EM TIMBIRAS aumento na tarifa de iluminação pública seguirá reajuste dado pelo governo federal

CÂMARA DE TIMBIRAS aprova atualização de tarifa de Iluminação Pública para 2019

Dos 9 vereadores presentes na sessão realizada segunda-feira no prédio reformado do Legislativo, 8 votaram a favor do projeto de lei que atualiza a tarifa de iluminação pública cobrada  em Timbiras.

A cópia do projeto nos foi negada pelo presidente da Câmara, Vilson Vieira, alegando que ainda carece de redação final, só então será dado cópia à imprensa.

Perguntamos então sobre qual o percentual do reajuste, ou seja, queríamos  saber quanto que isso vai mexer no bolso dos timbirenses. Respondeu assim.

 “Neste momento aqui eu não posso te responder qual é o percentual porque na qualidade de presidente o projeto foi pras comissões, nós apenas aprovamos, ainda precisa continuar o trâmite, a montagem  desse projeto, em breve será feita a redação final e aí então nós teremos a dimensão de quanto será esse percentual em relação há 15 anos atrás’, afirmou

Questionamos então, como que um projeto já aprovado em plenário ainda terá que continuar tramitando na Câmara para se chegar ao percentual de reajuste, o presidente retrucou.

 “Não, eu não disse isso, eu disse que o projeto foi aprovado em sessão ordinária e que o projeto foi aprovado se faz necessária ainda uma redação final, apenas uma correção ortográfica, corrigir alguns erros que, por ventura, tenha acontecido e aí então nós iremos publicar a redação final nos nossos meios de comunicação e oficialmente passa a valer de acordo com as normas regimentais da Câmara”, frisou com firmeza maior na voz.

DÍVIDA NA PREFEITURA

Prefeitura de Timbiras diz que  estava com déficit na arrecadação

O projeto que agora virou lei saiu do Poder Executivo. Na Prefeitura o coordenador de Iluminação Pública prestou alguns esclarecimentos, entre eles disse que desde 2002 (na verdade de 2003, segundo a Câmara) não havia reajuste da tarifa de iluminação pública, por causa disso a prefeitura não tem conseguido arrecadar o suficiente para pagar a conta à Cemar.

Com vários documentos em mão o coordenador Raimundo Dias Carneiro Neto mostrou que só em outubro o que a prefeitura ficou devendo de iluminação pública para a CEMAR foi R$ 34.864,99.

Explicou que 2.650 timbirenses que ficam na faixa de consumo de zero a 50 KW/mês tiveram tarifa reajustada para menos. Por exemplo,  de zero a 30 KW/mês a tarifa cairá de R$ 1,59 para R$ 1,34. De 31 a 50 KW/Mês cairá de R$ 4 para R$ 2,89.

REAJUSTE SEGUIRÁ AUMENTO DO GOVERNO FEDERAL

Iluminação pública em Timbiras

Já aquele consumidor que está acima de 50 KW/Mês vai receber tarifa mais cara ano que vem e ainda terá que enfrentar reajuste igual ao que o governo federal determinar

 “10% na energia, 10% nos postos de combustível, nós não ganhávamos porque a lei nossa não permitia (…) de fevereiro de 2019 quando o governo dé um aumento aí é que Timbiras vai ganhar, até lá não, continua a mesma coisa…GOVERNO FEDERAL AUMENTANDO, AUTOMATICAMENTE REAJUSTA A TARIFA AQUI? reajusta a tarifa aqui”, explicou o cordial Carneiro Neto que também reclamou que 21 povoados de Timbiras são iluminados pela prefeitura de lá, mas quem recebe o dinheiro é a prefeitura de Codó.

Entre estes povoados estão Pedra Preta, Morro Branco, Bacaba, Cachoeira, Carmo e Vila 7. Isso prejudica a arrecadação ainda mais.

E O CONSUMIDOR?

A partir dos  dados  fornecidos pela coordenação é possível saber que o reajuste atingirá 65,33% dos  7.643 contribuintes da Tarifa de Iluminação Pública de Timbiras, gente que não gostou nada da notícia.

 “ Primeiro porque a gente vive trabalhando na roça e aí pra quem vive na roça pra pagar um talão mais caro do que já tá pagando, aí é um exagero”, disse o lavrador Antonio de Freitas do Nascimento

 “Ciô se vier mais aumento a gente num vai nem poder pagar, nós tava querendo que fizesse era baixar um pouco, pro bolso fica ruim porque vai pagar mais caro aí fica difícil”, completou o agricultor Domingos Nunes de Oliveira à nossa reportagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *