Mais de 40 cidades continuam sem data para nova eleição

Até agora, 45 dos 59 municípios brasileiros que tiveram o resultado da última eleição para prefeito anulado continuam sem data para o novo pleito. A revogação da disputa nessas cidades ocorreu porque o candidato que obteve mais de 50% dos votos válidos teve o registro de candidatura indeferido em última instância.

Nos municípios onde os processos ainda dependem de julgamento, o presidente da Câmara Municipal de Vereadores continua no comando do Executivo local. O calendário e as regras das eleições das cidades que ainda precisam eleger prefeitos este ano são de responsabilidade dos respectivos Tribunais Regionais Eleitorais, mas não há prazo para que os TREs definam essas datas.

Na lista das 14 cidades que já definiram calendários, Guarapari (ES) será a primeira a conhecer o novo prefeito no dia 3 de fevereiro. Um mês depois, dia 3 março, é a vez de mais dez cidades resolverem a pendência: Bonito (MS), Sidrolândia (MS), Tangará (SC), Criciúma (SC), Campo Erê (SC), Balneário Rincão (SC), Camamu (BA), Novo Hamburgo (RS), Eugênio de Castro (RS) e Erechin (RS).

Já o município de Pedra Branca do Amapari (AP) vai eleger o novo prefeito em 31 de março, e as cidades mineiras de Biquinhas e São João do Paraíso, no dia 7 de abril. Com informações da Agência Brasil.

FONTE: Conjur.com.br

FUNCIONÁRIOS NA CAMPANHA: Veja como Justiça e MP julgaram acusação contra Zito Rolim

Zito vence 1º dos 7 rounds na Justiça

A Coligação União por Codó (de Francisco Nagib e Zé Francisco) entrou com uma ação na Justiça, quando do período eleitoral, contra Zito Rolim e Guilherme Archer acusando-os de ABUSO DE PODER POLÍTICO.

Estaria aquele que concorreu à reeleição (Rolim) usando o funcionalismo público em prol de sua campanha, dizia a petição:

“…vem cedendo, em ambos os expedientes, nos períodos manhã e tarde,  centenas de servidores de diversas secretarias municipais para realizarem atos políticos em favor de candidatura dos investigados, conforme demonstram  as imagens em DVDs anexados aos autos”

Neste caso, um DVD foi anexado ao processo com imagens feitas no dia 29/06/2012, um dia antes da convenção do PV, com argumentos do tipo “fazendo campanha eleitoral antecipada, mesmo antes da convenção”.

PONTO FACULTATIVO

A ação também falou sobre pontos facultativos e o fechamento de ‘estabelecimentos’ públicos:

“…o prefeito determina ponto facultativo a todos os funcionários da prefeitura para participarem de suas caminhadas” ( 2º DVD foi anexado com imagens feitas dia 06/08/12).

“…mandou fechar os estabelecimentos públicos no dia 27/07/12 para realizar outra caminhada para divulgar sua campanha eleitoral”. Para reforçar este argumento a coligação anexou fotografias de postos de saúde, secretarias e escolas fechadas.

ENVOLVENDO RICARDO TORRES

A petição da coligação União por Codó também alegou o caso de dois secretários municipais aparecerem, filmados, nos atos políticos de Zito e Guilherme e fez referências especiais sobre seu sobrinho Ricardo Torres, nos seguintes termos:

“…Ainda coloca a disposição de sua campanha política o seu sobrinho Ricardo Torres que  acumula as funções de representante de coligação (Codó no Rumo Certo) sendo também procurador-geral do município e secretário de governo”.

A DEFESA DE ZITO

Na instrução do processo, duas testemunhas foram ouvidas do lado dos acusadores e 3 do lado dos acusados.

Os advogados de Zito e Guilherme pediram pela improcedência total da acusação alegando que não havia prova no processo capaz de condená-los e ainda que houvesse tais atos de utilização de servidores e empregados da prefeitura não teriam o poder de mudar os rumos da eleição.

