BRASÍLIA: Prefeito Nagib integra comissão que pressiona por melhorias na saúde

O prefeito Francisco Nagib, do PDT, continua na capital do Brasil ao lado de muitos outros políticos maranhenses que estão lutando, em meio à crise institucional que vive o país e, sobretudo,  o governo Temer, por melhorias para os municípios.

Francisco Nagib integra comitiva maranhense em Brasília

Uma delas, destacada na matéria abaixo produzida pela assessoria da FAMEM, é a luta pela melhoria do per capta (por cabeça) que o Ministério da Saúde paga por atendimento de média e alta complexidade.

Nagib também se reuniu em Brasília com Weverton Rocha, líder do seu partido no Maranhão. Confira abaixo os detalhes da luta pela melhoria na área de saúde.

………………………………………………………………………………………….

Acompanhado do deputado federal José Reinaldo Tavares (PSB), o presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), Cleomar Tema, além de prefeitos, secretários municipais e assessores foram recebidos, ontem quarta-feira  (17), pelo secretário-executivo do ministério da saúde, Antonio Nardes, em audiência na sede da pasta. Na pauta, a redistribuição da per capita repassada aos municípios maranhenses.

Para se ter ideia da situação complicada por qual passam os municípios maranhenses, o estado ficou com o equivalente a R$ 160 no ano passado oriundos do Governo Federal. Sem contar que 41 cidades recebem, atualmente, menos de R$ 10 por habitante/ano. Já o Piauí recebeu R$ 227 per capita. Acre e Tocantins receberam, por habitante, mais de R$ 240.

Cleomar  Tema usou como exemplo a cidade de Araioses que possui 46 mil habitantes e o que recebe da alta e média complexidades não dá pra pagar sequer um médico. Segundo ele, o pleito não é nenhum excesso.

“Não estamos buscando chegar a média nacional, não pedimos nenhum exagero. Temos muitos dados técnicos e com eles estamos mostramos as nossas reais necessidades”, disse antes de ouvir que a renda per capita hoje não se resume ao atendimento de média e alta complexidade.

Antonio Nardes explicou que o ministério não está concedendo para nenhum estado o teto da média e da alta complexidade pois a pasta passa por um momento de contingenciamento, no entanto explicou o que poderia ser feito.

“Precisamos da força política do deputado José Reinaldo junto ao presidente Michel Temer para solicitar um extra orçamentário para o seu estado. Assim, aportaremos recursos para daí ir reduzindo gradativamente essa diferença. No que depender de nós, vamos nos esforçar junto ao palácio. Esse é o compromisso”, contou o secretário-executivo do ministério da saúde.

Satisfeito, José Reinaldo avaliou a reunião como franca e muito positiva.

“O secretário, a meu pedido, colocou aquilo que realmente ele pensa e nos deu um caminho. Nós vamos lutar politicamente com a Bancada Maranhense e o governo para resolver os impasses que existem na saúde do Maranhão”, finalizou.

 Texto: Djalma Rodrigues/FAMEM

Secretário de Estado Carlos Lula visita principais unidades de saúde em Codó

Ontem,  quarta-feira (17) o Secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, esteve em Codó para visitar as principais unidades médicas do município. Em companhia do vice-prefeito Ricardo Torres, representando o prefeito Nagib, da secretária municipal de saúde, Aurilivia Barros, de vereadores, e demais autoridades locais, o secretário percorreu os centros de saúde de Codó como o Hospital Geral Municipal (HGM), a UPA e a Nefroclinica, onde firmou parcerias para melhoria na qualidade dos serviços em saúde.

Foto de Nilton Messias

Nosso prefeito está representando Codó em Brasília, mas nós estamos aqui em grande comitiva para receber o secretário de estado Carlos Lula, onde ele poderá conhecer de perto toda nossa rede de saúde que temos a disposição de nosso município, da região e do estado do Maranhão. junto com o estado iremos fazer nosso serviço crescer. O secretário já propôs a nos ajudar e isso é motivo de grande felicidade”, disse a secretária Aurilívia Barros.

Boas notícias para Codó

Na Clínica de hemodiálise, que foi inaugurada em fevereiro deste ano pela gestão do prefeito Nagib, o secretário Carlos Lula conversou com os pacientes e disse que a partir da próxima semana o Estado vai aumentar o valor nos repasses. Com isso, além dos pacientes de Codó, o tratamento renal estará ao alcance de pacientes de outras cidades que estão na lista de espera.

