Crise – Saúde de Codó aplica mais de 99% do dinheiro só em pagamento de funcionários

O relatório da saúde mostra que o governo de Zito Rolim passou o ano de 2010 no maior sufoco para manter a saúde pública funcionando. No quesito aplicação dos recursos, é visível a falta deles para investimentos porque 99,72% do que o município recebeu ano passado foram aplicados só em pagamento de funcionários da saúde e encargos sociais.

Do SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE, incluindo repasses do PSF, Saúde Bucal, Agentes Comunitários de Saúde, gestão plena e outros, Codó teria recebido, com aplicação de rendimento e repasse de R$ 2 milhões do Governo do Estado, exatamente R$ 20.986.538,07.

Foi deste valor que saíram 99,72% só para pagar funcionários e encargos sociais.

O Executivo diz enfrentar dois problemas:

  • Primeiro – a falta de repasses maiores por conta do governo do Estado. Foram apenas R$ 2 milhões ano passado, valor pequeno se comparado aos repasses do governo de Jackson Lago para Biné Figueiredo, registrados na contabilidade da Prefeitura, segundo a Secretaria de Finanças. No último ano de governo, o Estado teria destinado à Codó 12 milhões de reais. 1 milhão por mês para ajudar a administração dos Figueiredo na área da saúde.
  • Segundo – Os maiores salários pagos pelo município estão na saúde, segundo a Secretaria. Um anestesista, por exemplo, chega a levar mensalmente até R$ 30.000,00 de salário. O município mantém dois trabalhando, cada um 15 dias apenas do mês. Um plantão médico, seja ele de clínica geral, custa mais de R$ 1.000,00 para o município.

MATERIAL DE TRABALHO E MEDICAMENTOS

O blog do Acélio quis saber sobre como fez o governo para manter os profissionais trabalhando, já que os codoenses precisam de medicamentos e as unidades de saúde de materiais básicos de trabalho médico-hospitalar.

De acordo com o contador Jorge Henrique, o jeito foi aumentar a cota mínima determinada pela Constituição que é de 15%. Este percentual deve ser retirado da receita própria do município (de tudo que ele arrecada). Em 2010, Codó teria aplicado não apenas 15%, mas 23,97% da receita do Tesouro Municipal para poder oferecer o que os codoenses tiveram na saúde. O equivalente à R$ 8.919.396,19.

Este ano, segundo informaram, a coisa continua, praticamente, no mesmo ritmo.

Um comentário sobre “Crise – Saúde de Codó aplica mais de 99% do dinheiro só em pagamento de funcionários”

  1. A TV Codó,de propriedade do Zito,cortou a fala de uma moradora do Codó novo.Na matéria ficou claro que a mulher tava reclamando do prefeito.Tá claro a rejeição do Zito.Até a sua própria TV tá tendo dificuldade de esconder.

Deixe um comentário