“…querendo que seja julgada improcedente. Não se cogita violação ao art. 73 da Lei das Eleições  e ainda que fosse irregular não possui potencialidade lesiva para desequilibrar o pleito”, escreveu a defesa

O art. 73 da Lei das Eleições, em seu inciso III (três), citado pelos advogados de Zito, proíbe ao agente público (prefeito):

“Ceder servidor público ou empregado da administração direta (prefeitura/secretarias) ou indireta (Saae, por exemplo, que é uma autarquia municipal) federal, estadual ou municipal do Poder Executivo, ou usar de seus serviços para comitês de campanha eleitoral de candidato, partido político ou coligação, durante o horário de expediente normal, salvo se o servidor (efetivo)  ou empregado (contratado) estiver licenciado”

A POSIÇÃO DA JUSTIÇA E DO MP

Consta da sentença emitida no dia 5 de dezembro de 2012, publicada no dia seguinte, que o Ministério Público Eleitoral “opinou pela improcedência do pedido”.

O juiz eleitoral, Pedro Guimarães Junior, seguiu o entendimento do promotor de Justiça, dizendo   a priori  que a Coligação União por Codó não conseguiu provar o abuso de poder por parte de Zito Rolim.

“…No caso dos autos,  a instrução do processo  não comprovou o abuso do poder político apontado, eis que não há qualquer prova que indique que o primeiro representado, na qualidade de prefeito municipal, agiu da forma como fora aduzido na inicial, nem mesmo por indícios de modo a caracterizar a conduta tida como abusiva” escreveu o magistrado

VÍDEOS E FOTOS

O juiz também se manifestou sobre os três DVDs arrolados aos autos, da seguinte forma:

“No que diz respeito aos vídeos juntados aos autos (…)  o que se viu é que tais atos se deram em horário fora do expediente normal do Município, fatos comprovados pelos depoimentos de todas as testemunhas ouvidas na instrução”.

Segue o juiz.

“No tocante as fotos (…)  não demonstram cabalmente que ali funciona órgão público onde tenha sido decretado ponto facultativo ou, se assim o foi, que tal determinação tenha sido tomada para que os servidores ali lotados pudessem participar de atos de campanha”.

Encerrando sua sentença, escreveu:

“Considerando tudo mais que dos autos consta, não tendo a coligação feito prova do alegado Abuso de Poder Político por parte dos representados, julgo improcedente o presente feito e determino o arquivamento”.

Zito venceu o primeiro dos 7 rounds que tem por enfrentar contra seus adversários na Justiça Eleitoral.

Macieira se reelege no MA e Dr. Machado vence eleições da OAB em Codó

Com mais de 70% dos votos válidos, o advogado e atual presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Maranhão (OAB-MA) foi reeleito para o cargo. Mário Macieira vai conduzir a entidade no Estado no triênio 2013/2015.

 “A vitória é fruto do trabalho que vem sendo desenvolvido na OAB. É o reconhecimento dos advogados maranhenses ao trabalho que temos realizado”, declarou ao Imirante.com

A votação teve início às 9h e encerrou às 17h nas 11 Subseções da entidade no Estado. Além da eleição para presidente, os advogados também escolheram os Conselheiros Seccionais, Conselheiros Federais, as Diretorias da OAB/MA e da Caixa de Assistência dos Advogados (CAA/MA) e das Subseções maranhenses. Mais de cinco mil profissionais estavam aptos a votar.

A votação ocorreu em São Luís, e nas sedes das Subseções de Açailândia, Bacabal, Balsas, Caxias, Chapadinha, Codó, Imperatriz, Pedreiras, Pinheiro, Presidente Dutra e Santa Inês, e mesas receptoras de Barra do Corda, Estreito e Grajaú.

RESULTADO EM CODÓ

Em Codó disputaram o cargo de presidente da subseção os advogados Ribamar Carvalho e Francisco Machado. Venceu Machado com 53 votos, 9 a mais que o segundo colocado.

Durante a campanha, o vencedor que tinha o apoio do atual presidente Francisco Mendes, fez a divulgação de suas propostas em encontros realizados no município-sede da subseção, e nos vizinhos Timbiras e Coroatá.

Chapa AVANÇAR MAIS marca território e conquista apoio em Timbiras

O encontro realizado pelas Chapas “Chapa Avançar Sempre Mais- Dr.Mario Macieira” e “Avançar Mais –Dr. Machado” foi  realizado em Timbiras-MA, na última quarta-feira(14) , e contou com a presença de 07 advogados da Subseção de Codó-MA.

Chapa Avançar Mais/ Timbiras

Na ocasião, foram expostos para os  advogados timbirenses  os planos de trabalho da  “Chapa Avançar Sempre Mais” representada na Reunião pelo Candidato a Conselheiro Estadual Advogado Dr. Mendes  e da Chapa   “Avançar Mais” representada pelo Advogado Dr. Machado, para a Seccional do Maranhão e para a Subseção da OAB-Codó-MA para o triênio  de 2013-2015, respectivamente.

Apoio em Timbiras

Após  explanação das propostas, ocorreram  manifestações de apoio por advogados presentes ao evento

COROATÁ: Derrotado nas urnas Domingos Alberto pede cassação de Tereza Murad

FOTO: SITE DE COROATÁ

A imprensa Coroataense noticiou ontem (13) que na última segunda-feira (12) houve um manifesto de rua comandado pelo candidato derrotado, Domingos Alberto (PT), que seria o substituto de Luizinho da Amovelar, caso o plano de sucessão desse certo.

Várias pessoas o teriam acompanhado. O ato, segundo a imprensa local, seria em cima de denúncias de abuso de poder econômico cometido pela prefeita eleita, Teresa Murad (PMDB).

Domingos teria reunido provas e provocado seus eleitores a ir para as ruas cobrar providências da Justiça Eleitoral.

“A manifestação política busca denúncias, além das que já tem, para mostrar que a esposa do secretário de Saúde, Ricardo Murad, se elegeu sustentada em uma campanha milionária” escreveu um site coroataense

O ex-candidato a prefeito pediu a cassação do registro de candidatura de Murad e teria dito que sua campanha gastou algo em torno de R$ 20 milhões.

DÍVIDA ETERNA: O prefeito Zito é um produto da marca FC Oliveira

Chiquinho Oliveira/Zito Rolim

O título parece mesmo maluco considerando o que foi a eleição que findou-se no dia 7 de outubro.

Sabemos que Francisco Carlos de Oliveira e José Rolim Filho praticamente, sequer, trocaram cumprimentos na última eleição, daí deduzir que não houve qualquer participação do empresário, nela, que beneficiasse o reeleito. Tudo foi concentrado na eleição do filho Francisco Nagib, obviamente.

Mas se você, caro leitor, voltar um pouquinho mais no tempo não poderá fugir de outra realidade – a de que Zito sempre será um produto da marca FC OLIVEIRA.

O número de eleições em que Chiquinho Oliveira carregou Zito nos braços, no financeiro principalmente, dá até pra se contar nos dedos, mas o número de vezes em que este industrial  fez atos para levar Rolim ao Executivo Municipal nenhum dos dois é capaz de lembrar exatamente, porque isso ocorreu em boa parte dos 40 anos de amizade que nutriram desde que se ‘destabacaram’ de onde nasceram (Ceará e Paraíba)  para nossa acolhedora Codó Codorniz.

“NÃO SE REELEGE QUEM NÃO É”

Daí concluo, Zito deve sua reeleição à Chiquinho Oliveira e deveria agradecê-lo, até publicamente se possível, por tal feito.

Afinal, ele só foi reeleito porque era prefeito e só foi prefeito porque Chiquinho Oliveira e, claro, por causa do voto popular, assim o fizeram.

É revoltante para a turma, antes só ‘fczistas’,  que se dividiu e ficou do lado do chefe do Executivo, mas esta é uma verdade da qual nem os mais revoltados podem fugir.

Zito é um produto da marca FC Oliveira, goste disso ou não.

POR KLEBER SANTOS – EUA é aqui

Chicago (EUA): “o melhor está por vir”, foram essas as palavras do presidente reeleito Barack Obama em seu discurso da vitória . Codó (BRA): “parto para um segundo mandato entusiasmado, renovado e motivado para trabalhar mais e melhor por Codó. Obrigado amigos. Que Deus abençoe a todos”, prefeito reeleito Zito Rolim em seu discurso da vitória.

Exatamente esse ano, os Estados Unidos viraram uma Codó. O ano de 2012, foi o ano de eleições para ambos os lados. Eu observei em ambos os lados uma política provinciana, medíocre, paternalista, populista e eleitoreira. Infelizmente, política se faz assim. Tanto faz em Codó, Cabrobró, Jericó ou nos Estados Unidos.

Olhe o babaçu em Columbus, Ohio. Olhe o menino com catarro, melequento em Nova York. Olhem os babões perseguindo Obama na Times Square. Nessas eleições, os americanos protagonizaram uma verdadeira guerra eleitoreira no intuito de definir o líder de seu povo.

Não tenho nenhum “complexo de vira-lata” ou “provinciano”, aquele que é achar o comportamento de um estranho de outro lugar mais “Chique” que o seu. Assim como foi em Codó, nos Estados Unidos, a fase final da campanha para presidente escorregou para baixaria, com ataques pessoais em propagandas televisivas pagas feitas por comitês que apoiam cada um dos candidatos. Em alguns casos, a baixaria foi tão grande que os marqueteiros até duvidavam da eficácia do trabalho.

A história se repetiu, mesmo com o risco de que o jogo sujo levasse mais prejuízos do que benefícios. E o povo? Assim como foi em Codó, nos Estados Unidos precisamente na Florida e Ohio, dois estados importantíssimos na reta final, eleitores receberam pelo correio um DVD que apresentava o presidente Barack Obama como fruto de um romance escondido entre a mãe dele e um comunista. DVD? Vídeo? Está parecendo com quem, hein?

E contra o republicano Mitt Romney, seus eleitores foram enganados em vários estados. Nos estados onde o maior número de eleitores eram republicanos, eles recebiam ligações informando que as votações poderiam ser feitas pelo telefone. Uma opção inexistente nas eleições americanas

Nunca concordei com a ideia de relativismo cultural, onde o temperamento das pessoas é julgado através de um olhar geográfico ou sob uma vertente político-social.  Nem em países escandinavos isso funciona comigo. O ser humano deve ter uma hierarquia moral, e o povo norte americano mostrou a uniformidade de suas mazelas morais e éticas, assim como foi em Codó.

O ser humano avaliado socialmente é um fracasso. Nesse ponto de vista sou bem shakespeareano. Skakespeare (1564-1616) sempre avaliava o ser humano sob um ângulo moral, ou seja: somos universalmente primitivos, traidores, mesquinhos, falsos, ambiciosos, medianos, enfim… maus.

No dia 7 de outubro, os Estados Unidos reelegeram Barack Obama. Assim como foi em Codó, eles também acreditam que ele é o messias salvador. Assim como foi em Codó, eles também manifestaram seus podres. Assim como foi em Codó, uma parte dessa histeria pré-fabricada, populista e eleitoreira se dissipará. Chega de escrever, afinal de contas, os Estados Unidos é aqui.

Juiz Eleitoral emite Nota de Esclarecimento sobre intimação de vice eleito

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Venho, pela presente, esclarecendo a notícia veiculada sob o título “Audiência de Biné contra Zito em ação por compra de voto foi adiada”, informar que em nenhum momento afirmei que o Sr. Guilherme Archer deixou de ser intimado para referida audiência por encontrar-se para o Rio de Janeiro desde o fim das eleições.

Conforme noticiado pelo próprio Acélio na referida notícia, simplesmente afirmei que “…ela foi adiada justamente porque não foi feita a intimação do candidato a vice-prefeito da coligação do Zito Rolim, o Guilherme Ceppas Archer  por estar viajando para o Rio de Janeiro não por ausência de expedição de mandado ou qualquer coisa que a Justiça poderia ter feito.”

Ressalto, por oportuno, que não há em nenhum momento a afirmação de minha parte que o Sr. Guilherme Archer estaria se escondendo da justiça para não ser intimado, pois o que disse na verdade foi que alguns políticos após as eleições viajaram, sem mencionar o nome de qualquer um deles, fato que dificultou a devida notificação para as audiências em alguns casos.

