Rendendo – Presidente do IHGC emite nota sobre impasse com Cristina Archer

Caro amigo leitor,

Pres. Ribamar Amorim

Pensei em seguir a mesma linha da confreira e ex-deputada Cristina Archer também não ia me pronunciar, mas, diante de tantas versões e aberrações a respeito do Instituto Histórico e Geográfico do Codó – IHGCodó, me vejo na obrigação de esclarecer alguns pontos:

1- Assim como a Confreira Cristina já falou, não há nada contra ela ou qualquer outro membro deste Instituto;

2- Como ela mesma disse na sua resposta, toda instituição precisa de novos membros que dêem prosseguimento aquilo que foi iniciado;

3- O que esta nova direção fez foi somente cumprir o que reza no Estatuto da Instituição em relação aos membros efetivos que não se encontram residindo no município, que é o caso da confreira, que passará automaticamente para sócia correspondente, o que não a faz perder a qualificação de sócia fundadora;

4- A nova diretoria nada tem contra a Confreira e nem contra quaisquer outros membros desta Casa como querem insinuar na matéria, pois achamos que todos, indistintamente, deram sua parcela de contribuição para a criação deste instituto;

Portanto, caros leitores, o que existe mesmo no IHGCodó são pessoas, que gostariam de ver este Instituto continuar no anonimato e tentam denegrir esta “badalada” instituição, com atitudes escusas e covardes. Isso não irá nos afastar da nossa meta, que é trabalhar em prol desta centenária e bela cidade e de seu povo.

Colocamo-nos ao seu inteiro dispor, como sempre fizemos, para lhe dar as verdadeiras noticias desta instituição, quando assim o senhor desejar, pois como reza também no Estatuto, toda e qualquer notícia desta instituição só poderá ser dada pelo seu presidente ou por indicados por ele.

Obrigado.

José Ribamar Amorim Reis

Presidente do IHGCodó

Páscoa – Feira de produtos caseiros é um sucesso

Chocolateiras

O Grupo de Mulheres em Ação é formado por chocolateiras e artesãs da cidade, com o apoio da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio. Nesta época as barracas vão para o centro de Codó (pça. Alcebíades Silva) com um sabor muito desejado.

Encontramos a professora Amélia Gereissati provando um bombom caseiro e pedimos para que descrevesse o que sentiu.

é um sabor natural, é gostoso não deixa nada a desejar dos industrializados, saboreando um produto da terra…nós temos que valorizar o que nós temos”, disse

Por isso a feira faz tanto sucesso na páscoa. O blog quis saber da agricultora, Flávia Santos, que estava no local hoje à tarde.

“ELAS TRABALHAM BEM? Com certeza, hoje eu já comi gostei, por isso eu voltei e comprei…devem valorizar muito o trabalho das companheiras, realmente elas são profissionais”, respondeu com dois ovos de páscoa na mão

Quem vende também apresenta outra coisa que o consumidor preza muito – preço menor, que varia de acordo com o tamanho do ovo de páscoa caseiro (R$ 3,00 à R$ 25,00).

A feira foi realizada pelo segundo ano consecutivo e firmou a presença de quem gosta de incentivar a produção local, tem gente que apareceu com a família inteira para que a coisa comesse a virar tradição. Assim fez a bióloga Emanuelle Magalhães.

“Trouxe as crianças pra ver, comprar, provar, em segundo lugar incentivar a cultura, o trabalho delas que é muito importante e tudo precisa de nosso incentivo”

RETORNO

Feira

O reconhecimento é brindado com o retorno financeiro e as mulheres que fazem sucesso na semana santa já planejam novas feiras para maio.

Ele (o grupo) mais abrangente, no mês de maio nós vamos ter também um evento em homenagem às mães, vamos fazer também uma feira, vamos também começar o trabalho de artesanato fazer cursos de artesanato criando outro grupo de mulheres não só o de chocolates”, nos disse a chocolateira Catiana da Silva Santos

Timbiras inicia combate à infestação do mosquito da dengue

colaboradores

Logo cedo centenas de estudantes tomaram as ruas de Timbiras. A maioria levava sacos plásticos para cumprir a missão do dia – recolher qualquer coisa que servisse de criadouro para o Aedes Aegipty.

Eles foram escolhidos pela facilidade de repassar informações importantes para a população. Estudantes na situação de Aline da Silva, preocupada em deixar a mensagem de que é possível fazer algo todos os dias.

“Tem que evitar, senão vai prejudicar as pessoas, tem muitas crianças na rua, brincam…E TODOS PODEM FAZER ALGUMA COISA? Pode, não jogar papel no esgoto, juntar latinhas”, respondeu Aline

CAMPANHA SEGUE

A campanha vai seguir durante a semana e a cada dia, com a ajuda das escolas, o mesmo trabalho será feito num bairro específico.

A cidade, de acordo com informações da Secretaria de Saúde, não tem casos de dengue registrados, mas há uma preocupação com o índice de infestação do mosquito nas casas, que estaria acima da média determinada pelo Ministério da Saúde.

“O que nos preocupa é o nível de infestação principalmente em alguns bairros, enquanto o Ministério da Saúde preconiza que o nível tolerável seja de até 1%, nós temos o bairro São Sebastião com 2,45%, o bairro Olaria com 1,6% e outros bairros que nos preocupam”, explicou o secretário José Cândido Ribeiro Neto

TRABALHO DURO

combate nas ruas

Por isso o trabalho será árduo. Os professores que acompanharão cada grupo repetirão o discurso fazendo um apelo direto aos habitantes de Timbiras.

“Se nós nos descuidarmos muita gente vai ficar doente e piorar a situação dos hospitais que já não estão tão legais, então temos mesmo é que estarmos preparados para evitar este mosquito”, disse a professora, Maria Luiza da Silva Sousa

“SE A POPULAÇÃO NÃO COLABORAR NÃO ADIANTA? não adianta vir fazer esse grande desperdício de recurso pra popular continuar na mesma”, respondeu, complementendo, a professora Arnilde Sousa Pereira

Fruta Nativa fez show de encerramento dos 115 anos

Félix do Fruta Nativa

A melhor banda da cidade, segundo escolha da população e da imprensa, fechou a festa dos 115 anos fazendo todo mundo dançar. O palco e o som já estavam montados desde sexta-feira,15, quando um show gospel, com bandas locais, marcou a parte musical do evento.

O músico e empresário da Fruta Nativa, Félix, afirmou ao blogdoacelio que todos estavam preparados para a apresentação.

“A banda tá preparada, vem com um repertório totalmente novo e a expectativa vai ser grande para o show”, garantiu o empresário

De acordo com Félix, a banda teve a oportunidade de mostrar seu trabalho para um público bem maior que aquele que, geralmente, tem acompanhado a Fruta em clubes fechados.

“A banda estava empolgadíssima para mostrar o trabalho ao público, porque nós estamos tocando mais em clube fechado, hoje nós temos a oportunidade de mostrarmos nosso trabalho para 10 ou 15 mil pessoas no aniversário de Codó, com certeza mais uma vez a Fruta Nativa vai dá um show”, concluiu

O show começou às 22h, na praça Ferreira Bayma, e entrou pela madrugada deste domingo.

Confira a lista dos que receberam Títulos de Cidadão Codoense

Cidadãos codoenses

A Câmara Municipal de Codó entregou, às 16h de sábado, 17 títulos de Cidadania Codoense. Entre os homenageados estão membros do Ministério Público, funcionários públicos e empresários da cidade. Confira a lista abaixo:

  1. Alenilton Santos da Silva Junior (Promotor de Justiça)
  2. Andrey Nogueira Silveira (Empresário/pres. ACIAC)
  3. Antonio Ferreira Melo
  4. Caryl Chessmam Silva Aragão (servidor público da Justiça Estadual)
  5. Clélia Magalhães Mota
  6. Délia Bernarda Nunes Assen (Sec. De administração)
  7. Edson Sousa
  8. Francisco Miguel Barbosa
  9. Jesus Silvestre de Lima
  10. Graciana Barbosa dos Santos
  11. João de Deus Lima (empresário)
  12. Jocimar Pereira Gomes (gestor regional de saúde)
  13. Kátia Cilene Amorim de Sousa Costa (empresária)
  14. Leandro Guimarães Cardoso
  15. Maria Iracema Monteiro dos Santos Souto
  16. Raimundo Fernandes dos Santos
  17. Raimundo Nonato Santos

Definido:lavradores acampam em frente à Prefeitura após cortar bolo da ponte

2 anos sem ponte

Os lavradores da região afetada pelo problema entraram na cidade em ritmo de protesto. Discursos, faixas e até foguetes chamavam a atenção da sociedade e das autoridades pedindo providências urgentes quanto à ponte, sobre o rio Codozinho.

Ela é o principal motivo do protesto dos lavradores. A ponte que existia foi levada pela correnteza em maio de 2009. No próximo mês já serão dois anos sem a reconstrução. Centenas de famílias de agricultores que moram do outro lado estão prejudicadas.

O período mais intenso de escoamento da produção está chegando e todos estão preocupados.

Não dá, de bicicleta sabe como é e aí se não tiver um carro pra trazer um feijão, um arroz, uma farinha…CARRO NÃO PODE PASSAR? Não pode passar”, reclamou o lavrador José de Ribamar dos Santos, morador da Cordiléia

A produção de farinha da região está ameaçada, segundo Nilton César Pereira.

Ponte do Codozinho

“N

ós precisamos o mais rápido possível dessa ponte, para que nós possamos escoar nossa produção porque se nós fizermos farinha, não pode nem guardar por que pode apodrecer”, disse

Na frente da Prefeitura, os lavradores cantaram, há pouco, parabéns e depois cortaram um bolo em protesto aos dois anos sem ponte.

“O bolo é uma forma simbólica de criticar os dois anos sem ponte, exatamente no mês de abril faz dois anos sem ela”, justificou Rafael Silva, da rede de Defesa dos Direitos da Cidadania, a frente do movimento

DEFESA DO GOVERNO

O secretário de infraestrutura do município informou que a construtora já está com ordem de serviço na mão para executar o projeto orçado em R$ 1.840.000,00, mas por causa da cheia do rio, a empresa pediu uma prorrogação de prazo para começar a trabalhar.

Ela fez uma justificativa plausível a respeito da questão da elevação das águas, foi analisado pelo jurídico e foi dado essa ordem de paralização de 30 dias para dar um novo reinício”, afirmou Márcio Esmero

Os manifestantes resolveram aguardar o prefeito Zito Rolim, para ouvir dele a justificativa da não construção da ponte. Enquanto não forem ouvidos por ele permanecerão em frente à Prefeitura.

TV Mirante denuncia e MP investiga preço único de gasolina em Codó

Gilberto Câmara

O problema continua e o consumidor de Codó sem opção. Se quiser gasolina vai ter que comprar à R$ 2,93 em todos os postos da cidade e isso vem acontecendo há vários meses, mesmo debaixo de muita reclamação.

“Podia ser um vendendo mais barato do que o outro pra facilitar pra população de Codó…ONDE NÃO TEM CONCORRÊNCIA, QUEM SAI PREJUDICADO? O consumidor”, reclamou o motorista Gilson Chaves Oliveira

NA TV MIRANTE

Depois de ver a denúncia feita pela TV Mirante, o Ministério Público Estadual, em Codó, instaurou um procedimento administrativo para a apurar a prática de preço único. O órgão ministerial quer saber se os donos de postos estão combinando valores entre si para prejudicar o consumidor

O promotor que cuida da investigação, Gilberto Câmara, não quis gravar entrevista, mas informou que o procedimento está em curso desde 23 de março. Uma ordem de missão já constatou a veracidade da denúncia e, em breve, o Ministério Público saberá se o que está ocorrendo na cidade é crime contra a ordem econômica. Então vai responsabilizar a quem de direito.

CLAMOR POPULAR

Enquanto isso nas ruas a insatisfação só cresce. O taxista e cantor, Walter Silva, cobrou uma intervenção da Justiça.

Aqui em Codó, com certeza é uma formação de cartel porque todos os postos não tem diferença de R$ 0,1 centavo…quer dizer todos os postos de Codó combinados, isso é formação de Cartel, então a gente precisa que a Justiça tome a providência”, disse

Para quem precisa diariamente do combustível para sobreviver, como a categoria dos mototaxistas, o preço é combinado e isso precisa mudar.

Se todos os postos são o mesmo preço acho que são combinados os donos, né…E ISSO NÃO PODE? Claro que não”, respondeu José Ribeiro da Silva

DONOS SE DEFENDEM

Nos postos onde nossa equipe esteve, os donos, que pediram para não serem identificados, disseram que não há qualquer contato entre eles para firmarem o preço de R$ 2,93.

É neste valor por causa dos custos, entre os quais o de transporte (frete para alguns). Ouvimos também alguém nos mandar procurar as distribuidoras e não os revendedores de Codó para explicar o preço único.

Ex-vereador dá nota 1 para a atual Câmara Municipal

O ex-vereador por quatro mandatos (3 diretos e 1 por suplência), Léo Araújo, também secretário de Esportes do governo de Ricardo Archer, concedeu entrevista nesta quarta, 13, ao radialista, Eliel Lima, no Espaço do Cidadão.

