PERIGO: Vereadores de Timbiras se dizem ameaçados por investigarem irregularidades

Sete vereadores que agora formam a oposição ao governo de Fabrízio do Foto, em Timbiras, emitiram ontem, à tarde, 16, à imprensa uma nota de esclarecimento onde afirmam estar ameaçados por estarem tentando investigar irregularidades administrativas por meio de uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI.

Na nota, que foi revisada por um advogado da cidade, os parlamentares deixam claro que caso qualquer mal lhes aconteça os culpados serão, diretamente, aqueles à quem estão investigando. Abaixo a íntegra da nota assinada por sete vereadores:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Saibam todos aqueles que tiverem conhecimento desta nota de esclarecimento que nós, Vereadores de Oposição, embora sensibilizados pelos últimos fatos acontecidos no interior de Nossa Câmara Municipal, não recuaremos no propósito de esclarecer as possíveis irregularidades, as quais o povo de Timbiras é sabedor.

Informamos a todos que desta nota tomarem conhecimento, que estamos ameaçados e intimidados a desistirmos do nosso trabalho e de nossas investigações, as ameaças e intimidações partem diretamente das pessoas que estão sendo investigadas e que  serão os principais alvos com a continuação das investigações.

Além desta nota, comunicaremos oficialmente ao Ministério Público Eleitoral  e a Secretaria de Segurança Pública do Estado para que tomem as devidas providências.

Informamos ainda que se houver algum ato contra nossas vidas e integridades físicas e de nossos familiares, a responsabilidade direta de mandante deve ser atribuída às pessoas que estão sendo objeto de nossas investigações e manifestações.

Fomos eleitos para defender o direito de nosso povo, o bem-estar da comunidade e vamos continuar agindo assim, mesmo temerosos pela nossa vida e de nossos familiares, não iremos nos curvar um minuto sequer , porque estamos do lado da Justiça, do Povo e de Deus.

ANTONIO FRANCISCO DE LIMA MONTEIRO

JOSÉ CHAGAS RODRIGUES ALMEIDA

GILSON FARIAS DE OLIVEIRA

WILSON GONÇALVES VIEIRA

FRANCISCO PEREIRA DE BARROS

JOSIMAR DE MAGALHÃES DA COSTA

REGINALDO LEAL SOUSA

MERECIDO: Veridiano Sousa é homenageado com o título de Cidadão Codoense

Veridiano Sousa e esposa Leomagna

Veridiano Sousa e esposa Leomagna Rocha

Francisco Veridiano de Sousa, nosso Veri, natural de Altamira – PA, foi um dos 48 homenageados de ontem (16) com o título de Cidadão Codoense emitido pela Câmara de Vereadores, por indicação de Rodrigo Figueiredo (PDT).

Seu histórico, lido pela bela voz do cantor e cerimonilista, Edelson Santos, revelou que o comunicador chegou à Codó em 1995 a convite de um parente de terceiro grau e desde então traçou uma carreira respeitada dentro da mídia local.

“O jovem paraense começou a mostrar seu talento nas rádios amadoras e a dispontar como grande promessa. Já bastante conhecido em sua cidade Natal, Veridiano decide mudar de Estado a convite de seu cunhado. Em 1995 chega à Codó onde mostrou seu trabalho e ganhou notoriedade. Com muita alegria, irreverência e um forte apelo popular o comunicador deixou um  rastro de sucesso pelos veículos de comunicação por onde passou, foi radialista de grande audiência e apresentador de destaque nas TVs codoenses”, dizia o texto

O histórico fez referência ao auge de sua carreira quando na FCTV, por dois anos,  alcançou picos de audiência, comprovados por pesquisas, até agora ainda não superados por seus sucessores (apesar de se manterem na liderança, com grande diferença,  em relação aos demais do mesmo horário).

“Veridiano deu a volta por cima em 2011 voltando pra TV, durante 2 anos foi o líder inconteste de audiência na cidade e considerado o apresentador de maior sucesso, sobretudo, com o público infantil. Converteu-se ao evangelho há 3 anos e hoje vive com a esposa Leomagna Monteiro Rocha e suas duas filhas Isabele e Cristina Kelly. Ele dedica-se agora à sua empresa de publicidade volante”, leu Edelson.