No Hospital Geral Municipal (HGM), o secretário de saúde conferiu as obras de reforma e ampliação do central de parto normal e pronto socorro. Carlos Lula garantiu a liberação de 250 mil reais para que a prefeitura conclua as obras. O vice-prefeito Ricardo Torres, representando o prefeito Nagib, que está em Brasília participando da Marcha em defesa dos municípios, agradeceu o apoio do Estado.

Nós estamos recebendo o secretário de saúde, com muita satisfação. Ele veio saber das demandas de nosso município. Codó é uma das poucas cidades no Maranhão que possui uma saúde municipalizada. Quase tudo que se faz em saúde é da própria gestão municipal. Na unidade do Estado, nós firmamos boa parceria, para que os serviços aconteçam com melhor qualidade em favor da população. Fizemos pedidos importantes ao secretário, como ampliação do atendimento do centro de hemodiálise e as obras do HGM e ficamos felizes com o comprometimento do secretário em nos atender”. Agradeceu o vice-prefeito.

Na oportunidade, os vereadores entregaram ao secretário de Estado da saúde uma indicação, para um convênio do Estado com prefeitura de Codó. A indicação prever um repasse de um milhão e quinhentos mil reais para melhorar e ampliar os serviços oferecidos no HGM. O secretário Carlos Lula deu como garantiu o convênio, por reconhecer os esforços que o prefeito Nagib vem realizando para manter o HGM funcionando.

Ascom – PMC

Caminhada encerrou campanha 2017 contra exploração sexual de menores em Codó

Foi realizado na manhã de hoje, 18, a caminhada de encerramento da 11ª Campanha contra a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes de Codó. Dezenas de alunos foram para as ruas conscientizar a sociedade sobre este perigo.

“Várias vezes está acontecendo casos de violações sexuais  na nossa cidade E a gente tem que vir pra rua para falar não, não à violência, não aos abusos sexuais, porque a gente acha que nossos direitos estão sendo violentados”, disse a jovem estudante Clislane Sena do Rosário, justificando sua participação

Vários órgãos estiveram presentes, entre os quais CRAS, CREAS, Conselho Tutelar, Câmara de Vereadores e a Plan Brasil que defendeu a importância da denúncia contra este tipo de crime, segundo Clóvis Silva, ouvido pelo blogdoacelio.

“De cada 100 casos de exploração sexual só 10 são denunciados, então nós acreditamos que mobilizar a sociedade para que seja ciente de que precisa denunciar é muito importante e esse ato faz isso, chama a atenção da comunidade pra esse processo que ainda acontece com frequência que é a exploração sexual de crianças”, disse

A coordenadora da campanha, a assistente social Maria José Sampaio, do CREAS,  explicou que há 11 anos a campanha tem um período oficial, mas que é necessário mantê-la o ano inteiro.

“Trazendo sempre a lembrança de que a campanha ela permanece durante todos os dias do ano, independentemente de datas pois esse período ele foi oficial mas a campanha ela é diária nos lares, na sociedade, na comunidade”, disse

Nós também ouvimos três vereadores. ASSISTA AGORA.

79 PREFEITOS – Reunião em Brasília confirma pré-candidatura de Roseana Sarney ao governo do Maranhão

De acordo com publicação do jornalista Luís Cardoso um jantar foi realizado em Brasília esta semana para formalizar a pré-candidatura de Roseana Sarney   (PMDB) ao governo do Estado ano que vem contra seu principal opositor, o atual governador do Maranhão, Flávio Dino, do PCdoB.

A reunião, que aconteceu em Brasília, foi coordenada pelo ex-senador da República e ex-presidente do Brasil José Sarney e contou com a presença de diversos políticos importantes do PMDB. A pré-camapanha já teria a adesão de 79 prefeitos do Maranhão.

Reunião em Brasília coordenada por José Sarney

OUÇA – Daniel Sousa vs Cobra e JJP sobre prisão de Zito pela Polícia Federal

O embate no rádio continua em relação à possibilidade de prisão do ex-prefeito Zito Rolim pela Polícia Federal  por conta de uma denúncia feita pelo deputado estadual César Pires envolvendo má utilização do dinheiro público, sobretudo no que diz respeito às áreas da educação (programas importantes abandonados) e infraestrutura (obras paradas dadas por concluídas).

