1.231 codoenses ainda estão se recuperando de CORONAVÍRUS, 81 morreram até agora

3.970 codoenses já foram infectados pelo Coronavírus em Codó, 1.231 ainda se recuperam da doença. De março até hoje, 81 pessoas já morreram vítimas da COVID-19.

O número de recuperados é de 2.658.

No Boletim desta quarta-feira, 2, o secretário de Saúde, Suelson Sales, destacou que em 3 dias menos de 15 novos casos foram registrados, mas chamou a atenção para a importância de se levar pacientes, sobretudo idosos, mais cedo para atendimento hospitalar, estão chegando com quadro grave.

“Em três dias tivemos menos de 15 casos confirmados, isso mostra que as medidas que foram tomadas, o isolamento social, a quarentena em determinados momentos, a participação da população com máscara, as medidas, os protocolos clínicos adotados pela Secretaria de Saúde, pelos nossos profissionais, a extensão do atendimento nas unidades básicas de saúde, ampliando o atendimento de 8 pra 12 horas, já em 4 unidades”

“As pessoas que estão chegando na UPA, no HGM estão chegando em estado moderado para grave, os idosos. As pessoas com comorbidades, então isso é preocupante porque apesar da baixa taxa de contágio nós temos tido um agravamento naquelas pessoas que têm chegado ao hospital, então é muito cuidado, vamos cooperar”

“Sempre esteja com a máscara, a guerra ainda não acabou. Nós temos vencido batalhas, porém o vírus ainda está vivo, ainda está infectando pessoas”, disse o secretário

Veja o que hospital de campanha COVID-19 relata sobre a morte de J. NET

O empresário do ramo de informática, José  Matos, mais conhecido como J. NET, teve morte confirmada ao blogdoacelio agora há pouco pela direção do hospital de campanha.

Ele deu entrada ontem, 21/07, às  23h05min, foi medicado e decidiu ir pra casa.

Retornou hoje ao hospital de campanha  e foi levado direto para a ala de pacientes graves de Covid-19.

Já havia ambulância para sua transferência para uma UTI de CAXIAS, mas J. NET sofreu uma parada cardiorrespiratória e morreu às 20h29min desta quarta-feira.

“Ele teve uma parada cardiorrespiratória e aí foi solicitado leito de transferência pra ele, equipe do SAMU  tava pronta pra fazer a transferência desse paciente às 7h20 (da noite) quando o SAMU chegou e aí o paciente teve uma parada foi quando a equipe iniciou o protocolo pra Covid-19 de reanimação e durou mais de uma hora quando o paciente, quando o protocolo não teve sucesso, foi constatado o óbito desse paciente”, nos revelou o diretor

NOUTRO ÁUDIO, MAIS DETALHES:”Pois é Acélio, ele deu entrada como eu já te passei, no dia 21, às 23h0min, a equipe médica fez a primeira intervenção com a saturação de 91, 93 dispineia leve, mas bastante agitado, os relatos da equipe que fez o primeiro atendimento, o paciente estava inquieto, muito agitado, com leve dispineia, foi orientado a ficar na observação do hospital de campanha sob suporte de O2 mas o mesmo retirava inúmeras vezes o catéter nasal e não aceitava, de forma alguma, hidratação, não aceitava de forma alguma medicações e inúmeras vezes ele levantava do leito, sempre agitado, falando alto, gritando, ia até a porta do  hospital de campanha, ameaçava sair, pedia para que ele retornasse, ele voltava para o leito, novamente repetia o quadro de agitação, sempre agitado. Foi feito diazepan via oral pra que ele pudesse relaxar, pudesse ficar aceitando O2 (Oxigênio) para que melhorasse a saturação dele para que de manhã ele tivesse melhor, mas o mesmo impossibilitou essa assistência, foi tudo anotado nos prontuários (…)

(…)A equipe fez todo o atendimento, às 3h20min (madrugada de 22/07) a equipe fez  contato com a família porque o mesmo recusou ficar sob observação  no leito  do hospital de campanha e ameaçou mais algumas vezes que iria sair e aí a família quando foi por volta de 4h10min da manhã levou o mesmo pra casa, aí no período da manhã (de 22/07) ele deu entrada novamente na troca do plantão às 7h quando entrou pro leito de isolamento de pacientes mais graves e aí foi feita toda a parte de assistência médica, assistência de enfermagem sobre o paciente”, disse-nos Carlinhos, o diretor do Hospital de Campanha.

VÍDEO EXPLICATIVO: Veja o que diz o novo decreto que fecha tudo a partir desta quarta-feria, 10 de junho

A Procuradoria-geral do município nos enviou às 11h50min o decreto Nº 4.238 de 9 de junho de 2020 que faz novas determinações que valerão a partir de 10 de junho  até 25 de junho, conforme acordo feito entre Ministério Público e a prefeitura de Codó perante a Justiça.

