Violência: Mulheres apanham e desistem de denunciar agressores na delegacia

Maria Tecla Cunha

A lei Maria da Penha completou no último domingo, 31, exatamente cinco anos de existência. Um avanço que não está sendo, devidamente, aproveitado pelas mulheres que são agredidas dentro do município de Codó.

Pelo menos é o que se depreende da entrevista concedida, ao blogdoacelio, pela delegada da mulher, Dra. Maria Tecla Cunha.

Segundo a autoridade, as mulheres as vezes chegam até à delegacia, mas quando descobrem por que tipo de penalidade passará seu agressor, desistem. Com esta atitude acabam criando uma sensação de impunidade perigosa.

“No momento em que ela se depara com a situação em que o companheiro tem que ser responsabilizado elas, antes mesmo de ser formulado a denúncia, se retratam com isso desistem e com isso o autor termina sendo beneficiado”, disse a deegada

Os registros de agressão de 2009 até hoje, não passam de 122. No mesmo período, 6 mulheres foram mortas por companheiros ou maridos nesta cidade.

Maria Tecla Cunha garantiu que quando a mulher vai até o fim, na sua denúncia, o Estado age com rigor, em conformidade com a lei.

“Nós temos vários casos que foram penalizados, cumprindo, inclusive sentenciados”. garantiu

6 comentários sobre “Violência: Mulheres apanham e desistem de denunciar agressores na delegacia”

  1. Sem dúvidas, que essa lei foi uma grande conquista para as mulheres. Mas que, ironicamente, já foi aplicada em casos de “casais” homossexuais…

    Ou seja, agora ainda temos que ver uns marmanjos se aproveitando de uma conquista que foi exclusiva para as mulheres…

    Vai entender isso?

  2. A ZULU E PORISO QUE VOCé creticou o chefe sena freitas talves ele tenha falado deste mostro ir vocé não gostou vou pedi a Deus pra vocé não ser a prosema viti deste debe mental

Deixe um comentário