Base aliada de Zito pede investigação da polícia para alegações de tentativas de homicídio de Kemuel

Os vereadores da base aliada do governo Zito aproveitaram a sessão de ontem, 28, transmitida ao vivo pela internet, para desqualificar as pretensões do empresário Kemuel Alves, que denunciou o escândalo dos Caixões.

O fato que gerou a discussão foi a publicação da entrevista concedida por ele após receber alta da UPA ao repórter Francisco Oliveira, do Correio Codoense, republicada pelo blogdoacelio.

Na entrevista, Kemuel revela que sofreu duas tentativas de homicídio – a primeira por envenamento com formol num copo d’água e, já hospitalizado, com um pedaço de pizza que continha veneno pra matar ratos (Chumbinho). A comida teria passado despercebida pela segurança da unidade, pelo que se fez entender.

OPINIÃO DO LÍDER

O líder do governo, Leonel Filho, brincou com a situação.

“O Kemuel recebeu uma água envenenada com formol e ele não sentiu nem o cheiro do formol, arrochou a água com formol…E TRABALHA HÁ VÁRIOS ANOS COM FORMOL (interpelou Chiquinho do Saae)…Ninguém não consegue nem beber um formol…É COMPLICADO (falou Chiquinho)…outra – recebeu uma pizza envenenada dentro de um hospital que é altamente fiscalizado que isso aí eu acho que é uma inverdade muito grande”, disse

POLÍCIA NO CASO

Ao final disse que Kemuel já foi longe demais e que está na hora da Câmara pedir ação da polícia no sentido de investigar todas as denúncias feitas pelo empresário.

“Eu gostaria de dizer que a Câmara é que tem que entrar com este pedido desse inquérito policial porque um homem que já teve a casa invadida duas vezes, que registrou ocorrência através da internet, não foi na delegacia. Um homem que já tomou água com formol e disse que foi tentativa de homicídio e não registrou ocorrência e disse, nos blogs, que recebeu uma pizza envenenada, não registrou ocorrência também, ele mesmo mandou fazer uma perícia na pizza, como é que um cidadão mesmo manda fazer perícia numa pizza, qual o valor que vai ter isso aí minha gente?”, indagou.

Para o líder do governo Kemuel está brincando com dois grandes poderes constituídos.

Tá brincando com o legislativo, ta brincando com o Executivo e tá brincando com a população codoense e nós não podemos, de maneira nenhuma, que isso continue no município de Codó, esse rapaz tem que te um ajuste na vida dele, a polícia tem que entrar em cena, já passou do limite”, finalizou

CHIQUINHO “COISA COM COISA”

O vereador Chiquinho do Saae disse que a cada momento que o empresário abre a boca se enrola mais ainda.

“A cada momento que ele abre a boca ele ta se enrolando”, afirmou

Para o parlamentar do PV, o denunciante não fala coisa com coisa.

“Passado 10 dias ele (Kemuel) passou na porta do Saae e disse – TE ENTERESSA UMA CÓPIA DA FITA, EU VOU BUSCAR AGORA? Se eu tivesse ficado lá esperando no Saae até hoje eu tava lá esperando, então ele não diz coisa com coisa”, disse

JOÃO DE DEUS – DISSE ME DISSE

Quem pareceu do lado de Kemuel foi o vereador João de Deus (PV), mas, ao final misturou sua defesa com um pedido de investigação policial para as denúncias de tentativa de homicídio do jovem, afim, segundo o próprio, de que tudo seja esclarecido e a Câmara pare do que chamou de disse me disse.

“Que a polícia investigue isso pra saber até que ponto isso aconteceu até que ponto isso é verdade e a Câmara precisa dá uma resposta à sociedade, porque se a gente ficar fazendo ações que ele está encurralado, está preocupado, eu não sei o que aconteceu – aqui ele ta colocando muito claro que foi a água envenenada, que foi a pizza, mas a polícia tem condições de investigar isso, por que? Senão nós vamos ficar num disse me disse aqui sem fim’, disse

Deixe uma resposta