Cerca de 8 mil alunos continuam sem aulas em Peritoró

Peritoró escola fechada

As escolas de Peritoró estão fechadas, só na área urbana são 9 com aviso de greve. Por conta dela, cerca de 8 mil alunos estão fora da sala de aula desde o dia 24 de outubro.

“Tá ruim porque a gente está sem estudo e aí vai dificultar pra gente no futuro”, reclamou a estudante Joana Nascimento

Futuro tão incerto quanto o fim da greve. Pais e alunos nada sabem a respeito.

“Não sei…NÃO TEM NEM PREVISÃO? Não, NUNCA DISSERAM NADA NO RÁDIO, NA TV DAQUI? Não, nunca disseram”, respondeu Carolina Sobrinho

MAIS DENÚNCIAS

Em meio às consequências da falta de aula surgem outros problemas denunciados pelos alunos, como o que envolve a merenda escolar. Maria Katarina da Silva, estudamte do bairro Filipinho, disse

“Só no começo do ano, passou dois meses vindo aí depois não veio mais não, só dois meses. É preciso a gente levar dinheiro pra comprar merenda”.

QUEDA DE BRAÇO

Sec. Josué Oliveira Sousa

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Peritoró trava uma luta com o governo com uma pauta de reivindicação de 12 itens. Para os educadores contratados pede o fim do atraso no pagamento que varia de 3 a seis meses.

O secretário de administração, Josué Oliveira Sousa, afirmou que não existe atraso para professores, apenas de 1 mês para outros profissionais da área de educação contratados como vigias e auxiliares de serviços gerais. Algo que já estaria sendo sanado.

Em relação aos professores efetivos a cobrança diz respeito à um repasse da sobra do Fundeb referente ao ano de 2010. Cada professor, segundo o presidente do Sindicato, Clemilson Viana, tem mais de 2 mil reais a receber, desde novembro do ano passado.

Pres. Clemilson Viana

“Eu acredito que a categoria foi paciente, procurou todas as formas de negociação, só um ano depois nós deflagramos a greve (…) agora é o limite,ele tem que pagar esse dinheiro que ele deve para os professores agora, enquanto ele (prefeito) não pagar ninguém retorna às aulas ”, disse o presidente

GOVERNO DESCARTA

Sobre isso o representante do governo afirmou que o dinheiro reclamado pelos efetivos caiu na conta da Prefeitura em abril de 2011, portanto não pode ser usado para pagar pendências do exercício de 2010.

Sobre falta de merenda escolar a administração do município informou que tão logo haja o retorno das aulas haverá a regularização do fornecimento

Deixe um comentário