Nefroclínica de Codó segue atendendo 76 pacientes renais sem problemas com abastecimento

A clínica de hemodiálise atende pacientes de cinco municípios desta região do Maranhão. 76, ao todo, São de Santo Antonio dos Lopes, Capinzal do Norte, Coroatá, Timbiras e Codó.

Todos precisam 3 vezes por semana das 20 máquinas funcionando plenamente. Cada sessão dura quatro horas, sem interrupção.

O serviço é vital para cada um deles e nós fomos na manhã de ontem à Nefroclínica sabermos qual a situação de abastecimento uma vez que uma máquina daquelas só faz a limpeza do sangue de cada paciente com um material específico que vem de muito longe, alguns insumos necessários vem do Rio de Janeiro, de Fortaleza – CE e até de São Paulo.

Entre aqueles  cuja falta mais preocupa estão os chamados capilares – que são tubos que  funcionam  como um rim artificial responsável pela limpeza do sangue do paciente enquanto ele está ligado à máquina.

Nefroclínica de Codó

Também temos as chamadas  soluções ácidas e básicas, essenciais para que o tratamento seja perfeito.

Uma futura falta deste material  é o que já preocupa a proprietária da clínica, Ana Lys Castro Noleto, ouvida por nossa reportagem.

 “Claro que preocupa porque é uma  preocupação de todo o Brasil, de todos os hospitais, todas as clínicas, mas as clínicas  de hemodiálise sempre trabalham compra de material com a previsibilidade para o mês, mas  com a continuidade dessa greve com certeza faltará material”, disse

Nós também conversamos com alguns pacientes. Há um ano seu Raimundo Nonato da Conceição precisa de hemodiálise semanalmente. Falou de como fica seu corpo até nos dias de intervalo entre uma sessão e outra, nem quer imaginar a falta da diálise se os produtos vierem a faltar.

 “3 dias  pela semana…QUANDO FALTA, QUALQUER DIA DESSE COMO É QUE FICA O CORPO DO PACIENTE? Fica ruim, o meu fica ruim…O QUE O SENHOR SENTE? Eu sinto, assim, eu sinto assim um cansaço…ENTÃO NÃO PODE FALTAR? Não, não pode faltar não…ESSA GREVE DOS CAMINHONEIROS PREOCUPA VOCÊS? Rapaz, preocupa porque fica ruim o negócio”, respondeu

Nefroclínica de Codó vai passar a atender 120 pacientes renais

SEM PROBLEMAS AGORA

A empresária Ana Lys Noleto tranquilizou os pacientes dizendo que atualmente ainda não há risco de falta, mas esta autonomia do estoque tem prazo para acabar.

“A Nefroclínica sempre trabalhou com uma previsão antecipada assim pra 30 dias, 40 dias para que não falte material até porque Codó é uma rota meia deslocada, a gente tem que trabalhar desta forma (…) NÓS ESTAMOS ABASTECIDOS PARA ATENDER ESTES 76 PACIENTES? Estamos sim, essa semana e a próxima…JÁ DEPOIS SE CONTINUAR? Complica um pouco”, disse

Prefeitura de Santo Antônio dos Lopes continua o serviço de melhoria de estradas vicinais

Desde o início da gestão “Cidade de Todos” que a prefeitura de Santo Antônio dos Lopes, por meio do prefeito Bigú de Oliveira, vem cuidando com muita responsabilidade das estradas vicinais do município, com manutenção permanente, inverno e verão. 

Segundo o secretário de Infraestrutura do município, Manoel de Sousa Lima (Manelinho), a zona rural de Santo Antônio dos Lopes, é muito produtiva, e a determinação do prefeito Bigú de Oliveira, é que todos os produtores tenham as devidas condições para o escoamento de sua produção, e assim, aumentem a sua margem de lucro com os frutos do seu trabalho.

