Policiais falam sobre operação que resultou em morte de perseguido na região do 17

Ten. Igor e Ten. Ricardo

O tenente da PM, Igor Vieira, que estava no plantão, explicou que Ismael da Conceição Rodrigues, de 22 anos, foi abordado por policiais que tentavam encontrá-lo na zona rural de Codó, especificamente depois da Fábrica de Cimento próximo ao povoado Tucunaré (BR-316), após denúncias de furtos e assaltos na chamada região do 17, nos povoados Teresa e Caldeirão.

Ele e um comparsa que foi preso sem qualquer ferimento se dirigiam para Tucunaré para matar um homem identificado como Jamanta que, segundo a polícia, é suspeito de ter assassinado em Timbiras um irmão de Ismael. Ele queria se vingar.

De posse de um revólver, calibre 32, apreendido, a vítima teria recebido os militares com disparos, a reação da polícia foi imediata e, segundo o tenente, na mesma proporção.

“Aonde o Ismael ao ver a viatura efetuou disparos, a guarnição da polícia revidou e onde ocorreu óbito de Ismael…ELE DISPAROU QUANTOS TIROS? Foram duas munições deflagradas e uma munição batida, a munição batida é quando o percussor aciona a espoleta e a espoleta não reage”, disse Igor Vieira

SOCORRO MÉDICO

A própria polícia chamou uma ambulância do Samu para socorrê-lo. Ismael foi trazido para o pronto socorro da cidade, mas, atingido por dois disparos, não resistiu aos ferimentos e já chegou morto.

Del. Rômulo

Na casa da família dele, ninguém quis falar com a imprensa sobre a ação da polícia.

O delegado, Rômulo Vasconcelos, afirmou que vai abrir inquérito para apurar o fato, mas parece já estar convicto de que o desfecho da operação foi mesmo resultante do comportamento de Ismael que já tinha algumas passagens na delegacia por furto e roubo.

“Tem vários informes que ele estava fazendo vários assaltos no Codó Novo, isso é fato, várias vítimas vieram registrar queixa contra ele e é um tombamento de um marginal, antes um marginal do que um policial”, disse

Deixe um comentário