AGRADECIMENTOS

Em seu breve discurso agradeceu à Deus por tudo que o Supremo vem fazendo em sua vida e na vida de sua família.

“Quero dizer que esse título de cidadão só vem  a fortalecer a minha fé em Deus porque foi ele quem me conduziu até aqui para que fosse agraciado com este título e eu  espero que esse grandioso Deus continue derramando bênçãos sem medidas sobre este povo tão humilde  e hospitaleiro que é o povo dessa cidade maravilhosa que eu esclhi para viver e espero continuar tendo o carinho de cada codoense que eu considero como irmãos”, disse emocionado

Título merecido.

Esse negócio de tá dando título só pra rico ou ex-rico, autoridades,  é fraquíssimo. Cheira tentativa de agradar ‘ bajular’. Alguns históricos aparecem, nos últimos anos,  cheios de diplomas e cursos, honrarias não sei das quantas e nada falam de algo que tenha sido feito em prol de nossa população pelo homenageado.

Tem que ver o que realmente a pessoa fez para merecê-lo, afinal, dê licença, ser codoense não é pra todo mundo. Pode vir de onde vier, ser quem for, ser codoense não é pra todo mundo.

Veridiano já fez por merecer. Parabéns

Secretário estadual de Indústria e Comércio é recebido em Capinzal do Norte

Dia 08 de abril o prefeito Roberval Campelo e o vice Almir Alves receberam a visita do Secretário-adjunto de Industria e Comercio de nosso Estado, Davi Fernandes.

Roberval anda com secretário pela cidade

Roberval anda com secretário pela cidade

“Nossa  Cidade está  em busca de parceiros para alavancar o seu desenvolvimento e por isso que hoje estamos recebendo a visita de nosso secretário adjunto de industria e comercio”,  disse Roberval Campelo.

Na ocasião o prefeito e seu vice  mostraram a cidade para o secretário que se disse muito satisfeito com o que viu “Capinzal é uma Cidade com um potencial muito grande devido a sua localização geográfica” afirmou Davi Fernandes

Câmara de Peritoró antecipa pagamento de salários

Os vereadores e funcionários da Câmara Municipal de Peritoró tiveram uma agradável surpresa no inicio desta semana. O Presidente da casa, Constantino Santos Neves, autorizou a antecipação do pagamento dos salários referente ao mês de março.

Presidente e equipe

Presidente e equipe

Todos os vereadores e funcionários do Poder Legislativo de Peritoró receberam seus vencimentos no dia 15 e irão passar uma semana santa mais abençoada.

O presidente Constantino afirmou que só foi possível a antecipação do pagamento de março, antes da semana santa, devido a uma administração transparente, com controle financeiro e aplicação correta dos recursos do Legislativo Municipal.

Para o presidente, a Câmara de Peritoró é composta de vereadores atuantes e de uma equipe de servidores competentes que juntos vem desenvolvendo um trabalho de grande importância para a comunidade local.

“Estamos antecipando o pagamento do mês de março para que todos possam ter uma semana santa mais feliz”,  finalizou o presidente.

ASSCOM CÂMARA DE PERITORÓ

Gracinaldo Ferreira e Maria Paz parabenizam Codó e sua gente

Gracinaldo e Esposa parabenizam Codó

Gracinaldo e Esposa parabenizam Codó

Em entrevista na oportunidade do aniversário de 118 anos de emancipação política do município de Codó, o vereador Gracinaldo (PSL) declarou seu amor pela cidade e parabenizou toda a população codoense pela importante data.

Hoje é um dia muito importante. São 118 anos de emancipação política e nós nos orgulhamos de pertencer a esse chão. De ser um filho dessa cidade. Outro dia dizia a um amigo que se eu tivesse a oportunidade de nascer cem vezes eu nasceria em Codó. Ou melhor, queria nascer 118 vezes um codoense. Codó é o meu berço, uma cidade que presenteou com a minha família e onde tenho as coisas mais importantes da minha vida. Sou muito feliz por fazer parte dessa cidade e fazer parte da história política dessa cidade”, declarou.

Quero desejar os meus sinceros parabéns a todos os codoenses e as pessoas que escolheram essa maravilhosa terra para trabalhar e viver. Vamos continuar trabalhando para fazer nossa cidade crescer e se tornar cada vez mais um lugar sem igual, único e abençoado. Fica a palavra de um codoense, do Vereador Gracinaldo a todos vocês”.

Maria Paz parabeniza toda a população pelos 118 anos do município de Codó

Parabenizo a todos meus irmãos codoenses pela passagem de mais um ano de sua emancipação. Uma história centenária, linda, cheia de riquezas, aventuras e luta. Histórias de um povo bravo, pioneiro e desbravador, que contribuiu para o nascimento florescimento dessa esplêndida cidade as margens do Rio Itapecuru e de sua população.

Maria Paz

Maria Paz

Fico feliz de morar e viver em uma cidade que está crescendo a cada dia e está se desenvolvendo de forma muito expressiva, aumentando as perspectivas e possibilidades para seus moradores. Problemas ainda existem, como em todas as cidades. Mas trabalhamos com ardor e paixão para sanar suas as faltas e celebrar suas conquistas.

Vamos unir esforços para que no próximo aniversário nossa cidade possa oferecer ainda mais qualidade de vida para todos nós. Parabéns Codó por seus valorosos 118 anos. Parabéns ao nosso povo!

Ascom de Maria Paz e Gracinaldo Ferreira

  

Por Cândido Sousa – Nossa história em fotografias, Você se Lembra?

O historiador e vice-presidente do Instituto Histórico e Geográfico do Codó, Cândido Sousa, brindou os leitores deste blog, nesta data dos 118 anos, trazendo-nos imagens de seu vasto arquivo fotográfico de alguns pontos de nossa cidade que foram sofrendo transformações ao longo dos anos.

Fotos do Arquivo de Cândido Sousa - vice-presidente do IHGdoCodó

Fotos do Arquivo de Cândido Sousa – vice-presidente do IHGdoCodó

Não vamos identificá-los nominalmente (embora  alguns já estejam)  para estimular o recordar  dos codoenses. Descubra que pontos são esses e veja como anda a sua memória em relação ao que é e ao que já foi a histórica Codó.

Arquivo de Cândido Sousa - Você de lembra?

Arquivo de Cândido Sousa – Você se lembra?

Fotografias tiradas do arquivo pessoal de CÂNDIDO SOUSA

 

Por João Batista Machado – O NASCIMENTO DE UMA CIDADE

CHEGANDO ao Maranhão, em 1653, o padre jesuíta Antônio Vieira, preocupado com a catequese dos índios, resolveu juntá-los em aldeamentos, os aglomerados indígenas, aos quais denominou de Aldeias de Paz, como a de São Miguel.

A Aldeia de Paz de São Miguel era o único marco de civilização perdida na ribeira do rio Itapicuru, com a sua capela de taipa pilão, construída pelos missionários, inclusive João Villar. Acima da citada Aldeia de Paz, à margem direita do rio Itapicuru, estabeleceram-se uns índios da tribo Urubu, em território do antigo povoado Sardinha, os quais deram ensejo à formação do povoado Urubu, assentado estrategicamente, em terreno cheio de elevações.

Escritor João Batista Machado

Escritor João Batista Machado

O povoado Urubu cresceu, desenvolveu-se, tornando-se “a sede da comarca de Urubu e por influência do ex-Regente do Império, Dr. Bráulio Muniz, transferiram a sede da comarca de Urubu para o município de Codó, através do decreto Lei Provincial nº. 68 de 21 de julho de 1838. Com a mudança da comarca, a vila entrou em fase de decadência”, trechos recolhidos do livro editado pela Prefeitura de Timbiras de nome “Timbiras – A Vida e o Progresso Simbolizam um Ideal”. Edição 1992. Com a vinda dos Capuchinhos para a vila de Urubu, houve mudanças de nome para Monte Alegre, posteriormente, Timbiras, como hoje é conhecido o município.

A partir do século XVII, 1636, os portugueses começaram a seguir o curso dos rios do Maranhão à procura de riquezas. Levaram os seus escravos. Comentava-se a existência de minas de ouro e de pedras preciosas. Vararam o vale do Pindaré como verdadeiras bandeiras.

Os lusitanos procuraram se estabelecer à margem esquerda do rio Itapicuru. Encontraram uma área de terra própria para o cultivo de cereais, exploração de produtos agrícolas e para a criação de gado. Alojaram-se. O ajuntamento desenvolveu-se e prosperou. Fixaram-se na terra conquistada através de duras lutas com os selvagens indígenas. O lugarejo mais próximo era o aldeamento dos silvícolas Urubus, como os quais mantinham uma convivência pacífica, embora sob alerta.

Os índios maravilharam-se com as mulheres negras, o que causou brigas provocadas por ciúmes entre índios. Os negros eram olhados como animais raros pelos nativos. Novidade.

Os portugueses trouxeram consigo o progresso, o desenvolvimento e a fartura com o trato da terra. O aglomerado luso deu origem ao surgimento do povoado Codó, nome herdado do rio Codó, o conhecido Codozinho. O povoado tornou-se vila subordinado ao termo de Caxias.

QUANDO VIROU VILA

Pela resolução Régia de 19 de abril de 1833, foi ao povoado atribuído à condição de Vila. Posteriormente, o Presidente da Província, Antônio Pedro da Costa Ferreira, futuro Barão do Pindaré, sancionou a lei de nº. 07, de 29 de abril de 1835, que confirmou esta condição.

Luís José Nicolau Henrique (Pau Real) - Arquivo de Cândido Sousa

Luís José Nicolau Henrique (Pau Real) – Arquivo de Cândido Sousa

A vila de Codó floresceu. Apareceram os primeiros comerciantes, os homens de negócios, os proprietários rurais, as fazendas de gado com seus escravos, os seus engenhos de cana-de-açúcar, as casas de farinha e as capelas. O rio Itapicuru entrava em ritmo de progresso, com as embarcações em movimento. Os negros africanos impulsionaram com a força do trabalho escravo o progresso, no sentido do desenvolvimento.

A IMPORTÂNCIA DE PAU REAL

A grandeza da personalidade do comendador Luís José Nicolau Henrique se estendia na dimensão de suas glebas de terra. Tornara-se o primeiro latifundiário da vila. O seu empório de madeira crescia. O velho armazém de taipa sofreu reformas, para acolher os mais variados produtos agrícolas da região. Viu-se na condição de um empresário bem sucedido o enérgio “Pau Real”. Mantinha relações comerciais com o alto comércio da capital da Província.

Os nativos, os filhos da terra, almejavam que a vila de Codó, bastante crescida, de comércio desenvolto, exportando não só a madeira, como também gado, couro de animais silvestres, queijos, e objetos artesanais, como redes, rendas de bilro, esteiras de palhas, adornos confeccionados de fibras vegetais, doces de frutas campestres regionais, fosse promovida à condição de cidade. Ganharia alma.

QUANDO VIROU CIDADE

Ao lado de João Batista Machado e estudantes da Escola Ribamar Carvalho

Ao lado de João Batista Machado e estudantes da Escola Ribamar Carvalho

A campanha da emancipação política do Município enraizou-se no sentimento do povo codoense. Tudo pronto para a Independência. A vila passaria à condição de cidade. Bastaria que o Presidente do Estado sancionasse o diploma legal, conferindo a Codó o galardão de Cidade. Foi quando o governo Estadual em 16 de abril de 1896 assinou a Lei de nº. 133 que diz:

Art. 1º – Fica desde já elevada à categoria de cidade a atual vila de Codó.

Art. 2º – Revogam-se as disposições em contrário.

Mando, portanto, a todas as autoridades a quem o conhecimento e execução da presente lei pertencerem que a cumpram e façam cumprir tão inteiramente como nela se contém. O Diretor da Secretaria do Governo a faça imprimir, publicar e correr.

Palácio do Governo do Estado do Maranhão, 16 de abril de 1896, 8º a República.

 Alfredo da Cunha Martins

Ressalvamos que a lei emancipadora foi sancionada pelo Vice-Governador do Estado, tendo em vista, encontrar afastado do cargo o titular eleito, Manoel Inácio Vieira. Codó finalmente entrava gloriosamente para o concerto dos Municípios da Província do Maranhão.

