COROATÁ: Veja fotos de quase 200 kg de maconha e os caminhos da investigação

Maconha em Coroatá

A polícia apresentou como chefe do grupo, Antonio Rodrigues da Silva, de 42 anos, que já vinha sendo monitorado desde agosto de 2011, no bairro Igarapé Grande, Coroatá.

O delegado, Reno Cavalcante, explicou que, baseado em levantamento prévio, pediu mandados de busca e apreensão para a casa dele e apenas aguardou a chegada do carregamento, o que acabou ocorrendo no último sábado, 23.

ONDE A DROGA ESTAVA

Contou o delegado que a droga foi apreendida na casa de Maria da Conceição Silva Ferreira, mas, principalmente, na de Vanessa Duarte da Silva. As duas mulheres são irmãs da esposa de Antonio, Lindalva Rodrigues, que também foi presa

O dinheiro da venda era dividido percentualmente entre todos e as duas recebiam, segundo a polícia civil, por guardar a maconha.

“Na casa dessas mulheres, que são casas conjugadas, foram três casas conjugadas, foram encontradas drogas na casa dessas mulheres, ou seja, o Antonio vendia droga na sua residência e armazenava a droga na casa de suas cunhadas e elas recebiam participação no lucro da venda dessa droga por guardar esse entorpecente”, disse Reno

200 kg de Maconha

Presos na operação

São quase 200 quilos de maconha. Por causa da quantidade, Reno Cavalcante acredita que Antonio Rodrigues da Silva, seja um distribuidor da região. Até concluir o inquérito, ele quer saber também quem é o fornecedor e para onde iria tanta a droga.

“E aí nós vamos, através das investigações, fazer este levantamento quais eram as cidades, pela quantidade de drogas que eles estavam vendendo e a origem dessa droga”, afirmou Reno Cavalcante

Deixe uma resposta