“No ano passado trabalhamos forte durante todo o ano na recuperação de estradas que a muito tempo estavam intrafegáveis, e o serviço foi durante todo o inverno e verão. Esse ano estamos trabalhando com três frentes de maquinas, e já fizemos a região do Tamarindo, estamos finalizando a região da Lagoa do Pascoal, e vamos iniciar a região do Centro do Adelino as Pacas. E posso afirmar, o nosso projeto vai atender toda a zona rural do município desde as estradas principais aos pequenos sítios”, afirmou o secretario

O lavrador Antônio Carlos, ressaltou a responsabilidade da prefeitura que por meio do prefeito de Oliveira, vem conseguindo a cada dia melhorar a realidade das estradas vicinais do município, que durante toda a gestão passada ficaram esquecidas e abandonadas.

 “Hoje a gente pode dizer com orgulho que as nossas estradas melhoraram, prova disso, rodamos durante todo o inverno sem problemas, e este ano o serviço continua deixando as estradas cada vez melhores”, disse feliz da vida o lavrador

ASCOM

Por Jacinto Júnior – ‘A CABEÇA BEM-FEITA’

Uma inteligência incapaz de perceber o contexto e o complexo planetário fica cega, inconsciente e irresponsável (MORIN).

Antes de qualquer objeção desejo explicitar o título deste texto. É uma alusão à obra do filosofo, antropólogo e sociólogo francês Morin – trata-se da obra “A Cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento” (grifo nosso), publicada em 1999, pela Editora Bertrand Russel. Só a primeira parte do título da obra referida que aproveitei para poder expor minhas impressões sobre o que pensa a figura lacônica de Ana Lúcia. Não farei nenhum posicionamento a respeito da obra de Morin, mas apenas salientar o sombrio argumento da citada autora do áudio publicado nas redes sociais.

Professor Jacinto Junior – um pensador contemporâneo

Não pude conter-me diante da argumentação proferida pela autora – inclusive, não tenho nenhuma intimidade e nem a conheço pessoalmente -, proprietária da Loja Fábrica de Delícias, no que concerne a uma crítica construtiva de um internauta em sua pagina oficial (Facebook). Trata-se de um jovem que ficou incomodado – e não acomodado, segundo a visão da autora, no que tange ao clima existente no interior de um espaço importante para a sociedade civil de um modo geral e, em particular, ao educando por tratar-se de uma significativa fonte de pesquisa: a Biblioteca Pública.

Creio que, ao postar sua impressão sobre a temperatura do ambiente, certamente, o internauta receberia algum tipo de comentário pró e contra. Contudo, o fato em si, denuncia o descaso da gestão pública para com o Bem Público. Na realidade, o espaço precisa sim de uma ampla reforma, especialmente, no que é fundamental: a renovação dos títulos – a ampla maioria das obras disponibilizadas para o público, ainda são das décadas de 1980, 1990, 2000 e, oxalá, 1970, o que a torna obsoleta enquanto instrumento de informação atualizada quem a procura.

Para, além disso, voltemo-nos ao que interessa: avaliar o conteúdo do áudio postado.

Na fala deselegante é possível entender sua pertinência em relação ao governo ‘mais avanço, mais conquistas’ quanto o defende desmedidamente. É um fascínio inexprimível!

Ela compreende o governo como sendo incapaz de cometer algum tipo de erro político, de ser injusto para com o povo, sobretudo, naquilo que é de sua restrita competência institucional. Por exemplo, cuidar e preservar o Bem Público – no caso em foco, a Biblioteca Pública Municipal. Entretanto, para ela, o governo ‘mais avanço, mais conquistas’, tem desempenhado um papel bastante expressivo e com eficiência ante a dura realidade social que perpassa nossa municipalidade.

Além de pontuar aspectos formais como: ter caminhado ‘a pé’ para a escola, justificando a ausência de ‘merenda escolar’; pois, em seu entendimento, isto não é motivo para reclamação por ser estudante de escola pública; inclina-se a justificar o não fornecimento de transporte escolar a quem dele necessita, por fim, refere-se a um período áureo enquanto educanda era capaz de ler com desenvoltura, escrever com extrema habilidade, e gaba-se, ainda, de sua capacidade em dialogar de forma articulada o ‘português’  culto, o coloquial é mero detalhe! Tudo isso, para rebater um comentário de um jovem em sua pagina oficial do facebook.

