Codoenses estão entre os que mais consomem calmantes no Estado

Remédios

Popularmente os ansiolíticos são conhecidos como calmantes, coisa que seu José de Ribamar Santos, pedreiro, jura nunca ter comprado na vida por uma razão muito simples – ele se diz uma pessoa cabeça fria.

“Nunca…CALMANTE? não, não porque calmante eu não tenho a cabeça muito quente…AGORA QUEM TEM…quem tem, tem que comprar, né”, disse

Essa associação os torna bastante procurados nas farmácias de Codó e do Maranhão. Entre os princípios ativos que compõe formulações farmacêuticas industrializadas, os ansiolíticos estão na lista dos cinco mais consumidos pelos maranhenses.

A DOENÇA

Os médicos explicam que por causa das tensões do cotidiano, determinadas áreas do nosso cérebro funcionam exageradamente resultando num estado de ansiedade, stress. Os ansiolíticos agem nestes pontos do cérebro deixando a pessoa em estado de tranquilidade, daí tanta popularidade desses medicamentos.

Na cidade de Codó, além dos industrializados há muita venda dos chamados calmantes naturais. Dona Conceição Lima, lavradora, não ver perigo neles e leva, quando acha que precisa, sem qualquer prescrição médica.

“é o natural…MESMO SEM A PRESCRIÇÃO DO MÉDICO? É eu levo o natural sem precisar da autorização do médico, porque o natural é diferente desse outro, levo o natural”, respondeu

MÉDICO ALERTA

O médico Mário Braga alerta, é preciso cuidado. Sobretudo quando submetido a doses contínuas dos industrializados o organismo passa a ter necessidade do medicamento e uma ajuda simples para diminuir uma tensão ou para dormir, por exemplo, vira um grande problema.

“Após o uso do medicamento ele sente um vazio e aí é que tá o perigo porque ele vai sentir a necessidade, novamente, e fazer o uso contínuo do remédio e aí é que causa a dependência química do medicamento”, EXPLICOU

GESTANTES

O desempenho em atividades corriqueiras, na escola, no trabalho, fica prejudicado porque tudo passa a ser mais lento e algumas pessoas, especificamente, devem evitar. Entre estas, as gestantes.

“Normalmente não se prescreve o uso desses medicamentos a não ser que o benefício seja maior que o risco tanto para a mãe, quanto para o feto, mas na maioria das vezes se não houver necessidade assim importantíssima, rigorosíssima, então você não pode fazer uso porque pode levar a comprometimento fatal”, afirmou Braga

Por causa dos riscos a automedicação deve ser evitada. Quando fala sobre isso, Leidomar Lopes, mesmo com a simplicidade de um lavrador, está coberto de razão.

“Com certeza, né, vai que toma demais, passa mal…ENTÃO É MELHOR QUE O MÉDICO…que o médico passe, com certeza”, disse

SINTOMAS DO DEPENDENTE

Para quem faz uso com muita frequência dos ansiolíticos e acha que não tem nada de anormal ocorrendo com o seu organismo alguns sintomas podem ajuda-lo a rever seu pensamento – sem o remédio o dependente fica sempre irritado, tem insônia e suor excessivos, dor pelo corpo e pode apresentar até convulsões.

“é como se fosse aqueles crises de abstinência, faz tanto uso que, obviamente, o seu organismo precisa do uso daquele substância pra poder continuar agindo como agiria anteriormente” ,concluiu o médico

Deixe uma resposta