PERIGO NAS RUAS: PM evita quebra-quebra entre eleitores 22 e 43

Foto de Nilton Messias

Ontem (8) Furacão Azul 22 e Tsunami Verde 43 fizeram bonita festa por ruas e avenidas da cidade, mas por muito pouco as manifestações não terminaram em algo que foge aos olhos de todo o bom senso.

Uma da Palmério Cantanhêde, outra da Almirante Tamandaré, ambas saíram no mesmo horário e se encontraram em plena Av. Augusto Teixeira.

Graças à ação, consciente e diligente, da Polícia Militar, que está de parabéns, a turma do Furacão Azul 22 aceitou fazer um desvio a direita de quem sobe no canto de um ponto de venda de Milk Shake (próximo ao Rubens Película).

Se isso não tivesse ocorrido, as duas turmas teriam se encontrado próximo à panificadora Boa Sorte e aí ninguém aqui na terra saberia, antes, dizer o que aconteceria. A PM também conseguiu convencer a moçada do 43 a parar e esperar os 22 sumirem da Augusto Teixeira.

Foto de Régina Santana/na concentração

PERIGO

Para se ter noção do perigo que é um encontro desses, uma pontinha de 43 escapou ao ponto de parada da maioria e foi para o canteiro da avenida vaiar quem passava nos carros 22, da mesma forma a turma do furacão respondia. Nenhum objeto foi arremessado.

A situação ficou pior quando um minitrio tocando músicas da Nação Vermelha 12 subiu entre os carros do 22 ( mero descuido), o suficiente para deixar a massa 43 ainda mais inflamada. Mas tudo terminou bem. Os 22 pegaram seu curso e os 43 desceram a Augusto.

NO SUMO DA CACHAÇA

O perigo mora no descontrole de alguns. É impossível que numa multidão daquelas todos tenham o mesmo pensamento e atitude, ainda mais quando boa parte desfila com cerveja e até com doses da que incha o pé mesmo em copos nada descartáveis.

O álcool é inimigo da boa brincadeira, sempre foi, e neste item os dois lados incorreram em erro. Graças à Deus e à PM, os quase ébrios não transformaram caminhada da juventude e marcha verde num quebra-pau generalizado de envergonhar qualquer cidade.

De toda forma, parabenizar o comportamento deles também. Mas, enfatizo, é preciso cuidado com estes encontros. Em 2008, teve até bala nesta mesma avenida.

Política partidária já é, por si, um negócio nojento e com baderna então nem se fala.

Deixe uma resposta