TIMBIRAS: Professores rejeitam reajuste salarial de 2% oferecido pelo governo de Antonio Borba

Pela terceira vez no ano de 2018, o Sinproesemma de Timbiras se reuniu em Assembleia Geral com os professores e prefeito para definir o reajuste salarial proposto pelo Mec no final do ano de 2017 e não conseguiram chegar a um consenso.

A proposta do Ministério da Educação é que o reajuste anual de 2018 seja de 6,81% no salário dos professores. Após várias conversas entre o sindicato e o governo, finalmente o prefeito apresentou na manhã desta sexta-feira (10/08) a proposta aos professores da Rede Municipal de Timbiras de 2% (dois por cento) de reajuste em seus salários.

Após ouvir a proposta, os professores decidiram em não aceitar o percentual apresentado pelo prefeito sob a antiga alegação de não haver transparência nos gastos do recurso do FUNDEB do município.

Também foi deliberado que será solicitado ao prefeito novas informações que possam subsidiar um contraproposta do Sindicato para o reajuste de 2018. A prefeitura terá 10 (dez) dias para encaminhar as informações que vem sendo solicitadas pelo sindicato, mas, não atendidas pelo prefeito. Fato que culminou na não aceitação pelos professores da proposta de 2% apresentada pelo prefeito.

A Assembleia contou com a presença do Assessor Jurídico do Sinproesemma, Dr Mário Braga e da Coordenadora Estadual de Núcleos, professora Janice Nery, que ao final da Assembleia fomentou o discurso de luta do sindicato na busca pela valorização profissional dos professores.

ASCOM

SINPROESEMMA TIMBIRAS

4 comentários sobre “TIMBIRAS: Professores rejeitam reajuste salarial de 2% oferecido pelo governo de Antonio Borba”

  1. Na campanha o prefeito dizia ” porque dinheiro tem é só pagar o professor, não lançar este dinheiro pra outra coisa é pagar o professor” depois que ele assumiu quer dizer que não tem, mas o portal da transparência do governo federal mostra tudo. Segura mais esse prefeito …e .. timbiras kkkk

Deixe um comentário