A RAIZ DE NOSSAS PADROEIRAS

Repousa Luís José Nicolau Henrique no local sagrado da cidade que ajudou a construir. É considerado como o seu primeiro lavrador.

Certa vez, procedente de uma de suas fazendas, é atacado em emboscada por escravos foragidos, aliados a índios selvagens. Deste entrechoque resultaram várias perdas humanas. O Comendador possuidor de espírito religioso apegou-se a Santa Filomena, prometeu mandar construir uma capela em sua homenagem se saísse ileso da refrega. As flechas paralizaram-se. Os negros fujões e os índios desapareceram. Pau Real cumpriu a sua promessa. O lugar, onde se deu a luta passou a ser denominado de “Hora Apertada”.

A MANUFATUREIRA E O DESENVOLVIMENTO 

Codó é essencialmente agrário. Como o Município produzia algodão de excelente fibra, o melhor do Estado, o empresário de origem portuguesa Emílio José Lisboa e importante grupo econômico resolveram fundar em Codó a Companhia Manufatureira e Agrícola do Maranhão. Era uma indústria que se dedicava à tecelagem. Os tecidos fabricados de maior venda eram o “Floriano” e o “Itapicuru”.

Arquivo da WEB

Arquivo da WEB

Emílio Lisboa contratou os serviços profissionais do competente engenheiro Palmério Cantanhede para montar a fábrica. João Pedro da Cruz Ribeiro, João Ribeiro, era um dos diretores. Possuidor do espírito administrativo, organizador, sensato e empreendedor, coubera-lhe a tarefa de organizar o quadro de empregados da nova empresa. Houve problemas em encontrar operários locais especializados, não só para os teares, como também, para outros serviços específicos. Codó abrigou pessoas vindas de diversas partes do Estado para disputar uma vaga nos serviços burocráticos ou na mão de obra especializada.

No ano de 1892, funcionava parcialmente a fábrica de tecidos. A sua inauguração oficial, integral, aconteceu em 1893¹. Nascia, então, a primeira grande indústria da cidade. Outras deveriam aparecer. O progresso não parava. Faltavam, no entanto, meios de transportes e de comunicações, se penoso era atingir o interior do estado, muito mais era alcançar a capital, com o enfrentamento de uma viagem desconfortável em navios gaiolas, navios que encalhavam em bancos de areia. O curso do rio Itapicuru não era profundo, variava o seu calado conforme a estação do ano.

 A ESTRADA DE FERRO E ‘Maria Fumaça”

A campanha para a construção da Estrada de ferro tornou-se mais ativa. Os parlamentares maranhenses passaram a propagar no Congresso Nacional as vantagens que traria para o Nordeste a construção da referida estrada. Bastaria a apresentação de um projeto de lei fixando o seu trajeto e dotando-o dos recursos financeiros necessários para a implantação da obra. O Senador Benedito Leite encarregou-se de apresentá-lo aos seus pares no Senado Federal.

Arquivo da web/Codó antigamente

Arquivo da web/Codó antigamente

Codó é carente de transporte coletivo. A cidade cresceu e não há meios de locomoção, principalmente para a classe humilde. Existem na cidade alguns postos de táxi e de motos, os quais servem precariamente aos seus usuários.

Codó se comunica através de rodovias com outras localidades vizinhas ou longínquas e com a capital do estado. Partem para o interior do município, diariamente, velhos caminhões adaptados ao transporte de passageiros, há combis que lembram as antigas marinetes que trafegavam no interior do Nordeste.

O primeiro transporte que serviu ao município foi o fluvial, através do rio Itapicuru. Barcos, navios chamados gaiolas, balsas, canoas singraram as suas águas. Apareceu, a “Maria Fumaça”, em 1921, atirando fagulhas e poeiras nos passageiros. Era a estrada de ferro que chegava, beneficiando e dando impulso ao desenvolvimento das cidades por onde passava.

João Batista Machado.

Parabéns cidade do Codó pelos seus 118 anos

118 ANOS: “Temos certeza que nosso futuro é promissor”, diz Leonel Filho

Leonel Filho

Leonel Filho

O Vereador Leonel Filho e Família enviaram mensagem de felicitações a toda a população codoense pelos 118 anos de emancipação política de Codó e aproveitou o ensejo para desejar a todos uma Semana Santa de paz, união familiar e uma feliz páscoa.

