Bebeto Coelho esclarece dúvidas sobre reforma da Câmara de Timbiras

O blog entrevistou o presidente da Câmara de Vereadores de Timbiras, Bebeto Coelho, sobre a representação que foi feita no Ministério Público Estadual por dois professores e um agricultor.

Eles pediram investigação sobre:

1º – A liberação de mais de 60 mil reais antes do inicio da obra

2º – Obra sem registro no CREA

3º – PROCESSO LICITATÓRIO SEM A DEVIDA PUBLICAÇÃO EM UM JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO

4º – Obra prorrogada sem o termo de aditivo

5º – Obra com menos de cinquenta por cento construída com atraso há quase um ano e com mais de setenta por cento do recurso liberado”.

A LIBERAÇÃO

O vereador explicou que, após ouvir a assessoria contábil e jurídica da Casa, soube que não poderia deixar o dinheiro, que conseguiu economizando na gestão da Câmara, passar de um ano para o outro, então fez um acordo com a empresa G4 Engenharia.

“Fizemos toda a licitação, todo o processo licitatório, e fizemos um acordo com a G4 Engenharia Ltda. Que iríamos passar os R$ 60.000,00 para a empresa para que ela comprasse todo o material da obra, cimento, areia, brita ferro, tijolo”, disse completando

“Porque fizemos este repasse de R$ 60.000,00? Porque se deixássemos esse dinheiro na conta ele tinha que ser repassado de volta para a Prefeitura Municipal de Timbiras por isso que fizemos este acordo com a empresa e com o Emilson Rodrigues Cardoso que era o responsável pela obra no início para que ele desse celeridade à reforma da Câmara”, concluiu

REGISTRO NO CREA

Sobre registro da obra no Crea, o presidente informou que isso é de responsabilidade da empresa que ganhou a licitação e do, então, responsável pela execução do serviço Emilson Rodrigues Cardoso, de quem Bebeto Coelho tem muita reclamação.

“Para que você tenha ideia só para ele (Emilson) colocar a placa da obra ele passou mais de um mês e eu cobrando toda hora. Ele começou demolindo um salão que a gente tinha atrás e trabalhando de forma muito lenta, ao longo do tempo nós fomos percebendo que todo o material que havia sido comprado pra obra, esse material ele estava tirando lá da obra e levando para uma outra obra, imagino que da prefeitura porque ele também trabalhava para a Prefeitura de Timbiras”

Bebeto Coelho disse que vai impetrar ação contra Emilson na Justiça onde o questionará sobre este material que seria destinado à reforma da Câmara e também sobre seu registro profissional, uma vez que este se apresentou como engenheiro.

PROCESSO LICITATÓRIO

O entrevistado garantiu que todo o processo licitatório está na Câmara a disposição de quem quiser vê-lo. Quanto a falta de publicação questionada na representação entregue ao Ministério Público, mostrou o Diário Oficial do Estado com a publicação da Carta Convite em 2 de dezembro de 2011.

A obra aparece orçada em R$ 94.769,12.

PRORROGAÇÃO DE PRAZO/ATRASO

Sobre problemas com o tempo da obra,  que inclui a prorrogação alegada e atraso,  Coelho explicou que a G4 Engenharia foi quem deu causa ao atraso, tanto que a Câmara teve que entrar na Justiça quando já havia passado quase 5 meses de paralisação/lentidão para obrigar a construtora a retomar a obra.

No dia 12 de julho de 2012 o juiz Jorge Antonio Sales Leite deferiu o pedido de Obrigação de Fazer e estabeleceu até uma multa para caso de descumprimento. Só então, disse Bebeto a obra recomeçou. Hoje ela está sendo concluída e logo entrará na fase de acabamento.

“Só conseguimos fazer com que a obra andasse quando entramos com uma ação junto ao juiz de Timbiras e que foi estabelecido nesta ação (de Obrigação de Fazer) uma multa de R$ 1.000,00 diária para a empresa a cada dia parada”, disse dando sequência na fala.

“Então  a partir desse momento, o dono da empresa G4 Engenharia (Cássio Roberto Calvet Pinto) afastou o Emilson, trouxe um outro encarregado, um outro mestre de obra, que é seu Zé Raimundo, e a partir daí a obra começou a andar com bastante rapidez e se encontra agora já na fase final de conclusão”, concluiu

Um comentário sobre “Bebeto Coelho esclarece dúvidas sobre reforma da Câmara de Timbiras”

  1. Está escrito na Constituição Federal de 1988 que as Câmaras Municipais não são entes arrecadadores de receita pública. Então, por que essa obsessão do atual presidente em querer demonstrar para a população de que ele é um bom e eficiente gestor ?.
    Isso mais parece demagogia, e nos mostra claramente incompetência em não saber utilizar de forma proveitosa o dinheiro que é repassado para as mãos dele.Algo que o torna passível de afastamento da administração, de acordo com o Direito Administrativo Brasileiro.
    Faz tanta questão de mostrar aos munícipes que “economizou”,(perguntem se ele diminui o próprio salário de R$ 6.000 ?). Traduzindo, deixou de investir em ações básicas,como: reforma completa,modernização, informatização e transparência financeira, melhora salarial dos funcionários , Concurso Público, aquisição de veículos oficiais, como motocicleta e automóvel, e também, como é uma necessidade e uma realidade , uma melhor comunicação com Timbiras e com nós timbirenses que trabalhamos em outro Estado,(internet) , pois somente naquela malfadada manobra para retirar o prefeito legítimo, é que requisitou a imprensa, uma rádio de Codó, que como sabemos é pouco confiável.
    Muitas foram as acusações,insinuações sem o devido respeito, desrespeito público, contra Emilson, contra o (Juiz) Dr. Jorge, e a outros.Esperamos as provas das acusações, para então saber quem realmente fala a verdade.
    FREUD explica.

Deixe uma resposta