Quão perfeita fora sua geração! Sem traumas, sem nenhum problema de ordem social e/ou familiar – isto é visível, quando a mesma testifica de si o valor ao estudo, apesar de todas as adversidades e intempéries, ali estavas a superar tudo! Isto é magnifico e admirável.

Em que consiste seu equivoco, quando propõe a defesa do governo ‘mais avanço, mais conquistas’?  

Quando tenta rebaixar e desqualificar não apenas o jovem internauta, mas sim, a juventude de um modo geral, que ‘não querem fazer sacrifício nenhum’, na labuta por sua vida em uma sociedade onde predomina a preguiça, a indolência e o desrespeito; ela acrescenta que, para o cidadão (o jovem) não é “sacrifício nenhum ler no calor…”  tal assertiva denota uma profunda frieza sem aparente justificativa sobre as condições e as acomodações de um espaço tão importante quanto é a biblioteca pública para quem dela deseja usufruir. Logicamente que a juventude constitui o principal ator desse protagonismo e, neste aspecto, não satisfeita ainda com suas asneiras, comete fina torpeza dizendo: “se fosse o Francisco eu botava era uma fogueira para ficar mais quente ainda pra ver esse povo…”  celebrando assim, sua notória empatia para com o governo ‘mais avanço, mais conquistas’, e seu completo desprezo para com o povo e a juventude codoense.  Quando ouvi sua firme voz entoando a necessidade de se fazer uma “fogueira”, imediatamente, mergulhei nos anais da história e me retive no século XIII, em que a Igreja Católica Apostólica Romana concentrava todo poder político e religioso, quando instituiu o mais perverso processo que já se conhecera na humanidade para combater quem a desafiasse: o Tribunal do Santo Ofício (1233) – a Inquisição. Figuras como Giordano Bruno (1548-1600), Gerônimo de Praga (1360-1416), Joana d’Arc (1412-1438), Galileu Galilei (1564-1642), e vários outros pensadores sofreram perseguições e foram acusados de heresias e bruxarias – uns foram mortos, outros, se retrataram. Quando relembro desse episódio tétrico, sinto um profundo repúdio e indignação. Em 2000, o Papa João Paulo II reconheceu esses erros bizarros e pedira perdão à humanidade.

Contudo, em pleno século 21, no ano de 2018, ouvimos uma voz ecoar numa alusão à ‘fogueira’ como instrumento torturador necessário à cidadania. Portanto, ao estabelecer esse paralelo, o faço para desentranhar a sutileza da autora em objetar o silêncio como elemento natural no contexto social – i. é, que ninguém ouse criticar o governo talhado pela moral intuitiva -, e a crítica como instrumento dispensável para garantir a ordem vigente. Ainda é possível interpretar nas entrelinhas, uma insinuação de que o jovem ‘estava lá aproveitando a internet para a rede social’  (grifo nosso). Segue, abaixo, a degravação e a transcrição, do áudio, conforme a autora:

Hoje, o pessoal está com muito comodismo, na minha época, a gente ia a pé para a escola, não tinha merenda, a biblioteca não tinha ventilador, não tinha carro pra ir a escola, ninguém faltava, as notas eram muito maiores do aproveitamento, falávamos muito melhor o português, escrevíamos melhor ainda, líamos muito mais, éramos muito mais cultos. Hoje em dia, os jovens não querem fazer sacrifício nenhum, pois, eu te digo mais: não é sacrifício nenhum ler no calor… pois, se eu fosse o Francisco eu botava era uma fogueira para ficar mais quente ainda pra ver esse povo… rapaz eu vou te contar, eu fico revoltada Leo com esse tipo de coisa. No mínimo estava lá aproveitando a internet para a rede social (Grifo nosso).

Antes de prosseguir com meu raciocínio, apresento, também, depois de feita degravação do teor do áudio, a opinião de outra internauta sobre o raciocínio inadequado da autora em questão, e, assim, ela se posicionou:

Essa infeliz esquece que no meu tempo e já no tempo dela, já tinha merenda escolar. Era dada diretamente pelo MEC/FAE. Era carne de jabá. Eu tenho certeza que ela também comeu carne de jabá, sardinha, leite pau-de-índio; uma porção de coisas. Realmente, não tinha carro pra gente ir pra escola, mas, hoje, o governo dispõe disso, e, se dispõe, é pra ser trabalhada, é pra ser utilizada, não é pra ser guardado não, é do aluno. É o programa da Alimentação Escolar, do aluno; é Programa do Transporte Escolar do aluno. Todos os Programas do MEC é voltado para o aluno, para o processo ensino-aprendizagem. Não é pra gente simplesmente ficar dizendo que é pra fazer fogueira e botar aluno dentro não que ninguém tá no inferno não! (Grifo nosso).

Ao rebater o argumento da autora do áudio, a internauta expõe com esmerada clareza a realidade presente que se manifesta. Apresenta-lhe, em seguida, dois Programas do governo federal para atender ao educando(a) de classe popular, a saber: PNAE – Programa Nacional de Alimentação Escolar; Programa do Transporte Escolar.

Permita-me a internauta fazer apenas um acréscimo sobre este último Programa citado por vós. Na verdade, este programa – PNATE – existe para repassar recursos financeiros para o município fazer a manutenção dos ônibus escolares. Ele é chamado de Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar. O Programa que fornece o Transporte Escolar é chamado de Caminho da Escola. Só para esclarecer a diferença entre um e o outro. E para reforçar o contraponto da internauta sobre o conjunto de Programas Sociais do governo federal disponibilizado para a educação básica, elencarei todos eles: Caminho da Escola; PNAE – Programa Nacional de Alimentação Escolar; PDDE – Programa Dinheiro Direto na Escola; Proinfância; Brasil Carinhoso; Formação pela Escola; PAR – Programa de Ações e Articulação; Proinfo; Programa do Livro; PNATE – Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar; e PBLE – Programa Banda Larga na Escola.

TEXTO E CONTEXTO: QUEM É QUEM NA PUBLICAÇÃO DO ÁUDIO?

E, antes de fechar o presente, verifiquei outro texto enviado pela autora ao blog do Mãozinha, onde, mais uma vez, tenta justificar o seu argumento inapropriado.

E quando lemos o conteúdo do texto para explicitar o contexto é visível a presença de dois personagens que participaram do diálogo ‘culto’. No primeiro momento ela diz: ‘errei ao falar com uma pessoa que achei que eu confiava, errei feio’. E, mais abaixo, reforça a ideia de que essa pessoa ‘que se dizia amiga’ […] ‘não colocou as outras conversas’. E para fechar sua retórica emendou: ‘Quanto a quem soltou o áudio espero que ele se entenda com Deus…’ obviamente, aqui,  a autora se refere a um homem pois, conjuga o tempo na terceira pessoa do singular (talvez esteja referindo-se ao proprietário do blog que veiculou o áudio) e não à ‘pessoa que se dizia amiga’. Segundo a autora, essa ‘amiga’ fez uma reedição de sua fala – ou seja, sua ‘amiga’ separou somente o texto que lhe interessava do contexto e o resto descartou. E o resultado foi aquele disparate!

Veja a íntegra do texto:

Sabe Osvaldo eu errei ao falar com uma pessoa que achei que eu confiava, errei feio.
A pessoa tirou uma fala do contexto de um comentário sobre a biblioteca não ter ar.
E todos vcs me.julgaram sem.me.peeguntar o contexto da conversa…
Meu amigo espero sinceramente que vc nunca não seja julgado assim… Sem direito de defesa.
Tenho consciência di que fiz e disse, repito fora do contexto.
Mas muito obrigada.
Humildemente peço perdão a você e todos…
Fiz o comparativo do.meu tempo com que é hoje,
Mas a pessoa que dizia se amiga, não colocou as outras conversas… Passei então a conhecer um pouco do caráter dos envolvidos…
Agradeço de coração.
Quanto a quem soltou o áudio espero que ele se entenda com Deus…..
No dia que você ou alguém próximo a você precisar de ajuda, vou estar aqui a disposição para ajudar como faço com vários familias e criança crentes em Codó
(grifo nosso).

