Ministério Público Federal quer saber onde foram parar cerca de 100 mil do Fundef no governo de Ricardo Archer

Notícia produzida e disponibilizada à imprensa pela Assessoria de Comunicação da Procuradoria da República do Maranhão:

Ricardo Archer

O Ministério Público Federal em Caxias (MA) propôs ação de improbidade administrativa contra o ex-prefeito de Codó (MA) Ricardo Archer. O ex-prefeito teria utilizado recursos públicos indevidamente, ora deles se apropriando, ora direcionando a terceiros.

Segundo relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), houve desvio de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e Valorização do Magistério (Fundef) e da merenda escolar repassados ao município. O total dos recursos desviados, só em 2001, foi aproximadamente de cem mil reais.

Para o procurador da República Alexandre Assunção e Silva, autor da ação, o relatório do TCU aponta vários atos de impropriedade administrativa que teriam sido cometidos pelo ex-prefeito Ricardo Archer, entre eles: a reforma e a construção do muro com alambrado da Escola Remy Archer, que foram pagas, mas não realizadas; irregularidade na aquisição de material de consumo e de expediente; desvio de finalidade na aplicação dos recursos e dispensa irregular de licitação.

Ainda são réus nessa ação, as empresas GET e A. Clésio Almeida Silva, Maria do Bom Parto Coêlho, representante legal da empresa Distribuidora Tupinambá Comércio e Representações Ltda, considerada empresa fantasma e Anízio Ramanholo, ex-presidente da Comissão de Licitação de Codó.

Sérvulo Neves
Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República no Maranhão

Deixe um comentário