CADEIA:TJ determina prisão e afastamento do prefeito de Barra do Corda

Do G1 MA

Prefeito de Barra do Corda "Nezim"

O Tribunal de Justiça do Maranhão determinou, nesta terça-feira (19), a prisão do prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa (PV), conhecido como Nenzim, por desvio de verbas públicas na sua administração.

A decisão da 1ª Câmara Criminal condenou o prefeito à pena de quatro anos e seis meses de reclusão, a ser cumprida em regime semi-aberto, além do seu afastamento imediato do cargo e a posse do seu substituto legal, embora caiba recurso da determinação.

No dia 3 de maio, o prefeito do município de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa (PV), foi condenado a oito anos e três meses de reclusão, além de ser inabilitado a exercer cargo ou função pública pelo prazo de cinco anos. Seis dias depois, no dia 9, Nenzim conseguiu no Superior Tribunal de Justiça (STJ), habeas corpus suspendendo a medida da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão.

Denúncia
Na denúncia que o Ministério Público do Maranhão (MP/MA) ofereceu contra Nenzim, consta que a Prefeitura de Barra do Corda veiculou propaganda intitulada “Informativo – Prefeitura Municipal de Barra do Corda – Trabalho. Respeito. Cidadania. É assim que se constrói uma cidade”, com conteúdo voltado ao culto da personalidade do prefeito.

A propaganda faz referência a algumas obras realizadas pela prefeitura, com o próprio prefeito falando sobre as realizações e populares elogiando o gestor municipal.

No entendimento do MP, o prefeito utilizou a máquina pública para obter publicidade pessoal em decorrência de serviço público ou pagos com rendas públicas, com intuito de se autopromover, o que se constitui publicidade irregular e emprego indevido de verba pública.

Defesa
Em contato com o G1, o procurador do município, Roni Peterson, informou que a prefeitura ainda não tomou ciência oficialmente da decisão, mas que os advogados contratados para realizar a defesa pessoal do prefeito já estariam em São Luís para recorrer.

Deixe uma resposta