Briga no mercado do peixe chama atenção para venda ilegal de Animais Silvestres

Veado Mateiro

Na manhã deste domingo,13, por pouco um vendedor de peixes e um fiscal da Colônia de Pescadores Z-37 não foram aos tapas na frente de uma rápida platéia que formou-se em meio a troca de palavras agressivas, algumas de baixo calão.

Informações dos feirantes dão conta de que o motivo é a venda de carne de animais silvestres na feirinha do peixe. No sábado, pela manhã, o fiscal teria recolhido dois veados abatidos, prontos para a venda no local. A carne apreendida foi parar na delegacia de polícia.

A colônia não quer a venda de carne que não seja de peixe no mercado e, logicamente, o feirante que ficou no prejuízo, não gostou da atitude.

O QUE DIZ A LEI

Codó está cheia destas vendas por causa da falta de fiscalização do IBAMA. Os vendedores não se deixam filmar e até ameaçam quem o tente fazer. O cinegrafista Cândido Sousa, da TV Mirante, já passou por esta situação.

Quem é praticante desse tipo de venda deve ficar atento ao que diz a legislação ambiental brasileira que age severamente quando o caso chega às autoridades.

A Lei de Crimes Ambientais, criada em fevereiro de 1998, considera os animais, seus ninhos, abrigos e criadouros naturais, propriedade do Estado, considerando que a compra, a venda, a criação ou qualquer outro negócio envolvendo animais silvestres é crime inafiançável.

Os legisladores visam proteger nossa fauna e não é para menos. No Brasil, 218 espécies animais encontram-se ameaçadas de extinção, sendo que 7 delas foram consideradas extintas por não existir registros de sua passagem, observação e presença nas matas há mais de 50 anos.

2 comentários sobre “Briga no mercado do peixe chama atenção para venda ilegal de Animais Silvestres”

  1. Do blog Dom Severi:

    Uma tentativa de golpe em cima dos maranhenses. Esse trem parece até piada de mau gosto, mas é uma jogada da mais pura esperteza

    Quem já se deu ao trabalho de estudar as historia do Maranhão e Piauí, sabe tanto quanto eu, que antes do conselheiro Saraiva transferir a capital do estado do Piauí de Oeiras, zona central desse Estado para onde hoje está localizada a capital do Estado, sabe que naquele tempo o município de Caxias, era o município mais importante, próspero e rico da região que compreende os municípios de Codó, Coroatá, Eugenio Barros, Coelho Neto, Buriti de Inácia Vaz, Parnarama, Matões, Brejo de Anapurus, São Francisco do Maranhão e toda região próxima a onde hoje está localizado o município de Teresina.

    Com a mudança da capital do estado do Piauí, essa região do estado do Maranhão, passou a sofrer um processo de esvaziamento em todos os setores de atividades. É óbvio que essa mudança interessou diretamente ao Piauí. E agora eis que surge um grupo de malucos, mais espertos que malucos, querendo estender a circulação de um trem que o teresinense chama pomposamente de metro, que quando muito deve ser chamado de metro de superfície, até o município maranhense de Codó. Um trem que hoje circula mal e porcamente entre o centro da cidade de Teresina até o bairro do Itararé, zona sudeste capital.

    É claro que os comerciantes e empresários do Maranhão, mais precisamente dessa região, não tem nenhum interesse na ida desse trem até os seus municípios porque vai esvaziar o comércio da sua região. Esse projeto na realidade só interessa aos piauienses que querem anexar essa parte do Maranhão ao Piauí.

    O prefeito ignorante e mais interessado em ganhar publicidade, do que defender os interesses dos seus munícipes, vai até quere abonar esse projeto ridículo e que em nada interessa ao povo do Maranhão.

    Na realidade, esse trem não passa de um cabide de empregos, sobretudo para a família do político piauiense Alberto Silva, falecido recentemente, que incompetentes para fazerem qualquer outra coisa na vida, vivem dessas sinecuras.
    Já que os piauienses são tão generosos, porque eles não trabalham no sentido para levarem esse trem até Tianguá, no estado do Ceará, o Estado que os piauienses tanto admiram? O Maranhão não precisa desse metro de superfície.

    Mais interessante do que jogar dinheiro no lixo, com esse trem, seria lutar pelo retorno do trem que ligava São Luiz a Teresina, um misto de trem de passageiros e mercadorias, imortalizado pelo compositor e cantor maranhense João do Vale.

    Isso a governadora Roseana Sarney não vai permitir. O Trem Bala entre Teresina a Codó.

    siga no Twitter ao blog Dom Severino ( severino-neto.blogspot.com) @domseverino

    Comentário meu: Tem doido para tudo, isso só mostra que o Prefeito Zito colocou um destabanado na Secretaria de Planejamento, não se surpreendam se esse Senhor, em querer aparecer, apresente um projeto que vai mandar o Prefeito a outro planeta, antes do termino do seu mandato.

  2. É vida de cinegrafista não é nada fácil. Tenha cuidado sempre Candido. E parabéns pelas excelentes filmagens. E acélio, parabéns pelas ótimas reportagens. Saudades

Deixe uma resposta