Fale com Acélio

Professor Carlos Gomes
Professor Carlos Gomes

“É no silêncio que se moldam as melhores coisas” Rui Barbosa

 A cidade de Codó demorou muito a ter o curso ginasial. Os estudantes concluíam o antigo primário e ficavam sem estudar, a não ser, filhos de pais com maiores posses, iam para São Luis ou Teresina prosseguir os seus estudos. Na verdade, esse fato não era exclusivo de Codó, pois muitas cidades maranhenses eram desprovidas deste ciclo de ensino.

Só por volta dos anos 50, o estudante codoense pôde estudar as quatro séries do ginásio, como se chamava naquela época.

Para a felicidade dos codoenses, em geral, a dezoito de outubro de 1952, chegaram a Codó, a Professora Ariceya Moreira Lima, Presidente da então Campanha Nacional de Educandários Gratuitos (CNEG), Setor Estadual e o Dr. Orlando Araújo, médico conceituado no Estado, com o objetivo de instalarem a CNEG local, atualmente Campanha Nacional de Escolas da Comunidade – CNEC e o Ginásio Codoense, fato relevante para a história educacional de Codó.

Mantidos os contatos com as lideranças da cidade, reuniram se no dia seguinte, 19 de outubro, no prédio da Unidade Escolar “Colares Moreira”, sob a presidência da Professora Ariceya Moreira Lima, os senhores e senhoras: Waldemar Pinto da Veiga, Prefeito Municipal, Almerinda Bayma, Orientadora Educacional, Dr. Orlando Araújo, médico; Dr. José Anselmo dos Reis Freitas, médico; Dr. Amandino Texeira Nunes, Promotor Público da Comarca; Coronel Sebastião Archer da Silva, industrial; Nagib Buzar, Presidente da Associação Comercial; Professoras: Maria Alice Machado, Carmem Palácio Lago, Clinaura Freitas, dentre outros ilustres convidados.

A Presidente da reunião, auxiliada pelo Dr. Orlando Araújo e a Professora Almerinda Bayma, em ligeiro pronunciamento, disse aos presentes: “A finalidade da presente reunião era instalar a Campanha Nacional de Educandários Gratuitos, neste município e fundar o Ginásio Codoense, iniciativa já experimentada em outras regiões do Estado, em pleno florescimento, acrescentado que tal medida se impunha aos codoenses, cuja sede conta com mais de oito mil habitantes”. E dando ênfase ao pronunciamento da Presidente, ressaltou o médico Orlando Araújo: “os benefícios que advirão para o engrandecimento do município, com o aprimoramento dos seus valores, desperdiçados na sua grande maioria, por falta de um instituto adequado”.

Não havendo discordância pelos presentes, acerca da temática da reunião, Dr. Orlando Araújo procedeu a leitura dos nomes indicados para os diversos cargos, do órgão municipal da Campanha, os quais foram unanimemente aclamados e a seguir empossados: para Presidente: – Professor Fernando Barbosa de Carvalho; 1º, 2º e 3º Vice- Presidentes, respectivamente: Dr. Amandino Teixeira Nunes, Waldemar Pinto da Veiga e Alberto Araujo; Secretario Geral Raimundo Ribeiro Roland; 1º e 2º tesoureiros: Walter Zaidan Gonçalves e Antonio Jose Murad; Conselho Fiscal; professoras Maria Alice Machado, Maria Gertrudes Archer da Silva e Neyde Magalhaes Araujo.

A partir daquela reunião, ficou criado o Ginásio Codoense e instalado nas dependências do então Grupo Escolar “Colares Moreira”, tendo como primeiro Diretor o Dr. Amandino Teixeira Nunes, como secretária Ana Siqueira de Almeida; auxiliar de secretária Raimunda Ximenes de Oliveira, e como servente Maria José Braga.

Logo no final do mês de outubro iniciaram-se as matrículas para o exame de Admissão, e no ano seguinte (1953), passou a funcionar a primeira série, constituída dos seguintes alunos: Airton Porto Nunes, Alexandre da Cruz Lima, Célia Palácio Brandão, Dávila Ribeiro Cruz, José Bona Brandão Mousinho, entre outros.

Integraram o primeiro Corpo Docente do Ginásio: Professores: Carmem Palácio Lago, Maria Alice Machado, Raldir Cavalcante Bastos, José Ferreira Castelo Branco, José Camilo da Silveira Filho, Antônio Alves de Oliveira, Dr. José Anselmo dos Reis Freitas, Luís Antônio Galvão Barbosa, Dr. Alberto Macieira Neto e Euclides Costa e Silva.

