Família denuncia que Polícia Civil nunca esclareceu assassinato brutal de pedreiro em Codó

Familiares do pedreiro Cleidivan Silva Dutra, de 39 anos, achado morto com um tiro na cabeça no campo atrás do aeroporto, no bairro São Sebastião, no dia 20 de fevereiro de 2019 estão cobrando a elucidação do assassinato.

Ouvimos a mãe dele, a senmhora Maria das Graças Silva Dutra, que até hoje chora sem ter qualquer prisão ou, ao menos, indicação do suspeito de ter atirado e matado seu filho.

e também ouvimos a esposa de Cleidivan, a senhora Marinete Chaves de Andrade que vivia com a vítima havia 14 anos e com quem teve uma filha hoje com 5 anos de idade. Esta, por sua vez, denuncia que nem exame cadavérico foi feito, apenas liberaram o corpo para o enterro.

Na delegacia ambas ouviram do delegado Zilmar Santana que a investigação estava por conta do delegado Rômulo Vasconcelos e que este estava de licença médica.

Deixe uma resposta