“A gente não pode tá abrindo inquérito através de um blog”, diz delegado defendendo Leonel na Câmara

O vereador delegado fez ontem, 11, na Câmara, em aparte, um discurso de defesa do colega Leonel Filho que está às voltas com sua caminhonete S10, cor Prata, modelo 2017/2018, com registro de roubo feito em fevereiro deste ano no 8º Distrito Policial, do Brás, bairro da capital São Paulo, por FLADIMIR ELIAS COPOLA.

Vereador Rômulo Vasconcelos

Rômulo Vasconcelos reiterou está convicto de que seu companheiro de Câmara não cometeu nenhum crime. Identificou-se como delegado do caso e como um homem de conhecimento técnico-jurídico que exercerá seu trabalho com isenção.

Abaixo está a íntegra de suas palavras de maneira sequenciada (na ordem da fala, sem cortes):

Eu queria esclarecer pra algumas pessoas desavisadas que não têm conhecimento técnico, nem jurídico da parte criminal e ficam falando algumas inverdades em blogs, em redes sociais e eu queria explicar o seguinte: inicialmente, é, essa noticia criminis chegou através de um blog da cidade, este veículo nunca chegou e parou na delegacia de Codó, então pra mim ir atrás de uma situação dessa eu tenho, primeiramente, o carro tá na tua casa, mas vai  ser apresentado, a gente combinou pra te apresentar esse carro amanhã (12/06/2019), eu tenho que buscar com um pedido de busca e apreensão, mas pra fazer isso eu tenho que ter elemento de prova pro juiz dar (…)

(…) Primeiro mesmo se ele fosse apresentado na delegacia por ti eu não teria como autuar em flagrante por crime de receptação porque o crime, o veículo está em teu nome, como é que tu vai furtar uma coisa que é tua? Então a tese do crime de receptação não poderia se caracterizar, eu não poderia autuar o dono do carro, o carro tá, legitimamente, em teu nome, comprou o veículo de boa-fé (…)

(…) Quando chegou a notícia criminis  a gente baixou um VPI que é a Verificação de Procedimento Investigativo, é a recomendação até do Ministério Público, Domingos, sobre isso, quando tem autoria a materialidade definida a autoridade policial baixa portaria porque toda portaria tem que concluir, a gente baixa um VPI pra gente investigar, no mínimo, no mínimo, tu comprou de boa-fé um veículo e como tu não é autor de um crime, o carro tava em teu nome, a gente baixou essa VPI pra gente investigar (…)

(…) Quando chegou o caso na delegacia através de um requerimento teu, porque polícia nenhuma apresentou nenhum B.O. em relação à isso, foi através de um blog e a gente não pode tá abrindo inquérito através de um blog, entendeu?, tu chegou com requerimento se colocando à disposição da polícia e aí a gente foi levantar toda a história, né verdade? E quem registrou a ocorrência, essa pessoa que registrou a ocorrência no 8º DP, em São Paulo (capital), é, e aí a gente, ele registra a ocorrência mas ele não fala o nome do autor do crime, num fala os dados de endereço e telefone, não tem nem como achar esse cara (…)

(…) O que acontece? Quando a gente fez o levantamento do nome dele, desse Fladimir Elias Copola, esse cara ele tem mais de 100 inquéritos abertos contra ele, mais de 50 ações criminais contra ele de crime de apropriação indébita, crime de estelionato, então no momento disso daí aí causou mais o nosso cuidado pra gente não se precipitar sem ter uma autoria e uma materialidade definida, né (…)

(…) entramos em contato, hoje (11/06/2019) entrei em contato com o delegado Guedes da Polícia Civil do Maranhão pra saber porque não não tava no sistema esse B.O, pra saber se tinha como a gente bloquear isso daí ou só São Paulo e aí eu contei todo o caso pra ele e ele falou – Rômulo eu tô com um caso dele aqui na minha frente, a mesma, um rapaz que a Polícia Militar tá apresentando com veículo aqui e quem registrou ocorrência foi esse cara, esse Copola, o nome dele? Fladimir, o nome dele é complexo, Fladimir Elias Copola, é o nome do presidente da Rússia, ele tem vários crimes, várias passagens, é um hacker, eu falei com o delegado da Polícia Federal, eu falei com o delegado da Polícia Civil de São Paulo, Sorocaba e do Brás, falou – Rômulo, é um dos maiores estelionatários que tem na região de São Paulo (…)

