Reportagem da TV Mirante repercute e vereadores reafirmam compromisso da emissora com a verdade

A reportagem da TV Mirante sobre a falta de escola no povoado Corujão tem rendido bastante polêmica na cidade de Codó. Desde a semana passada que a imprensa do governo tenta desqualificar a matéria, mas nunca apresentou ninguém dizendo quando a escola será feita.

Já houve até um desencontro de informações dentro da cúpula de comunicadores. A coordenadora de campo, que foi mostrada, disse que a escola mais próxima fica em Lagoa da CIT, à 6 kms, para onde deveriam ir tais alunos. Ontem, 30, me apareceu um moço na TV Codó dizendo que a escola fica ‘a menos de 100 metros”. Com quem está a verdade?

É com a coordenadora. A escola mais próxima de Corujão fica à 6 kms, por isso a comunidade rejeita a oferta, que segundo o governo inclui transporte, e exige uma escola no local para substituir o salão de reunião.

Também estão tentando empurrar goela abaixo da população que a solução é a escola de 2 salas de Lagoa da Cit. Gostaria de ver como reagiria qualquer dos defensores desta tese ridícula se fossem os filhos deles os obrigados a rodarem 12 kms (ida e vinda) todo dia, podendo ter uma escola perto de casa. Como seria?

PEDRO FALA DOS MILHÕES

O assunto chegou ao plenário da Casa por meio do vereador, Pedro Belo (PCdoB). Que falou de repasses milionários desde o governo de Ricardo, passando pelo de Biné e fechando agora com Zito. Na opinião do parlamentar, se fossem bem aplicados a situação mostrada na reportagem já teria deixado de existir.

“ São 180 meses de FUNDEB, tem o governo do prefeito, Ricardo Archer, o governo de seu Biné Figueiredo e o prefeito de seu Zito Rolim. Se você fosse dividir por sala de aula todo povoado de Codó teria uma sala de aula pra receber os alunos”, criticou Pedro

JOÃO DE DEUS

Apesar de ser um ferrenho crítico do jornalismo da TV Mirante, sob a justificativa de que só mostramos o negativo das administrações, o vereador João de Deus fez um discurso muito coerente a respeito na noite de ontem.

Primeiro lembrou que nos últimos governos foram feitas matérias na mesma linha editorial.

‘Governo de Biné, governo de Ricardo Archer, também do lado de Roseana, pra repetir a palavra do Pedro Belo, também tinha matérias. Vocês lembram de uma reportagem de num sei das quantas Canelas aí (referindo-se ao repórter Marcelo Canelas/Globo Brasília) que saiu no Fantástico (foi no Jornal Nacional, na verdade) nossos alunos andando junto com o boi no caminhão, era o governo Biné ?( era no segundo mandato de Ricardo Archer)”, alertou

João concluiu o raciocínio, afirmando que a TV Mirante sempre trabalhou dessa forma, independente de quem esteja no poder municipal, contrariando o argumento idiota de certo moço da imprensa do governo que jura, que cai os dentes, que matérias mostrando a necessidade da sociedade (rural ou urbana) são feitas apenas no governo de Zito.

“Então, se é bom trabalho ou é mal trabalho não cabe à mim julgar aqui, mas a Mirante sempre pautou o trabalho dela dessa forma”, disse o vereador

Num tiro muito certeiro o vereador arrematou o assunto dizendo.

“A gente tem que aprender a conviver com isso porque a crítica sem vai existir do opositor, como vai ter elogio, ou as vezes até um pouco mais do que isso, de quem faz a imprensa governista”, concluiu

MINHA PAIXÃO

Este é um dos motivos da minha paixão pela TV Mirante. Ela não se pauta para agradar o poder, pois este não precisa de ninguém. O jornalismo desta emissora é dedicado à quem precisa de voz, precisa clamar por escola, saúde, casa pra morar, água potável pra beber, emprego. É para mostrar nossos valores, talentos, produção, comércio.

Não importa quem esteja governando, de quem ele seja aliado. Se tiver que está de um lado, ela vai escolher o lado dos mais fracos, dos oprimidos, sempre. Isso não tem nada a ver com política partidária, é jornalismo puro, na essência, do jeito que tem que ser.

Eu amo isso, de coração.

Deixe uma resposta