Mais de cinco mil avaliadores vão corrigir redações do Enem 2019

As redações  dos 3,9 milhões de participantes presentes no primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019 ganham atenção especial do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Neste ano, 5.168 avaliadores vão realizar a correção dos textos que tiveram como tema a “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”.

O processo seletivo já recebeu as inscrições e agora todos os aprovados passam por uma capacitação a distância: são 93 horas de formação, com nove módulos com conteúdos. A seleção é conduzida pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), integrante do consórcio aplicador do Enem, e conta com a supervisão do Inep.

Durante o curso, o candidato deve resolver questões sobre as competências do Enem. Se tirar zero, o concorrente é eliminado da seleção. O exercício final é composto por 30 redações, que devem ser avaliadas em três horas. As redações já têm uma nota de referência, e, se houver grande discrepância entre a nota atribuída e a nota de referência, o candidato a avaliador recebe nota zero.

Os candidatos com melhor desempenho serão selecionados para participar da capacitação presencial nos 16 polos regionais de avaliação, com duração de 16 horas, com a atuação de 272 supervisores. Na ocasião, os avaliadores devem entregar um termo de sigilo impresso e assinado.

Após o curso, os corretores fazem ainda um pré-teste com 50 redações. Eles devem atribuir notas para as cinco competências avaliadas no Enem. Essa fase é obrigatória e eliminatória.

Só depois de ser aprovado em todo o processo, o corretor receberá as redações entregues pelos participantes do Enem 2019. Cada avaliador receberá até 200 redações por dia, com o compromisso de analisar mais de 150 textos a cada três dias. Nessa etapa, a avaliação da correção continua. A cada 50 redações, o corretor recebe duas já avaliadas por uma equipe de especialistas, que serão usadas para analisar o desempenho do corretor.

Todas as redações serão avaliadas por dois professores em plataforma online, com texto sem identificação. Cada um desconhece a nota atribuída pelo outro. Se a discrepância das notas for superior a 100 pontos, no total, ou 80 pontos em uma das cinco competências avaliadas, um terceiro professor fará a correção. A nota final da redação é a média aritmética das duas notas totais que mais se aproximam.

Redação – A prova de redação avalia cinco competências:

domínio da escrita formal;

desenvolvimento do tema em estilo dissertativo-argumentativo;

relacionar, organizar e interpretar informações e argumentos em defesa de uma opinião;

conhecimento de mecanismos linguísticos para construir a argumentação;

elaboração de proposta de intervenção para o problema proposto, com respeito aos direitos humanos.

A nota máxima prevista é 1.000. Textos com até 7 linhas ou que fogem ao tema estão entre os critérios para zerar a redação.

Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

Deixe uma resposta