Faculdade de Pedreiras inicia arrecadação de 6 toneladas de alimentos por meio do TROTE SOLIDÁRIO

Encontramos na Faculdade São Francisco, em Pedreiras, na última sexta-feira, 8, auditório lotado, rock divertido com banda ao vivo no palco pra relaxar. Mas era o primeiro dia na faculdade para a turma de seis cursos e ninguém tirava daquelas cabeças ávidas por conhecimento o temido ‘dia do trote’. Olha só a opinião da caloura Eva Dourado Saturnino, que tá chegando pro curso de administração.

Auditório cheio de calouros de 2019

“Aquele medo, aquela preocupação tipo, oi o que vai acontecer? Vão me jogar massa, vão molhar meu cabelo, sempre a gente tem aquele medinho de todo calouro, de se machucar, machucar o próximo porque a gente não sabe o que vem por aí a gente termina querendo se defender”, disse

Mas já faz um bom tempo que a referida faculdade, de Pedreiras,   mudou, radicalmente, a ideia de que o trote tem que acabar sempre com algum novato, o calouro, numa situação, no mínimo, constrangedora. Há 4 anos o Trote na FAESF é Solidário.

COMO FUNCIONA

Durante os dois primeiros meses na faculdade os calouros entram numa competição entre os cursos. Ganha aquela turma que melhor resultado apresentar arrecadando, alimentos e este ano as novidades adicionadas ao desafio, fraldas para idosos e doação de sangue.

 “Atingir um número máximo de pessoas que possa receber essa ajuda com alimentos, com doação de sangue, com fraldas geriátricas que foi o que a gente colocou, então, assim é um momento muito importante onde os cursos se unem em prol de um único objetivo ajudar o nosso próximo’, explicou Marlete Mendes, que é do curso de Administração, ex-caloura, hoje na coordenação do evento.

Pedro Henrique Damásio participou,  quando calouro, do Trote Solidário,  este ano voltou como parte da organização fazendo parte de uma sociedade interna ‘até então quase secreta’ chamada LAI – LÍDERES DE ALTO IMPACTO (grupo de alunos e professores que se reúnem periodicamente para discutir maneiras de gestão dentro de fora da sala de aula).

 “é muito gratificante poder passar nossa experiência pra eles porque eu cresci muito como pessoal e eu creio que meus colegas também”, disse-nos o simpático e entusiasta da causa Pedro Henrique.

CALOUROS EMPOLGADOS

Será a primeira experiência de Elba Mara Nascimento França, que até já definiu uma estratégia de participação para ajudar a turma de Enfermagem.

 “Eu não posso ser doadora devido ao meu peso, mas eu vou atrás de pessoas sim, pra doarem sangue, e estou aqui, eu quero concluir o meu curso e dar o melhor de mim pra cuidar das pessoas”, garantiu Elba

AS METAS

O diretor Acadêmico, Habni Carvalho,  explicou que ano passado o Trote Solidário chegou a arrecadar 5 toneladas só de alimentos, para 2019 a meta são seis toneladas que serão doadas para instituições de ajuda humanitária já previamente cadastradas e para famílias carentes de Pedreiras.

 “O que a gente procura ao finalizar este projeto? Que o nosso aluno ele compreenda que não vale a pena ter estudo somente pra si, mas precisa chegar até ao próximo, precisa ter esta responsabilidade social (…) e o mais bonito vai ser quando eles estiverem com as cestas-básicas prontas e forem entregar a estas famílias”, finalizou

Deixe uma resposta