Augusto Serra toma posse no Conselho Estadual de Cultura

Empossado o novo Conselho Estadual de Cultura do Maranhão, em solenidade na noite da ultima quarta-feira (9), em São Luís. A posse foi feita pelo Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secma). Formado por 20 membros titulares e 20 suplentes, é uma instituição que tem o papel de garantir a presença da sociedade civil na definição das políticas culturais aplicadas pelo poder público em âmbito estadual.

Evento
Evento

Os conselheiros são responsáveis pelas seguintes atribuições: Acompanhar e avaliar a execução de programas; Propor e referendar projetos culturais; Elaborar e aprovar Planos de Cultura; Pronunciar-se e emitir parecer sobre assuntos culturais; Fiscalizar a atividade do órgão gestor de cultura; Apreciar e aprovar normas de convênio; Fiscalizar e aprovar atividades de entidades culturais Conveniadas; Apreciar e aprovar normas para financiamento de projetos; Elaborar normas e diretrizes para convênios; Administrar o Fundo Municipal ou Estadual de Cultura.

Destaque na região Leste do Maranhão, o segmento cultural de Codó foi reconhecido pelo desempenho dos envolvidos com as ações do setor – poder público, classe artística e sociedade em geral.

Todo o trabalho foi coroado pelo convite feito pela Secretaria de Estado da Cultura ao secretario responsável pela Cultura em Codó, Augusto Serra, para o cargo de conselheiro Estadual de Cultura, como representante da região Leste maranhense.

O secretario nomeado conselheiro, Augusto Serra, avaliou positivamente o momento e ressaltou o ganho que a ação representa para o município e região.

“Não somente Codó está representado dentro de um Conselho Estadual, mas também a região Leste. Esta responsabilidade é muito grande, pois é uma forma de contemplarmos a disparidade da cultura codoense. Nossa cidade tem uma variedade muito grande quando falamos de cultura e ela deve ser mais valorizada”, avaliou Augusto Serra.

O secretario municipal de cultura e igualdade racial destacou ainda, que a aprovação pelo conselho soma às responsabilidades que precisam ser engajadas para transformar, e dar visibilidade à cultura codoense.

“Foi um marco, pois conseguimos nos alinhar àquilo que preconiza o Sistema Nacional de Cultura, no sentido de estabelecer um Sistema de Indicadores de Informações Culturais, que dão esse mapa. Esse diagnóstico dos grupos, dos atores sociais e dos agentes culturais, que produzem a cultura na nossa cidade e estado, nos dá esse norte para onde devemos ir, e como devemos trabalhar com as responsabilidades que nos são colocadas, para que o poder público efetive a política cultural”, complementou.

ASCOM-SEMCIR

Deixe um comentário