Consciência: Jéferson Freitas critica políticos e imprensa que são contra a fiscalização do trânsito

Jéferson Freitas

O radialista, Jéferson Freitas, fez uma importante observação sobre o trânsito de Codó em entrevista ao blogdoacelio, pensamento do qual também comungamos.

Jéferson, considerado linha dura quando utiliza-se de um microfone, respeitado pela coesão de seus pronunciamentos sobre qualquer assunto, começou ressaltando a importância de se respeitar o Código de Trânsito Brasileiro e de manter a fiscalização na rua.

“É importante que a lei seja cumprida para que a gente possa evitar casos como esse aqui de acontecer no município. No momento em que você coloca fiscalização na rua você inibe o trânsito de várias pessoas de forma irregular”, disse

POLÍTICOS IRRESPONSÁVEIS

Para o comunicador, age irresponsavelmente aquele político que vai para um veículo de comunicação qualquer para defender o fim das blitzen só para adquirir por meio deste discurso errado apelo popular e, consequentemente, a simpatia daqueles que desejam ver a desordem imperando.

“E eu culpo algumas pessoas, tipo políticos, que porque querem votos, querem galgar algum espaço, ele vai de encontro à uma lei dessa e se sensibiliza com outras situações tipo – ah! O cidadão é probrezinho, tá lá no inteiror e não pode trazer sua carne e tal – mas ele (político) esquece que a lei diz que ele tem que andar com Carteira Nacional de Hbilitação, ele tem que ter direção defensiva, ele tem que ter legislação completar para que ele possa transitar bem e assim cuidar bem da vida dele e respeitar a vida dos dos outros que estão no trânsito”, salientou

IMPRENSA COM DONO

Ele incluiu também os radialistas, blogueiros e apresentadores nesta responsabilidade de conscientizar em acordo com a lei, o que raramente acontece, pois na sua opinião, a imprensa tem dono e os donos, em sua maioria, são políticos que fazem de seus interesses algo mais importante que a vida dos cidadãos.

“Infelizmente, a imprensa do Codó ela tem dono. Lado A tem dono, lado B tem dono, lado C tem dono, lado D tem dono e todos eles tendem a ser representantes do nosso município, querem ser prefeitos, querem ser vereadores e dessa forma eles acabam não ajudando a coisa boa acontecer no nosso município, quer dizer, infelizmente, é assim, vão até de encontro a lei”, afirmou

Os comunicadores embarcam no que querem quem os paga e esquecem de seu dever maior. O cidadão também vai no mesmo ritmo porque se beneficia da irresponsabilidade dos políticos codoenses e dos integrantes da comunicação social.

“Se apoia exatamente na irreponsabilidade de um político, de um jornalista irresponsável que tendendo a fazer política para o dono da sua emissora acaba esquecendo o que é melhor, o respeito à lei, ao cidadão”

DISCURSO CONTRA A LEI

Jéferson Freitas lembrou o início da administração de Zito Rolim quando o trânsito era fiscalizado com rigor para criticar pré-candidatos e políticos em atividade que se posicionaram contra a fiscalização.

“O prefeito atual ele iniciou tentando fazer isso acontecer, tomando quem estava sem capacete, quer dizer, fazendo a lei acontecer com isso os óbitos diminuiram no nosso município. Mas candidatos a vereador, os próprios políticos em atividade começaram a dizer que as pessoas que transportam seus produtos agrícolas do interior, pessoas pobres que não teem condição nem de viver, esquecendo que a lei é feita, que o ser humano, infelizmente, ele precisa de um grande amparato, guarda de trânsito, promotor, lei, Justiça, uma série de coisas pra ele viver bem”, disse

MAIS DE 1.300 ACIDENTES

De janeiro a setembro Codó registrou, segundo dados da PM, 1.227 acidentes. Só em novembro pelos dados do Serviço de Saúde foram mais 111 com ferimentos para os envolvidos. Até agora 5 codoenses morreram no perímetro urbano vitimados pela desordem do trânsito codoense.

Deixe um comentário