VEJA OS NÚMEROS – Em nenhum mês do ano passado houve tantas mortes violentas como em janeiro de 2020

Duas destas mortes ocorreram na zona  rural de Codó (uma no Cocal e outra em Santa Maria). Uma delas foi a do motorista  FINÔNIMO OLIVEIRA PEREIRA, de 39 anos, morto a tiros de revólver num evento esportivo. O autor do assassinato apresentou-se com advogado e vai responder em liberdade.

 Em 2019, quatro pessoas foram assassinadas durante o mês de janeiro. Este ano, antes mesmo do fim do mês, já são seis  mortes violentas registradas pela polícia.

 “Desses 6 crimes dois foram situações comuns, que não foram envolvimento com o crime, mas as outras 4 todas foram rivalidades, dívidas por tráfico de drogas, então, infelizmente, dois casos não foram, foram casos casuais do dia-a-dia, mas outros casos foram relacionados a crime de tráfico, algum relacionamento com crime”, disse ao blogdoacelio o delegado Rômulo Vasconcelos

Para os padrões da cidade de Codó, algo fora do que se tem registrado. 2019, por exemplo, fechou com 29 assassinatos e o mês mais violento, outubro, só chegou a 5 mortes.

POVO PREOCUPADO

Janeiro, por este motivo, está preocupando a população.

 “Rapaz é muita preocupação, viu companheiro, seis mortes rapidão, assim, é um negócio muito sério…O CIDADÃO FICA PREOCUPADO? É porque as vezes pode acontecer com qualquer um de nós né não?”, disse o mototaxista Raimundo Araújo

A aposentada Maria Freitas citou a preocupação com o uso de drogas desenfreado em Codó, para ela com total relação com a violência que resulta em mortes.

 “É muita morte, não devia estar acontecendo isso…O CIDADÃO FICA PREOCUPADO COM A FAMÍLIA?  E como fica porque hoje você sabe a droga é que tá dominando, então a gente fica preocupado porque pra onde você vai é droga demais…ACABA EM MORTE? Acaba em morte’

Sobre como estão os inquéritos dos 6 homicídios deste ano, respondeu o delegado Rômulo Vasconcelos.

“Todos os processos estão identificados os autores e todos já foram concluídos e remetidos Justiça”

Deixe uma resposta