Mulheres realizam quebra coletiva de côco babaçu no Codó Novo

A Associação das Quebradeiras de Côco do Codó Novo teve a ideia de gratificar financeiramente lavradores  para catarem esta grande quantidade de coco babaçu. Tudo foi trazido para uma das sedes na cidade.

Em área cercada, elas levantaram uma cobertura de palha e há duas semanas produzem um som bastante característico da mata dos Cocais.

A ideia desta quebra coletiva de coco babaçu, dentro de área urbana, traz algumas vantagens para estas incansáveis trabalhadoras. Vantagens sobre as quais falam com certa satisfação.

Para entender a diferença entre  estar na mata e estar aqui, dona Maria José Alves de Araújo, aos 68 anos com larga experiência,  relatou como é a vida quando todo o trabalho é na zona rural.

“A gente leva um cofo, a gente leva um saco e caça o coco, bota no lugar e a gente vai quebrar…E A COMIDA? A comida a gente leva de casa…GERALMENTE LEVA O QUE DONA ZEFA? Leva carne frita, feijão, arroz, é de tudo”

Há dias em que  passam de 30 as quebradeiras de coco reunidas debaixo da palhoça e dona Raimunda Nonata Ferreira Sousa destaca a proza.

“Eu acho aqui porque tá bem pertinho de casa…TEM OUTRO MOTIVO? Tem outro, tá aqui ao lado da galera é bom demais (…) porque aqui tem muita bagaceira, muita coisa…MUITA CONVERSA…muita conversa, muita proza, é bom demais tá mais as amigas”, disse

Financeiramente cada quilo  dessa amêndoa de babaçu  rende R$ 2 ao final do dia, comprado pela própria associação.

Da sede, dona Maria de Lourdes  Alves da Silva diz que pode ir direto para as compras.

 “Quilo do tomate, peixe, frango, só…E VAI ALIMENTANDO A FAMÍLIA? Com certeza”, respondeu

Tudo depois acaba se revertendo em benefício de quem é associada porque é a própria associação que vai utilizar o fruto deste árduo trabalho.  A presidente Áurea Maria da Silva explicou que subprodutos do babaçu serão fabricados, agora em maior quantidade, porque a quebra coletiva do côco  garante um resultado diferenciado.

 “Olha tem dia que tem 33 mulheres e chegam a quebrar até 240 quilos de coco por dia…TUDO ISSO VAI SER UTILIZADO COMO PELA ASSOCIAÇÃO? É utilizado fazendo a fabricação do óleo e fazendo o azeite porque com o óleo a gente trabalha com o sabonete, com pasta de brilho, são vários produtos que a gente faz com o óleo e com o azeite, como você sabe, é comestível

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *