Talento Nato: Garoto cria o próprio instrumento e dá um show de bateria

Yago na Batera

O jovem estudante, Yago Araújo, foi revelado para a população do município de Codó como um ás da bateria. No entanto, o mais curioso, é que aos dezesseis anos de idade ele já domina totalmente o instrumento, confeccionado de forma artesanal por ele mesmo. Utilizando materiais domésticos descartados para obter som e ritmo, Yago dá um show tocando Forró, Pop Rock, Swinguera e Axé. Sua técnica e velocidade são impressionantes quando utilizadas no Forró Elétrico.

O estudante, que vem de família humilde, não possui condições para comprar uma bateria de verdade, mas a paixão pela música o fez ter a idéia de construir a sua própria bateria, improvisada com materiais que iriam parar no lixo. Olhando vídeos na internet, Yago construiu o seu inusitado instrumento com latas, baldes, tampas de recipientes e outros objetos, que só a sua criatividade poderiam transformar em objetos de percussão.

Autodidata na música, o adolescente foi aprendendo a tocar observando vídeo aulas através da rede mundial de computadores. Com o objetivo de ser um artista, ele tentou cantar e tocar guitarra, antes que a bateria ganhasse de vez seu coração. O virtuose codoense é fã do baterista Riquelme, da banda Aviões do Forro, em sua opinião, o melhor baterista do mundo.

A avó do adolescente diz que ele é um rapaz estudioso e dedicado, e que não se importa quando Yago pega alguma de suas panelas para aproveitar como percussão. “Não brigo não. Acho muito bom ele ter esse talento todo. É um motivo de orgulho pra mim”, conta.

Bateria de panelas

Francisco de Sousa, Coordenador do Ministério de Música da Renovação Carismática da Igreja Católica, descobriu o talento de Yago e procurou a equipe de reportagem da FCTV. Em entrevista a repórter Tânia Sousa, ele contou que foi por informações de terceiros que achou Yago e logo resolveu investir e divulgar o rapaz.

“Procurei a equipe de televisão para mostrar para Codó, e se possível para o mundo, do que esse rapaz é capaz. Antes de chamá-lo para fazer parte do ministério de música igreja, resolvi mostrá-lo na mídia. Quero que o público conheça um menino de Codó que aprendeu a tocar um instrumento complexo, sem a ajuda de um instrutor ou de um professor. Imaginem o que ele fará com uma bateria de verdade”, finalizou.

Por Raphael Fernandes

Deixe um comentário