Quando o assunto chegou na Câmara, Eliel perguntou – que nota o senhor daria ao legislativo atual? Léo Araújo, indagou em resposta “pode dá zero”? Depois sorriu e melhorou a nota – “Dou nota 1 por tudo que está acontecendo. Nada contra nenhum vereador, mas pelo que vem acontecendo”, aliviou

PRÉ-CANDIDATO À CANDIDATO

Na crista da onda onde todos estão declarando suas pré-candidaturas nos meios de comunicação, Lima não hesitou – você será candidato? Perguntou. Léo, primeiro, desconversou.

“Eu digo aqui à você, ao povo que está nos ouvindo, não estamos fora da política posso ser candidato ou não. Sendo candidato vamos logo direto, não sendo vamos estar militando ajudando algum candidato à prefeito, então um vereador”, afirmou

Mas, depois, não resistiu a oportunidade de deixar na cabeça dos ouvintes a dúvida.

“Se nós formos candidatos nós vamos vir aqui e avisar pra você que somos candidatos, mas vamos dizer que somos pré-candidato à candidato desta próxima eleição ou a prefeito, ou a vice ou a vereador”, garantiu Léo

Alunos do IFMA dão aula de Meio Ambiente na Estevam Ângelo

Palestrantes

Alunos do curso de Meio Ambiente do Instituto Federal do Maranhão estiveram na manhã desta quarta-feira na Escola Estevam Ângelo de Sousa. Levaram novidades sobre o assunto. Lays Luani Santos Tavares, no tema aquecimento global, fez relatos sobre a fotossíntese artificial, atualmente, desenvolvida na Austrália.

consiste é um método que captura todo o dióxido de carbono e os poluentes que são lançados na atmosfera, retém nas suas folhas que são de plástico e transforma em alimentos como o açúcar e o amido, como as plantas fazem. Este processo pode ser utilizado em rodovias, aeroportos e também nas centrais de carvões mais antigas”, explicou a estudante

LEGISLAÇÃO

Atentos

Nayara Taiane da Silva tratou da legislação ambiental internacional, incluindo até o protocolo de Kyoto. Explicou que a intenção é munir os participantes de informações para que estes possam defender a biodiversidade e fazer denúncias quando algo estiver errado.

“explicar pra eles sobre biodiversidade que é todas as espécies que existem em nosso planeta para eles ficarem a par do assunto e não saírem, aleatório fazendo denúncias sem saber do que eles estão falando”, disse

SOCIEDADE EM AÇÃO

Os estudantes também deixaram plantada na mente da plateia a ideia de que é preciso organizar-se, enquanto sociedade civil, para fazer algo de importante em prol do planeta. Foi o que afirmou o jovem de Dom Pedro, Ricardo Bruno de Sousa Feitosa.

Aí sim a sociedade civil vai poder estar participando diretamente cobrando do governo e do Estado medidas e atitudes que venham a melhorar o meio ambiente, questão de saneamento, urbanização que não deixam de ser necessidades ambientais”, destacou

AVALIAÇÃO

Viviane Sousa, estudante da Estevam, achou a aula diferente e empolgante.

“é muito importante porque o que eles aprenderam estão passando pra gente e é muito divertido porque eles mostram vídeos, eles falam sobre o aquecimento, gostei”

Raniele Moraes, que também formou a plateia do Estevam, guardou os ensinamentos que pretende reproduzir em seu meio. Agora para ela todos nós podemos fazer algo para ajudar o planeta.

Retorno de Cristina Archer causa guerra fria dentro do Instituto Histórico

Está rolando uma verdadeira guerra fria (silenciosa) dentro do Instituto mais badalado do momento, o Instituto Histórico e Geográfico do Codó.

O motivo é o possível retorno de uma sócio-fundadora famosa chamada Cristina Archer, isso mesmo, nossa ex-secretária de trabalho e desenvolvimento social e ex-deputada estadual, aposentada politicamente pelo ex-marido.

A cadeira de sócia-fundadora ninguém tira, a briga interna seria pela cadeira de membro efetivo atualmente ocupada pelo excelente professor Wolney. Rola dentro do IHGC que Cristina está voltando do Rio de Janeiro e quer seu honroso lugar.

Em sua defesa já saíram nomes que andam enfraquecidos dentro do Instituto, como o da pedagoga Rosalva Kômora e outros. A retomada de lugar está difícil porque a ala dominante do IHGC é, declaradamente, contrária ao desejo da ex-deputada e de seus aliados.