(…) e a gente tá esperando essa documentação vir pra gente, o Leonel comprou o veículo de boa-fé. O problema todo, é, quando, infelizmente foi um colega de Câmara que caiu e eu tô investigando o caso, mas a gente tem total isenção se, realmente, a gente chegar no denominador comum que o carro é roubado o carro vai ficar apreendido e a gente vai entregar pro seu legítimo dono, mas a pessoa que registrou a ocorrência não é proprietária do veículo, o proprietário do veículo é o Leonel até que me provem o contrário, né verdade, é um cara que tem uma ficha criminal extensa. A gente tá levantando ainda todos os pormenores (…)

(…) Já mandamos várias medidas lá pra São Paulo pra saber se, realmente, chega nesse cara. Eu tenho certidões da Justiça que não localiza ele, certidões de vários processos em que ele não é localizado, entendeu? Então a gente vai chegar ao senso comum saber se isso vai ser resolvido pela via judicial ou administrativamente pela polícia, mas o fato é que não existiu crime praticado pelo vereador Leonel Filho, por isso que a gente não poderia tomar nenhuma medida judicial porque pra ter medida judicial a gente tem que ter elementos de materialidade e autoria, pra gente pedir pelo menos uma busca e apreensão pra buscar esse carro lá (…)

(…) ele vai apresentar o carro lá, nós vamos fazer a Polinter desse carro no ICRIM em Timon, vai ter uma perícia, vai retornar e a gente vai mandar toda a documentação pra São Paulo pro delegado de lá investigar porque o crime foi lá, o crime de furto e roubo não foi em Codó, é ação do lugar, então o crime tem que ser investigado lá em São Paulo, entendeu, lá em São Paulo e eu acho, acredito muito, não vou fazer nenhum pré-julgamento de valor, mas acredito muito que Leonel é mais vítima que acusado de alguma coisa, essas são minhas palavras, minhas colocações, quem tá falando aqui é uma pessoa técnica, to trabalhando dentro do caso, vou ser determinado pra trabalhar no caso, poderia ser qualquer um daqui, pessoas de boas índoles já compraram carro nessa situação”

12 comentários sobre ““A gente não pode tá abrindo inquérito através de um blog”, diz delegado defendendo Leonel na Câmara”

      1. Parabéns Acélio, Por sua Imparcialidade e independe de quem seja, sempre fez um jornalismo como seriedade e mostrando o fato e a veracidade da matéria.

        como diz o meu amigo Acélio Trindade “DEus salve á amércia”

  1. se alguem abriu deve ter algum documento do carro para provar, o correto e apreender o carro, quem estava conduzido ate que seja esclarecido os fatos,

  2. Tenho muita admiração por seu trabalho como blogueiro, mas dessa vez você não fez por merecer essa admiração, após o pronunciamento do delegado Rômulo ficou claro que não é necessário nem entender de leis pra saber que o edil foi vítima de um golpe.

  3. Calma Silvia,” segundo” Sérgio Moro aí ele é tão inocente quanto qualquer um, a diferença é que por enquanto “ainda é do mesmo time”.

  4. Se o tal vereador não fosse amigo do Delegado, com certeza esse carro já estava preso, infelizmente tanto o delegado como o vereador pessoas que teriam que dar exemplo, está dando aval para outras pessoas andarem com veículos com placas clonadas, carros roubados, todo e qualquer regularidades, é lamentável. Ahh, não é abrir inquérito a partir de um blog, esse carro tem um registro no departamento de trânsito como situa cão de roubo, não apreende o carro por que não quere, são amiguinhos,

Deixe uma resposta