54119

Por fim, e, plenamente cônscio de minha responsabilidade enquanto cidadão defendo a opinião do internauta que fez a cobrança ao gestor municipal para melhorar o atendimento ao público, e, um dos itens, é a climatização do ambiente – ou melhor, sua reparação/manutenção.

Somente uma pessoa de “cabeça bem-feita”, emocionalmente estruturada e intelectualmente madura – semelhante à micro empresária -, sugeriria como resolução para o problema levantado pelo jovem internauta uma ‘fogueira’ para tranquilizar o cérebro de quem deseja proximidade com o conhecimento científico, através daquele espaço fundamental.

Uma cabeça bem-feita – literalmente concebida na perspectiva dialética e equilibrada – nunca negaria um direito social de qualquer sujeito histórico; porém, a “cabeça bem-feita” – aquela originada na alienação e no retrocesso -, ao contrário, imporia a injustiça e a negação com o intuito de ver a figura humana sofrer sem necessidade. Coisa tipicamente de pessoas que entende a relação social na base da Casa-Grande e a Senzala. Isto é pura petulância.

O verdadeiro sentido que se daria a uma cabeça bem-feita era corroborar com o desenvolvimento pleno da cidadania solidarizando-se ao jovem e fortalecendo o pedido. Assim, a “cabeça bem-feita” – alienada – seria, de fato, uma cabeça bem-feita – dialética – buscando amenizar os conflitos, respaldando não apenas o jovem, mas, sobretudo, a gestão ‘mais avanço, mais conquistas’.  

Por Jacinto Junior  

Prefeitura e ACRIVI fecham parceria para 46ª EXPOCODÓ

Hoje foi batido o martelo e confirmada a parceria entre a Associação dos Criadores do Vale do Itapecuru – ACRIVI, Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Pesca e A PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ na realização da 46ª EXPOCODÓ.

 Na foto o Secretário de Governo João dos Plásticos,  Secretário de Agricultura Araújo Neto, o Presidente da ACRIVI Cícero Junior, o Tesoureiro da ACRIVI Iedo Barros e o Prefeito de Codó Francisco Nagib.

A 46a EXPOCODÓ acontecerá de 28 de julho a 05 de agosto, um grande evento  que já está no coração de todos os Codoenses.

Por ASCOM ACRIVI

Encerrada campanha ‘MAIO AMARELO’ nas ruas de Codó

Durante o mês de maio equipes do DMTRANS, Guarda Municipal e da CIRETRAN (Circunscrição Regional de Trânsito) estiveram panfletando nas ruas de Codó. Focaram na orientação mas também promoveram algumas mudanças.

Uma mudança registrada durante este mês foi a cobrança sobre o uso do capacete também pelo carona. Não é hábito do motociclista codoense levar passageiro usando este ítem de segurança, os fiscalizadores já começaram a impor isso nas ruas, mandando descer os sem capacete.

Para o chefe da 3ª Ciretran, Carlos Fortes, a medida visa diminuir o número de acidentes com sequelas graves e até mortes

“A não utilização do capacete pelo carona incide nos mesmos riscos do piloto, foi assim um custo para que os codoenses aprendessem, começassem a se educar pra usar o capacete, não é isso, e nós hoje estamos assim, chamando a atenção – a vida do carona é tão importante quanto a vida do piloto”, explicou

O que os fiscalizadores consideram ‘absurdos’ também passarão a ter novos olhares, conforme nformou o diretor de Segurança Patrimonial do DMTRANS, Ronaldo Moura.

