Morre Cícero de Sousa Campos – conheça um pouco de sua história

Cícero de Sousa Campos 1948 - 2012

Morre, aos 63 anos de idade, Cícero de Sousa Campos. De acordo com comunicado da família na FCFM, o falecimento ocorreu às 12h30min deste domingo, 15, em Teresina, capital do Piauí, onde estava internado havia mais de uma semana.

Seu Cícero lutava contra um câncer no fígado, diagnosticado recentemente. O corpo deve chegar por volta das 19h à Codó e será velado a partir das 22h na Igreja de São Sebastião.

Cícero de Sousa Campos é pai do diretor administrativo do Sistema FC de Comunicação, professor Cícero de Sousa, o Cicinho. No fim de 2011, numa festa para os funcionários do Grupo FC Oliveira, seu Cícero foi homenageado por ser o mais antigo colaborador da empresa.

CÍCERO E O RESPEITO DOS OLIVEIRA

Ele esteve no início de tudo, em 1982, quando Francisco Carlos de Oliveira separou-se de seu cunhado ‘Toinho’ (com quem ambos trabalhavam) e resolveu montar o próprio negócio.

“Então o Cícero chegou pra mim e disse – eu não quero ficar aqui com o toinho, eu quero seguir você. Eu falei para o Cícero, – eu não tenho nada, eu não sei o que vai ser de mim. Ele respondeu não importa, eu quero é lhe acompanhar, eu não fico aqui porque a minha convivência é com você. Se você tem essa coragem então a gente vai pra luta junto”, lembrou Chiquinho Oliveira no documentário

Na oportunidade a empresária Teresinha Buzar de Oliveira também recordou.

Ele acreditou no Chiquinho e a comadre também, não sei se já falei alguma vez que a comadre disse que ia fazer pastel porque nós saímos de uma sociedade que não tínhamos condição nem de pagar um funcionário, então foi trabalhar eu, Cícero e o Chiquinho”, frisou

COMPETENTE E HONESTO

Era, na visão do industrial, homem íntegro, leal e um grande amigo.

“A chave do cofre de FC Oliveira, o dinheiro de FC Oliveira até hoje quem cuida é o Cícero de Sousa Campos, eu nunca peguei em dinheiro, eu nunca fiquei com chave de cofre”, afirmou o empresário que foi complementado por Teresinha Buzar

“Competente, honesto lá ele é o cabeça de tudo. Todo mundo gira em torno do Cícero, Cícero pra cá, Cícero pra lá, porque o Cícero foi quem ajudou a crescer esta empresa ele acompanhou passo a passo esta empresa por isso que eu lhe digo ele não é peça de FC Oliveira, Chiquinho sempre fala que ele é patrimônio da fc oliveira e um membro da nossa família”, disse a empresária por ocasião da homenagem.

OS AMIGOS SENTIRÃO SAUDADES

Cuidava de toda a contabilidade do grupo e era cultuado pelos amigos por seu caráter e serenidade na hora de resolver qualquer entrave. Era como Antonio Barbosa, do setor de faturamento e colega de trabalho há 21 anos, o via.

“Isso aqui é assim, outro diz não, vamos lá no Cícero. Chega lá no Cícero basta mostrar – olhou o papel, na mesma hora a gente já resolve, já despachou…pronto, naquela tranquilidade dele, não se aparrea, não trata mal não tá mal humorado, nunca, nunca ele tá mal humorado”, afirmou se Antonio

Quem também aprendeu tudo que podia com Cícero de Sousa Campos foi sua companheira de setor, Marlene dos Santos Cruz Barbosa, e ela resume a personalidade de seu admirado amigo com quem dividiu tarefas durante 25 anos, da seguinte maneira.

“Eu iniciei com o Cícero, o Cícero foi o grande mestre, acho que pra todo mundo que teve o privilégio de trabalhar com o Cícero, só teve a aprender. Uma palavra que eu posso resumir o caráter dele, a pessoa formidável”, disse

O LEGADO

Cícero de Sousa Campos, nascido dia 12 de maio de 1948, era casado com dona Maria do Amparo de Melo Campos. O matrimônio de ambos aconteceu quando ela tinha apenas 17 anos, com a anuência dos pais, e ele apenas 22 anos. Foi um casamento feliz.

Ela o descreve como o grande amor de sua vida, ele e Cícero Filho.

“Aos 17 anos a gente casou, com 18 anos a gente teve o Cícero Filho e sempre eu digo que o Cícero meu marido é a coisa mais importante que eu tenho e ele Cícero Filho é a coisa mais importante que nós dois temos, porque eu nunca deixei de amar, do mesmo jeito este amor transborda no meu coração”, afirmou

Sob sua compreensão, morreu um grande esposo, um exemplo de honestidade e simplicidade.

“Isso é o maior legado que ele vai deixar pra nós algum dia seria isso, a honestidade e a simplicidade”, disse

‘SÓ TENHO A AGRADECER’

Chiquinho Oliveira encerrou dizendo que à Cícero de Sousa Campos só tem a agradecer.

“Em poucas palavras eu posso dizer o seguinte, o Cícero tem todas as qualidades que qualquer patrão gostaria de ter num funcionário, lealdade, honestidade e amizade, ao Cícero eu só tenho a agradecer”, concluiu

Deixe um comentário