10% de todo o PIB – Produto Interno Bruto – do Brasil”, explicou Pe. Bento

O padre pediu a participação de todos, sobretudo, dos religiosos codoenses pois, na opinião dele, a situação da saúde pública é grave.

“Queremos que todo povo participe, dado a situação da saúde é importante que todas as igrejas, seja católica, seja crente (evangélico), sejam religiões afro-descendentes, colégios universidades possam participar deste projeto que é tão urgente e tão necessário para melhore, realmente, a saúde no nosso imenso Brasil”, concluiu

REGRAS

Uma vez aprovado o projeto de Iniciativa Popular ele vai alterar a Lei Complementar nº 141, de 13 de maio de 2012. Para que um projeto deste possa ser recebido pela Câmara Federal a Constituição Brasileira exige que ele tenha a assinatura de, no mínimo, 1% do eleitorado nacional, que tenham sido coletadas em pelo menos cinco estados da federação.

Veja a importância do teste da orelinha e como ele é feito em Codó

Na sala da fonoaudióloga Gleiane de Sousa a conversa com a mãe que chega com o bebê para o teste da orelinha é necessária.

“Pra saber se ela não ficou em incubadora, se teve anóxia que é a falta de oxigênio pós-parto, se teve icterícia se foi fisiológica, se tomou medicações que prejudicam a audição da criança, uma serie de fatores que a gente relaciona que são fundamentais para a realização do teste”, explicou

Só depois o aparelho é utilizado. Segundo a profissional, ele estimula pontos do cérebro que dão a noção ao profissional de saúde de como está a audição da criança.

“São oito pontos que são estimulados com intensidades diferentes e a criança responde, se tiver uma audição normal, ela responde e passa pelos oito estímulos”, afirmou

CUSTOS

Na cidade de Codó, o teste ainda é pouco realizado pelas mães porque o sistema de saúde pública ainda não o oferece. Em clínicas particulares custa entre R$ 40 e R$ 80,00.

A dona de casa Rita Cunha, mãe de um recém-nascido, considera o valor relevante para o nível econômico da cidade, mas prefere pensar no benefício do teste.

“Pra criança acho que é muito importante pra saúde dele, pra desenvolver alguma doença a gente vai poder descobrir logo com tempo de tratar”, frisou

IMPORTANTE LEMBRAR

As mães precisam ficar atentas à uma orientação considerada, pelos médicos, muito importante – é que depois de fazer o teste da orelhinha no primeiro mês de vida o bebê precisa voltar para passar por um novo exame.

“Ele ouve, ouve e ouve muito bem só que o sistema auditivo dele só começa a funcionar a partir do sexto mês de vida, então é importante que ele faça o teste no primeiro e no sexto mês de vida, quando, neurologicamente, esta audição já vai estar sendo estimulada”, explicou Gleiane Lima de Sousa

A jovem mãe Daniela Silva tinha acabado de saber que Sofia está ouvindo perfeitamente, mas, sabendo da orientação, já garantiu o retorno.

“calma tranquila em saber que ela ouve bem, graças à Deus, tá tudo bem com ela…AGORA TEM O RETESTE, TEM QUE VOLTAR…é tem que voltar…VOCÊ VAI VIR? Vou com certeza”, respondeu alegre

MENINGITE C – MS presta apoio ao Maranhão na investigação de casos e óbitos

Equipe técnica de vigilância do Ministério da Saúde está no Maranhão, onde realiza, em conjunto com as secretarias estadual e municipais de saúde, a investigação de casos de meningite tipo C, registrados em cinco municípios da região sul do estado. Até o momento, são 34 casos em investigação da doença, sendo nove confirmados e cinco óbitos.
O Ministério da Saúde orienta que seja providenciado o acesso ao tratamento preventivo por meio de antibiótico às pessoas que tiveram contato ou convivem no mesmo local de pacientes. Este tratamento é chamado de quimioprofilaxia, feito à base do medicamento rifampicina, cujo fornecimento é garantido pelo Sistema Único de Saúde. O Maranhão tem estoque suficiente para atender à população do estado. A indicação é que o uso seja feito logo nas primeiras 48 horas.
Como forma de controle da doença, o Ministério da Saúde providenciou o envio ao estado de 22 mil doses da vacina contra a meningite tipo A e C, que serão utilizadas nos cinco municípios onde se verifica o surto: Sambaíba, Loreto, São Raimundo das Mangabeiras, Balsas e Feira Nova do Maranhão. A aplicação das doses é feita pela decisão conjunta pelos gestores locais do SUS e referendada pelo Ministério da Saúde.
Nessas situações, a vacina pode complementar a utilização da quimioprofilaxia, ampliando a prevenção de novos casos. No surto ora investigado no Maranhão, os casos se distribuem em cinco municípios, com cadeias epidemiológicas de transmissão distintas, ficando caracterizado o benefício da utilização suplementar da vacinação em grupos mais acometidos.
Essas ações são a forma eficaz de evitar a propagação de novos casos entre pessoas que tiveram esse contato próximo ao paciente infectado impedido a expansão do surto.
DOENÇA – Casos de Doença Meningocócica tipo C ocorrem, ocasionalmente, em diferentes países, podendo gerar alguns casos secundários em pessoas que tiveram contato próximo com o paciente, como familiares ou pessoas que coabitam a mesma casa ou alojamento.
O Ministério da Saúde já utiliza no Calendário Básico de Vacinação da Criança todas as vacinas atualmente disponíveis para proteger contra formas específicas de meningites. São disponibilizadas a vacina BCG, que protege contra a meningite tuberculosa, a vacina Hib, que protege contra a meningite produzida pelo hemófilo influenza tipo B, e a vacina conjugada contra a doença meningocócica produzida pela Neisseria meningitidis grupo C.
Da Agência Saúde, por Jorge Alexandre