DESÂNIMO: Em crise, comércio de Codó não reage no mês das mães

Um comércio desanimado com os resultados do dia das Mães de 2019. Depois do Natal, sempre foi a melhor data para quem vende, mas quando pedimos para que os lojistas comparassem este com o ano anterior a resposta mais positiva é a do empate, ou seja, ninguém vendeu mais que em 2018 que também foi de reclamação.

“Este ano nos pegou um pouco de surpresa porque nós tivemos uma dificuldade de empatar com o ano passado, dentro de uma situação, assim, desconfortável a gente ainda conseguiu empatar, equilibrar em cima de um empate, não teve ainda um crescimento mas conseguimos ainda com um pouco de dificuldade”, nos revelou o gerente Luís Oliveira.

Refletiu na casa de dona Iomar. Dos quatro filhos, um não pôde comprar presentes. Ela, claro, está muito agradecida, ficou à frente de muitas outras mães codoenses que, sequer, viram alguma lembrancinha.

 “Essa crise foi muito grande aqui dentro de Codó, muita mãe não ganhou presente… COMO É UMA MÃE QUE NÃO GANHA PRESENTE NO DIA DAS MÃES? Fica assim um pouco triste, né, mas não fica mais triste porque nós temos nossos filhos e com Deus ao redor de nós, estamos ricos”, disse a aposentada

A GUERRA DAS  METAS

Como o mês ainda não acabou, a luta continua para bater metas e aí vale a criatividade de cada um. Rodrigo Muniz, que perdeu comissão com a queda nas vendas no dia das Mães, intensificou a divulgação dos produtos usando a rede social.

 “Sim a gente tira uma foto, a gente manda para os clientes, a gente tem grupos e já vai, imediatamente, pra várias pessoas, é o que tá nos salvando e muito, aí a gente já reserva, já deixa ali só no ponto, quando a gente tá etiquetando a gente já pensa – oh isso aqui dá certinho – a gente tira a fotinha e manda diretamente  pra pessoa”, frisou

MENOS LUCRO, MAIS PRAZO

Arimatéia Ramos, gerente de loja, está tendo que diminuir a margem de lucro e para não perder a clientela esticou os prazos para pagamento.

 “Diminuir um pouco a margem de lucro pro produto ser vendido mais rapidamente….O PARCELAMENTO TAMBÉM AUMENTOU? Exatamente, o produto nosso aqui ficou em 10 vezes o valor da etiqueta, sem juros, e ainda mais  sem entrada também pra ver se consegue vender”, destacou

5 comentários sobre “DESÂNIMO: Em crise, comércio de Codó não reage no mês das mães”

  1. Nagib esteve em São Luis e lá procurou Pedro Belo e disse para o Pedro Belo para se unirem e acabarem com as arestas, Pedro Belo retrucou dizendo: Como acabar com isso, se tu colocou minha irmã, e Emílio pra rua e agora quer tomar até a regional de saúde do Ribamar Oliveira? Rapaz segue o teu caminho e eu sigo o meu, contigo eu não quero acordo, disse Pedro Belo

  2. Infelizmente ainda temos mais 1 ano e pouco de um governo que não está nem aí para o povo, ou melhor infelizmente até o momento nenhum desses políticos liga para o povo, só qerem beneficio para se próprios. Codo cada dia mais atrasado

  3. Pior crise da história de Codó, ano que vem as coisas vam melhorar ano político tudo fica mais fácil, agora temos que ser espertos e dar o troco para esse prefeito

Deixe uma resposta