Autoridades não conseguem avançar no combate ao trabalho infantil no lixão

No mês em que se destaca a luta contra o trabalho infantil, Codó ainda enfrenta uma realidade que não consegue combater com a menor eficiência. Em um dos mais degradantes locais de trabalho  de qualquer país crianças e adolescentes catam lixo manhã e tarde. As vezes acompanhando os pais, mas  quem já tem o hábito também vem sozinho. Fazem isso sem nada que os proteja de um local tão perigoso para a saúde humana e só descansam no domingo.

Lixão de Codó (14.06. 2017)

Os pais  não aceitam  gravar entrevista e sempre alegam  as mesmas coisas, dizem que as crianças ou adolescentes estudam e que não catam lixo no contra turno, apenas acompanham seus responsáveis. Outra justificativa que sempre ouvimos, quando há esses flagrantes, é a de que as crianças as vezes não têm com quem ficar em casa.

Nós fomos atrás das autoridades no assunto. No Conselho Tutelar, Odair José Reis Guimarães  disse que o órgão tem conhecimento da presença das crianças no lixão e da gravidade do fato, mas a barreira que a solução encontra estaria na própria família que não colabora.

 “Porque as vezes eles deixam os filhos com alguém e corre o risco de ser abusado, eles alegam isso, e também deixar as crianças em casa e as crianças se evadirem pra rua e ficar a mercê de traficante, até mesmo do abusador no local, então eles alegaram essa situação que é melhor eles levarem eles lá, que tão perto, tão olhando, a gente sabe que não é justificativa, mas pra eles é, a gente fica um pouco constrangido porque é a pura realidade “

Ano passado o Conselho registrou 33 casos de trabalho infantil, grande parte no lixão,  conforme este relatório de ocorrências e a visita feita este mês ao local mostrou que nada mudou. De acordo com Odair quando o Conselho  e integrantes da equipe da prefeitura que combate este tipo de violação de direitos estiveram neste local para ministrar uma palestra para os pais encontraram 13 crianças.

Orientaram e foram embora, estas imagens, feitas depois, mostram que o problema ficou.

“Só lá no local onde demos a palestra flagramos 13 crianças em situação de trabalho infantil fora as outras que crianças que estavam em outro local mais na frente que na hora que fizeram se esconderam porque já sabem a situação, então fizemos uma palestra lá, orientamos os PAIS DA CRIMINALIDADE que eles estariam cometendo com essa criança e a periculosidade que as crianças estariam sofrendo naquele ambiente”

Quando da realização desta reportagem fui também à Secretaria de Desenvolvimento Social, mas, em razão do feriadão, estava fechada.

2 Responses to Autoridades não conseguem avançar no combate ao trabalho infantil no lixão

  1. Lina disse:

    Pra falar a verdade as autoridades não conseguem nada para ajudar a população.
    O dinheiro entra na conta da pmc a toda hora.

  2. Zé Pinguelo disse:

    MELHOR DO QUE IR USAR DROGAS. ESTÃO APRENDENDO A GANHAR DINHEIRO COM O SEU PRÓPRIO SUOR. ASSIM COMO EU FIZ MUITO, CAPINAR ROÇA NO CONTRA TURNO DA ESCOLA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *