Fale com Acélio

Ricardo Torres

Caro jornalista, Acélio Trindade, e valorosos leitores deste importante meio de comunicação. Viemos através desta nota de esclarecimento destacar alguns pontos sobre notícia postada neste blog sobre a não realização de reunião dos agentes comunitários com o Prefeito Zito Rolim, sobre remuneração salarial dos mesmos, tenho a esclarecer o seguinte:

1º) Na quarta-feira passada, dia 7 de dezembro, os Agentes de Saúde compareceram à Prefeitura sem agendamento para reunião com o Prefeito, que estava na zona rural de Codó, cumprindo compromisso anteriormente agendado. Por essa razão, a reunião não foi realizada com o Prefeito, mas os agentes foram recebidos por mim, na condição de Secretário de Governo;

2º) Quando retornou da zona rural no mesmo dia 7, já à noite, o Prefeito conversou com uma ACS, ficando acertado que o prefeito telefonaria para arepresentante dos agentes, para marcar a reunião com os representantes da categoria profissional. Ocorre que o Prefeito está empenhado nos preparativos para a inauguração da UPA – Unidade de Pronto Atendimento e na conquista de novos convênios com os Governos Estadual e Federal, por isso ainda não foi possível a realização da reunião solicitada pelos ACS´s;

3º) Quanto ao débito de R$ 36,00 por mês mencionado no blog pelos líderes do movimento, já expliquei para a direção do Sindicato que não existe nenhum débito da Prefeitura em relação aos Agentes de Saúde. Ao contrário, a Prefeitura paga remuneração maior do que o valor fixado em portaria do Ministério da Saúde;

4º) Explicando melhor: a Portaria n.° 1.599, de 9 de julho de 2011, do Ministério da Saúde, fixa em R$ 750,00, para cada Agente Comunitário de Saúde, o valor do “incentivo financeiro” a ser pago mensalmente. O Governo Municipal paga remuneração bruta mensal no valor de R$ 785,40, correspondentes à soma do salário base (de RS 714,00) mais gratificação de insalubridade no valor de R$71,40. Assim, a remuneração paga atualmente aos Agentes de Saúde é R$ 35,40 maior do que o valor fixado na Portaria do Governo Federal;

Agentes esperando contato

5º) Com a efetivação dos 276 Agentes Comunitários de Saúde, ocorrida em 2009, além da remuneração em valor maior, o Governo Zito Rolim passou a pagar aos ACS´s todos os direitos pagos aos demais servidores públicos municipais efetivos, o que não acontecia até 2008, quando os ACS´s eram contratados e nem mesmo a previdência social era paga, prejudicando o trabalhador na época de sua aposentadoria;

6º) Importante esclarecer à comunidade em geral e aos Agentes Comunitários que o Governo Federal repassa, para o Município de Codó, R$ 208.500,00, por mês, para o pagamento de todas as despesas do Programa. Mas, apenas as despesas com Folha de Pagamento dos ACS´s, incluindo encargos, não custam menos de R$ 256.183,20 para os cofres públicos. Ou seja, somente o pagamento dos ACS´s e seus encargos superam em quase R$ 50.000,00 o valor repassado pelo Ministério da Saúde. Essa diferença, mais as outras despesas para manutenção do programa, são todas custeadas com recursos próprios do Município (leia-se, do Povo Codoense);

Indignação final

7º) Reafirmo publicamente, como já fiz em reunião com líderes dos ACS´s no dia 7 de dezembro, que o caso não pode e não deve ser tratado como uma cobrança de débitos. Mas sim como uma reivindicação da categoria por aumento salarial. Nesse contexto, o Governo não se nega a manter ativa a mesa de negociações, como sempre ocorreu. Inclusive com a abertura das contas do programa e da saúde como um todo para que juntos, ACS´s e Governo, busquemos formas de contemplar os interesses da categoria, sem perder de vista as condições financeiras do Município.

Finalmente, relembro a história de diálogo e entendimento que vem marcando a relação dos Agentes Comunitários de Saúde com o Governo Municipal desde 2009, resultando na efetivação dos agentes, pagamento de direitos trabalhistas e previdenciários, além do avanço na qualidade da prestação do serviço de saúde preventiva.

Respeitamos o desejo de melhorias salariais. Mas somos obrigados a conciliar os interesses do servidor com as demais despesas do poder público municipal, necessárias para a prestação de serviços públicos essenciais para a população, sobretudo a mais carente.

São estes os esclarecimentos que temos a apresentar sobre o assunto, ficando á disposição dos ACS´s, da imprensa e da Comunidade em geral, no entanto, para esclarecimentos complementares.

Atenciosamente, Codó, 15 de dezembro de 2011.

Ricardo Araújo Torres, Secretário de Governo Interino

Marcelo Coelho

Assessoria de Comunicação

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

PUBLICIDADES

A CONVERSA É COM ACÉLIO TRINDADE

APP RAD MAIS

Dr. Wanderson Leitão

Dra. Nábia, PEDIATRA

Medicina Integrada – Pedro Augusto

REGIONAL TELECOM

Marque Consulta

FC MOTOS

LOJA PARAISO

PREPARATÓRIO PARA CONCURSO

FARMÁCIA DO TRABALHADOR

PANIFICADORA ALFA

OPTICA AGAPE

SUPERLAR

PHARMAJOY

BRILHO DO SOL

 

CAWEB FIBRA

PARAÍBA A MODA DA SUA VIDA

Venda de Imóveis Codó-MA

HOSPITAL SÃO PEDRO (HSP)

Óticas HP

CARTÃO NOROESTE

 

 

SEMANA RAD+

 

 

GABRIELA CONSTRUÇÕES

Imprima

Lojas Tropical

Mundo do Real

Reginaldo

Baronesa Janaína

RÁDIOS NET

EAD – Grátis

Categorias