Jovens de Codó demonstram maior interesse por cursos profissionalizantes

Fila para garantir a inscrição em cursos profissionalizantes. Airla Muzana, ouvida pelo blog, nos concedida entrevista quando largou tudo para não perder a chance.

“Se você tem qualificação, quais os cursos que você está cursando, se você tem ensino superior, eu tô perdendo a fila, TÁ PREOCUPADA COM A FILA? Obrigada viu (sai correndo)”,

Os jovens estão mesmo mais interessados no assunto e se movendo para vencer os obstáculos de quem quer ter sua primeira oportunidade. Para Robson Sousa a exigência aumentou

“O mercado de trabalho ta exigindo muito e esta é uma oportunidade do jovem crescer no mercado de trabalho (…) primeiro eles perguntam se a gente tem experiência e é qualificado pra área que eles querem, se não for, se não tiver infelizmente não alcança”, disse

SE QUALIFICANDO

Onde tem curso profissionalizante quem tem até 24 anos de idade forma a maioria em Codó. Uma proporção parecida com a de mais de 11 mil inscritos na agência do Sistema Nacional de Emprego.

Tem gente trocando de opção, como Marinalva da Silva, que para deixar para trás o trabalho de operadora de caixa, seu único com carteira assinada até agora, voltou-se para os estudos.

Nova opção, tem muita gente da gente conseguir emprego, não pode ficar é parado (…) a gente tem que ficar estudando pra quando surgir chance a gente já ta capacitado”, ressaltou

SEM PERDER TEMPO

Entre os cursos oferecidos pelo governo e pela iniciativa privada, as opções não são tantas assim, por isso mesmo é preciso fazer a escolha certa para não perder tempo.

Para decidir-se sobre que rumo tomar Joselí Martins pensou em número de vagas no mercado, crescimento do setor e está apostando em segurança do trabalho.

Tinha outras opções, mas eu me interessei por esse por causa também do mercado de trabalho”, esclarece

MARANHÃO PROFISSIONAL

De maio até agora, um único local de oferta desses profissionalizantes, o CETECMA, já recebeu mais de 300 jovens e toda hora tem mais gente interessada. Na opinião do professor, Marcelo Rocha, o tutor como são chamados no programa Maranhão Profissional, eles entenderam a necessidade da devida qualificação.

“Qualquer qualificação, em qualquer área hoje ela se faz necessária, então a juventude hoje ela tem que buscar essa qualificação, ou ela se qualifica, então fica fora do mercado”, afirmou

Quem anda gostando de tanto interesse assim é a direção da agência do Sine, por um motivo muito simples – quanto mais mão de obra qualificada, maior a possibilidade de intermediar um novo emprego.

Deixe um comentário