 “Absurdos, são 3 numa moto, 4, ambos sem capacete, três crianças, duas crianças isso são absurdos, atender o telefone também ao volante é um absurdo pode causar  acidentes, então são coisas que nós estamos aqui orientando e se persisitir nós vamos ter que fazer o que a lei mandar que é notifica-los”, afirmou

Aliado a repressão a conscientização continuará nas escolas da cidade durante o mês de junho e a conversa será com pais e alunos, conforme César Roberto Oliveira Soares.

 “Dia 4 agora já está agendada com pai de aluno, KM 17, Canto do Coxo e este trabalho vai ser o mais extenso possível…O QUE SE QUER FALANDO PARA PAIS E ALUNOS? Os pais são os maiores responsáveis por dá moto, carro, a menores não habilitados, que nem podem ser habilitados, responsáveis pela tragédias que há em nosso trânsito”, disse

Timbiras está sem combustível mas secretário garante que saúde atende normalmente

Timbiras está sem combustível nos três postos da cidade desde o último domingo segundo informaram alguns leitores do blogdoacelio, só quem teve autonomia de tanque para chegar a Codó conseguiu abastecer.

“Estou sem poder ir a Codó, sem gasolina”, disse um empresário à nossa redação.

PODER PÚBLICO

Fizemos contato pela manhã com o secretário de Saúde, Lezuí Mousinho, para sabermos sobre como está o serviço básico nesta área.

“Até o momento não estamos tendo dificuldades, SAMU funcionando normalmente, ambulância básica também. A dificuldade é o combustível gasolina. Diesel ainda temos”, afirmou

Perguntei – AUTONOMIA ATÉ O FIM DE SEMANA?

Resposta do secretário – Diesel, sim.

Sem transporte escolar e coleta de lixo CHAPADINHA registra litro de combustível a R$ 7,99

O município de Chapadinha está sem coleta de lixo e o transporte escolar também está parado atingindo parte dos alunos da rede pública municipal. A informação foi confirmada pelo secretário de Comunicação, Luiz Eduardo Braga, ao blogdoacelio.

O motivo é a falta de combustível porque a empresa que ganhou a licitação ficou sem ter como fornecer.

“Apenas ambulâncias e o ônibus de transferência dos pacientes de hemodiálise ainda estão sendo abastecidos. O fornecedor licitado pela prefeitura já não tem combustível. Estamos abastecendo por conta própria em outros postos da cidade. Mas há o risco de colapso no abastecimento em todos os postos da cidade”, escreveu o secretário

No final da manhã ele também informou que alguns postos receberam combustível. Quando perguntei se isso mudaria algo na situação da prefeitura, respondeu:

“Diminui o receio de colapso total. Avaliamos que todo mundo está sem combustível e nesse momento continuará havendo uma correria para abastecer. Provavelmente amanhã (quarta) os serviços que estão suspensos tenham condição de voltar normalmente”, disse

FLAGRANTE DE ABUSO

Enviada ao blog

Em Chapadinha também há registro de abuso no preço do combustível vendido. Uma nota mostrada ao blogdoacelio registra preço de um litro de gasolina a R$ 7,99. Mas também há locais vendendo a R$ 4,58.

150 Mães receberam kits de enxoval nos bairros de Codó

Ontem  segunda-feira (28) o prefeito de Codó, Francisco Nagib, e a Primeira Dama e Secretária de Desenvolvimento Social, Agnes Oliveira, estiveram visitando e entregando Kits de enxoval nos Centros de Referencia e Assistência Social CRAS’s de Codó.

 “Muito feliz de estar aqui, pois continuamos trabalhando para que as políticas públicas cheguem até essas pessoas que tanto precisam de nossa atenção, carinho e solidariedade. E é com grande satisfação que entregamos esses enxovais todo mês, a essas mães que são acompanhadas pelos CRAS. Portanto é muito gratificante pra nós. O prefeito faz questão de que este kit enxoval chegue a todas as mães. Ter um filho é o maior presente de Deus, uma benção. Agradeço a esse dia tão especial com as nossas mães de Codó”, disse a secretária Agnes Oliveira.

