CAEMA deixa população de Peritoró no sofrimento e não apresenta solução alguma

É uma área da cidade de Peritoró, denominada pela Caema de Estrada de Pedreiras, cuja falta de água atinge, segundo a própria Companhia de Água e Esgoto do Maranhao,  180 famílias.

Na rua da Prata seu Edivaldo da Conceição tirou até a torneira para provar que do cano não sai absolutamente nada.

 “Esse é o rojão…TODO DIA DESSE JEITO? Todo dia, as vezes quando dá depois de 10h aí vem um pouco d’água, aí a pessoa tem que vir com as vasilhas para aparar, encher reservatório…10H DA NOITE? 10 da noite, as vezes vem 11h”, assegurou

Êudina Sousa Oliveira comprou vários vasilhames e construiu um pequeno tanque no quintal com uma torneira em cima para receber água de madrugada, quando ela vem.

 “Nós tem que esperar água 1h da manhã aí noutro dia nós tem que perguntar ele por que que não veio água, aí ele pega e diz – não, nós tava limpando o poço, tem que esperar limpar o poço – aí tem vez que nós passa 4 dias sem água aqui esperando, nem de madrugada vem”, explicou-nos a dona de casa

Dona Maria do Socorro Novaes Silva  nem consegue mais contar quantas noites já perdeu de sono. Sem água, sem tranquilidade.

 “Sim porque meus netos estudam pela manhã aí tem que amanhecer o dia a água pra eles tomar banho, passar o café, lavar as louças…E PRA TER ÁGUA TEM QUE FICAR ACORDADA? Tem que ficar acorda, exatamente”, respondeu

AS CONTAS NÃO PARAM

Numa outra rua, chamada rua Toca do Pajé, centro, às 10h da manhã abrimos  a torneira e não caiu sequer um pingo de água. Demora bastante pra vir na madrugada e  as contas de água que continuam chegando.

A casa onde abrimos a torneira no quintal pertence  à dona Maria Joseli e todas as contas de água sobre a mesa  também. Nos mostrou 3 das seis que possui atrasadas, diz não ter motivação para pagar.

 “Não tem água mas eles cobram filho, eles cobra os talão tá bem ali tudinho, de R$ 29,00 cada um…E O QUE A SENHORA ACHA DISSO ? Ave Maria, muito triste, principalmente pra nós que somos pobres, nós tamo nas mãos de Deus, meu fie, tamo nas mão de Deus”, afirmou

O QUE DIZ A CAEMA

O diretor da CAEMA em Peritoró, Edson Barbosa Rêgo, disse que só um novo poço resolverá o problema, poço que até o Governo do Estado já prometeu.

 “Quem deu a posição aqui foi o próprio governador que ia furar o poço, eles são cientes que teve gente de lá do poço que bateu a mão com a diretoria, que ia cava o poço imediatamente e até hoje nunca saiu não cabe à minha alçada eu mexer com poço”

Edinho da Caema, como apresentou-se inicialmente orgulhando de estar no posto de chefe desde 1976, também falou sobre a cobrança de contas sem água chegando a ser, no mínimo, deselegante com os consumidores.

“30 metros cúbicos de água vai dar R$ 280,00 e é o que eles não pagam, eles pagam taxa mínima…SEM ÁGUA DURANTE O DIA, O SENHOR NÃO ACHA INJUSTO ISSO? Eu acho injusto, mas que você pega mil litros de água tem que ter uma reservação, como muitos e muitos é porque não gosta também de pagar”, disse

One Response to CAEMA deixa população de Peritoró no sofrimento e não apresenta solução alguma

  1. CLEMILTON COSTA TROVAO disse:

    É muito fácil resolver, basta que façam uma denuncia coletiva no ministério público de defesa e direitos do consumidor lá em Coroatá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *