Por Jacinto Junior – A direita conservadora e o embuste na história

Para alguns, o evento ocorrido no dia 15 de março de 2015, constituiu-se num ato essencialmente apartidário e totalmente alheio às lideranças políticas, para outros, ao contrário, toda a mobilização estava por detrás uma poderosa arquitetura política e midiática pensada pela direita conservadora. O 15 de março, portanto, eclodiu sob a coordenação do aparelho midiático golpista.

Jacinto Junior
Jacinto Junior

A principal tese dos participantes e “indignados” membros da elite branca nacional era: ‘Fora, PT! Corrupção, Fora, PT! Diante desse discurso explosivo e profundamente raivoso, é mister que façamos uma análise mais acurada desse fato e, buscar os verdadeiros motivos que gerou a mobilização.

O 15 de março sinalizou, mais uma vez, o robusto e inequívoco ódio de classe; revelou a essência ideológica da elite branca que rejeita e despreza a classe trabalhadora. O fato de haver tido – segundo informações da polícia militar e a mídia golpista – cerca de 1 ou 2 milhões de pessoas no Centro financeiro do Brasil; não constitui fator proeminente/determinante e, sim, quem participou dela.

Neste sentido, chamou-me atenção a presença de um personagem que retratou o período mais obscuro e duro de nossa história mergulhada na sombra do regime militar: “Carlinhos Metralha”. Foi saudado como herói e teve o privilégio de usar do microfone. Seu discurso não perdeu o foco de 50 anos atrás, e, assim, declarou: “muitos dos delinquentes que estão aí hoje… não metralhei porque não tive oportunidade. Se tivesse, o faria com maior prazer”. Esse verdugo desprezível não teve ainda seu encontro com a história, para revelar sua faceta como agente do Dops/SP e confessar seus crimes como torturador oficial do regime militar instalado em nosso país que vigorou até metade da década de 1980. Quando a Comissão da Verdade o convocou para prestar esclarecimentos ele desapareceu ‘misteriosamente’ como por um passe de mágica e, agora, ressurge – como fênix -, apresentando-se como um garoto propaganda de um período mais cruel que a América Latina experimentou e ser ovacionado por jovens. Isto é terrível e assustador. A nova geração desconhece visceralmente a nossa história recente e o que simbolizou e representou esse desgraçado regime para a Nação e centenas de Famílias órfãs – que, até a presente data não tiveram a honra de enterrar seus filhos mortos e dados como desaparecidos, a lista é imensa. Esse discurso é típico daqueles neofacistas destrambelhados que transforma a democracia em meio para ressuscitar a monstruosidade que fora a existência do militarismo em nossa Pátria.

O Brasil ainda não acertou sua conta com a história como a Argentina e o Chile, sobre os torturadores e assassinos de personas gratas consideradas torturadas, mortas e desaparecidas como: o estudante Edison Luis, Marighella, Herzog – todos três mortos -, Dilma Rousseff – torturada. O Brasil não precisa retornar à obscuridade e ao silêncio mortífero e impiedoso para tornar-se uma nação equilibrada, desenvolvida justa e independente, a democracia constitui peça indispensável para reabilitar o país no seu devido lugar como tem sido nesses trinta anos de sua redemocratização.

Portanto, há uma bem planejada orquestração entre a poderosa mídia golpista e os conservadores liberais representados pelo PSDB, DEM, PPS, MBL – Movimento Brasil Livre (movimento esse sustentado pelos banqueiros, empreiteiros, latifundiários – udenistas – e reacionários da classe média) visando não apenas desestabilizar o país, mas, sobretudo, promover a desaparição da esquerda brasileira e da América Latina de uma só tacada.

A esquerda brasileira já comprovou sua competência e habilidade para gerenciar o aparelho de estado com uma cultura diferenciada. Todo o ódio de classe destilado pela direita conservadora não será suficiente para desbancar a democracia brasileira para ser novamente submetida a uma minoria irresponsável – saqueadora do patrimônio público – que nunca tivera preocupação com o povo verdadeiramente.

O Brasil é um país extraordinário e o governo encontrará o remédio homeopático adequado para estancar a sanha da gripe econômica “chikungunya” e debelá-la; e, dessa forma, restaurar o espirito republicano e democrático do gigante Estado-Nação.

Por fim, é fundamental distinguirmos um ato que se caracterize pela necessidade de uma verdade e não uma caricatura da verdade e da decência tendo como principal referencia elementos abjetos e dantescos da envergadura do sr. “Capa Preta”, ou melhor, “Carlinhos Metralha”, para reafirmar a necessidade de uma mudança urgente; abaixo o descaramento, o cinismo e a violência ostensiva de classe. Viva a democracia e a liberdade de opção e escolha! Respeitem o resultado eleitoral e esperem o próximo pleito em 2018, para, assim, apresentarem seus projetos e propostas neoliberais e tentar convencer o povo brasileiro a optarem por tal projeto conservador e excludente. A presença de “Carlinhos Metralha” na manifestação do dia 15 de março de 2015 simboliza a lógica concreta e real daquilo que pensam o conservadorismo brasileiro. São de fato, achacadores do patrimônio público nacional.

Fora, direita conservadora excludente!

Fora, mídia golpista!

Por Jacinto Junior

12 comentários sobre “Por Jacinto Junior – A direita conservadora e o embuste na história”

  1. Olhem só, quem está falando em golpe hoje, foram os mesmo que fizeram manifestação (Os cara pintadas) na era de 90 contra o Collor de Melo- pois bem,naquela época defender o impeachment, era democrático, hoje, é golpe! Esse discurso não cola mais, o povo acordou, o povo está cansado de ouvi MENTIRAS, dessa ESQUERDA BURRA, Governo INCOMPETENTE, vive pregando aos quatro canto que lutou contra a ditadura e a favor da democracia (MENTIRA) eles lutaram contra a ditadura mais a favor do COMUNISMO, coisa que eles nunca vão implantar em nosso PAIS o que sabe fazer muito bem e: SURRUPIAR os valores do povo brasileiro tanto econômico como monetário,o que eles sabem bem e deixar o Brasil de joelho perante ao mundo quando sai em defesa e financiando ditadores a exemplo de CUBA,VENEZUELA, UMA VERGONHA…Plagiando o Boris Casoy. Aqui eles foram contra a ditadura, mais lá fora eles são a favor , inclusive a financia através do Mais Médicos, porto de CUBA, doando dinheiro a esses VAGABUNDOS comunistas dos inferno, Essa senhora que está ai no poder com a sua incompetência Arrebentou com o PAIS,Com os CORREIOS, com a CEF, FUNDOS DE PENSÃO DA PETROBRÁS, ELETROBRÁS, o desemprego e a inflação este ano vai às Nuvens, como posso defender um DESgoverno que mais sabe fazer é MENTIR, SAQUEAR o patrimônio público , SOU COXINHA E DIREITA RACIONÁRIA com muito orgulho, trabalho pro meu sustento e não vivo as custas de governo CORRUPTO, como muitos…

  2. Quer dizer que por ter lutado contra a ditadura o político pode roubar a Petrobras? Pelo PT ter surgido lutando pela democracia ele pode, agora, armar o maior escândalo de corrupção da história desse país?

    Tu deveria era parabenizar esses juízes e promotores que estão combatendo esses políticos corruptos. Mas o que me preocupa também é você, como professor, ter uma visão partidária da história do país.

    Se tem alguém que tem muito compromisso com esse país, até mais que esse PT, é o juiz federal que tá conseguindo devolver mais de um bilhão aos cofres públicos.

  3. O problema do País não é econômico ou financeiro, já tivemos inflação centenas de vezes maior e superamos com o plano real.
    O problema do País é quebra de confiança no Governo e nas grandes empresas envolvidas nesse famigerado escanda-lo.
    O movimento seja da esquerda, direita ou centro direita, foi legítimo e representa a indignação popular pelo que está ocorrendo com o País.

  4. Diante do que foi exposta, a situação econômica do país não é assim tão grave – por mais que existam inúmeras análises que mostrem como estado de nossa economia é calamitoso – já que a manifestação, nas palavras do professor, era composta apenas por uma elite branca, racista, fascista e outros tantos lugares-comuns que a “esquerda” utiliza para se referir a aqueles que ousam discordar de sua perspectiva.
    Ao recorrer a situação envolvendo Carlinhos Metralha no protesto, o professor usa de uma metonímia (sinédoque) que, neste caso, não representa o ‘todo’ (manifestação). Temos aqui um ‘malabarismo argumentativo’ (sofisma) para descaracterizar o movimento. Pela sua lógica poderíamos considerar o PT e até mesmo o PCUS, durante a NEP, partidos liberais devido à “presença” das privatizações em seus governos. Preciso lembrar também que nesta mesma manifestação os que pediam a intervenção militar, em sua maioria, foram expulsos, inclusive o retrógrado deputado Jair Bolsonaro, que chegou a ser vaiado.
    Como liberal (no sentido europeu) não me sinto representado por nenhuma das legendas postas no texto como de “direita” (PSDB, DEM, PPS), considerando que no Brasil não há um único partido que represente este espectro, ou seja, a “esquerda” é praticamente hegemônica no cenário político brasileiro.
    Sobre a corrupção e o “silêncio” petista dos últimos meses, vejo que é realmente uma grande proeza defender o “indefensável” de forma convincente. A atitude dos “petistas” de se calar diante de tantas “agressões” que a presidente Dilma e seu partido têm recebido, só corrobora que faltam argumentos que sejam razoavelmente fundamentados.
    De fato, ‘gênese’ da corrupção política não está no PT, mas é interessantíssimo como o Partido dos Trabalhadores se utiliza desta de modo tão bem organizado, diga-se de passagem, para construir o seu projeto político. A corrupção é ideologicamente direcionada porque revolução não é moral (Vide o “status” de presos políticos de Dirceu e Genoino dentro do partido).
    Nas palavras do “camarada” Trotsky: “Mas a mentira e a violência por acaso não são coisas condenáveis “em si mesmas”? Por certo, como é condenável a sociedade dividida em classes que as engendra. A sociedade sem antagonismos sociais será, evidentemente, sem mentira e sem violência. Mas não é possível lançar uma ponte para ela senão com métodos violentos. A própria revolução é o produto da sociedade dividida em classes, da qual ela leva necessariamente a marca. Do ponto de vista das “verdades eternas” a revolução é, naturalmente, imoral. Mas isso significa apenas que a moral idealista é contra-revolucionária, isto é, encontra-se a serviço dos exploradores.”

    P.S: A menos que se prove o envolvimento da presidente com os escândalos de corrupção, sou contra o impeachment.

    P.S II: Não tente “lavar” os pecados da presidente professor. Sabemos que o Var-Palmares não lutou pela democracia e sim pela “substituição” de uma ditadura por outra.

Deixe um comentário