Nós já explicamos anteriormente que as denúncias existem, tanto que este fato não fora contestado em comentário, aqui publicado, pelo vice-prefeito Ricardo Torres, mas a possibilidade de prisão é remotíssima, até porque as investigações que ocorrerão em razão da denúncia de Pires ainda nem começaram.

No entanto, não se pode ignorar a repercussão disso na imprensa local. Por isso trazemos aqui os dois lados. Daniel Sousa é o principal comunicador de oposição a sustentar sobre a prisão de Rolim. OUÇA

Do outro lado estão JJP e Genivaldo Cobra na defensiva. São os dois que têm tomado a dianteira nesta guerra verbal que se tornou o assunto ‘prisão de Zito pela federal”. OUÇA

Comandante consegue mais duas viaturas para a Polícia Militar de Codó

Na terça, 16, o Comandante do 17º BPM/Codó, Ten. Cel Jurandy Braga, reforçando o compromisso com a segurança pública do município de Codó conseguiu mais duas viaturas do tipo motocicleta e equipamentos de proteção para os novos policiais.

As motos e os equipamentos foram adquiridos através  de seu esforço junto ao Comando Geral da Corporação, possibilitando oferecer aos cidadãos codoenses maior segurança, com a certeza e o compromisso de que a Polícia Militar está na luta incessante para combater a criminalidade em toda a área do 17º BPM.

ASSECOM-17ºBPM

Abertas em Codó as inscrições dos cursos de arbitragens para a Regional dos JEMs 2017

A Superintendência de Esporte informa que já estão abertas as inscrições para os cursos de arbitragem nas modalidades esportivas: Atletismo, Badminton, Futebol e Handebol, para a Regional do JEM`S 2017, oferecidos pela Secretaria de Esporte e Lazer do Maranhão – SEDEL, Prefeitura Municipal de Codó e Secretaria de Governo, através da Superintendência de Esporte, Cultura e Juventude.

Os cursos serão realizados nos dias 26 e 27 do mês em curso, nos turnos matutino de 08:00 às 12:00 e vespertino de 14:00 às 18:00, na Universidade Federal do Maranhão – UFMA Campus de Codó.

As inscrições, limitadas, serão feitas a partir do dia 17 de maio na sede da Superintendência de Esporte, Cultura e Juventude, localizada à Rua Rotary Club, S/n, bairro São Benedito, das 08:00 às 12:00 e de 14:00 as 17:00 horas e encerra no dia 25/05 às 12:00 horas.

Nota Ascom – PMC

César Pires destaca atuação da Defensoria Pública do Maranhão

O deputado César Pires destacou ontem,  quarta-feira (17), em pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa, a importância da Defensoria Pública do Maranhão para a defesa dos direitos dos maranhenses. E citou como exemplo a atuação dos defensores Alex Magalhães e Rafael Santos, que garantiram a repatriação de um cidadão brasileiro que estava doente e desamparado na Guiana Francesa.

Como gestor da Frente Parlamentar em Defesa do Defensor Público e em referência ao Dia Nacional do Defensor Público, César Pires ressaltou a capacidade técnica, a habilidade e o profissionalismo dos dois defensores que atuam em Lago da Pedra. “Eles foram acionados por uma família daquela cidade para interceder junto ao Itamaraty, em defesa da cidadania do senhor Raimundo Silva, que estava doente na Guiana Francesa. E numa agilidade sem precedente na história jurídica e das relações internacionais, eles conseguiram em menos de 48 horas repatriar o cidadão”, relatou o deputado.

Raimundo Silva entrou em depressão após assistir à morte de um colega que saiu do Maranhão com ele para a Guiana Francesa. Estava hospitalizado e sem condições financeiras de voltar ao Brasil, além de estar com o passaporte vencido. Sem conseguir resolver o problema, a família recorreu à Defensoria Pública e foi prontamente assistida. “Destaco também o trabalho do defensor geral Werther, por apostar na seriedade e no compromisso do órgão em garantir o direito dos cidadãos maranhenses”, acrescentou César Pires.

O deputado aproveitou a ocasião para lembrar que a ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, município de atuação dos dois defensores, disse a ele recentemente que, se um dia chegar a ser governadora, aumentará o número de vagas na Defensoria Pública. “Essa instituição se torna cada vez mais forte pelas mãos dos defensores públicos, que são capazes de corresponder às expectativas de toda a sociedade maranhense”, finalizou.