Para se ter uma idéia do poderio de fogo da nova direção, até Jacinto Junior, secretário de educação, já foi guilhotinado em recente tentativa de torná-lo membro efetivo.

A nova diretoria, que será empossada dia 16, às 4h da tarde, na Ananias Murad, entende que tem muita gente querendo voltar em função da repercussão hoje obtida pelo Instituto, até então morto e sem atitudes que apareciam para a sociedade.

Se Cristina Archer retornar do Rio, poderemos ver quem vencerá a guerra fria do IHGC.

Candidatos podem estar tentando comprar voto em escolas de Codó

Em conversa recente com professora Virgínia, do Sindsserm, o blogdoacelio teve conhecimento que o Sindicato já está investigando denúncias de que possíveis candidatos estão ofertando coisas para alunos, entre estas até material escolar.

A finalidade é, obviamente, influir na vontade daqueles que podem dar rumo ao resultado da eleição. Uma vez constatando a veracidade das denúncias o Sindsserm tomará as providências cabíveis, inclusive, junto ao Ministério Público.

EXEMPLO DO CT

O processo eletivo, apesar de hiper democrático, é perigoso por causa, principalmente, desses vícios que o permeiam. Além dessa má influência advinda dos candidatos, a eleição pode sofrer a interferência disfarçada do governo, basta lembrar o que ocorre na eleição do Conselho Tutelar.

Quem já acompanhou o processo pode até negar, mas é visível a ação dos governos para eleger candidatos que comungam com seus interesses.

Quem garante que desta vez algo do tipo não irá ocorrer?

É bom não descuidar

Definido: Minha Casa, Minha Vida vai ter o nome do prefeito de Codó

Zito Rolim

O conjunto habitacional construído com recursos do governo federal por trás do terminal rodoviário de Codó, numa área mais conhecida como Sabiazal, por causa da localidade mais próxima, agora já tem nome definido.

Por unanimidade entre os presentes, com exceção de Figueiredo Junior, que ausentou-se, o projeto de lei, de autoria de vereadores da base governista, foi aprovado.

Por conta disso, as mil casas construídas estarão, oficialmente, a partir de agora, dentro de uma área chamada de Residencial Zito Rolim.

O nome segue uma tendência local. Basta lembrar as dezenas de Vila Biné, Eliane, Ricardo, Vila Cristina Archer, Vila Hildemberg, Vila Camilo. Agora, residencial Zito.

É justo?

Email do Consumidor inicia campanha contra atendimento da Tim em Codó. Participe

Lindojon Bezerra

Tramita desde junho de 2010 na 1ª Promotoria de Justiça de Codó-MA, com atribuição na defesa do consumidor codoense uma Representação formulada pelo jurista idealizador do EMAIL DO CONSUMIDOR, Lindojon Bezerra, que provocou o Ministério Público Estadual sobre o desrespeito e as péssimas condições de funcionamento das linhas telefônicas móveis (celular) da operadora TIM na cidade de Codó-MA.

Reveja a matéria, clicando aqui (http://professorlindojon.blogspot.com/2010/06/tim-em-codo-e-alvo-de-representacao-ao.html).

Ainda não foi instaurado o Inquérito Civil para investigar o fato, mas em conversa com o Promotor titular desta Promotoria em Codó, tivemos a informação que o mesmo já tomou algumas providências preliminares para apurar a situação da telefonia móvel em Codó, inclusive falou que o jurista foi o único que reclamou na Promotoria até o momento. E em pesquisa recente no Juizado Especial ficou constatado que existem pouquíssimas ações judiciais sobre o assunto, não chegando ao número de 10.

Diante disso, o jurista e o promotor concluíram que pode existir realmente a falha na prestação do serviço de telefonia, mas as pessoas prejudicadas não procuram as autoridades para reclamar. Alguns até reclamam, mas entre amigos ou em conversas informais, nada oficializado. Razão pela qual o jurista teve a ideia de promover um abaixo-assinado para entregar ao Promotor de Justiça que está cuidando do caso.

Os meios de comunicação codoense são parceiros na divulgação desse abaixo-assinado.

O abaixo-assinado está espalhado em diversos lugares em nossa cidade:

  • Na recepção das Promotorias de Justiça de Codó, localizada na Rua Afonso Pena, nº 408, Centro;
  • Alguns vereadores estão com uma cópia do modelo do abaixo-assinado. Procure o seu vereador para preencher o abaixo-assinado;
  • Algumas lideranças de bairro também já estão com o modelo. Procure sua liderança.

Quem quiser ajudar na colheita de assinaturas, pode solicitar o modelo através do EMAIL DO CONSUMIDORconsumidoremprimeirolugar@hotmail.comVocê CONSUMIDOR em 1º Lugar!

Fonte: Equipe do EMAIL DO CONSUMIDOR.

Corrida de mototáxi vai para R$ 4,00 em Codó

Novo preço

O preço do litro da gasolina subiu de R$ 2,70 para R$ 2,93. Nenhum dos 7 postos oferece valor diferente. A falta de concorrência acaba deixando em situação ruim que depende do combustível diariamente para sobreviver.

O aumento mexe diretamente com o serviço de mototaxi oferecido no município e, consequentemente, com a vida dos usuários. Hoje a corrida R$ 3,00 dentro da cidade, mas isso pode mudar a qualquer momento.

A gasolina eleva o preço de outros itens, ressaltou o mototaxista, Raimundo Roseno, e o repasse para o consumidor é inevitável.

“Depois que aumenta a gasolina aumenta o preço das peças, a própria alimentação, então ele (mototaxista) depende disso, né. Então se tiver mais um aumento nós vamos ter que repassar para o consumidor”, justificou

SINDTAC

O Sindicato ainda não se manifestou oficialmente, mas não vai demorar.

Eu acho que a gente vai se reunir com os mototaxistas do sindicato pra gente ver se vai aumentar ou não, até o momento o sindicato dos mototaxistas está neutro”, disse ao blog o vice-presidente do SindTac, Antonio Carlos Sales da Silva

USUÁRIOS DE OLHO

Já há reclamação de usuários dando conta de que para alguns trechos o valor de r$ 4,00 está sendo cobrado, ainda que isoladamente. Nas ruas, tem muita gente declarando-se contrária ao reajuste no preço do transporte mais usado de Codó.

vai ficar sem condição a gente vai andar de pés porque eu, pelo menos acho caro demais…R$ 3,00 eu acho que já tá caro e R$ 4,00? A situação vai ficar precária pra nós”, questionou o lavrador José de Freitas

pra uma cidade dessa que não oferece emprego, não oferece nada pra ninguém é meio difícil, a situação fica feia de jeito”, afirmou o motorista Nelson Alves Pereira

CRISE NO MEIO

O novo valor recebe crítica até entre os mototaxistas. As corridas já andam em baixa com o preço atual, revela Élison Ribeiro, por isso, na opinião dele, o aumento só pioraria a situação.

“Já tá ruim à R$ 3,00,imagine subir para R$ 4,00 até porque a pessoa que ganha menos, aquela que anda de mototáxi. Eu acho que ainda não é a hora, eu acho que fica pior se cobrar à R$ 4,00”, disse o mototaxista

Sindicato quer saber o que 15 escolas fizeram com mais de R$ 300 mil

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais quer saber onde foi parar o recurso do Programa Dinheiro Direto na Escola – PDDE – que chegou à Codó no ano de 2010.

De acordo com questionamento feito pela professora Virgínia, na audiência pública de ontem, 6, na Ananias Murad, 15 escolas receberam, separadamente, mais de 300 mil reais ano passado e a destinação do dinheiro não satisfaz quem trabalha nestes colégios. Falta quase tudo.

“O que chega aqui pra nós é que tá faltando material de expediente, não tem pequenas reformas e a gente quer saber o que foi feito porque até hoje ninguém prestou conta desse dinheiro”, disse Virgínia

EXEMPLO

Citando um exemplo, a professora afirmou que apenas a escola Governador Archer, onde ela trabalha, recebeu do PDDE, segundo está no portal da transparência do Governo Federal, R$ 158.000,00.

O Sindsserm vai representar junto ao Ministério Público Estadual solicitando a cobrança do órgão sobre esta prestação de contas.

O QUE É O PDDE

O PDDE consiste na assistência financeira às escolas públicas da educação básica das redes estaduais, municipais e do Distrito Federal e às escolas privadas de educação especial mantidas por entidades sem fins lucrativos. O objetivo desses recursos é a melhoria da infraestrutura física e pedagógica, o reforço da autogestão escolar e a elevação dos índices de desempenho da educação básica. Os recursos do programa são transferidos de acordo com o número de alunos, de acordo com o censo escolar do ano anterior ao do repasse.