Category Archives: Saúde

DESCASO: Mulher denuncia que Farmácia Básica codoense ‘não tem 1 comprimido sequer’

Era pra ser assim em Codó

Era pra ser assim em Codó

Uma denúncia grave foi feita por uma ouvinte do programa Cidade Notícias (FCFM), identificada apenas pelo primeiro nome – Sheila.

Apresentando-se como diabética, afirmou, irritada com a situação, que na Farmácia Básica, de responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde, não há sequer um comprimido para doenças crônicas do tipo diabetes e hipertensão arterial.

“É essa a minha denúncia, não tem um comprimido na Farmácia Básica pra nada, nada, diabetes, pressão alta e eu queria saber por que isso? Porque antes da eleição apareceu remédio, depois que passou a eleição sumiu o remédio de novo”, criticou

PRA ONDE NÃO TEM

Segundo a denunciante, na Farmácia Básica estão mandando quem procura a medicação gratuita para uma farmácia particular da cidade e esta, há duas semanas, também não tem prestado o atendimento prometido pelo município.

“A gente vai lá e não é tratada bem, lá na Farmácia Básica, eles mandam a gente pra farmácia Uchôa, diz que agora  a Uchôa tá dando essa medicação, só que na farmácia Uchôa também todo dia é uma história não tem internet, não tá tendo ainda autorização, cada dia é uma coisa, tá com umas duas semanas que é isso”, denunciou

“MUITA GENTE PRECISA”

Sheila justificou a indignação que a levou a procurar os meios de comunicação. Para ela tem muita gente pobre sofrendo porque depende, exclusivamente, da Farmácia Básica.

“Eu quero fazer essa denúncia porque tem muita gente que depende dessas medicações, se a gente tem o direito de pegar gratuito por que vai querer pagar, eu no caso já comprei pra diabetes eu não ficar sem e quem não tem condição”, concluiu

SOBRE A FARMÁCIA BÁSICA

A Farmácia Básica oferece medicamentos gratuitos a toda a população. Qualquer pessoa com receita médica e cartão municipal de saúde (com letras verdes) pode receber medicamento da Farmácia Básica. A receita do medicamento, que não precisa ser do SUS,deve ter data, assinatura e carimbo do médico.

O Cartão Municipal de Saúde pode ser feito no posto de saúde mais próximo da residência, com carteira de identidade e comprovante de residência. Não há custo para a confecção da carteirinha.

Na Farmácia Básica são distribuídos os medicamentos da Atenção Básica, de processos judiciais e do Sistema de Atendimento Especial e  Antirretrovirais (Sate). Os medicamentos são adquiridos mediante convênio com o Ministério da Saúde, com a Secretaria Estadual de Saúde e com a Secretaria Municipal da Saúde

Confusão de TV dentro do HGM é esclarecida em nota do diretor Lisboa

O programa Codó Acontece, da TV Palmeira do Norte, apresentou na edição desta quarta-feira (9) uma nota de esclarecimento assinada pelo diretor-geral do Hospital Geral Municipal, Raimundo Lisboa.

Ele negou ter agredido verbalmente uma paciente, identificada como Vicentina, que havia falado no programa no dia anterior denunciando mau atendimento por causa de uma televisão levada para dentro da enfermaria.

“Eu jamais levantei a voz para esta senhora, pois além de estarmos em um hospital, não tenho o direito de agredir verbalmente ninguém, simplesmente pedi à esta senhora que retirasse à sua televisão da enfermaria e colocasse na enfermaria, pois ela estava incomodando os outros pacientes”, escreveu Lisboa

O diretor também revelou que a TV entrou sem  permissão, pela janela, e que já teria sido devolvida à proprietária.

“Essa televisão foi colocada dentro do hospital por uma janela. A mesma já foi entregue à proprietária na tarde de ontem, 8 de janeiro”, encerrou a nota

O apresentador, Edmilson Filho, deu o assunto por encerrado agradecendo à dona Vicentina por ter procurado a Palmeira do Norte e ao diretor-geral Lisboa por ter acreditado no jornalismo da emissora emitindo sua nota de resposta.

Saúde repassa R$ 8 milhões para combate à dengue no Maranhão

Todos os municípios do estado irão receber os recursos adicionais. No último ano, houve redução de 72% nos casos graves da doença e 42% nos óbitos no Maranhão

Para intensificar as medidas de vigilância, prevenção e controle da dengue, o Ministério da Saúde está repassando R$ 173,2 milhões a todos os municípios brasileiros. O Estado do Maranhão irá receber R$ 8 milhões para a qualificação das ações de combate ao mosquito transmissor da doença Aedes aegypti, com o aprimoramento dos planos de contingência.

Mais de 190 milhões de pessoas serão beneficiadas com as medidas de controle e prevenção da dengue. O adicional representa um subsídio de 20% do valor anual do Piso Fixo de Vigilância e Promoção da Saúde e será repassado em parcela única.

Em contrapartida, os municípios precisam cumprir algumas metas, como disponibilizar quantitativo adequado de agentes de controle de endemias; garantir cobertura das visitas domiciliares pelos agentes; adotar mecanismos para a melhoria do trabalho de campo; realizar o LIRAa (Levantamento Rápido de Infestação por Aedes Aegypti) com ampla divulgação nos veículos de comunicação locais; notificar os casos graves suspeitos de dengue, entre outras medidas.

CASOS DA DOENÇA – O Brasil registrou 77% de redução nos casos graves de dengue no período comparativo entre janeiro a dezembro 2010 e janeiro a dezembro de 2012. No ano passado, até 22 de dezembro, foram registrados 3.965 casos graves em todo o país, contra 17.475 no mesmo período de 2010.

No Maranhão, os casos graves de dengue reduziram 72% de 2011 para 2012. Em 2012, foram registrados 44 casos graves no Estado contra 159 em 2011.

ÓBITOS – O número de mortes por dengue, no Brasil também apresentou queda, de 57% em comparação com 2010. De janeiro até 22 de dezembro de 2012, foram confirmados 283 óbitos, sendo que no mesmo período de 2010 foram 656.

No Maranhão, a redução de óbitos foi de 42%, ou seja, foram 19 mortes por dengue em 2011 e 11 óbitos no ano passado.

Por Kattiúscia Alves e Moema Pimentel, da Agência Saúde /MS

Ministério da Saúde reforça atendimento no Maranhão

O Ministério da Saúde liberou R$ 67,7 milhões para que seja investido na melhoria da Rede de Urgência do Maranhão (MA). Deste total, R$ 9,4 milhões serão aplicados de imediato. O investimento integra a primeira etapa do Plano de Ação da Rede de Atenção às Urgências e Emergências do estado (RUE), definido pela Portaria 3.101. A medida tem objetivo de potencializar a organização do setor de urgência para qualificar o atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

Com este novo recurso, assegurado pelo Ministério da Saúde, estado e municípios poderão melhorar a manutenção de diversos setores como o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) e a habilitação e a qualificação das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs 24 horas). Está previsto ainda o custeio de salas de estabilização, além de leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

ESTRUTURA –Do total de investimentos do Ministério da Saúde no Maranhão, R$ 51,5 milhões serão direcionados para habilitar 325 novos leitos, sendo 208 leitos para retaguarda, 60 para longa permanência, 20 de UTI adulto Tipo II, 17 de UTI pediátrico Tipo II, 10 leitos de UTI coronariana e 10 para Acidente Vascular Cerebral (AVC). O recurso prevê ainda a qualificação de 155 leitos no Estado.

Outros R$ 15,6 milhões de investimento do Ministério da Saúde vão ser utilizados na ampliação e qualificação das Unidades de Pronto Atendimento 24h (UPA). O recurso possibilitará a criação de uma unidade e qualificação de outras quatro. Estas unidades são equipadas para realizar atendimentos de complexidade intermediária. As UPAs 24h conseguem resolver até 97% dos problemas dos usuários que as procuram sem necessidade de encaminhamento a um hospital.

Além disso, R$ 600 mil serão investidos em duas salas de estabilização na região metropolitana de São Luís, que possibilitará o acolhimento e continuidade do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

RECURSOS DO PLANO APROVADO – ETAPA I

MUNICÍPIO

VALOR APROVADO

SÃO LUÍS

57.385.751,40

SÃO JOSÉ DE RIBAMAR

8.048.200,00

ALCÂNTARA

548.200,00

RAPOSA

548.200,00

PAÇO DO LUMIAR

1.241.000,00

TOTAL

67.771.351,40

RECURSOS – A PARTIR DA COMPETÊNCIA OUTUBRO/2012

MUNICÍPIO

GESTÃO

VALOR

SÃO LUÍS

ESTADUAL

3.060.673,92

MUNICIPAL

6.344.052,48

TOTAL

9.404.726,40

Maria Paz diz que vai lutar por políticas públicas para a mulher e atinge de raspão o próprio marido

Maria Paz na diplomação

Maria Paz é a primeira mulher eleita para o cargo de vereadora nos últimos 8 anos da Câmara Municipal de Codó. Para ela, isso só lhe aumenta as responsabilidades uma vez que o público que representa é, indiscutivelmente, a maioria também em Codó.

“Muita responsabilidade por ser a única mulher eleita neste mandato, neste pleito de 2013. É uma responsabilidade, é um compromisso muito grande com a população de Codó. Então hoje eu não sou mais a vereadora de 1.753 votos e sim a vereadora de uma população de mais de 115 mil habitantes” disse

Sobre a direção de seu trabalho na Câmara, a vereadora garantiu que vai lutar pela efetivação de políticas públicas que beneficiem o sexo feminino.

DE RASPÃO

Em suas palavras, Maria Paz até atingiu ‘de raspão’ o próprio marido, Cláudio Paz, secretário municipal de saúde, quando disse – ‘nós não temos nenhuma política pública voltada pra mulher”.

São muitos os projetos voltados para a mulher, nós vamos trabalhar as políticas públicas voltadas pra mulher, hoje nós estamos precisando em Codó. Na  verdade, nós não temos nenhuma política pública voltada pra mulher e vai ser um dos nossos grandes trabalhos é trabalhar essa política pública, nós já avançamos muito, mas com certeza precisamos avançar mais”, afirmou

Na saúde, o responsável pela efetivação de tais políticas, se existissem,  é o próprio marido. No resto do governo, é Zito e seu secretariado.

MAIS MUDANÇAS: Figueiredo Junior pode voltar a ser diretor do HGM

Figueiredo Junior

Os braços de Zito estão maiores que suas pernas e seu coração está maior que o de muita  ‘maezona’ quando o assunto é arranjar um jeitinho para acomodar novos amigos.

Depois de surpreender à todos criando a Secretaria da Juventude para trazer para seu ninho verde nossa defensora dos Agentes Comunitários de Saúde, Rosilda Pereira da Silva, acalmando a turma do PTdoB, de Arlindo Salazar, outra surpresa pode estar em gestação neste momento.

No dia da posse, uma pergunta mexia com todos pelos corredores de nossa augusta Casa Legislativa – Cadê Figueiredo Junior, cadê o homi?

Depois do ‘não sei’ ouvimos muitos ‘ele vai voltar, e por cima da carne seca”. MAS COMO? Quis o blog saber.

Segundo as fontes, que não pediram segredo à ninguém, Zito pode dar a direção do HGM à Figueiredo Junior, assim como fizera seu tio Biné Figueiredo. O comunista já foi acolhido por Rolim noutra ocasião quando, com a ajudinha de Leonel Filho e outros edis, tirou a presidência de João de Deus e deu à ele – lembra?

Por gratidão, Figueiredo teria ido para a coligação de Biné, na campanha,  apenas com o corpo, a alma teria permanecido verde. Daí a possível  recompensa – a direção do HGM.

Este blog, apesar de criticado, não errou quando anunciou o cangapé de Zito em Galiléia na Secretaria de Esportes. Será que vai errar agora com o Lisboa, meu Jesus?

MARANHÃO gastou mais de R$ 3 milhões só com internações e gastos por ACIDENTES DE TRÂNSITO

A Lei 12.760 já foi sancionada e as novas regras já estão valendo para que gosta de tomar uma e sair por aí dirigindo ou pilotando motocicletas.