Repercussão da denúncia contra o presidente Michel Temer

G1 -Os donos do frigorífico JBS disseram em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR) que gravaram o presidente Michel Temer dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), depois que ele foi preso na operação Lava Jato. A informação é do colunista do jornal “O Globo” Lauro Jardim.

O colunista também informou que o dono da JBS, Joesley Batista, gravou o senador Aécio Neves (PSDB-MG) pedindo R$ 2 milhões. E que a Polícia Federal rastreou o caminho do dinheiro, que depois foi depositado em uma empresa do também senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

Veja o que parlamentares disseram sobre as reportagens.

Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no Senado:

“Eu não tenho nenhuma informação, portanto, seria prematuro qualquer tipo de comentário. Vamos aguardar, para verificar e depois comentar, a partir do momento em que a gente tiver informação.”

Perguntado sobre se Temer tinha ligado para ele, Jucá disse que não.

Sobre se a notícia poderia prejudicar o cronograma de votação da reforma trabalhista, Jucá também afirmou que não. “As reformas serão votadas porque é uma prioridade do país. A questão é focar na recuperação do Brasil. A reforma trabalhista está caminhando bem aqui no Senado, a reforma da Previdência está evoluindo também nas suas explicações, no seu convencimento na Câmara dos Deputados, portanto, o cronograma das reformas continua. E essa questão política, vamos discutir.”

Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, ao encerrar a sessão:

“Não tem mais clima para trabalhar.”

Aécio Neves, senador (PSDB-MG):

Em nota, a assessoria de imprensa de Aécio Neves afirmou que o senador “está absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos”. “No que se refere à relação com o senhor Joesley Batista (dono da JBS), ela era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público. O senador aguarda ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos os esclarecimentos necessários”, diz o texto.

Zeze Perrela, senador (PMDB-MG)

“Eu quero dizer para os que me conhecem e para os que não me conhecem que eu nunca falei com o dono da Friboi. Não conheço ninguém ligado a esse grupo. Nunca recebi de maneira oficial ou extra-oficial um real sequer dessa referida empresa”, declarou o senador.

“Estou absolutamente tranquilo. […] Eu espero que todas as pessoas citadas tenham a oportunidade de esclarecer a sua participação. O sigilo das minhas empresas, dos meus filhos, estão absolutamente à disposição da Justiça. Ficará comprovado que não tenho nada a ver com essa história. Eu nunca estive em Lava Jato e nunca estarei”, completou.

José Guimarães (PT-CE), líder da minoria na Câmara:

“É muito grave. O Congresso não pode ficar silente frente a uma grandiosidade da denúncia. Nós vamos reunir PT, PC do B, Rede, PSOL, parte do PSB, PDT, as oposições todas e vamos pedir, imediatamente, a abertura do processo de impechment pela Câmara Federal. Não é razoável, não podemos ficar silentes. O clima aqui é de que o governo acabou. E nós temos que buscar uma saída para o país: ou é a renúncia ou é impeachment ou diretas já.”

Alessandro Molon, deputado federal (Rede-RJ):

“Acabei de apresentar um pedido de impeachment de Michel Temer com base nesse pedido de propina feito para manter o silêncio do preso Eduardo Cunha. E nós queremos que o processo seja o mais célere possível para que o Brasil fique livre dessa situação vergonhosa que é tê-lo na Presidência da República.”

Carlos Zarattini (PT-SP), líder do partido na Câmara:

“Nesse momento em que surgem essas gravações, esse governo não tem legitimidade para continuar governando. Chegou ao ponto final. O ponto final, se não for dado pela sua própria renúncia, será feito por esta Câmara e por este Senado através de um impeachment.”

Denúncia contra Michel Temer abala a política no Brasil

Os donos do frigorífico JBS, Joesley e Wesley Batista, disseram em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR) que gravaram o presidente Michel Temer dando aval para comprar o silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), depois que ele foi preso na operação Lava Jato. A informação é do colunista do jornal “O Globo” Lauro Jardim.

Segundo o jornal, o empresário Joesley entregou uma gravação feita em 7 de março deste ano em que Temer indica o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver assuntos da J&F, uma holding que controla o frigorífico JBS. Posteriormente, Rocha Lourdes foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil, enviados por Joesley.

Ainda não há informação sobre se a delação foi homologada. O Supremo Tribunal Federal (STF) disse que não irá se pronunciar nesta quarta-feira (17) sobre a delação.

