Condição “INSATISFATÓRIA’ da saúde de Codó ‘mela’ possibilidade de termos CURSO DE MEDICINA

A Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior, do Ministério da Educação, publicou edital (nº 2) de DIVULGAÇÃO DO RESULTADO.

O resultado do edital de Chamamento Público de Municípios para Implantação do Curso de Graduação em Medicina por Instituição de Educação Superior ocorre depois de uma visita técnica que em Codó foi realizada na semana que antecedeu o carnaval (8 de fevereiro).

Técnicos do Governo Federal em Codó em fevereiro de 2018

Foi a segunda visita de técnicos do MEC e do Ministério da Saúde, porque a primeira, ainda no governo de Zito, foi anulada.

Servidores do 1º escalão da saúde sendo ouvidos

Quando os técnicos do Governo Federal veem ao município seguem, à risca, o que manda a Lei nº  12.871/2013 que criou a possibilidade destes cursos de medicina onde há extrema necessidade. Chegam para avaliar os ítens elencados no artigo 3º e parágrafos:

§ 1º  Na pré-seleção dos Municípios de que trata o inciso I do caput deste artigo, deverão ser consideradas, no âmbito da região de saúde:

I – a relevância e a necessidade social da oferta de curso de Medicina; e

II – a existência, nas redes de atenção à saúde do SUS, de equipamentos públicos adequados e suficientes para a oferta do curso de Medicina, incluindo, no mínimo, os seguintes serviços, ações e programas:

a) atenção básica;

b) urgência e emergência;

c) atenção psicossocial;

d) atenção ambulatorial especializada e hospitalar; e

e) vigilância em saúde.

Ao ser avaliado nos itens acima CODÓ obteve resultado classificado como NÃO SATISFATÓRIO COM POSSIBILIDADE  DE RECURSO, ou seja – não tá bom e você, município, o que tem a dizer sobre isso?

O prazo para o município apresentar suas justificativas e tentar reverter o resultado negativo termina dia 2 de março.

Além de Codó, no Maranhão também foram reprovados, com possibilidade de recorrer,  os municípios de SANTA INÊS e Bacabal. Só Açailândia passou na análise de sua estrutura e recebeu resultado SATISFATÓRIO o que significa dizer que o município da região Tocantina tem mais chances de, realmente, ver implantado um curso de medicina.

O documento publicado é datado de 18 de fevereiro de 2018 e é assinado por Henrique Sartori de Almeida Prado, secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior, do Ministério da Educação.

Leia o documento abaixo na íntegra

RESULTADO CURSO MEDICINA CODÓ

16 comentários sobre “Condição “INSATISFATÓRIA’ da saúde de Codó ‘mela’ possibilidade de termos CURSO DE MEDICINA”

  1. ISSO JÁ ERA ESPERADO COMO UMA CIDADE QUE NÃO OFERECE NEM O MÍNIMO DE SAÚDE VAI QUERER UM CURSO DE MEDICINA, ISSO ERA PRA SER CONQUISTADO EM LONGAS DATAS E NÃO DE UMA HORA PRA OUTRA.

  2. O SUCATEAMENTO DA SAÚDE EM CODÓ É UM FATO PÚBLICO E NOTÓRIO. VÁRIAS ADMINISTRAÇÕES NÃO DERAM A IMPORTÂNCIA NECESSÁRIA PARA A SAÚDE DE CODÓ. O HGM, QUANDO HOSPITAL DO SESP ERA UMA REFERÊNCIA NO ESTADO. AO MUNICIPALIZAR ESTE HOSPITAL E ENTREGAR A ADMINISTRAÇÃO PARA PESSOAS QUE NÃO TINHAM NADA A VER COMA SAÚDE, APENAS PARA SATISFAZER CAPRICHOS PESSOAIS, O RESULTADO ESTÁ AÍ. É LAMENTÁVEL QUE O RESULTADO NÃO TENHA SIDO O QUE QUERÍAMOS. PRECISAMOS LEVANTAR O CODÓ NOVAMENTE, MAS A POLITICAGEM QUE CONTINUA NÃO VAI PERMITIR. AQUI O LEMA É O SEGUINTE: QUANTO PIOR MELHOR PARA OS POLITICOS. COMO CODOENSE SÓ TEMOS A FICAR TRISTE POR MAIS UMA PERDA MUITO IMPORTANTE. ENTRAR COM RECURSO NÃO VAI ADIANTAR NADA PORQUE A NOSSA REALIDADE É MUITO TRISTE. QUE DEUS TENHA PENA DO CODÓ E DOS CODOENSES.

  3. Realmente a saúde de Codó não faz por merecer a implantação de tal curso no município. Não temos especialidades médicas, aparelho de Raio X do HGM não exixte ou está quebrado, ou seja o básico não tem. VERGONHA!!!!

  4. Caros Amigos. AS Condições “INSATISFATÓRIAS’ da saúde de Codó revela-se NA VERDADE no FATO DO SUCATEAMENTO DELIBERADO PELOS PREFEITOS DA CIDADE DO SISTEMA DE SAÚDE PÚBLICA MUNICIPAL. A FALTA DE 01(UM) ÚNICO LEITO DE UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA, DIGA-SE UTI, PESOU NA AVALIAÇÃO DO Ministério da Saúde.

    Codó é uma Regional de saúde, mais faz vergonha a todos nós que aqui moramos verificarmos que TODOS os MUNICÍPIOS(COROATÁ, ALTO ALEGRE, PERITORÓ) da Regional de Codó já possuem HOSPITAIS REGIONAIS e/OU MACRO-REGIONAIS com leitos de UTI ADULTO E INFANTIL, e nossa abandonada Codó que é a Sede da Regional, por interesses politicos e FINANCEIROS não Possui 01(UM) ÚNICO LEITO.

    Mais uma DERROTA para os Codoenses, em razão da Incapacidade de Gestão e de compromisso Social dos Políticos desta Cidade que acham que a “Saúde” da População não tem importância. Não vai adiantar Recorrer, pois o resultado dificilmente mudará. O Ministério da Saúde já sabe do Descaso em que vivemos. lamentável

  5. BINÉ,RICARDO E ZITO QUE PLANTARAM ESSE CAUS! AGORA ESTAMOS COLHENDO O MAU! E AINDA TEM GENTE QUE IDOLATRA ESSE BANDIDOS. QUE NÃO TIVERAM A MINIMA CONSIDERAÇÃO COM O POVO DE CODO.

    1. Realmente “CAUS”. Talvez esse “CAUS”, pode ter sido um dos motivos que afastou o curso de Medicina de Codó. Na verdade Codó ainda, não está apta a receber tal curso, tendo em vista que a saúde na cidade funciona igual tapa buracos. Hoje tem médico amanhã não tem, hoje tem raio x mas depois não tem. Então fica difícil realmente para a inclusão de um curso de tamanha envergadura em um município com sérios problemas na saúde Local. Fica a dica.

  6. DESCASO QUE VIVEMOS NÃO, SEMPRE VIVEMOS. LEMBRA DO EX-PREFEITO SEU BINA. O QUE ELE FAZIA COM OS MEDICAMENTOS(…). PELO MENOS ISSO MUDOU. SÓ PRA NÃO ESQUECEREM.

  7. UTOPIA! SIM, E QUEM NÃO SONHA?. Mas acredito que com esta NEGATIVA, Os idealizadores deste projeto, irão fazer de tudo para reverter o quadro e concluir o sonho, o desejo de conquistar esta vitoria para nossa Codó.

Deixe uma resposta