Quem for pego dirigindo sob influência de álcool ou outra substância psicoativa terá a carteira de habilitação recolhida e o veículo, retido. O motorista estará sujeito, ainda, à multa que passa de R$ 957,70 para R$ 1.915,40 e à suspensão do direito de dirigir por 12 meses. O valor da multa dobrará em caso de reincidência.

De acordo com a Lei 12.760, as penalidades serão aplicadas quando a conduta do motorista for constatada por concentração igual ou superior a seis decigramas de álcool por litro de sangue ou igual ou superior a 0,3 miligrama de álcool por litro de ar alveolar.

E, ainda, por sinais que indiquem alteração da capacidade psicomotora. A verificação da incapacidade do motorista de dirigir também poderá ser obtida por meio de teste de alcoolemia, exame clínico, perícia, vídeo, prova testemunhal ou outros meios de prova admitidos, observado o direito à contraprova.

DINHEIRÃO

De acordo com dados do Ministério da Saúde, só o Maranhão gastou em 2012 exatamente  R$  3.649.450,92 com internações e gastos com acidentes de trânsito. Nada  menos que 5.020 internações foram registrada em todo o estado.

A rigidez maior da lei deve afetar os números daqui pra frente. É o que esperamos.

HGM e postos de saúde de Codó funcionarão de forma reduzida no recesso de fim de ano

A Secretaria de Saúde já definiu como ficará o funcionamento de postos e hospital nos feriados de Natal e Ano Novo.

No HGM, maior hospital da cidade, de 24 de dezembro a 2 de janeiro, haverá uma redução de 50% no número de profissionais trabalhando e, consequentemente, um dos setores mais atingidos será o de marcação de consultas para especialidades como ortopedia, fisioterapia e pediatria. O serviço de ultrassom também passará pela mesma redução no chamado recesso de fim de ano.

A direção garantiu que só  não haverá qualquer alteração no serviço de urgência e emergência do Pronto-socorro do Hospital.

NOS POSTOS

Os 17 postos de saúde do município também atuarão com apenas 50% de sua capacidade de atendimento  no período. No Centro de Assistência Médica, antigo PAM, o maior deles, a marcação de alguns exames já está suspensa (Mamografia e endoscopia, por exemplo).

 “A questão da consulta se nós paramos de marcar, obviamente que sim porque entra um novo governo, é um novo ano e a partir do dia 2 a comunidade pode procurar o centro de saúde tranquila que nós já estamos aqui pronto para atender a população de Codó e nós não iremos parar de forma definitiva”, explicou o diretor Valdeck Frota

No centro de Assistência Médica as alterações de atendimento com redução pela metade só estão definidas para os dias 25 de dezembro e 1º de janeiro. O CAM funcionará dias 24 e 31 até às 13h.

Reforma do HGM já tem data pra começar

De acordo com informações do diretor Raimundo Lisboa a grande reforma do Hospital Geral Municipal, utilizando verbas conseguidas pelo suplente de deputado federal, Ricardinho Archer, vai começar dia 3 de janeiro de 2013.

Nesta primeira etapa, a reforma deve incluir o Centro Cirúrgico, o ambulatório e o pronto-socorro. Os trabalhos também passarão pela clínica de fisioterapia que será ampliada.

NA ATUALIDADE

Na atualidade, o Hospital Geral Municipal já passa por adaptações para receber 24 leitos que virão da Mamãe Neyde, cujo contrato termina dia 31 de dezembro. Mas os recursos desta adaptação não são da emenda de Ricardinho.

Lisboa também informou que dois apartamentos serão construídos no HGM, para pacientes pobres e ricos.

“O prefeito disse que não quer discriminação no uso desses apartamentos e eu disse – tá bom, o senhor é quem manda”, brincou o diretor

Brasil passa a produzir primeiro medicamento para câncer

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, recebeu ontem, quarta-feira (19), no Rio de Janeiro (RJ), o primeiro lote nacional do medicamento biotecnológico oncológico Mesilato de Imatinibe, indicado para o tratamento de Leucemia Mielóide Crônica (LMC) e Estroma Gastrointestinal (tumor maligno do intestino). O medicamento é fruto de uma Parceria de Desenvolvimento Produtivo (PDP) que envolve os laboratórios públicos Instituto de Tecnologia em Fármacos/Farmanguinhos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Vital Brazil da Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro, além de cinco empresas privadas. Com a iniciativa, estima-se que a economia para o Sistema Único de Saúde chegue a R$ 337 milhões, em cinco anos.