Ao todo foram contempladas 150 famílias com enxoval completo, contendo: lençol, absorvente, camisola, para as mães, e colônia, sabonetes, calça enxuta, camiseta, alfinete, meia, luva, cueiro para os bebês.

Moramos em um bairro muito carente e poucas mães têm condições de comprar um enxoval. Então vejo esta iniciativa com muita satisfação e gratidão. É muito importante pra nós. Agradeço ao prefeito Nagib e a primeira-dama, Agnes Oliveira, que sempre está aqui ao nosso lado, cumprindo sua missão. Obrigado”, agradeceu a líder comunitária Célia Costa.

Os cinco Centros de Referência e Assistência Social foram assistidos, iniciando as visitas no Cras do bairro São Francisco e encerrando no distrito KM 17.

É um momento impar na vida de uma mulher. Ser mãe é um momento realmente especial. Por isso sempre fazemos questão de estar presente. Nosso governo, por meio da secretaria de desenvolvimento social, participa e se faz presente na vida dessas pessoas. Eu faço questão de estar presente, saber de cada uma delas como eles são tratadas, se estão sendo atendidas a contento, se foi tudo bem no HGM, e também passar esta confiança as mamães que ainda vão dar a luz. Em 2017 foram mais de 2500 partos realizados no HGM. Isso mostra que estamos atendendo bem nossas mães. Hoje estamos entregando mais 150 kits de enxoval, para auxiliar neste momento tão especial”, concluiu o prefeito.

Ascom – PMC

Empresa que ganhou licitação para fornecer combustível à prefeitura de Codó desiste do contrato

Além do problema com o transporte de combustível para abastecer o centro de distribuição e abastecimento montado na Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Rural (na Cibrazen), a Prefeitura de Codó tem outro abacaxi pra descascar urgentemente para não ficar parada, completamente, atingindo os cidadãos que dela dependem, por falta de gasolina, principalmente.

A empresa GREEN DISTRIBUIDORA DE PETRÓLEO LIMITADA, de acordo com informações do secretário Roberto de Araújo Albuquerque, o Roberto Cobel como é mais conhecido, desistiu do contrato número 20180069, assinado este ano, dia 7 de fevereiro, que valeria até 31 de dezembro de 2018.

A soma total, que sairia ao longo do ano da verba de  diversas secretarias ( entre as quais Educação, Saúde, Agricultura, Fundo de Saúde e até Secretaria de Desenvolvimento Social), seria de R$ 2.643.553,00.

NÃO QUER MAIS

Ocorre que a GREEN alegou, segundo o secretário, que está tendo prejuízos com o preço que repassa combustível para a Prefeitura de Codó e decidiu desistir do contrato.

Pelos próximos 60 dias, Roberto Albuquerque, disse que a urgência permite que a prefeitura se utilize de uma dispensa de licitação para que todos os serviços do governo não sofram interrupção, ou seja, o governo vai comprar combustível de quem tiver disponível sem a burocracia do processo licitatório.

O período será aproveitado para a realização de uma nova licitação.

Decretado ponto facultativo na sexta-feira em Codó

O dia de Corpus Christi acontece sempre 60 dias depois do Domingo de Páscoa ou na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade, em alusão à quinta-feira santa quando Jesus instituiu o sacramento da Eucaristia.

EM CODÓ

Ontem o prefeito Francisco Nagib, exercendo seu poder para tanto, assinou decreto concedendo PONTO FACULTATIVO na sexta-feira, 1º de junho,  por causa do DIA DE CORPUS CHRISTI, que é em 31 de junho.

Todas as secretarias e órgãos da Prefeitura fecharão, com exceção dos serviços considerados essenciais como os de saúde (SAMU, PRONTO-SOCORRO DO HGM).

Uma cópia do decreto encontra-se afixada no mural de entrada da prefeitura desde ontem.

Informações corrigidas às 11h