ANTES DE CARNAVAL: Força-tarefa vai combater venda de bebida alcoólica a menores em Codó

Bares e outros locais de eventos festivos estão na mira do Conselho Tutelar  por venderem bebida alcoólica para adolescentes, em Codó.

O ECA prevê, desde 2015, detenção de 2 a 4 anos para quem é condenado por vender bebida alcoólica para menores.

Os conselheiros dizem que nunca viram aqui em Codó alguém punido por cometer este crime, em razão disso é grande o número de reincidências neste tipo de notificação.

É do que reclama o conselheiro, José Raimundo da Silva e Silva, já cansado de ver o problema se repetir o ano inteiro.

“Até mesmo flagrantes e são feitos em bares, clubes, sítios já advertidos, mesmo assim teimam em praticar o delito (…) O que nós queremos, realmente, é que os órgãos que tem autoridade e poder de punir aplicar dentro da lei contra as pessoas que são reincidentes, que teimam em não cumprir”, disse

Por causa disso aconteceu ontem (16) pela manhã uma reunião convocada pelo Conselho Tutelar da qual participaram representantes da  Polícia Militar (capitã Francilene Gonçalves), Guarda Municipal (José Fernandes), Poder Judiciário (Comissária da Infância, Ana), Bombeiros (não mandou representante), Prefeitura (Lorena) e Ministério Público (Promotora Valéria Chaib) para traçar metas de combate à esta situação antes mesmo do período carnavalesco quando este tipo de crime se agrava.

Rosa Moura, conselheira tutelar, explicou que só mapeados pelos conselheiros existem pelo menos 14 bares que insistem em vender bebida alcoólica para menores na cidade.

 “Estamos recebendo várias demandas de criança em bar e adolescente consumindo bebida alcóolica, né, e a gente já tem alguns donos de bares que a gente já trabalhou com eles em termos de prevenção e continuam violando ainda…TEM UNS 14? É, a gente já fez o mapeamento e tem uns 14, mas são mais porque vai indo vai puxando outros, no nosso ponto de vista os que já foram prevenidos são 14 e continuam sendo reincidentes”

DEFINIÇÃO

Ficou definido que o Poder Judiciário editará uma portaria nos próximos dias e só então uma força-tarefa sairá pelas ruas de Codó combatendo de maneira mais dura a venda de bebida alcoólica para adolescentes e a presença de crianças em locais e horários proibidos.

 “Vai ser emitido pelo Poder Judiciário uma portaria, após esta portaria vai ser divulgado na mídia e, baseado nesta portaria, nós vamos criar estratégias, vai ter uma outra reunião pra criar estratégias e definir as ações”, disse a capitã Francilene Gonçalves

2 comentários sobre “ANTES DE CARNAVAL: Força-tarefa vai combater venda de bebida alcoólica a menores em Codó”

  1. O problema começa em casa, quando o filho menor sai para rua sem os pais saber, por muitas das vezes eles pais sabem e não proibi o filho, adolescentes ficam até altas horas da madrugada. tudo isso é descaso dos próprios pais. Deveria ter mais rigor também com eles, porque eles são os responsáveis maior. Se os pais recebessem uma punição pelo erros duvido se ele deixaria seu filho ir pra qualquer lugar sem primeiro saber o destino.

  2. Seria também importante que a Promotoria de Justiça impedisse estes pontos comerciais que estão tomando os espaços de calçadas com grandes armações metálicas e impedindo o cidadão de caminhar, sendo obrigado a correr o risco de atropelamento ao terem que usar as ruas e avenidas para caminhar , quando as calçadas são destinadas ao uso do povo

Deixe uma resposta