Lançado em Bacabal o projeto Diálogos pelo Direito à Educação

Uma iniciativa da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o projeto Diálogos pelo Direito à Educação foi lançado, na terça-feira (17), em Bacabal, cidade localizada a aproximadamente 248 quilômetros da capital São Luís. O seminário ocorreu no auditório da subseção da OAB da cidade e contou com a participação de autoridades como o presidente da OAB seccional Maranhão, Thiago Diaz; João Batista Ericeira, membro da Comissão Especial do Direito à Educação do Conselho Federal OAB; da presidente da OAB subseção Bacabal, Andreia da Silva Furtado; do secretário municipal de Educação de Bacabal, Marcos Ferreira Silva, dentre outros.

A iniciativa da OAB por meio de sua Comissão Nacional pelo Direito à Educação tem por objetivo mobilizar a sociedade para a defesa desse direito. Os diálogos acontecem exatamente no momento em que o Brasil passa por uma conjuntura adversa que ameaça direitos estabelecidos na Constituição Federal.

Em seu pronunciamento, o presidente da OAB Seccional Maranhão, Thiago Diaz, ressaltou o papel da Ordem ao discutir a educação e pontuou que, ao lançar o projeto Diálogos pelo Direito à Educação, a instituição cumpre seu papel histórico de ser farol da sociedade civil.

“Viemos aqui para fomentar aquilo que realmente é importante: a defesa da educação. Educação não é despesa, mas investimento. É o que de melhor se pode fazer por um país”, afirmou Diaz ao elogiar a parceria da OAB com o Instituto de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA). “Essa parceria profícua vem rendendo frutos e vai render muitos outros em prol da educação do Maranhão”, declarou.

Convidado especial, o reitor do IEMA, Jhonatan Almada, participou do seminário com a palestra “Nossa escola pública pode ser de excelência”, por meio da qual apresentou o modelo pedagógico do Instituto e sua experiência.

“Queremos mostrar que encontramos um caminho para fazer com que a escola pública alcance resultados expressivos com o recurso que existe. Vamos chamar a atenção da sociedade para o direito à educação e, ao mesmo tempo, mostrar que é possível encontrar caminhos para melhorar os indicadores educacionais”, afirmou Jhonatan Almada.

Daniel Carvalho, secretário adjunto de Administração da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), representou o secretário da Seduc, Felipe Camarão. Daniel Carvalho falou dos desafios para que se chegue a uma educação de qualidade, defendeu pactos com as secretarias municipais, a formação de professores e apresentou programas importantes do Governo do Maranhão em prol da educação ao citar o Escola Digna.

Anita Rebeca Silva Santos, estudante de Letras da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Campus Bacabal, considerou o seminário uma iniciativa bastante importante e ficou vislumbrada com o que ouviu a respeito do IEMA.

“Interessante perceber como toda a teoria que aprendemos na sala de aula pode ser levada para a prática pedagógica e resultar em grande impacto para os estudantes, a instituição de ensino e para a sociedade”, comentou a estudante.

O projeto Diálogos pelo Direito à Educação deve continuar em todas as 17 subseções da OAB do Maranhão. A ideia é levar o debate/diálogo a toda a sociedade maranhense.

Reivindicação

Muitos dos que participaram do seminário realizado no auditório da OAB subseção Bacabal aproveitaram o momento para dialogar. Foram muitos os questionamentos e as sugestões suscitadas.

Heleno Yure Macedo, presidente da Associação Maranhense dos Estudantes Secundaristas, trouxe para debate a efetiva participação dos estudantes na construção da educação para o estado.

“A gente só constrói uma educação que é para o jovem com a participação do jovem dando opinião e dizendo como é que quer a sua escola. O que queremos é ocupar o espaço, precisamos ocupar cada vez mais os espaços de discussão, porque esse nunca foi um espaço nosso, nem sempre somos convidados. Então é um momento em que a gente se reafirma e aparece mesmo”, declarou.

Na opinião do estudante, a iniciativa do seminário é de extrema importância. “Estamos vivendo um momento de completo retrocesso na nossa educação. Este não é um espaço comum. O seminário é muito importante para que a gente consiga garantir uma educação pública gratuita e de qualidade”, afirmou.

Fonte: Iema
18/07/2019

Deixe uma resposta