Esclareço, ainda, quanto ao infeliz comentário de que a sua intimação não se deu “por incapacidade da justiça”, que a expedição do mandado para tal fim ocorreu no dia 24.10.2012, data em que foi entregue ao oficial de justiça responsável pelo cumprimento, e que este desde então não o encontrou justamente por não está em Codó a partir da referida data.

Por fim, informo que todos os servidores da 7ª Zona Eleitoral, que diga-se de passagem são bastante diligentes, têm envidado todos os esforços para cumprir as minhas determinações no sentido de preparar todos os processos para serem julgados até a data da diplomação dos candidatos eleitos no pleito de 2012, tanto que o tal adiamento foi o primeiro ocorrido nos 15 (quinze) processos que tramitam na mencionada Zona.

Atenciosamente,

Pedro Guimarães Junior

– Juiz Titula da 7ª Zona Eleitoral –

Vice-prefeito eleito comenta matéria sobre sua intimação em processo por compra de voto

O comentário abaixo foi escrito pelo vice-prefeito eleito, na matéria anterior, onde é informado que ele não foi intimado para passar a fazer parte do processo em que Biné tenta provar que Zito comprou votos. Leia:

Caro Acélio Trindade, admiro seu trabalho como repórter e acredito que publicará este comentário.

Li uma notícia em seu blog onde diz que a audiência de Biné contra nossa coligação não foi feita pois dizem que viajei após a eleição para o Rio de Janeiro, gostaria de esclarecer em seu blog essa inverdade, após a eleição já participei de alguns eventos em Codó como; culto em homenagem aos eleitos em 2012, festa de comemoração da vitória do 43 com banda X10, que inclusive foi na semana passada.

Estive em Codó até dia 24 de outubro, quando foi meu aniversário e fui passa-lo com minha avó que está doente em São Luis e vim hoje para São Paulo fazer um check-up geral para poder iniciar meus trabalhos como vice-prefeito em 2013.

Se não fui intimado até o dia 24 para uma audiência que aconteceria dia 30, foi por incapacidade da justiça pois, NUNCA precisei me esconder da justiça para não ser intimado, mas eu como cidadão que sou, também tenho meus direitos.

Já informo ao Exc. Juiz Dr. Pedro que estarei de volta a Codó no dia 06 de novembro. Grato pela atenção, Guilherme Archer

Audiência de Biné contra Zito em ação por compra de voto foi adiada

Dr. Pedro Guimarães Junior

Ontem (30) à tarde foi dia de movimentação no Fórum de Codó. Era dia de audiência de instrução de uma ação onde a coligação que tinha Biné Figueiredo como candidato a prefeito acusa Zito Rolim de ter comprado voto, baseando-se nos vídeos publicados na internet  que chegaram ao conhecimento do grande público por meio dos programas eleitorais no rádio e na TV.

A audiência foi adiada para 21 de novembro porque a defesa de Zito alegou que o candidato a vice, Guilherme Ceppas Archer, ainda não havia sido intimado.

Em entrevista ao blogdoacelio, o juiz Pedro Guimarães Junior explicou o que houve. Não foi um erro da Justiça, reafirmou o magistrado, na verdade o que ocorreu, segundo ele, é que Guilherme após a eleição viajou para o Rio de Janeiro e, assim, não pôde ser encontrado pelos oficiais de Justiça de Codó que tentaram diversas vezes intimá-lo, ou seja, cientificá-lo de que existe uma demanda contra ele na Justiça para que este prepare sua defesa.

“A audiência dizia respeito a questão daqueles vídeos que foram divulgados por suposta captação ilícita de sufrágio, conhecida como  compra de votos. Na audiência de hoje (30), a coligação que tinha o Biné como prefeito contra a coligação que tinha Zito Rolim como candidato a reeleição e ela foi adiada justamente porque não foi feita a intimação do candidato a vice-prefeito da coligação do Zito Rolim, o Guilherme Ceppas Archer  por estar viajando para o Rio de Janeiro não por ausência de expedição de mandado ou qualquer coisa que a Justiça poderia ter feito”, disse Dr. Pedro

Como parte no processo por compra de voto, Guilherme não pode deixar de ser intimado sob pena dos atos seguintes sofrerem de nulidade.

O juiz afirmou que é do interesse da Justiça Eleitoral decidir sobre todos os processos até o dia 19 de dezembro, pois estas ações estão emperrando a Justiça Comum e prejudicando até a realização de júri popular.

O querer da Justiça é acabar com esses processos até o dia 19 de dezembro, nós estamos fazendo de tudo. Como eu lhe disse, os candidatos depois da eleição viajaram, então os oficiais tiveram dificuldades de intimá-lo, de algumas que ainda estavam por intimar, notificar, mas eu fiz de tudo, conversei com os oficiais de Justiça, eles aumentaram os esforços todos já estão intimados das ações que ainda existem pra notificar, para apresentar defesa, fazer audiência e eu acho que  das 15 que estão tramitando, se eu não me engano faltam três ou quatro pra gente instruir o processo, ouvir testemunhas e preparar para julgar”, afirmou

O blog quis saber sobre o que será feito até o dia 21 para que Guilherme seja intimado. O juiz assim respondeu.

Nestes 20 dias nós vamos tomar todos os cuidados pra que a gente intime,se não conseguirmos intimar o Guilherme em uma e o Emanoel Coimbra em outra, vamos intimar os procuradores deles (advogados) porque isso já supre esta necessidade de intimação para o comparecimento na audiência”, concluiu

INTIMAÇÃO DE EMANOEL COIMBRA

A audiência envolvendo a coligação de Francisco Nagib e Zito, pela mesma acusação, que ocorreria nesta quarta-feira (31) também foi adiada para 22 de novembro por falta de intimação.

Desta feita, a parte não intimada foi Emanoel Coimbra, que aparece nos vídeos da internet contando algo que supõe-se ser dinheiro dentro de uma casa. Ele está viajando para Brasília segundo justificaram aos oficiais de justiça.

MISTÉRIOS DE CODÓ: Ex-candidato a vereador quer saber na Justiça porque o voto dele para ele mesmo não apareceu

O ex-candidato a vereador, Francisco Silva, o popular  Chico Dorim, obteve  no dia 7 de outubro exatamente  293 votos, mas entre estes, acredite,  não está o voto dele.

Não que ele não tenha votado em si mesmo, segundo o próprio, o voto dele dado na seção de número 25, zona eleitoral 007, na escola Colares Moreira, simplesmente não apareceu na lista da Justiça Eleitoral que ele anda exibindo para quem quiser ver, por toda a cidade.

“Nenhum voto, nem o meu apareceu”, afirmou ao blogdoacelio

O QUE HOUVE?

Chico Dorim, que se candidatou representando a Colônia de Pescadores Z-37, afirma que viu o rosto do candidato a prefeito que ele apoiava, que era Francisco Nagib,  e confirmou, depois viu o próprio rosto e  o confirmou votando  para vereador, ou seja, ele tem certeza que a urna funcionou direitinho e ele não errou os votos.

“MAIS O QUE HOUVE COM O VOTO DO SENHOR, O SENHOR SE VIU? A urna funcionou normalmente, o meu voto, o do prefeito e na lista que o senhor está vendo não está aparecendo, nem o meu voto”, argumentou

JUSTIÇA NA JUSTIÇA

Agora, o candidato que não recebeu o próprio voto, vai procurar esclarecimento impetrando uma ação na Justiça. Informou ao blog que já procurou um advogado e mesmo tendo certeza que não conseguirá anular a seção em que votou, pois o prazo já expirou para tal ato, quer ver como a Justiça Eleitoral vai se explicar sobre este estranho caso que ele mesmo tachou de DESVIO DE VOTO.

“Falei com advogado, advogado vai tomar as providências e ver até onde vai…O QUE O SENHOR ACHA QUE PODE TER ACONTECIDO? O que eu imagino que tenha acontecido foi desvio de voto, só o que eu penso é isso porque se a urna tivesse falhado eu não dizia nada, porque falhou, mas a urna não falhou, funcionou normal”, concluiu

Mistérios do meu Codó.

MAIORIA -27.810 codoenses disseram nas urnas que não queriam Zito num 2º mandato

Zito dizendo sim, eu quero continuar

A maioria dos eleitores codoenses disse NÃO para Zito, disse NÃO nas urnas, dia 7 de outubro, disse que NÃO o queria mais administrando o município. Acélio, peraí rapah, agora tu  pirou de vez?

Não. NÃO pirei. É simples.

Zito teve 23.075 votos. Se somarmos os votos que foram dados à todos os seus oponentes, sobretudo para Biné e à Francisco Nagib, rapidamente chegamos a conclusão de que a maior parte dos codoenses não queria mais Zito governando. Senão vejamos.

A soma dos votos de Biné (19.509), mais os de Nagib (7.574), professor Celso (607)  e os de Zé Inácio (120) é igual à  27.810.

Querendo ou não os zitistas – 27.810 É UM NÚMERO MAIOR QUE 23.075, ou não?

Em síntese, concluo – mais codoenses disseram nas urnas que não queriam Zito num segundo mandato a frente da Prefietura.

Em discurso memorável João de Deus admite – ‘só faltou voto’

O vereador João de Deus fez o mais lúcido discurso da noite de ontem (22) na Câmara Municipal de Codó. Falou de sua não reeleição com uma tranqüilidade incrível.

Parlamentar de quatro mandatos, João teve a sensatez de admitir que fez tudo certo, até melhor que em campanhas anteriores, mas isso não foi o suficiente para alçá-lo ao quinto mandato.

“Nada do que eu fiz eu faria diferente, nada. Até que alguma coisa chegue pra mim e mostre que eu falhei em alguma coisa, eu tendo que foi a campanha mais estruturada, mais organizada” disse completando.

“Eu não ouço nenhuma crítica à maneira como eu fiz esta campanha”.

“SÓ FALTOU VOTO”

Experiente e admirado, até pelos colegas de parlamento, por sua sabedoria ao discutir leis e o regimento interno, o vereador falou de sua fidelidade ao grupo comandado hoje por Francisco Nagib e Francisco Carlos de Oliveira.

Tachou-se de coerente ao decidir se manter fiel ao 22 (PR) e não ao 43 (PV, seu partido), embora ache que o eleitor não o tenha entendido.

“O que pra mim foi coerência me manter com o Chiquinho (Oliveira), não me afastar, mas me manter com compromisso aqui na Câmara de ser o vereador, da maneira como eu me comportei, é diferente (…) então o que pra mim foi coerência, para o povo foi uma incoerência”, disse

Sobre o que teria faltado para sua reeleição, uma vez que fez tudo certo. João foi simples e muito sincero.

“O que foi que faltou João, e eu, muito tranqüilo – faltou voto, só isso, só faltou voto”, afirmou sorrindo.

CRÍTICA À CARRIM

Em seu discurso, a única crítica que fez foi ao comportamento do eleito Carrim Construções que teria dito em entrevista na FCTV que não deve sua eleição à ninguém. João discordou e fez um alerta ao novo vereador pedindo que ele dê mais valor aos famosos ‘buchas” (turma que tem o voto recebido para completar legenda).

“Eu lamento a entrevista que Carrim deu, uma pessoa que não chegou à 900 votos. Vai pra televisão e diz que ele não deve eleição dele à ninguém, dele, Chaguinha ao Chiquinho do Saae, que foi o mais votado,todos devem à eleição à um grupo político, à coligação. Você não deve nada à ninguém se você tivesse feito os cinco mil votos do coeficiente eleitoral, sozinho”, concluiu

IMORTAL – Biné leva 23.075 tiros, continua vivo e causando pesadelos nas noites sombrias de Zito

Biné em ação

Biné é um político imortal. Mesmo depois de levar 23.075 tiros (votos) vindos da metralhadora de Zito Rolim no último dia 7 de outubro, ele continua vivinho da Silva Figueiredo e se mexendo.

Mostrou que além de várias vidas (mais do que gato) tem bala na agulha também. Tanto que Zito saiu bastante ferido da campanha de 2012, foi perfurado mais de 19 mil vezes pela sempre potente metralhadora eleitoral de seu Bina.

“O POVO PEDE, BINÉ DÁ”

É um político tradicional, daqueles que chega na fila no dia da eleição e sai abraçando, pegando na mão e beijando um a um. Firmou seu império em cima da assistência, as vezes bem assistencialista mesmo, à classe mais pobre desta cidade. ‘O povo pede e Biné dá’, este é o conceito que o carente de tudo tem dele e, por isso, essa gente não o larga, não o abandona.

O número deste ano não foi o suficiente para vencer seu principal adversário, mas este (Zito) nunca poderá abrir a boca para dizer – estou sossegado, Biné nunca mais.

Daí vem as sucessivas reeleições do filho, Camilo Figueiredo, deputado estadual, e duvide quem quiser, daqui há dois anos, se Camilo quiser, dá Camilo de novo, por força de outra máxima que já existe entre os seguidores desta quase religião chamada Biné –  quem é Biné não muda.

Biné em grupo

FUNGANDO NO CANGOTE DE ZITO

Ninguém, além de seu povo, tem mais esperança de que a Justiça casse o diploma de Zito reeleito que o próprio líder da família Figueiredo. Ele tem 7 grandes motivos para isso. Existem 7 ações pedindo a cabeça de Rolim no Fórum de Codó. Duas delas por suposta compra de votos filmada e escancarada para o mundo via internet.

Se Zito for cassado minha teoria da imortalidade binezista se confirma ainda mais

Ao som da Banda X10 Zito Rolim celebra vitória com o povo de Codó

A população de Codó comemorou nesta sexta feira dia 20/10, com uma grande festa, a vitória do prefeito reeleito Zito Rolim e seu vice Guilherme Archer nas últimas eleições municipais do dia 07 de outubro. Mais de dez mil pessoas lotaram o chamado Corredor da Folia e puderam acompanhar mais uma apresentação da Banda X10, fenômeno da musica pop baiana que une em seu repertório grandes sucessos em ritmos que vão do sertanejo universitário à batida baiana, do Arrocha até Ritmos latinos.

Corredor lotado

Os codoenses, reconhecidos pela X10 como grandes fãs e parceiros da banda, cantaram os maiores sucessos junto com Ritielle Andrade e Fernando Lima, que esbanjaram talento e carisma. Com o clima romântico da noite, a histeria do público feminino não poderia ter sido diferente.

Zito e banda X10

Sabendo da empatia da X10 com o público codoense, o prefeito municipal Zito Rolim decidiu chamar a banda baiana para encerrar com chave de ouro o ciclo de comemorações alusivas a sua reeleição. Desde a vitória nas urnas no dia 7 de outubro passado, o prefeito comemorou a conquista junto com a população codoense em diversas ocasiões. Nesse período, outro grande show foi proporcionado aos codoenses em homenagem ao aniversário do prefeito.

Em discurso emocionado, o prefeito reeleito Zito Rolim agradeceu todo o carinho e apoio da população e afirmou que seu segundo mandato será muito melhor que o primeiro. “Estou muito feliz com o resultado de nossa campanha. A população de Codó reconheceu em nossa campanha a seriedade e responsabilidade que tivemos para administrar nosso município. Parto para um segundo mandato entusiasmado, renovado e motivado para trabalhar mais e melhor por Codó. Obrigado amigos. Que Deus abençoe a todos”. Declarou o prefeito.

Lotação geral

Muitas autoridades também estiveram presentes no evento, como o próprio vice-prefeito eleito Guilherme Archer, a Primeira Dama do município, Eliene Rolim, além de vereadores e secretários. A festa contou com estrutura de barracas, banheiros químicos, palco, iluminação e a animação da atração musical. A Polícia Militar de Codó e a guarda Municipal garantiram a segurança dos brincantes e mais uma vez mostraram um trabalho coordenado e eficiente. Em mais uma noite de celebração a democracia, a população do município de Codó dançou e se divertiu na comemoração da festa da vitória.

Assessoria de Comunicação – Governo Municipal de Codó