“Com esta medida, o Brasil passa a produzir um medicamento que está na última fronteira do tratamento do câncer”, destacou Alexandre Padilha. “E o ministério reforça o compromisso de fortalecer o Complexo Industrial da Saúde e aumentar, progressivamente, a autonomia do país na produção de medicamentos, tornando-o cada vez mais independente de oscilações do mercado internacional”, completou o ministro.

Com a produção nacional do Mesilato de Imatinibe, o custo do comprimido do medicamento será de R$ 17,5 (100 mg) e R$ 70 (400 mg). Atualmente, o Ministério da Saúde compra o produto – de forma centralizada – a um preço de R$ 20,6 (100 mg) e R$ 82,4 (400 mg). “Estamos garantindo o acesso da população a uma assistência farmacêutica de qualidade e, ao mesmo, tempo, racionalizando os recursos públicos”, observou o ministro Alexandre Padilha.

ASSISTÊNCIA – A produção nacional do Mesilato de Imatinibe será suficiente para atender a toda a demanda do Sistema Único de Saúde – aproximadamente oito mil de pacientes hospitalizados. Já no próximo ano, a previsão é que sejam entregues, ao SUS, cerca de quatro milhões de comprimidos do medicamento.

A produção compartilhada por dois laboratórios oficiais é considerada uma forma de garantir que o resultado seja o melhor possível. “Este é um consórcio inédito, que vai permitir a absorção de todo o ciclo tecnológico para a produção do medicamento, desde o fármaco até a embalagem do produto final”, explica o Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Gadelha. Na avaliação dos laboratórios públicos envolvidos – Farmanguinhos/Fiocruz e Instituto Vital Brazil – a iniciativa, além de incentivar o desenvolvimento tecnológico nacional, deverá estimular a concorrência e a consequente diminuição de preços praticados pelo mercado para outros medicamentos.

PARCERIA – O acordo para a produção nacional do Mesilato de Imatinibe também envolve os laboratórios privados EMS, Cristália, Globe, Alfa Rio, e Laborvida. A parceria inclui a transferência de toda a tecnologia para a fabricação e distribuição do medicamento no decorrer de cinco anos.

Além de produzirem o medicamento, Farmanguinhos e IVB também ficarão responsáveis por abastecer o SUS. Ou seja, enviar estoques do medicamento para as secretarias estaduais de saúde, que repassarão o produto para os hospitais.

Ano passado, o governo federal passou a comprar o Mesilato de Imatinibe de forma centralizada. Ao adquirir o medicamento em grande escala, o Ministério da Saúde obteve uma redução de mais de 50% no preço do produto.

ONCOLOGIA – Com exceção do Mesilato de Imatinibe – cuja aquisição passou a ser centralizada pelo Ministério da Saúde em 1º de maio de 2011 – o fornecimento dos demais medicamentos aos pacientes com câncer atendidos pelo SUS é uma atribuição dos próprios hospitais oncológicos. Nestes casos, a responsabilidade do Ministério da Saúde vai além: o governo federal financia os hospitais do SUS, públicos ou credenciados, para a assistência aos pacientes de forma integral (paga o tratamento completo, incluindo os medicamentos).

INCORPORAÇÕES – Este ano, o Ministério da Saúde aprovou protocolo clínico para a incorporação no SUS, a partir do próximo mês de janeiro, do medicamento Trastuzumabe (contra câncer de mama).

Atualmente, os pacientes assistidos pelo SUS têm acesso a cerca de 280 procedimentos para o tratamento de diferentes cânceres, incluindo cirurgias, medicamentos e terapias (quimioterapia e radioterapia, por exemplo).

Só este ano, o Ministério da Saúde investiu R$ 2,2 bilhões na assistência oncológica aos usuários do SUS. Para o próximo ano, a previsão é que estes recursos cheguem a R$ 2,4 bilhões.

Por Rhaiana Rondon e Fábio Lino, da Agência Saúde – Ascom/MS