Desejo nesta alvorada majestosa, onde nossa cidade completa 118 anos de existência, que nossos corações renovem o grande amor que sentimos por nossa Codó. Desejo que nossos ânimos se elevem com muito orgulho pela trajetória de nosso município. Tenho orgulho de poder testemunhar o grande período de desenvolvimento, prosperidade, crescimento e mudanças positivas pelo nosso município vem passando. Ainda há trabalho por fazer. Mas temos a certeza que nosso futuro é promissor. Parabéns Codó!”

Aproveito para desejar a todas as famílias codoenses uma Semana Santa de reflexão e união familiar e uma páscoa de muita alegria em nossos lares”.

Ascom/Vereador Leonel Filho     

Subseção da OAB parabeniza Codó

Diretora subseção Codó

Diretoria subseção Codó

A OAB CODÓ MA parabeniza o Município de Codó ma que comemora hoje seus 118 anos de emancipação política.

Nosso desejo é que Codó continue em constante evolução, estando a OAB lutando pela defesa dos direitos daqueles que não tem voz ,  primando pela garantia da ordem pública e do Estado Democrático de Direito.

“Prefiro os que me criticam porque me corrigem, aos que me bajulam porque me corrompem.” Santo Agostinho.

É com esse pensamento que a OAB finaliza a felicitacão  a nossa querida Codó, e que todos os seus cidadãos enxerguem a Ordem dos Advogados do Brasil como mais uma parceira que prima pela melhoria da Cidade através da luta incessante na defesa pela redução das desiguldades sociais mediante a defesa dos Direitos do Povo.

Parabéns Codó!

Tomé Mota e Silva dos Santos
Assessor de Comunicação da OAB CODÓ MA

Prefeitura de Caxias antecipa salário de abril para esta quarta-feira

Prefeito Léo Coutinho com o jornalista Ricardo Marques

Prefeito Léo Coutinho com o jornalista Ricardo Marques

O servidor público municipal de Caxias vai receber o salário referente ao mês de abril nesta quarta-feira (15). A boa notícia para o funcionalismo municipal foi dada pelo prefeito Léo Coutinho, durante entrevista concedida ao jornalista Ricardo Marques, no programa Direto ao Ponto, na TV Difusora Caxias, nesta terça-feira (15).

O prefeito declarou que o objetivo foi fazer com que os funcionários do município pudessem passar a Semana Santa com o salário de abril em mãos. A Prefeitura de Caxias tem mais de 7 mil servidores ativos.

Essa antecipação salarial foi realizada após um grande esforço feito pela administração municipal. Com o pagamento da folha dos servidores, a cidade de Caxias tem uma circulação de mais de 20 milhões de reais, mensalmente.

Durante a entrevista, Léo Coutinho aproveitou e convidou os caxienses para participarem da tradicional Procissão do Fogaréu que acontece na noite desta quarta-feira. A Prefeitura de Caxias, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, deu total apoio para a realização do evento religioso.

O servidor público municipal de Caxias vai receber o salário referente ao mês de abril nesta quarta-feira (15). A boa notícia para o funcionalismo municipal foi dada pelo prefeito Léo Coutinho, durante entrevista concedida ao jornalista Ricardo Marques, no programa Direto ao Ponto, na TV Difusora Caxias, nesta terça-feira (15).

O prefeito declarou que o objetivo foi fazer com que os funcionários do município pudessem passar a Semana Santa com o salário de abril em mãos. A Prefeitura de Caxias tem mais de 7 mil servidores ativos.

Essa antecipação salarial foi realizada após um grande esforço feito pela administração municipal. Com o pagamento da folha dos servidores, a cidade de Caxias tem uma circulação de mais de 20 milhões de reais, mensalmente.

Durante a entrevista, Léo Coutinho aproveitou e convidou os caxienses para participarem da tradicional Procissão do Fogaréu que acontece na noite desta quarta-feira. A Prefeitura de Caxias, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, deu total apoio para a realização do evento religioso.

ASSCOM Prefeitura de Caxias