ATRASO: Presidente critica decisão do governo Nagib de iniciar aulas nas escolas só em março

O presidente do SINTSERM, professor Antonio Marcos da Silva, emitiu nota, no próprio nome, criticando a intenção da Secretaria Municipal de Educação de não iniciar as aulas da rede pública agora em fevereiro, deixando o início do ano letivo só para o mês de março.

Na nota ele conclama órgãos de defesa dos direitos da criança e do adolescente para encamparem uma luta contra esta decisão. Abaixo a íntegra da nota distribuída via WhatsApp:

POR PROF. MARCOS,  NOTA DE REPÚDIO A DECISÃO DO GOVERNO MUNICIPAL EM ATRASAR O INÍCIO DO ANO LETIVO DE 2019.

Presidente do SINTSERM, membro titular do segmento pai de aluno no CACS-FUNDEB, 1° suplente no segmento professor no CME (Conselho Municipal de Educação), venho através desta repudiar veementemente esta atitude desrespeitosa e de  falta de compromisso para com a educação por parte da administração em atrasar sem justificativas plausíveis o início do ano letivo!

O prefeito já vem economizando com o não pagamento de professores, zeladores e até muitos dos vigias contratados no mês de janeiro, portanto não se justifica a falta de recursos.

É bom esclarecer também que quando os professores paralisam suas atividades por um dia ou dois lutando por melhorias como um todo pra educação, muitos criticam e alegam prejuízos aos alunos, e o  que dizer então da atual gestão que pretende atrasar em cerca de 30 dias o início do ano letivo?

Caros colegas professores efetivos, não sejamos individualistas diante desta situação, pensemos em nossos colegas professores, zeladores e vigias contratados que poderão ficar mais um mês sem seus vencimentos, nos nossos alunos e até mesmo em nossos filhos, onde muitos deles estudam em escolas públicas, inclusive o meu.

Neste sentido conclamo à todos: Câmara de vereadores, sociedade civil organizada, MP, CME, e demais orgãos de defesa dos direitos da criança e do adolescente à nos posicionar diante de mais esta grande aberração deste governo sem noção!

8 Responses to ATRASO: Presidente critica decisão do governo Nagib de iniciar aulas nas escolas só em março

  1. Pai de aluno disse:

    Nunca mais Nagib, Fora!
    Uma vergonha, mas o filho dele esta na escola das irmãs ele não esta aí. Queremos educação de qualidade, reforma das escolas.

  2. Maria Silva disse:

    Más, certamente os professores contratados irão se lembra desse triste episódio ano que vem,ano de eleição, e saberá dar a resposta a altura dizendo “NÃO” ,ao atual gestor,bem como aos vereadores que nada fazem em prol da classe quando estes buscarem a reeleição.

  3. Professora disse:

    Descaso total com a EDUCAÇÃO DE CODÓ.
    Os filhos daqueles que estão à frente dessa decisão todos em Escolas Particulares tendo seu DIREITO Constitucional à Educação garantido e os filhos da Classe baixa se quiser que aguardem a boa vontade do Poder Público Municipal para iniciar as aulas. Fica mais uma vez bem claro que a classe humilde só tem valor mesmo no ano de eleições.

  4. Maria Silva disse:

    Prefeito está muito preocupado com a EDUCAÇÃO, só que não,pois o mesmo encontra-se de férias nos USA,e deve retornar somente dia 15 próximo. Muito descaso!!!

  5. Maria Silva disse:

    Certamente o prefeito está muito preocupado, só que não, pois o mesmo encontra-se de férias e a passeio nos USA,e somente retornará no próximo dia 15. E quanto a EDUCAÇÃO? Bulufas.

  6. Prof. Marcos disse:

    Neste governo, o n° de zeladoras nas escolas municipais foi reduzido quase pela metade, com a tal nucleação, várias escolas do campo foram fechadas, deixando muitos pais e mães de família sem trabalho, todas estas medidas tomadas como contenção e diminuição de despesas e ainda assim o governo econômico alega falta de recursos. Sinceramente não conseguimos entender a matemática desta administração!

  7. Maria disse:

    Professores disponiveis para suas respectivas funções desde 1 de fevereiro, e…descaso total.Quando começar em março , será obrigatório pincelar os sábados com desculpas de uma preocupação com calendário letivo… tenha paciência…

  8. Salazar disse:

    “A LDB diz que educação é um direito. Como aceitar que ela seja tratada como mercadoria que se compra e vende? Como aceitar que seja colocada num balcão de comércio, submetendo os cidadãos a um nível de qualidade diferenciado pela quantidade de dinheiro que possuem?”
    “Vale acrescentar que qualquer pessoa pode acionar o Poder Judiciário e se for comprovada a negligência do Poder Público na oferta do ensino obrigatório, a autoridade competente poderá ser imputada de crime de responsabilidade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *