ÁUDIO – Presidente de sindicato explica como a união dos próprios funcionários vai salvar a Fábrica de Cimento Nassau

Ontem, 4, o presidente do Sindicato da Construção Civil, Cimento, cal e Gesso de Codó, Sebastião ‘Cerca de Quintal’, esteve ao vivo no programa Comando da Tarde para explicar como a união dos próprios funcionários da Fábrica de Cimento Nassau vai impedir seu fechamento.

“Deram um voto de confiança, o superintendente me chamou e falou – olha Sebastião, pra reverter isso aí só depende do sindicato –  é se depender do sindicato a gente vai correr atrás e fomos conversar com os trabalhadores que estavam interessados em funcionar a fábrica e os demais que não tinha participado da assembleia, só tinha 274 trabalhadores nesta assembleia e na fábrica tem 500 e poucos então vamos correr atrás destes 200 e poucos aí, uma turma boa interessada em ver a fábrica funcionar, se juntou com a gente do sindicato”,

OUÇA ENTREVISTA

3 comentários sobre “ÁUDIO – Presidente de sindicato explica como a união dos próprios funcionários vai salvar a Fábrica de Cimento Nassau”

  1. Rapaz isso não passa de falácias. Falo com convicção porque cheguei ao meu limite tanto físico quanto psicológico em relação a minha situação como funcionário (Hoje ex-funcionário). Quem sempre lutou e manteve essa fábrica funcionando foi os colaboradores que mesmo com as dificuldades, nunca entregaram os pontos. Porém, em analogia ao ditado popular “Quando um não quer,dois não brigam” eu falo que “Se o Santos não quer, 500 guerreiros não conseguirão”. Não adianta os colaboradores tentarem levar essa fábrica nas costas porque eles não conseguirão(Infelizmente). Os sócios da empresa não estão se importando com a situação de problemas financeiros dos colaboradores das unidades. Eles estão apenas tentando entregar o máximo de sacos de cimentos que já foram pagos (e que inclusive já gastaram esse dinheiro) e ao final da entrega desse montante, fechar suas portas. Mas desejo que ela (Itapicuru) possa se reerguer e que mantenha o serviço dos que lá estão, porque se realmente fechar fará uma grande falta para muitos. Finalizando digo o seguinte, funcionário não fecha fábrica não, quem fecha é apenas os seus donos. Porque se os funcionários estão fazendo greves e paralisações, os donos podem simplesmente demiti-los e recontratar novos colaboradores. Agora induzir aos colaboradores que se eles não aceitarem uma proposta indecente (50% do salario e dividi-lo em 4x no mês) que foi apresentada seria fechar a fábrica, isso que não consigo entender

  2. “Finalizando digo o seguinte, funcionário não fecha fábrica não, quem fecha é apenas os seus donos. Porque se os funcionários estão fazendo greves e paralisações, os donos podem simplesmente demiti-los e recontratar novos colaboradores.”

    Ou seja: na hora da quebradeira, a culpa/responsabilidade é única e exclusivamente do dono.

    Onde vc viu que funcionário em greve pode ser demitido? Isso non ecziste! A empresa que fizer isso leva uma bela multa!

  3. Sindicato é uma fábrica de dinheiro nas costas dos trabalhadores,não resolvem porra nenhuma,besta é quem se sindicaliza, mesmo assim o trabalhador tem que pagar mesmo, já participei de sindicato aqui em Codó,tudo é na base do deixa pra lá, trabalhador é que se lascam, aqui todos os sindicatos tem seu preço, só os os patrões tem o retorno nada é respeitado.

Deixe um comentário