Em outra gravação, também de março, o empresário diz a Temer que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada para que permanecessem calados na prisão. Diante dessa informação, Temer diz, na gravação: “tem que manter isso, viu?”

Na delação de Joesley, o senador Aécio Neves (MG), presidente do PSDB, é gravado pedindo ao empresário R$ 2 milhões. No áudio, com duração de cerca de 30 minutos, o presidente nacional do PSDB justifica o pedido dizendo que precisava da quantia para pagar sua defesa na Lava Jato.

A entrega do dinheiro foi feita a Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio, e filmada pela Polícia Federal (PF). A PF rastreou o caminho do dinheiro e descobriu que foi depositado numa empresa do senador Zezé Perrella (PSDB-MG).

Em nota, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência disse que o presidente Michel Temer “jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar”. (Veja no final do texto a íntegra da nota).

Aécio, também em nota, se declarou “absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos. No que se refere à relação com o senhor Joesley Batista, ela era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público. O senador aguarda ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos os esclarecimentos necessários”.

A JBS e a defesa de Eduardo Cunha informaram que não se pronunciarão.

O senador Zezé Perrella declarou, no Facebook: “Eu quero dizer para os que me conhecem e para os que não me conhecem que eu nunca falei com o dono da Friboi. Não conheço ninguém ligado a esse grupo. Nunca recebi de maneira oficial ou extra-oficial um real sequer dessa referida empresa”.

“Estou absolutamente tranquilo. […] Eu espero que todas as pessoas citadas tenham a oportunidade de esclarecer a sua participação. O sigilo das minhas empresas, dos meus filhos, estão absolutamente à disposição da Justiça. Ficará comprovado que não tenho nada a ver com essa história. Eu nunca estive em Lava Jato e nunca estarei”, afirmou Perrella.

O deputado Rodrigo Rocha Loures está em Nova York e, segundo sua assessoria, só irá se pronunciar quando voltar ao Brasil. O retorno está programado para esta quinta-feira (18).

Segundo o jornal, em duas ocasiões em março deste ano Joesley conversou com Temer e com Aécio levando um gravador escondido.

O colunista conta que os irmãos Joesley e Wesley Batista estiveram na quarta-feira passada no Supremo Tribunal Federal (STF) no gabinete do ministro relator da Lava Jato, Edson Fachin – responsável por homologar a delação dos empresários. Diante dele, os empresários teriam confirmado que tudo o que contaram à PGR em abril foi de livre e espontânea vontade.

Joesley contou ainda que seu contato no PT era Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda de Lula e Dilma Rousseff. Segundo “O Globo”, o empresário contou que era com Mantega que o dinheiro da propina era negociado para ser distribuído aos petistas e aliados, e também era o ex-ministro que operava os interesses da JBS no BNDES.

Cunha

Joesley disse na delação que pagou R$ 5 milhões para Eduardo Cunha após sua prisão na Lava Jato. O valor, segundo o jornal, seria referente a um saldo de propina que o deputado tinha com o empresário.

Joesley Batista disse ainda que devia R$ 20 milhões por uma tramitação de lei sobre a desoneração tributária do setor de frango.

Investigação

Segundo o jornal, pela primeira vez a PF fez “ações controladas” para obter provas. Os diálogos e as entregas de dinheiro foram filmadas e as cédulas tinham os númjeros de série controlados. As bolsas onde foram entregues as quantias tinham chips de rastreamento.

Durante todo o mês de abril, foram entregues quase R$ 3 milhões em propina rastreada.

O jornal informou que as conversas para a delação dos irmãos donos da JBS começaram no final de março. Os depoimentos foram coletados do início de abril até a primeira semana de maio. O negociador da delação foi o diretor jurídico da JBS, Francisco Assis da Silva, que depois também virou delator.

Veja a íntegra da nota do Palácio do Planalto:

NOTA À IMPRENSA

O presidente Michel Temer jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar.

O encontro com o empresário Joesley Batista ocorreu no começo de março, no Palácio do Jaburu, mas não houve no diálogo nada que comprometesse a conduta do presidente da República.

O presidente defende ampla e profunda investigação para apurar todas as denúncias veiculadas pela imprensa, com a responsabilização dos eventuais envolvidos em quaisquer ilícitos que venham a ser comprovados.

SECRETARIA ESPECIAL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA PRESIDÊNCIA