Um dos acontecimentos marcantes e auspicioso no ano de 1956  foi a colocação de grau da primeira turma, em 15 de dezembro daquele ano, na sede do Clube Recreativo GUARAPARY, recebendo seus certificados os seguintes concludentes: Antônio Rocha Sobrinho, Kleber Saraiva dos Santos, Dávila Ribeiro Cruz, Edelvas Pinto Nascimento, Feliciana de Castro  Santos, Filomena Maria de Almeida Mota, Henrique Figueiredo Salazar, Ilza Ribeiro de Sampaio, Iracema Alves Coutinho, Isabel Moreira Primo, João Haroldo Ribeiro, José Luiz Mota Silva, Luiza D’lly Alencar, Milton Rêgo Macedo, Magnólia Rocha Braga, Maria Alice Cruz, Maria Augusta Vieira Brandão, Maria Eni de Oliveira Ramada, Maria Eugênia da Silva Costa, Maria da Glória  Bonfim Primo, Maria da Graça Oliveira Machado, Maria José Rêgo Macedo, Maria Oliveira Gomes, Maria Ilnete Souza e José Ribamar Moreira. Naquele 15 de dezembro colaram grau 33 alunos.

Em virtude da nova denominação de CNEG-Campanha Nacional de Educandários Gratuitos para CNEC- Campanha Nacional de Escolas da Comunidade, ocorrida no ano de 1969, o colégio foi impelido a cobrar mensalidades dos seus alunos.

Esse quadro foi se agravando cada vez mais. Na Administração do Prefeito José Inácio foi assinado um Convênio – Prefeitura e a CNEC Estadual em 28 de fevereiro de 1989, o que evitou a paralisação das atividades do Colégio.

Na Administração seguinte o Convênio não foi prorrogado, por esse motivo, a situação financeira ficou insustentável, a ponto de alguns professores acionarem o Colégio, via Justiça do Trabalho.

Em virtude do estado de insolvência, como se encontrava o Colégio, o prefeito Ricardo Archer, o declarou de utilidade pública para fins de desapropriação, conforme Decreto Municipal n° 1.374, de 05 novembro de 1999.

Com essa decisão do Executivo Municipal, o velho Educandário da Rua César Brandão foi encampado à rede Municipal de Ensino, com nova denominação: Colégio Ananias Murad.

Trechos extraídos do livro “Escritos Avulsos”, inédito. Autor Carlos Gomes da Silva.

Codó-MA, 27 de fevereiro de 2013.

Prof. Carlos Gomes

2 comentários sobre “PÁGINAS DE CODÓ IV – O primeiro ginásio”

  1. Caro Professor Carlos Gomes:
    Apesar de muito novo na época da fundação do Ginásio Codoense, ainda me lembro deste grande evento porque o meu avô era Prefeito de Codó nesta época. Waldemar Pinto da Veiga nos faz lembrar de belos momentos da nossa infância. Minha prima , a Dávila fêz parte da primeira turma de formandos e fiz o meu exame de admissão em 1955, no Ginásio Codoense que funcionava onde hoje é o Banco do Brasil. Tive a honra de estudar no Ginásio Codoense e posteriormente ser Professor deste estabelecimento de ensino durante quatro anos. Quando conclui o Ginásio o Codoense funcionava onde é o Colares Moreira e quando fui professor ele já se encontrava nas suas instalações próprias. Eu dei uma volta ao passado da nossa querida Codó, principalmente aos lêr os nomes de pessoas com quem tivemos a felicidade de conviver. O Colégio Codoense não deveria nunca ter fechado as portas, nunca. Parabens pelo assunto abordado e pela constante demonstração de conhecimento e amor por nossa querida terra.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

PUBLICIDADES

A CONVERSA É COM ACÉLIO TRINDADE

APP RAD MAIS

Dra. Nábia, PEDIATRA

Medicina Integrada – Pedro Augusto

REGIONAL TELECOM

Marque Consulta

FC MOTOS

LOJA PARAISO

FARMÁCIA DO TRABALHADOR

PANIFICADORA ALFA

OPTICA AGAPE

SUPERLAR

PHARMAJOY

BRILHO DO SOL

 

CAWEB FIBRA

PARAÍBA A MODA DA SUA VIDA

Venda de Imóveis Codó-MA

HOSPITAL SÃO PEDRO (HSP)

Óticas HP

CARTÃO NOROESTE

 

 

SEMANA RAD+

 

GABRIELA CONSTRUÇÕES

Imprima

Lojas Tropical

Mundo do Real

Reginaldo

Baronesa Janaína

RÁDIOS NET

EAD – Grátis

Categorias