Polícia ainda não tem pistas sobre assassinato do dono das ópticas Mundial

Paulo Henrique
Paulo Henrique

Um crime chocou a cidade de Codó logo após sua divulgação ocorrida logo nas primeiras horas desta terça-feira (14). Paulo Henrique Cavalcante Maciel, tinha 39 anos. Foi morto com vários tiros dentro do quarto da casa onde morava sozinho na Av. Cristóvan Colombo,  no bairro Trizidela. O médico legista falou em pelo menos 9 perfurações.

A empregada doméstica, Verinalva Santana de Castro,  foi quem primeiro encontrou o corpo por volta das 7h30 da manhã. Quando chegou encontrou os portões abertos e nenhum sinal de arrombamento.

 “Essa cerca aqui é elétrica, né, ali tá como se ele mesmo abriu porque não tem nada arrebentado, tava aberto os dois portões (…) dá as aparências que foi ele mesmo que foi  atender a pessoa”, contou aos repórteres

 SUSPEITA DE LATROCÍNIO

A vítima era empresário dono das ópticas  Mundial em três cidades da região (Codó, Timbiras e Coroatá).

O pai dele, senhor Renato Maciel,  conta que o filho, com quem tinha pouca relação, iria viajar, na madrugada em que foi morto, para Teresina onde compraria um carro de luxo – uma Hilux. Da casa só levaram o celular de Paulo, mas ele desconfia que  a polícia pode estar diante de um caso de latrocínio – roubo seguido de morte.

 “Se ele ia pra Teresina, com certeza ele tinha algum dinheiro ia comprar uma Hilux, dando a entrada,  deve ter dinheiro, mas eu não tinha conhecimento, só sei que o celular levaram e  ninguém encontrou nada aí dentro”, disse

 A POLÍCIA

 O delegado, Zilmar Santana, que cuida do caso, ainda não quis se pronunciar. Por enquanto ouve pessoas para tentar, ao menos, definir a linha de investigação.

Enquanto isso a família segue lamentando e aguardando o resultado do trabalho policial.

 “Eu só quero que a polícia faça o seu trabalho ver o que aconteceu nisso aí, fazer uma música, averiguar quem ia viajar, se alguém viu quem bateu na porta (…) eu espero que a polícia tome as providências”, pediu seu Renato

Deixe um comentário