Ele manda fechar tudo que não é essencial, deixa as lojas de material de construção agora só com venda delivery ou drive-thru, proíbe atividades religiosas presenciais, estabelece barreira policial para proibir entrada de bebidas alcoólicas no KM17 e horário de funcionamento para feiras livres como Mercado Central (só até 11h da manhã).

VEJA A ÍNTEGRA DO NOVO DECRETO DECRETO 3º FECHAMENTO 06-09-2020 11.22.16

CORONAVÍRUS – População de Coroatá continua aguardando a Justiça se manifestar sobre decreto ‘liberou geral’ do prefeito Luís Filho

A POPULAÇÃO DE COROATÁ continua aguardando o resultado da ação ajuizada pelo MINISTÉRIO PÚBLICO contra o decreto chamado de ‘liberou geral’ do prefeito Luís da Amovelar Filho. Existe a expectativa de que saia ainda nesta semana.

Leia abaixo detalhes sobre o caso, numa reportagem escrita pela assessoria de imprensa do Ministério Público Estadual:


O Ministério Público do Maranhão ajuizou, em 2 de junho, Ação Civil Pública, requerendo, como medida liminar, a suspensão integral o Decreto Municipal nº35, de 31 de maio de 2020, que flexibilizou a política de isolamento social no município de Coroatá.

A suspensão deve valer até que seja comprovado de forma técnica ou científica que a reabertura do comércio e a livre circulação de pessoas não ocasionará um surto de coronavírus na cidade, comprometendo a rede pública de saúde.

O referido decreto permitiu o funcionamento dos estabelecimentos comerciais, de serviços e similares não essenciais, substituindo o regime imposto pelo Decreto Municipal nº 31, de 7 de maio de 2020.

Formulou a manifestação ministerial o promotor de justiça Luís Samarone Batalha Carvalho, que está respondendo pela 1ª Promotoria de Justiça de Coroatá.

MAIS PEDIDOS

Na ACP, foi solicitado que o Município seja obrigado a se abster de adotar qualquer medida que autorize o funcionamento de atividades não essenciais, enquanto durar o Estado de Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (Espin-19) decorrente da epidemia de Covid-19.

Para a autorização, deve haver justificativa técnica, embasada em evidências científicas e análises sobre as informações estratégicas em saúde no município.

As estratégias devem estar fundamentadas na testagem em massa e projeções baseadas em estudos de cenário, em compromisso com o direito à informação.

Devem ser estabelecidas a responsabilidade das empresas que não seguirem as normas sanitárias e o detalhamento de como será feita a fiscalização pelo Poder Público para assegurar que as medidas de precaução serão cumpridas;

O Município deve também ser obrigado a demonstrar que finalizou a estruturação dos serviços de atenção à saúde da população referentes à demanda do Covid-19, com a proteção do Sistema Único de Saúde, e com o suprimento de equipamentos (leitos, EPIs, respiradores e testes laboratoriais) e equipes de saúde (médicos, enfermeiros, técnicos e outros) em quantitativo suficiente.

PLANO

Foi requerido também que o Município seja obrigado a apresentar, no prazo de 5 dias, o plano estratégico detalhado, com cronograma e ações definidas, para ampliação do número de testes para detecção da patologia Covid-19, que inclua, minimamente: as hipóteses prioritárias da Organização Mundial da Saúde – OMS.

Deve ser apresentado o percentual da população assintomática, com o objetivo de ser mapeada a disseminação do vírus na população, inclusive para a retomada paulatina e seletiva de atividades econômicas e sociais, e a circulação de pessoas;

O MPMA requereu, ainda, a decretação da ilegalidade do Decreto Municipal nº 35/2020 e a condenação do Município a estabelecer uma rotina administrativa para o devido procedimento de exposição de justificativa dos decretos e atos normativos, sobretudo os que impactam a saúde da população, por meio da explicitação das razões e informações técnicas que os motivam.

Em caso de desobediência, foi sugerida a fixação de multa diária com valor não inferior a R$10 mil.

Redação: CCOM-MPMA

https://www.mpma.mp.br/index.php/lista-de-noticias-gerais/11/16824

CORONAVÍRUS: Com 46 mortos e 1.415 infectados os codoenses amanheceram no comércio como se fosse véspera de Natal

Mesmo em plena pandemia crescendo (hoje com 46 mortos, 1.415 infectados, 447 suspeitos e 361 recuperados) o centro comercial amanheceu como se fosse véspera de Natal.

Volto a avisar que teremos um grande número de infectados a partir destes dias terríveis que estamos presenciando antes do comércio fechar. Depois muitos destes infectados ainda reclamarão do sistema de saúde que os atenderá, mesmo sabendo que não haverá como atender a todos.

VEJA AS IMAGENS DE AMARAL JÚNIOR feitas por volta das 9h da manhã de 08/06/2020.